História The destiny that unites us - Imagine J-hope - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Hobi, Hope, Hoseok, J-hope
Exibições 138
Palavras 988
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaaa minhas lindaaas!
Voltei com mais um cap!
Altas revelações nos próximos caps :-;
É isso♡

Capítulo 14 - Capítulo 13


Ontem cometi um grave erro, a idiota aqui ficou vendo Girls in the House até as uma da manhã, e quando fui me tocar já era tarde demais. Resultado: acordei atrasada e com sono.
Levantei muito rápido e fiz tudo em fração de segundos, fiz minha maquiagem e corri para a cozinha, parei na mesma quando vi que Hope estava lá, ia soltar um "bom dia", mas lembrei do acordo que fiz comigo mesma, esqueça paixões, você veio aqui pra crescer e aprender.
Mas eu tô sendo uma puta atriz, porque eu gosto de Hoseok, mas mostro pro mundo que não gosto.
Tomo meu café rápidamente, corro para o banheiro, passo perfume, escovo os dentes, e saio correndo, enquanto arrumo minha bolsa, que já estava no meu ombro.
Mas acabo dando de cara com quem? Só advinha? HOSEOK! Parabéns, de novo, porra.
Acabo deixando cair algumas pastas com falas que estavam na minha mão e ele pega pra mim.
-Desculpe- falamos ao mesmo tempo e nos olhamos assustados e com um pouco de vergonha.
-Não foi... - de novo? MISERIQUEIMA!
Ele só sorriu fraco, meio fingindo e saiu, deixou a porta aberta, optei por usar as escadas, já que o elevador estava no térreo e demoraria subir 12 andares.
Desci correndo, tinha que estar na agência 7:00, e eram 6:40.
Atravessei o estacionamento e fui para o portão, onde a van já me esperava, entrei rápido, coloquei meus fones, cumprimentei o motorista e sentei do lado da janela, para poder pensar, coisa que não tive tempo para fazer de manhã.
Como alguém pode mudar assim, do dia para a noite? Tudo bem que eu fiz o mesmo, mas será que ele pensava como eu? Bom, eu acho mesmo que eu tenho que parar de pensar nisso.
Chego na agência as 6:59, subo para o set de gravação, onde Tiago me esperava com um sorriso, como ele consegue ser tão bem humorado logo de manhã?
-Foi por pouco, faltaram 59 segundos para a So Young te matar! Já está tudo pronto, pode ir para a maquiagem que já começamos a gravar.
Ele me levou até a cadeira, onde a moça começou a me maquiar, enquanto Tiago me falava algumas coisas.
-Tá achando cansativo? - ele falou olhando algo na prancheta.
-Não, porque.
-Porque a partir do mês que vem você não vai ter tempo nem pra piscar, vão ser eventos, entrevistas, compromissos, sessões de foto.
-Meu deus...
-É, eu vou te ajudar, tô aqui pra isso- ele falou pegando minha mão.
Eu sorri agradecida e ele me apressou, Tiago sendo Tiago.
Terminei a maquiagem e fui para a gravação, a cada dia que se passava me identificava mais com a personagem, diferente e "rejeitada", no meu caso pela família.
Hoje a gravação foi bem cansativa, quando terminamos já eram 11:30.
-Está liberada, mas amanhã você não tem hora pra voltar pra casa, a gravação vai ser bem trabalhosa, vamos ter que sair aqui do estúdio - So Young falou séria, como sempre.
Fui me trocar e me livrar daquela roupa curtissima.
Coloquei a bolsa sobre a pia e entrei na cabine, coloquei minha roupa normal e antes de sair, vi se havia alguma mensagem, havia algumas de um grupo de amigas e do grupo da faculdade, mas ignorei.
Saí, esperava que a sala estivesse vazia, mas vi Tiago sentado no chão mexendo no celular, quando me viu, levantou rapidamente.
-Estava te esperando- ele falou - então, que tal... ir almoçar comigo hoje?
-B-bom, pode ser né - falei dando de ombros.
Fomos andando até a saída, rindo e conversando.
Fomos para uma churrascaria brasileira que havia no centro, fiquei impressionada em simplismente comer churrasco em plena Coréia.
-E então, como vão as coisas? O pessoal do Brasil está fazendo muitas perguntas?
-Mais a galera da faculdade, o resto nem tento - falei escorando as mãos no queixo, ou o queixo nas mãos? Não sei.
-E sua família?
-É uma longa história - falei suspirando.
-Tenho tempo, pode contar - ele falou pegando em minhas mãos.
-É que minha família nunca me apoiou, a única que liga de vez em quando é minha mãe, é isso - falei dando de ombros.
-Ain, não fica assim, pode ganhar um irmão sabia?
-An? Um irmão?
-EU! - Ele falou todo animado.
Rimos e continuamos a conversar.
Ele me levou para casa, cerca de umas duas horas depois, porque depois do almoço ficamos conversando bastante.
Subi até o décimo segundo andar e fui para o apartamento, quando entrei estranhei que Hoseok não estava no sofá mexendo no celular, coisa que pelo que vi era rotina, bom... devia estar no quarto.
Fui para o meu quarto, tirei meu Converse e fui para a cozinha.
Preparei um lámen instantâneo, deixei na mesa enquanto ia ao meu quarto pegar o celular.
Quando estava na porta, olhei para a porta do quarto de Hoseok, que ficava ao lado do meu, acabei não resistindo, bati na porta para entrar e ver se ele estava em casa.
Quando entrei ele estava na cama, todo coberto, estranhei por estar frio, esqueci o acordo que fiz comigo mesma e fui ver se ele estava bem.
-Hoseok? - falei o balançando na cama - Meu Deus! Você não está bem - falei colocando a mão em sua testa, que ardia em febre.
-Eu estou bem (S/n), não precisa se preocupar - ele falou baixo.
-Precisa sim! Vou pegar o remédio.
Mas (S/n), e o acordo, não alimente esse fiozinho de amor por ele que corre em seu coração.
-Foda-se o acordo, ele está doente! - falei baixinho.
Coloquei o comprimido e o copo de água em uma mão e uma xícara da chá noutra.
Entrei no quarto, dei o comprimido e a água em sua mão, depois lhe dei o chá.
Ele sorriu, pegou em meu queixo e levantou delicadamente meu rosto que estava vendo algo na tela do celular.
-Obrigado (S/n)...


Notas Finais


Mas zentiii q fofenho.
Mas ainda vem treta :)
É isso, comentem♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...