História The Destiny Bond - Interativa - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~KeeSmile

Postado
Categorias Corpse Party
Personagens Personagens Originais
Tags Anime, Bisexualidade, Colegial, Corpse Party, Drama, Ecchi, Fantasmas, Hentai, Heterosexualismo, Homosexualismo, Horror, Interativa, Lemon, Orange, Romance, Sobrevivencia, Terror, Yaoi, Yuri
Exibições 64
Palavras 2.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo! Eu e Darling tivemos problemas para postar de novo... E mais uma vez a culpa é toda minha. De qualquer forma esse capítulo é um pouco diferente já que temos alguns personagens novos!
Ainda tem alguns personagens que já apareceram mas não receberam tanto destaque, mas todos vão receber a devida atenção. Então novamente peço que não se preocupem, ninguém será esquecido.

Boa leitura!

~L. Rawberry

Capítulo 4 - Capítulo II - "Inevitável"


Fanfic / Fanfiction The Destiny Bond - Interativa - Capítulo 4 - Capítulo II - "Inevitável"

 

“Talvez eu ainda estivesse apreensivo, mas isto já não parece mais importar... Apenas aquela visão me acalma de alguma forma, não é engraçado?”

Cogitava Ishi enquanto aproximava-se do rapaz que parecia não ter notado a sua presença. Sem sentar-se o rosado resolveu finalmente quebrar o silêncio que os envolvia naquele momento.

— Pude perceber que vem aqui com alguma frequência.

O menor virou-se sem muita demora provavelmente confuso com a aproximação repentina, os seus olhos pareceram percorrer brevemente a silhueta de Ishi em uma tentativa de familiarizar-se com ele, ainda que sem sucesso em reconhecê-lo.

— Eu acho que sim...

— Ah, me desculpe nós não nos conhecemos. Eu sou novo, meu nome é Tomura Ishi eu vi você sentado aqui no dia em que vim visitar a academia e pensei em vir falar com você.

— Me chamo Kim SeokSoo.

— É um bom nome! Tudo bem se eu me sentar com você?

— S-sim.

Antes que seus olhos tivessem a breve chance de se encontrar o menor hesitante olhou rapidamente em outra direção. Kim estava bastante confuso com aquela aproximação repentina, ele nasceu em Busan, Coréia do Sul, mas acabou tendo que se mudar para o Japão por conta de uma proposta de trabalho que seu pai recebeu, quando ainda tinha seus 14 anos. Assim que entrou para a nova escola, sofreu bullying por conta de sua nacionalidade. Atualmente o bullying não é tão frequente, mas ele ainda não possui amigos, mesmo sendo gentil e alegre com todos os que estão sua volta. Sendo assim, isto era algo realmente raro para o garoto e o mesmo não sabia ao certo como reagir.

Ele parecia ser um garoto bastante tímido e provavelmente estava um tanto quanto desconfiado com a inesperada aproximação de Tomura, entretanto aos poucos ele passou a sentir-se um pouco mais seguro em falar com Ishi. "Poderia ser aquele um lado que poucas pessoas conheciam dele?" o jovem não poderia julgar com clareza, mas isto não lhe impedia de sentir-se feliz em ver aquela feição tão suave no rosto de SeokSoo. Por alguns instantes tinha a sensação de que não havia nada mais ao seu redor, aqueles sentimentos intensos e tão inesperados eram certamente assustadores, mas ainda assim tão prazerosos. Era errado desejar que ele o olhasse da mesma maneira que fitava o céu sobre si? Os dias definitivamente pareceram voar após conhecê-lo e a tempestade que se aproximava jamais poderia ser prevista em meio a chuva de pétalas que caia perante os seus olhos.

 

 

 

 

[Academia Yomiyama/Sexta-Feira/Cerca de dois dias antes do incidente/Em abril] 

 

Academia Yomiyama é um colégio bastante respeitado da mesma forma que a Academia Kisaragi, sem qualquer tipo de peculiaridade. Ela localiza-se em uma cidade diferente da qual a Academia Kisaragi está, entretanto a distância entre estas não é tão extensa. Que ligação poderia haver entre estas duas Academias? As linhas impiedosas do destino continuavam a contorcer-se ao redor daquelas pobres almas e nem mesmo a distância poderia privá-las de seus destinos fatídicos. Destinadas? Quem sabe esta não seja a palavra correta, provavelmente amaldiçoadas seja um termo mais apropriado. O destino não passa de um artista impiedoso e sádico que põe um fim dramático em suas mais belas obras primas e assim como as flores tendem a murchar de uma maneira ou outra. 

