História The Doctor, The Angel - Taekook - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Suga, V
Tags Amo, Bts, Drama, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kawaii, Lemon, Romance, Sexo, Slash, Taegi, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoongi
Visualizações 629
Palavras 1.243
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eita

Capítulo 10 - Capitulo 10.


 

Eu estava atrasado. 

 

Estava atrasado para o primeiro encontro da minha vida. E sim, vou sair com uma garota. 

 

Podia sentir minha mão soar enquanto estrava naquele luxuoso restaurante, com pouca luz e pessoas elegantes. 

 

Minha roupa não era como dos homens que aqui estavam mas também não era nada velho ou surrado. 

 

Parei perto da porta procurando Yura com meus olhos. Talvez ela ainda não tenha chegado, o que seria bom, já que se atrasar não é bom no primeiro encontro..

 

Primeiro encontro, será que haverá outros? Porque ela decidiu me chamar para sair? Os outros caras de nossa classe são bem mais qualificados que eu. Yura, porque eu? 

 

Finalmente pude ver a pequena garota sentada com um vestido azul, era bonito de fato. 

 

Caminhei até a mesa que ela preenchia e respirei fundo uma última vez antes de falar algo, já que estava bastante nervoso, eu não sabia como agir e nem o que falar. Até liguei para minha mãe essa noite pedindo ajuda, coisa que eu não faço sempre. 

 

-desculpe a demora.. - falei me sentando em sua frente. 

 

O banco era um só, almofadado e dava a volta na mesa, o que permitia nos locomover se quiséssemos. 

 

-não tem problema - ela sorriu - você está bonito.. 

 

-oh..obrigada, você também está. - dei um sorriso pegando o cardápio. - não bonito no caso, você está linda. - ri fraco. 

 

Em minha mente só se passava "o que eu tô falando" mas por fora, eu sorria, ela não pode me achar estranho em um único encontro. 

 

-entendi - ela riu - o que vai pedir? 

 

-hum..eu não sei, tem alguma sugestão? - a olhei. 

 

-bom, aqui tem um rondeli maravilho..

 

Fizemos o pedido e enquanto esperávamos, trocamos algumas palavras. 

 

Ela fazia perguntas sobre mim e para puxar assunto eu também fazia algumas perguntas. Parecia mais um encontro amigável do que um encontro de verdade. 

 

De 5 em 5 minutos ela fazia um elogio de maneira discreta, estava até me sentindo um galã de cinema. 

 

Após comermos, havíamos pedido um sorvete para dividir, e depois de terminar ficamos conversando mais um tempo.

 

-e é você quem cuida do seu irmão mais novo? 

 

-sim..ele dá trabalho, mas é um bom menino - ela sorriu e pegou a conta assim que o garçom a pois na mesa. 

 

-ei, eu pago - me arrastei para seu lado pegando a conta de sua mão - que tipo de homem eu seria se deixasse você pagar a conta no primeiro encontro? 

 

-an...está insinuando que haverá outros? - ela sorriu.

 

-talvez - sorri com um pouco de timidez pegando minha carteira no bolso. 

 

Paguei e saímos juntos pela porta. Parei de andar assim que chegamos ao meu carro. 

 

-quer que eu te leve pra casa? 

 

-não precisa..meu pai vira me buscar.

 

-posso esperar com você? Não tem ninguém me esperando em casa.. - ela olhou pro chão. 

 

-pra falar a verdade..eu ia andando, meu pai não anda nem fala a três meses. 

 

-quer me falar sobre isso no caminho? - abri a porta do passageiro a olhando. 

 

Yura levantou a cabeça me dando um pequeno sorriso e concordou com a cabeça, entrou no carro e fechei a porta, em seguida entrando no mesmo. 

 

-e então..porque mentiu? - toquei no assunto após dirigir alguns metros. 

 

-eu não sei, não queria te incomodar..

 

-mas..porque mentiu falando que seu pai iria te buscar? 

 

-ah..isso, é porque..quando ele estava bem, ele dizia que iria me buscar no meu.. - senti seu olhar sobre mim - no meu primeiro encontro. 

 

-é seu primeiro encontro? - olhei rapidamente para ela mas voltei a olhar a rua. 

 

-sim..eu me sai muito mal? - ouvi seu riso - você já deve ter saído com garotas tão espetaculares..

