História The Eleventh Floor - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Eleventh Floor, Exo
Visualizações 14
Palavras 1.799
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ALOHA PESSOAS!
...
Fim.

Pois é, chegamos no fim de mais uma estória. Peguei vocês de surpresa? Desculpem me!
Eu só planejei até aqui mesmo, então espero que vocês gostem <3
Boa leitura!

Capítulo 10 - Vivendo de Verdade


Kyunghee estava extremamente sonolenta ultimamente, e carente.

- Querida, quando vai me deixar levantar?

- Logo, só fica mais um pouco aqui comigo, por favorzinho.

Sehun queria reclamar, mas a verdade é que gostava de quando Kyunghee estava abraçada a ele na cama. Era uma oportunidade perfeita para deslizar os dedos contra a pele morena que tanto gostava enquanto sentia o calor de sua esposa contra seu corpo.

...

Pois é, esposa.

Parece que foi ontem quando um simples questionamento em um fansing fez com que Sehun viesse a conhecer Kyunghee. Agora já estavam no segundo ano de casamento, ele com seus 27 anos e ela em seus 26, e Sehun tinha certeza de que jamais se cansaria de Kyunghee. Eles eram um casal como qualquer outro, tinham seus momentos bons, tinham seus momentos ruins (a parte boa, segundo Sehun, era que eles sempre iam parar na cama quando se reconciliavam das brigas), e iam vivendo a vida assim.

O maior receio de Sehun foi não conseguir a aprovação de seus pais sobre estar com Kyunghee, mas estava realmente enganado. Sua mãe mal colocou os olhos na moça e já estava impressionada com a beleza dela, o que fez Kyunghee ficar mais vermelha do que acontecia normalmente. De qualquer forma, eles acabaram por aprovar 110% aquele relacionamento, e a senhora Oh só fez um simples pedido a eles:

Ela queria netos.

Simples assim.

O casamento foi uma loucura, Kyunghee estava tão nervosa naquele dia, foi preciso que Chanyeol, Jongin, Chen e Xiumin lhe acalmassem enquanto os outros cuidavam dos preparativos. Foi algo bem simples, bonito e secreto. E quando todo o resto do universo descobriu que Oh Sehun estava casado, ele já estava bem longe da Coréia do Sul com sua esposa. Mais precisamente na Florença, em Toscana na Itália, aproveitando cada instante com Kyunghee, a senhora Oh.

No começo foi difícil, principalmente por conta do status de Sehun, afinal de contas ele era uma figura pública, mas depois de algum tempo todos passaram a aceitar que o maknae do EXO havia crescido e agora estava até casado.

E muito bem casado.

Kyunghee estava quase adormecendo novamente contra Sehun, mas se despertou bruscamente e se levantou em um pulo, assustando seu marido.

- Hee-ya, o que houve? – Ele mal terminou de dizer e Kyunghee já havia corrido para o banheiro, deixando Sehun preocupado.

Ele também se levantou e foi atrás dela. Quando chegou ao banheiro a encontrou ajoelhada no chão em frente ao vaso sanitário enquanto colocava tudo para fora, ele rapidamente a ajudou, segurando seus cabelos e passando a mão em suas costas. Quando Kyunghee finalmente parou, limpou a boca com as costas da mão e olhou para Sehun, sentindo-se um pouco melhor. Sehun olhou para ela como se estivesse formulando uma teoria.

- Isso é o que eu acho que é? – Ele questionou, já sorrindo por antecipação.

- Não sei, talvez. – Kyunghee se levantou, com a ajuda de Sehun. – Já estou me sentindo assim há dias.

Kyunghee mal teve tempo de se segurar em Sehun quando ele a abraçou, lhe tirando do chão e praticamente rodando com ela no banheiro.

- AH, EU VOU SER PAI!

- SEHUN! – Ela exclamou e ele parou de gritar, deixou-a no chão e olhou para ela com atenção. – Não sabemos ainda, então não saia por aí gritando para Deus e o mundo, ok?

