História The edge of the sword ( INTERATIVA VAGAS FECHADAS ) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Naruto Romance Drama Fantasia Rpg Medieval
Exibições 28
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Novo cap!^^ espero q gostem:D

Capítulo 11 - " Malvit irá sangrar... "


Fanfic / Fanfiction The edge of the sword ( INTERATIVA VAGAS FECHADAS ) - Capítulo 11 - " Malvit irá sangrar... "

Caverna desconhecida...

 
— Esse lugar me parece suspeito...— Disse Vilrog. Ao seu lado Fuchs permanecia calado, observava Stella atentamente. 
— Realmente não parece o lugar mais prazeroso ou seguro do mundo, mas é melhor do que ficar lá fora com toda aquela areia..— Acrescentou Antony sentando-se em um canto a direita de Vilrog. O teto da caverna era baixo, os mais altos tinham de andar meio curvados, a formação se estendia mais adiante e ficava mais alto, porem nenhum ousou adentrar, nem mesmo Stella, que também se acomodou em um canto. 
Misaki ficou do lado oposto o de Antony na borda do lugar, lá fora tudo que se via era um vendaval de areia que cobria a visão e tudo mais. A jovem de cabelos azuis estava realmente preocupada com que aquele lugar não despencasse sobre ela, por isso a posição estratégica. 
Turtwin se acomodou no centro do lugar propositalmente. Cruzou as pernas sobre os joelhos e acomodou seu cajado adornado de plumas ao seu lado. Fechou os olhos e aparentemente começou a meditar. 
Stella se envolto em seu manto negro, parecia querer descansar um pouco, mas Fuchs frustrou seus planos sentando-se desleixadamente ao seu lado, se aproximou da jovem bruscamente e falou ao seu ouvido em seu tom sarcástico: 
— Usar um feitiço grande como aquele cansa não é mesmo...? 
— Não sei do que esta falando...afaste-se..— Argumentou ela tentando se afastar. 
— Daquela onda ora! Não se faca de simplória minha cara mentirosa...—
— Ei!— Gritou Salazar. 
Tack!— uma pequena pedra acertou a centímetros do lado direito do rosto de Fuchs, o mesmo não recuou do pé do ouvido de Stella, apenas mostrou seus dentes em mas um de seus sorrisos debocham-te. 
— Se queria acerta a bela dama sugiro que errou meu caro...— Disse Fuchs. 
— Não querias acerta-lo...meu caro.. Caso o contrario, já teria um buraco em sua face horrenda.— Contra " atacou" Salazar, seus olhos vermelho brilhavam, igualmente sorria. 
Se encararam.. 
— Acho que... A feiticeira não esta apreciando seu cortejo.. Cavalheiro...— Disse por fim Salazar, sua face exalava tensão e ódio, sua palavras pareciam tremer. 
Fuchs por seu lado não se intimidou, e sorrindo respondeu, afastando um pouco seu rosto de Stella. 
— Oh... Acha mesmo que não...? Vejas ela não parece nem um pouco incomodada por eu esta tão perto...— Stella suspirou pronta ha responder mais antes que pudesse...—
No meio de seus conflitos de olhares Misaki surgiu-se esgueirando ao lado de Fuchs e acertando-lhe um soco de esquerda no meio do rosto, Jogando-lhe sobre o colo de Stella. 
— Cala a merda dessa sua boca um minuto, não consigo pensar com marmanjos idiotas feito vocês se atacando a cada minuto! Se querem decidir suas disputas idiotas disputem lá fora ou vão pros fundos dessa caverna e resolvam seus " assuntos" com a feiticeira de uma vez!— ela se aproximou bruscamente dessa vez de Salazar.— Mas, uma dica: Ela não esta interessada em você, idiota...— Bufou e voltou a senta-se próxima a saída. 
Salazar ficou, estático com olhos formando uma expressão perplexa. Fuchs cuspia um pouco de sangue no chão empurrado para longe por Stella que continuava imparcial. 
— Permitam-me...- Disse em meio ao silencio Turtwin. O cristal no topo de seu cajado brilhou, e dele emanaram dois rastros de energia azulada quase transparente que se guiou ate Fuchs o circulando e desaparecendo aos poucos, junto com o sangue, nos lábio e nariz do homem. O outro rastro foi ate Antony e fez o mesmo. O mesmo sorriu e disse. 
— Obrigado... Homem-tartaruga...— Sussurrou. 
— Agora... Suponho que estejam todos bem. Bom.. Ao menos fisicamente eu creio. Comecemos pelo inicio... Apresentações meus caros colegas... Apresentações...— Disse.— comecemos com um tremendo pé direito, em uma situação bem peculiar e bem estressante, claramente é natural que estejamos um pouco.. Tensos. Mas estamos em territórios inimigos e li o suficiente sobre isso para saber que anarquia em momentos assim levam a uma morte miserável, então... — sorriu ligeiramente o humanoide esverdeado. 
— Então, questionou Kasaki mais ao fundo abraçando os joelhos. 
—... E então.. Controlem-se. Controlem seu instintos selvagens, por..favor.. Nunca esqueçam, estamos em terras literalmente do inimigo, e o "nosso" inimigo é um poderoso mago... Pode sentir a energias liberada por raiva, ou qualquer sentimento alterado. 
— Sei bastante sobre magia para saber disso mas me responda: como saímos daqui então? 
— Matando Malvit, na verdade apenas tomando posse de seu cajado. Seu cajado e o único objeto magico que pode abrir portais aqui dentro. 
— E como sabe de tudo isso...— continuou Kasaki. 