 

-não..esse também foi meu primeiro encontro - ri baixo - só você pensa isso de mim..foi a primeira garota a me chamar para sair.

 

-Jura? - sua voz parecia surpresa. - é essa rua. Aquela casa azul..

 

-sim.. - sorri fraco e parei na frente de sua casa. - chegamos.

 

-obrigada Taehyung..eu gostei muito da nossa noite - ela sorriu tirando o cinto. 

 

-eu também..depois nos falamos? 

 

-uhum.. - ela abriu a porta e pois uma de suas pernas pra fora, me olhou e foi se aproximando de vagar, senti seus lábios encontrarem os meus e automaticamente fechei os olhos, logo ela se afastou fazendo com que eu a olhe um pouco corado, coisa que ela também estava. 

 

Ela saiu do carro fechando a porta e andou até a porta de sua casa, me olhou e sorriu, e então entrou. 

 

Coloquei a mão na boca enquanto olhava um ponto fixo inexistente. Pensei que sentiria algo quando isso acontecesse, mas..não senti nada. O que é estranho, eu acho que gosto dela..não sei. 

 

Peguei meu celular para ver as horas, mas um monte de ligações perdidas me tirou a atenção. 

 

Jungkook havia me ligado 17 vezes, será que aconteceu algo com a Sra.Jeon? 

 

Liguei para ele e coloquei o celular na orelha, já dirigindo para sua casa.

 

O telefone chama algumas vezes e logo alguém atende. Eu ouvia uma respiração acelerada. 

 

-Jungkook? Está tudo bem com sua mãe? - perguntei preocupado. 

 

-Taehyung..eu preciso de v-voce..agora. - sua voz era baixa e desesperada.

 

Ele deve estar passando mal novamente. O que diabos esse garoto tem? 

 

———————————————————————————————————————

 

Subi as escadas às pressas e sua porta estava aberta, ele não estava na cama, nem ao chão. 

 

Entrei no quarto e ouvi sua respiração vindo do banheiro, parecia..uma crise de asma.

 

-meu Deus.. - ele estava deitado no chão do banheiro, parecia não respirar. 

 

-bombinha..ah - seu esforço para respirar era claro. 

 

Procurei pelas gavetas do banheiro e não encontrei uma bombinha, olhei pelos armários e não havia nenhuma. 

 

Fui até ele e o sentei no chão encostando suas costas na parede, ficar deitado em uma crise de asma causa tensão em seu pulmão atrapalhando mais ainda de respirar, inclinei sua cabeça para frente apoiando seu rosto em meu ombro. Esta posição aumentaria a sua entrada de ar, mas ele teria que ficar calmo, então passei as mãos em suas costas procurando relaxa-lo. 

 

-você precisa se acalmar..tente respirar de vagar para me dizer onde está sua bombinha. 

 

Aos poucos sua respiração foi acalmando, eu podia sentir ela em meu pescoço, e seu coração já batia mais devagar. 

 

-está no meu armário.. - senti sua mão apertar minha camisa. 

 

-eu já volto - soltei sua mão de minha camisa e deixei a mesma em seu colo. 

 

Peguei a bombinha e voltei ao banheiro, colocando a bombinha em sua mão e o auxiliando até sua boca. 

 

Com o passar dos minutos, ele já respirava normalmente, e parecia melhor. 

 

Eu estava sentado a sua frente agora, e estávamos nos olhando. 

 

-quer me contar o que você tem? 

 

-não.. 

 

-eu te salvei, mereço saber. 

 

-é asma..

 

- mas e aqueles comprimidos que tomou naquele outro dia? - perguntei ainda o olhando. Ele estava estranho. 

 

-aqueles comprimidos.. - ele olhava para os lados. 

 

-sim. 

 

-ok - ele olhou para suas próprias mãos e suspirou. - um cara arranjou pra mim, disse que curaria meu asma..mas com o tempo que venho tomando, estou tendo algumas reações um pouco..diferentes. 

 

-o que? Jungkook..se tivesse a solução, não acha que os médicos indicariam? 

 

-eu sei..eu só..não sei. 

 

-porque não pediu ajuda do seu porteiro? 

 

-acha que ele me ajudaria? Ele iria deixar eu morrer..

 

-e porque ele faria isso? 

 

-Você é tão puro..dinheiro Taehyung. 

 


Notas Finais


Obg pelos favoritos, vcs são demais 🌚💕


Comentários são bem recebidos ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...