As histórias que envolviam Naomi Nakashima não eram tão populares e conhecidas pelos estudantes daquele local, porém um grupo do terceiro ano casualmente abordara este tema após o fim do último período de aulas daquela sexta-feira. O mês de abril já havia chegado finalizando a época das belas flores de ameixeira e dando início ao reinado das delicadas cerejeiras. As luzes nos céus aos poucos esvaiam-se com a chegada do entardecer e enquanto deixavam suas classes os estudantes debatiam sobre suas próprias crenças, junto deles ainda havia um mais novo que pareceu ficar em silêncio durante todo o o diálogo.

— Vamos lá, Daisuke-san. Não seja sempre tão cético isso chega a ser frustante! 

Exclamou Manaka Kirie que era única garota no grupo, os seus cabelos dispunham de um tom bastante claro de louro e seus olhos a cor celeste. Ela não era baixa, entretanto também não era alguém que pudesse ser considerado muito alto, provavelmente com algo próximo aos 1,65cm de altura. Em seu peito escondida por debaixo de seu uniforme escolar, havia uma grande e misteriosa marca de nascença quase tão misteriosa quanto o seu próprio passado. Manaka teve uma vida bastante difícil, causada principalmente por conta dos desentendimentos e brigas frequentes entre os seus pais. A falta de tempo que seu pai tinha para ela e sua família e o vicio em drogas de sua mãe desencadearam uma série de acontecimentos que deixaram marcas profundas na jovem. Após a perda de seus responsáveis, a sua guarda passou a ser dividida entre seu irmão mais velho e primo da garota, mesmo que a fase mais dolorosa de sua vida tivesse chegado ao fim. Algo nela havia mudado e a sua verdadeira personalidade parecia escondida atrás de seu sorriso forjado em mil mentiras. 

—  Eu não consigo acreditar em algo que não seja realmente comprovado, é apenas isto. 

Retrucou de forma ríspida o jovem  Daisuke Inoue, que de longe era o mais alto naquele corredor. Seus cabelos eram prateados e os olhos carmesim tais como as pétalas de uma camélia. Sua feição parecia indiferente a tudo ao seu redor e como sempre, após sua breve frase ele se imergia novamente em silêncio. O moreno que caminhava ao lado de Manaka não demorou muito a manifestar-se com um tom levemente sarcástico para com o seu colega de classe.

— Eu acho que na verdade você apenas tem medo desse tipo de coisa e por isso prefere fingir que nada disso existe. Estou errado?

Seus olhos igualmente vermelhos como sangue, encontravam agora os olhos do albino em um gesto claramente desafiador. Seu nome era Erick Young, um rapaz de poucas amizades e personalidade difícil. A tensão pareceu ser dissipada por uma ação inesperada vinda do mais novo e também mais baixo, um garoto do primeiro ano que lhes acompanhava pelos corredores, chamado Yuu Kuriyama. Os seus cabelos eram castanhos da mesma forma que seus olhos, porém em tons diferentes, seu uniforme por sua vez estava perfeitamente alinhado e em seu pescoço havia um cachecol de cor avermelhada. Sua voz ecoou com convicção a fim de evitar outra briga entre os rapazes.

— Já chega! Não comecem a brigar de novo por causa de qualquer coisa.

Ambos pareceram um pouco surpresos com aquela atitude, os mais velhos pararam brevemente fitando o menor por alguns instantes e ainda assim ele olhava em suas direções determinado a apagar aquelas fagulhas que estavam acendendo-se entre eles. A garota não podia evitar suas risadas enquanto Erick apenas bufou e olhou em outra direção. Daisuke aproximou-se de Yuu e lhe afagou os cabelos, bagunçando os mesmos sem qualquer aviso oque fez o menor corar quase que no mesmo minuto. 

— Está certo. Que tal nós apenas continuarmos caminhando? 