- Eu tenho certeza de que tem um bebê aí dentro. – Ele replicou, se ajoelhando e abraçando Kyunghee pela cintura. Então descansou a cabeça contra a barriga dela e lhe fez um carinho. – Oi você aí dentro, saiba que já te amo antecipadamente, bebê.

- Céus, acho que devo estar grávida mesmo. – Disse Kyunghee, fungando. Ela passou uma mão nos cabelos de Sehun enquanto enxugava as lágrimas que teimavam em escapar ao ter visto aquela cena. – Nunca me senti tão sensível assim, aish.

- Eu já disse, tem um bebê aí dentro. – Sehun repetiu se levantando, então deu um beijo na testa de Kyunghee e a abraçou. – Obrigado pelo presente de aniversário antecipado.

- Disponha, eu acho. – Kyunghee respondeu, rindo.

Eles jamais iriam se cansar daquela felicidade.

Jamais.

~x~

Jongdae sempre se lembrava de agradecer a Deus em suas orações por ter conhecido Kyunghee, se não fosse por ela jamais teria encontrado o amor de sua vida.

Que se chama Lara Kim.

Eles se conheceram por meio de Kyunghee e até aquele momento Jongdae não acreditava nenhum pouco em amor à primeira vista, mas passou a crer depois que viu Lara. Talvez aos olhos dos outros aquela moça ruiva meio coreana meio italiana não aparentasse ser nada demais, só que para Jongdae era diferente. Ele nem saiba como explicar, e não conseguiria nem que tentasse, só sabia que Lara Kim lhe arrebatou de corpo e alma e não conseguiria viver sem aquela mulher.

As coisas foram acontecendo aos poucos entre os dois, até que em uma noite chuvosa ela foi pega de surpresa ao encontrar Jongdae na porta de sua casa e tudo se arrumou de vez.

A campainha tocava de forma incessante e, contra sua vontade, Lara se levantou de seu sofá e caminhou para a porta arrumando sua camisola. O relógio na parede já marcava quase meia noite.

- Quem seria há essas horas? E debaixo dessa chuva! – Ao abrir a porta, Lara arregalou os olhos. – Dae! Você enlouqueceu é?!

Jongdae estava encharcado até a alma, ele deu um sorrisinho e deu de ombros. Lara apenas o puxou para dentro, ignorando que ele estava molhando o chão e tratou de procurar uma toalha.

- O que deu em você pra fazer uma coisa dessas, homem?! – Ela questionava, mais para si mesma do que para ele. Quando voltou de seu quarto encontrou Jongdae na cozinha já descalço, retirando sua camisa molhada e jogando-a na pia.

Lara Kim engoliu em seco ao ver aquela cena. Será que Jongdae não sabia o que causava nela ao fazer aquilo?!

- E-e-eu trou-trouxe is-isso. – Ela gaguejou, chamando a atenção dele, então estendeu a toalha para o rapaz, desviando o olhar para qualquer ponto que não fosse o corpo dele.

Chen acabou soltando uma risadinha baixa. Então começou a se aproximar de Lara, o que fez ela se afastar, mas Chen continuou andando em direção a ela. Lara só parou quando sentiu a parede atrás de si e mal pode respirar quando o rapaz a sua frente se aproximou de modo que ela podia até sentir a temperatura do corpo dele. A toalha caiu de sua mão.

- Eu deixo você nervosa, Kim? Como isso é possível? Pensei que já estivesse acostumada. – Chen segurou um dos pulsos dela, subindo os dedos pela pele de seu braço. – É engraçado ver você assim, sabia?

- Que bom que você vê graça no meu nervosismo por ter você tão perto e... – Ih Lara Kim, você já começou a perder a linha de raciocínio.

- E...?

- E... – Ele estava tão perto, tão pertinho... Lara teve sonhos com um momento parecido com esse, ela sonhava acordada com a oportunidade de beijar aquele homem e agora a tinha bem ali.

