História The Diary Of Vic Fuentes - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Asking Alexandria, Black Veil Brides (BVB), Bring Me The Horizon, Memphis May Fire, Motionless In White, Never Shout Never!, New Years Day, Of Mice & Men, Pierce The Veil, Sleeping With Sirens
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Costello, Austin Carlile, Ben Bruce, Christofer Drew, Christopher "Chris Motionless" Cerulli, Denis Stoff, Gabe Berham, Jaime Preciado, Justin Hills, Kellin Quinn, Matty Mullins, Mike Fuentes, Oliver Sykes, Personagens Originais, Vic Fuentes
Tags Kellic, Kellin Quinn, Oliver Sykes, Ollic, Vic Fuentes
Exibições 10
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ADIVINHA QUEM SURGIU DA NARNIA PARA POSTAR? EUZINHA LINDA ♡ (Auto confiança)
Gnt desculpem a demora, mas agr tenho duas fic, e tudo q faço da vida é dormir, desculpem, podem me espancar... deem play em uma música gay ai pq essa porra vai ficar romântica. De preferência Scene One ♡

Capítulo 4 - Hospital


    - "01/04/2002

 


    Desde quinta - feira muita coisa aconteceu. Bom vamos lá. Na quinta acordei pela manhã com nada mais, nada menos que Oliver deitado em meu lado na cama, se eu transei com ele? Não que eu não quisesse mas não tive oportunidade." - Ri um pouco querendo esconder meu nervosismo - Desculpem. "Vincent além de estar dormindo por cima de mim estava roncando feito um leitão, e por mais que o ronco dele me tire todo o clima, não consigo parar de pensar no quanto observar Oli dormir é maravilhoso. Sem necessidade dizer isso, escrever na verdade, um dia eu quero que Vincy leia isso, perdoe os pensamentos de seu pai.

    Até a noite nada importante aconteceu, não fui para o colégio, não estava afim de encarar aquilo naquele momento. Provavelmente só voltaria semana que vem.

    Kellin foi até minha casa... Invadiu meu quarto pela janela se é pra dizer a verdade, ele estava preocupado, parece que a notícia já tinha chegado nele. Eu gosto de Kellin, sua presença me faz bem, contei a ele tudo que aconteceu o fazendo ficar furioso. Bem, eu e Kellin estávamos muito próximos e essa aproximação repentina era apenas vontade de me proteger, segundo ele. O porque eu não entendia, mas estou começando a gostar da idéia

    Sexta - feira fui para a escola depois de Kellin ter insistido tanto, quando eu cheguei lá ele pegou em minhas mãos e aondou para todos os cantos com as mãos entrelaçadas nas minhas, eu estava morrendo de vergonha, passei por Matty que ignorou a presença de Quinn me dando um soco no estômago "Sai da frente bixinha", como se eu já não estivesse me acostumado com ele me chamando desses nomes, Kellin o empurrou começando uma briga e trocando vários socos com ele. Eu não conseguia separar, olha o meu tamanho, ele ia matar Matty, pedi ajuda de Denis que puxou Quinn com dificuldade, ele era muito forte. Aquilo tudo com certeza acabou na enfermaria, Kellin com o nariz sangrando e Matty... bem, com a cara toda ensanguentada, e depois ele ia descontar isso em quem? Eu mesmo.

    Quando cheguei em casa Oliver veio me visitar, Mike não gostou muito, ótimo um grandão ciumento. Era RARO Victor Fuentes receber visitas e quando isso por algum MILAGRE acontece, my brother fica enciumado, tenha santa paciência. Notei algo estranho em Oliver, me olhava cabisbaixo, quando olhava. Não me abraçou, mal se dirigiu a minha pessoa aquilo além de estar me deixando irritado estava me chatiando, até eu tentar adivinhar o porque daquilo, como tão burro Vic? Era óbvio que esse desânimo tinha nome e sobrenome, Kellin Quinn. Eu conversei com ele e acabei dizendo de uma forma grosseira que amava Quinn, não foi minha intenção eu só não queria ele magoado por minha causa, mas como sempre, estraguei tudo. Ele foi embora sem ao menos se despedir.