O menor com seus olhos fixos no chão concordou com um movimento sutil de sua cabeça em sentido afirmativo. O assunto atual da conversa aos poucos começou a voltar a seu ponto inicial. "As lendas eram reais?" o albino parecia ser o único verdadeiramente cético, e não apenas a respeito daquela lenda em especial, como tudo aquilo que tinha ligação com o sobrenatural. Entretanto as interpretações de realidade e boatos entre aqueles que acreditavam em coisas paranormais no pequeno grupo parecia variar bastante. 

— Se está tão certo de que nada assim é real, porque nós não tentamos?

O moreno disse com um tom provocativo para com o albino, que ainda não parecia demonstrar qualquer interesse no andamento do diálogo. Enquanto a loira continuava divertindo-se com a cena sem interferir o mais novo estava cada vez mais amedrontado com a possibilidade de algo errado acontecer.

— Quer realmente gastar seu tempo com algo assim, Erick-san? 

— Para ver você acuado como uma garotinha?

— Não, para comprovarmos que isso não passa de um surto psicótico de uma garota que não tomou seus remédios corretamente antes de ir para a escola. 

— Já que tem tanta certeza disso Daisuke-san, você está livre no domingo? 

Antes que o maior tivesse a chance de responder ele sentiu a manga de seu casaco ser agarrada com firmeza e assim que se virou pode ver Yuu olhando diretamente em seus olhos.

— Daisuke-kun, eu sei que não acredita nesse tipo de coisa... Mas eu não sei se é certo brincar com coisas que não conhecemos.

O albino voltou a fitar Erick e sem qualquer hesitação em sua voz ele aceitou o convite, contrariando o conselho do mais novo que continuava segurando-o com firmeza.

— Apenas me diga logo o horário que você e Naka-san preferem, faremos essa tolice e voltaremos para casa de uma vez. No entanto... 

O albino virou-se novamente na direção de Yuu e colocando sua mão sobre o ombro do mesmo ele prosseguiu sua frase: 

— Yuu-chan, eu prefiro que não venha conosco. Esse tipo de coisa parece afetar você, então seria melhor se evitasse stress desnecessário.

— M-mas... Yuu gaguejou e impiedosamente foi interrompido por Manaka, que sorria vitoriosamente. 

— Nós podemos fazer isso a noite! A menos que estejam com medo é claro. 

— Como eu poderia ter medo de algo assim? Retrucou Erick sem muita demora.

 

As mãos do albino deslizaram sutilmente para longe dos ombros de Yuu que permanecia praticamente estático. 

— Façam como preferirem, Erick-san tem meu número então apenas me mande uma mensagem com a hora e local que eu estarei lá. Preciso ir agora, tenho um compromisso hoje e já devo estar relativamente atrasado. Não poderei acompanhar você até sua casa hoje Yuu-chan, me desculpe. 

— Tudo bem...

Na realidade, não estava tudo bem. Havia tanto que o garoto precisava dizer e ainda assim as palavras não saiam por sua garganta. Mesmo com a visão da silhueta de Daisuke andando para fora do portão principal da Academia ele ainda não era capaz de impedi-lo. 

— Me perguntou quem é a garota da vez. 

— E isso realmente faz alguma diferença para você, Naka-chan? Provavelmente ele vai arranjar outra namorada até a próxima segunda-feira. Disse Erick ironicamente, ainda que as suas palavras trouxessem algum tipo de verdade em suas entrelinhas. 

Daisuke muitas vezes é visto como um "conquistador barato" ou um "mulherengo" pois raramente mantém relacionamentos sérios e sai com uma mesma pessoa por mais de três meses. Isso pode estar relacionado a sua dificuldade em confiar nas pessoas e o fato de que ele evita ao máximo desenvolver sentimentos profundos por outras pessoas, buscando sempre manter-se afastado e sobre o controle de uma relação para assim não ferir-se. Uma personalidade verdadeiramente problemática quando se trata de relacionamentos amorosos, o albino provavelmente estava apenas satisfazendo o vazio dentro de si com outra garota apaixonada esperando o momento certo para deixá-la para trás. Ainda que estivesse certo de que nenhum destes relacionamentos em que Inoue pudesse envolver-se seria o suficiente para mantê-lo com apenas uma pessoa, aquilo incomodava Yuu. Afinal, aquele era provavelmente o seu único amigo e mais uma vez ele havia sido deixado para trás. "Amigo" como aquela palavra o machucava por dentro, de alguma forma ele não queria apenas aquilo. Porém, tentar algo mais seria como dar um fim a todo o relacionamento entre eles, uma vez que se cansasse do jogo ele iria abandonar o seu novo brinquedo como sempre fazia. Era doloroso para Yuu pensar que alguém tão gentil e respeitável pudesse ser ao mesmo tempo a pior pessoa pela qual ele poderia apaixonar-se.