Nem quis saber de mais nada, apenas juntou seus lábios aos de Chen, abraçando seu pescoço enquanto sentia os braços dele em volta de seu corpo. A pele de Chen estava fria por conta da chuva que pegara, mas logo começou a esquentar pelo contato de seus corpos. Lara Kim não se arrependia de nada.

Jongdae também imaginou esse momento mais vezes do que podia se lembrar, e ter Lara Kim em seus braços era melhor do que qualquer sonho que já teve com aquela ruiva. Ele ficou extremamente feliz no dia seguinte ao acordar do lado dela e constatar que tudo o que aconteceu durante a noite foi real.

Acordar com a visão de Lara Kim ao seu lado ficou cada vez mais natural conforme o tempo passou.

E aquilo era sinceramente ótimo.

~x~

Lyon – França

Yvette Delacroix abraçava o próprio corpo em uma tentativa de se aquecer, o tempo não estava muito favorável naqueles dias e o frio era constante. Ela não gostava de dias assim porque lhe lembravam dele.

Do Kyungsoo.

Ela não sabia que ele era famoso quando o conheceu na Coréia em seu intercâmbio, foi um acaso, coisa do destino mesmo.

Destino esse que a fez cair de amores por ele em apenas três meses.

Já faziam anos desde que aquilo aconteceu e ainda se sentia triste por ter deixado o rapaz para trás, mas sabia que ele não largaria tudo por ela. Yvette era provavelmente só mais uma paixonite na vida de Kyungsoo, mas não se arrependia de ter lhe dito a verdade sobre como se sentia. Ter dito que o amava foi melhor do que partir sem dizer a verdade.

Ela se contentava em acompanhar sua careira de longe, pensando se um dia voltaria a ver o homem que possuía seu coração.

Yvette finalmente chegou a seu prédio e não demorou muito para alcançar seu apartamento, e quase teve um troço ao ver aquele homem ali parado, encostado contra a porta à sua espera.

- Então é aqui que você se esconde? – Ele questionou em coreano, dando um sorriso de lado.

A primeira reação dela foi a melhor.

Yvette o xingou em francês, deixando Dyo levemente confuso, mas depois ela se acalmou e fez o que tanto sentia falta, o beijou.

Eles entraram no apartamento de algum jeito, porque não paravam de se tocar de maneira alguma, as roupas foram ficando pelo caminho e logo estavam na cama. Mas nada do que fizeram em uma só noite seria suficiente para matar a saudade daqueles anos. O nome de Yvette era praticamente uma oração nos lábios de Kyungsoo, ele não cessava de dizer o quanto a amava e o quanto queria compensar todo o tempo perdido.

No dia seguinte ela teve medo de acordar e ser apenas mais um sonho.

Mas ali estava Kyungsoo, olhando para ela.

- Ainda quero brigar com você. – Yvette disse passando os dedos pelos cabelos do rapaz, ele fechou os olhos e aproveitou o carinho. – Como me encontrou? Na verdade, porque resolveu aparecer agora?

- Porque eu quero viver de verdade, e acho que só posso fazer isso ao seu lado. – Ele respondeu com sinceridade, abraçando-a em seguida. – Eu aprendi isso com uma amiga, acabei descobrindo que me sinto mais vivo com você.

- Eu me sinto viva a seu lado também. Por favor...

- Não, não vou deixar você. – Kyungsoo lhe assegurou, beijando ternamente a testa dela. – Nunca mais vou deixar você.

Yvette sorriu e se aconchegou a Kyungsoo, ambos estavam mais felizes do que podiam explicar.

Um dia ele a apresentaria a Choi Kyunghee, a moça do 11º andar que mudou a vida de todos e os fez querer viver de verdade.

Fim

~x~


Notas Finais


FIM!
CABO-SE
Cês gostaram? Eu agradeço a quem leu, comentou, favoritou e gostou.
Vejo vocês nas próximas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...