    Eu não consigo parar de pensar no meu amor por Kellin, mas também não tirava um minuto da cabeça como fui grosseiro com Oliver. Não pensei que ele fosse se iludir, sempre deixei claro meu amor por outra pessoa. Eu fui dar uma volta no parque, Mike ficou cuidando de Vincent ele sabia que eu precisava de um momento sozinho, eu gosto daquele parque, além de ser próximo muitas das vezes estava vazio, mas hoje, hoje não, que droga. Avistei o maldito Biersack em volta de uns amigos que fumavam maconha, tentei dar meia volta sem ser notado e por mais que eles me façam acreditar que minha presença é insignificante eu nunca conseguia passar despercebido. Tive a brilhante idéia de correr, ele correu atrás e ao me alcançar me segurou pelo pescoço, me chamou de bixinha, qual é não sabe me xingar de outra coisa isso nem me ofende mais. Tive a segunda idéia brilhante de rir da cara dele, ouvi a frase "vou quebrar esses seus dentinhos, quero ver sorrir de novo", senti uma barra de ferro em minha cabeça e em seguida apaguei.



    Segundo Mike fiquei apagado dias no hospital, maldito Biersack, não o entreguei, pioraria tudo. Acordei terça - feira não foi muito tempo, mas também não foi pouco, perdi meu fim de semana. Eu iria levar Vincent em um parque de diversões, e mais uma vez perdi um momento com meu tão preciso filho graças a esses malditos, Vincent eu te amo muito me desculpe por não estar com você o tempo todo, prometo ser um pai melhor. Aquela angústia passou quando acordei e vi meu pequeno deitado abraçado em minha cintura e meu irmão segurando minha mão. Eles se animaram ao me verem acordar, vi o semblante de Mike mudar, ele me deu um abraço tão confortante, que saudade desse abraço.

    O médico disse que eu só teria alta hoje, então tive que esperar naquela sala vazia e apavorante, odeio hospitais. Mike foi me buscar sozinho, estava me perguntando onde estaria Vincent, mas decidi não perguntar. Ao chegar em casa Drew, Carlile, Cerulli, Bruce, Stoff, Ashley, Violet e quem eu menos esperava, Oliver Sykes, me esperavam todos em uma pequena festinha. Jason, Tate e Juliet também estavam lá para fazer companhia para Vincent, oh meu pequeno que saudade. Eu poderia passar cola nos nossos corpos para nunca mais me separar dele, mas dai ele sofreria comigo. Péssima idéia. Oliver ficou calado o tempo todo, apenas me deu um abraço confortante ele se preocupava comigo mas estava chateado e não parecia ser só com aquilo, parece que todos estavam me escondendo algo.

    Eu fiquei feliz com a visita deles, jamais esperei, sei que posso contar com eles e como sei.

    Eu estava feliz, não posso negar. Mas estava sentido falta de alguém ali... É ele mesmo. Não acredito que Kellin não veio me ver, parece que todo aquele papinho de aproximação era mentira, eu deveria ter desconfiado. Eu estava quase desabando ali mesmo então resolvi subir para o meu quarto, ao chegar lá juro que fiz uma visita aos deuses com o pequeno quase infarto que tive ao ver Kellin sentado em minha cama, maldito susto. Ele sorriu e veio em minha direção me dando um abraço, todos entraram no meu quarto, Mike carregava um buquê de rosas vermelhas e Violet um ursinho marrom com um coração escrito "i love you", todo o resto do pessoal entraram com pétalas de rosas nas mãos as espalhando pelo quarto. A princípio não entendi nada, Kellin se ajoelhou e senti as lágrimas descerem, ele procurava algo em seus bolsos, sem sucesso pude ouvir um "droga" saindo em tom baixo de sua boca. Vincent veio correndo e lhe entregou uma caixinha preta. Como assim? Aquilo era mesmo real? Kellin conversou com minha família e amigos para me pedir em namoro, será que eu ainda estava desacordado? Eram tantas perguntas que rodiavam minha cabeça, eu não suportaria mais nenhuma se quer. "Aabe quando seus pais lhe dizem que é preciso ter certeza antes de fazer escolhas, ou coisas do tipo, todos nós precisamos de um caminho para seguir, eu estive pensando muito desde que te conheci e encontrei a minha trilha, tem nome e sobrenome. Victor Vincent Fuentes, quer namorar comigo?".

    Gelei com aquelas palavras, olhei todos ao meu redor, sorria intensamente e tudo que consegui dizer foi sim. Eu estava tremendo e Kellin mal conseguia colocar a aliança em meu dedo, aconteceu tudo tão rápido, tão perfeito, pensei que dali em diante tudo iria mudar. Por hoje é só. - Eu estava sorrindo muito, tentei me lembrar desse dia, mas é óbvio que não conseguiria. Ouvi um "eu te amo Victor" vindo de alguma daquelas pessoas e abri um sorriso tão largo que meu maxilar quase se descolou. Exagero, okay. - Eu também. - Disse sorrindo



Notas Finais


Desculpem algum erro, e se ficou meio chato, amo escrever, me sinto uma pessoa criativa, mas n acho q escrevo bem :c obg por lerem amoras brilhantes -q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...