 

— Hey, no que está pensando mascote? Disse Erick tirando Yuu de seus pensamentos.

— Não é nada, eu acho que só estou cansado. É melhor eu ir logo para casa...

— Por que você não vem com a gente no domingo? 

— Mas o Daisuke-kun disse...

— Sabe, ele vai precisar de apoio psicológico lá. Que tipo de Kouhai abandona o seu senpai em uma situação dessas? De qualquer forma a escolha é sua, talvez esteja com medo demais. Naka-chan vai te enviar uma mensagem com o local e horário, sinta-se livre para aparecer se quiser...

— Ahn, vocês são muito lentos. Eu vou indo na frente vejo vocês depois. Interrompeu Manaka enquanto a mesma seguia seu próprio caminho, seguida com alguma relutância por Erick.

— Eu já tinha terminado sabia? Como você é irritante franjinha. 

 

 

Yuu demorou alguns instantes apenas parado na calçada onde ele havia se separado de Manaka e Erick. O garoto precisava tomar um pouco de ar e recuperar o seu fôlego. Talvez no fundo Daisuke apenas estivesse tentando protegê-lo como sempre havia feito, desde quando se conheceram. Quando se mudou para a sua nova e atual cidade ele passou a sofrer muitas perseguições de seus colegas e o bullying vivido por ele desde os seus sete anos de idade realmente havia machucado o garoto profundamente. Aquelas memórias do dia em que os seus caminhos se cruzaram, entretanto, parecia ser uma pequena luz de esperança naquele caminho escuro de incerteza. Quando ele tinha apenas treze anos toda aquela  violência parecia ter atingido o seu ápice e o desejo de desaparecer continuava a consumi-lo. As marcas em seus pulsos poderiam desaparecer, mas não o seu anseio por libertar-se. Uma trilha de sangue de seu quarto ao banheiro o seguia e toda vez ele parecia hesitar no último momento e resolvia adiar o dia decisivo. 

"Talvez eu não tenha a coragem necessária" ainda assim ele era capaz de cortar-se tão profundamente quanto as feridas abertas em seu peito e em sua alma retalhada. Os insultos ecoavam enquanto os seus joelhos tocavam o piso frio e sujo do banheiro de seu colégio, era uma ciranda da qual ele não poderia escapar então ele apenas poderia chorar e esperar que todos o deixassem em paz. 

— Oque pensam que estão fazendo? 

A voz enfurecida pareceu dar um fim ao coro que lhe rodeava, os seus olhos não demoraram a encontrar os daquele que lhe havia protegido e que daquele dia em diante passou a sempre protegê-lo. Não havia chance de que ele pudesse se esquecer do toque de suas mãos quando ele o levantou do chão. E mesmo assim, o escarlate ainda escorria de seus pulsos... Talvez ele nunca parasse de escorrer. De qualquer forma, apenas estar ao lado de Daisuke seria o suficiente. 

Enquanto Yuu preparava-se para ir para sua casa onde morava com sua tia, ele sentiu o vibrar de seu celular no bolso de seu uniforme. Era uma mensagem de Manaka com o local e a hora do encontro, Yuu ainda não sabia oque fazer. 

 

 

— Colégio, às 21h30min. Nós nos vemos na biblioteca do prédio principal! ☆ ~('▽^人)

 

 


Notas Finais


Esperamos que tenham gostado e por favor não me matem pelo atraso...

Se houver algum erro de gramática deixe nos comentários, o capítulo ainda não foi revisado então algo assim é bem possível.

Lista de personagens: https://spiritfanfics.com/perfil/psicodelia/jornal/the-destiny-bond-personagens-6720527


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...