História The different lover - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags 2°temp The Lover, Amor Doce, Crossdresser
Exibições 43
Palavras 1.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Heslou povo de Deus
Tão bem? Porque eu não tô mas ok; -;
O da capa é o Gun
Boa leitura ><

Capítulo 3 - Capítulo III


Fanfic / Fanfiction The different lover - Capítulo 3 - Capítulo III


— Você gosta de apanhar não é?! - perguntou obviamente alterado lançando o pequeno e magro corpo contra a parede da sala inutilizada.

— G-gun, eu não fiz nada! - disse baixo para não irritar ainda mais o garoto à sua frente. 

— Ah não?! - o primeiro tapa foi desferido no rosto do menor, rapidamente avermelhando o local. - Colocar chifres na minha cabeça não é nada então?! - era visível que o maior se esforçava para não gritar e chamar atenção. Seu rosto estava vermelho de raiva, esta que provavelmente estava acumulada e agora era descontada no pequeno Arin. - Me diga, quem eu devo quebrar então?! Você, ou o outro idiota?! - referiu-se a Louis, fazendo o outro já se sentir culpado se por acaso o outro se machucasse. 

— F-foi tudo c-culpa minha! - declarou desesperado assumindo algo que ao menos ocorreu - P-por favor não o machu... - não pode terminar pois foi interrompido por um soco no nariz, fazendo-o sangrar e não tardou a começar a chorar sabendo que não pararia por aí. 

— Vadia! - mais uma série de socos e chutes foram desferidos contra o pequeno corpo no chão que apenas se encolhia na esperança de receber menos golpes, falhando. - No fim das aulas esteja no portão me esperando,  você vai para minha casa hoje! - disse ao término das agressões, ofegando e deixando o local.

Hoje o pobre garoto não teria sua tão distante paz, a qual na verdade não possuia a muito tempo. 

Ω

A inquietação de Louis já era óbvia aos olhos de Bryant, o moreno olhava a todo momento para porta como se esperasse alguém e ao ver que esse alguém não chegaria bufava e buscava uma nova posição para seu tronco, ora jogado na mesa, ora totalmente colado ao encosto da cadeira que parecia ser feita de espinhos.

Quando o sinal do intervalo bateu o garoto só não se levantou e saiu correndo por não conhecer nenhum lugar para ir na escola. 

— O que há com você? - perguntou guiando o garoto inquieto que olhava para todos os lados até o refeitório. 

— Nada - respondeu continuando sua busca, sentindo seu coração palpitar sempre que via cabelos loiros. Sabia que estava parecendo um lunático mas não conseguia evitar. 

— Está procurando ele não é? 

— O que?

— O Arin, não é mesmo? - sentiu todo seu interior se agitar apenas ao ouvir o nome do garoto que se vestia como menina. - Louis, olhe para mim! - parou segurando os ombros do moreno que custou olhá-lo temendo que Arin passasse e ele não visse. - Não se envolva com este garoto, entendo que se preocupou com ele, mas o Gun é perigoso! O último que ousou se envolver com ele não terminou muito bem! - advertiu o amigo que o olhou agoniado.

— Eu não posso ficar quieto sabendo que alguém o machuca! - por um momento se perguntou por que alguém poderia querer ferir algo tão belo e pequeno com o loirinho.

— Não é como se eu não ligasse também, mas eu sei que não posso fazer nada e você também não então eu quero que me prometa que não irá se aproximar do Arin e muito menos do Gunter! 

— Mas... - tentou intervir mas o olhar preocupado do amigo o fez ceder - tudo bem...

— Ótimo, agora vamos antes que a comida acabe! - puxou o amigo realmente convencido de que este desistiria de ir atrás de problemas.

Mal os problemas pareciam persegui-lo.

Ω

Um choramingo foi ouvido pelo banheiro vazio com excessão do garoto que analisava seu rosto machucado no nariz e bochecha,  com cortes acima da sombrancelha esquerda e no canto direito do lábio inferior. Isso sem contar os outros incontáveis hematomas por todo o corpo magro até demais, resultado da incontáveis loucas dietas já realizadas apenas para o agrado de seu namorado, este que estava ocupado demais lhe traindo por aí e que dizia sempre que estava acima do peso, que era feio e que era apenas um pedaço de lixo. E bom, com o passar do tempo foi acreditando e sua auto-estima descendo cada vez mais baixo até quase não existir.

Após se auto-desvalorizar - algo que vem se tornando hábito - limpou os machucados e jogou água em seu rosto tentado falhadamente em sua opinião, melhorar seu aspecto.

" Bom, ninguém repara em mim mesmo." Pensou retirando-se do banheiro ainda mancando um pouco e seguiu para o jardim da escola, onde costumava ficar já que não comia nada durante o tempo que era destinado à isso.

Sentou-se no banco de madeira abaixo que uma cerejeira, que ainda não possuía flor alguma e permitiu-se fechar os olhos não notando uma presença se aproximar e tocar seu ombro assustando-o logo abrindo os olhos e se afastando com medo de sua calmaria já ter acabado tão rápido mas surpreendeu-se ao notar Louis o olhando com os olhos arregalados. 

Abaixou a cabeça com vergonha dos machucados distribuídos por sua face.

— O-oi... - sussurrou com medo de que Gunter chegasse ali e acabasse machucando o garoto à sua frente também. - M-me perdoe por mais cedo, G-gun é meio impulsivo... 

— Tudo bem, na verdade sou eu quem deveria se desculpar pois provoquei problemas para você. - deu a volta no banco ainda receoso de que tivesse visto ferimentos no rosto do menor.

— Não é como se fosse a primeira vez. - disse sem gaguejar e se encolheu ao sentir a mão grande de Louis retirar os fios loiros que cobriam seu rosto como uma cortina colocando-os atrás de suas orelhas.

— Foi ele quem fez isso? - perguntou e o loiro estremeceu ao ouvir o tom sério com que o moreno falava. - Ele te bateu?! 

— Não é como se fosse a primeira vez... - tornou a repetir a frase. 

— Você não pode permitir que ele te machuque assim, Arin! - olhou para o rapaz vendo preocupação, indignação e raiva transboradar em sua face.

— Eu não posso fazer nada, e você também não agora por favor, vá embora!  Se Gun nos ver ou pior, alguém contar para ele irei me machucar muito mais que isso, e você também então por favor, vá embora! - quase implorou tentando empurrar o peito do maior. 

— Vai ficar bem se eu me afastar de você? 

— Eu sei lidar com ele, só vá, por favor! Não quero que se machuque também. - o maior pegou suas mãos e beijou cada umas, não entendendo a própria ação mas mesmo assim olhou-o nos olhos e disse:

Não se preocupe Arin, te ajuderei a livrar-se dele! 

Logo rumou em direção à sua sala,  deixando o pequeno estranhamente feliz e com uma pequena esperança de sair das garras de Gunter. 

Seria livre e Louis iria lhe ajudar.


Notas Finais


Bom é isso.
No último capítulo só teve um comentário; -;
Doeu
Espero que esse agrade vocês então se ficou pelo menos aceitável comente por favor >•<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...