— Eu leio, leio de tudo...— Respondeu Turtwin. 
— Pro inferno com sua leitura! Como assim precisamos matar Malvit?! Ate eu sei que esse cara é famosos e não por coisas boas!— Esbravejou Vilrog. 
— Como ele disse basta, pegar o cajado.— Acrescentou Stella, se intrometendo na conversa. 
— Você faz parecer fácil, eu já andei com cavaleiros, sabe o que aconteceu com eles quando foram enviados em missões de assassinato de magos... Eles ate voltaram, só não estavam inteiros..— Disse Vilrog acomodando suas mãos nos bolsos de seu casaco negro. 
— Claro que não estavam! Eu não estava lá.— Disse Fuchs igualmente se intrometendo. 
— Você aqui a única coisa que vai nos ajudar e ajudar ha nos matar.— Ironizou Salazar sentando-se próximo a saída ao lado de Misaki. 
— Falou o cara que levou um fora!— rebateu Fuchs com um sorriso perverso no rosto. 
— Eu não dei um "fora" nele, suas afirmações não tenhem sentido...— Confirmou Stella. 
" Acho que talvez consigamos chegar ate Malvit sem nos matar..." Pensou ligeiramente Turtwin. 
Dia seguinte amanhecer... 
 

Palácio de Malvit...

 
— Senhor...? 
— Sim.. Eu já sei, estão aqui. 
— Quer que eu tome as devidas providencias senhor? Posso extermina-los em um minuto. 
— Não mate-os ainda... apenas envie meus comprimentos. 
— Sim senhor.— Reverenciou. 
 

Caverna.. 

Era cedo. Bem cedo, Mas Diane ja estava de pé, desde aquela resposta ela sentiu algo que nunca pensou, que sentiria novamente.. Dor.. Sua aparência e personalidade quase sempre infringia aos outros obediência. Mas agora, desde aqueles dias..." Desde meus primeiros dias na terra.. Quando eu estava caída, fraca, deplorável, a beira da morte.. Traída... Desde aqueles dias em que eu soube do nascimento da princesa de Talmoriam... Desde que eu tomei seu lugar, me afeiçoei ao rei e a rainha... Agora estão mortos. Afogados não é... Malvit? fez isso com eles e ele ira morrer por isso, por que agora não sou mais fraca, eu me tornei não um anjo, mais um humano forte!" Sobre a luz alaranjada do nascer do sol a lagrima de um anjo caído toca o solo estéreo, e junto dela essa lagrima marca uma promessa feita: 
Malvit irá sangrar... 
 

Continua...

 


Notas Finais


Gostou?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...