História The End. - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Uds

Postado
Categorias The Walking Dead
Exibições 12
Palavras 2.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Pessoal sei que é chato semore ficar pedindo por favoritos e comentários, mas essa é é única forma de saber se estão gosta o ou não, se devo ou não continuar com a história e se tiverem opiniões e sugestões para melhora-la. Então contamos com ajuda de vocês e esperamos que se divirtam com a leitura =^w^=

Capítulo 3 - Charlie! Não...


   No dia seguinte, Charlie acordou com batidas na porta. Ela foi até a mesma a abrindo devagar ainda sonolenta. Era Kevin e ele carregava consigo um balde com produtos de limpeza e vassouras e rodos. Ela ficou sem entender até abrir a porta por completo. Ele estendeu para ela que pegou ainda confusa.

  _ Castigo por ontem…? - Ela perguntou para ele suspirando. Kevin sorriu.

 _ Acho que não, é pra limpar nossa casinha. - Ela não disse nada, apenas iniciou a limpeza em silêncio. Hora ou outra podia ouvir Kevin cantando enquanto limpava coisas sem sentido. Ela procurou limpar a casa o mais rápido possível, já que seu trabalho se iniciaria naquele mesmo dia de tarde. Não tardou para ela terminar de limpar a cozinha, porém Kevin ainda limpava os quartos cantarolando. Ela foi até o seu percebendo que o mesmo estava impecável. Charlie se surpreendeu e foi para o banheiro tomar um longo banho, já que estava suada e suja.

  Em torno de trinta minutos depois, ela saiu do banheiro enrolada na toalha. Foi até o guarda roupas pegando uma calça preta, uma blusa que lhe interessou pela estampa ser de Zelda e as vestiu. Pôs uma bota e desceu até a cozinha novamente pondo uma faca escondida na mesma.

  _ Kevin! Vou buscar nossas armas! - Charlie gritou saindo da casa e caminhando calmamente pelo lugar. Ela passou ao longe pelo portão de entrada, já que sua casa ficava um tanto perto, porém percebeu que havia uma movimentação estranha no portão. Ao olhar, viu um homem como mais dois capangas conversando com Rick, Carl estava ali também junto de seu pai. Ela caminhou até eles com certa curiosidade. Ao se aproximar, eles logo lhe lançaram um olhar.

  _ Charlie, volte depois… É melhor você ir agora… - Rick diz temeroso e levemente nervoso, era claro seu medo e tensão perante àquele homem.

  _ O que está havendo? - Ela perguntou um pouco confusa.

  _ Ora, ora, não havia dito que tínhamos uma nova… integrante. - O homem disse rindo e encarando Charlie. - Charlotte, devo presumir? Olá, é um prazer te conhecer garotinha. - Ela se chegou apoiando as mãos nos joelhos para encarar a menina extremamente próximo. Ela porém, não recuou ou se deixou sentir intimidada.

  _ E eu presumo que não há prazer em te conhecer. - Ela retrucou. Rick se surpreendeu e logo estremeceu. - O que está fazendo aqui?

  _ Gostei de você, tem garra, é corajosa. Mas nem sempre a coragem é esperteza mocinha. Só um conselho de amigo. - Ele disse para ela de forma forçada e ameaçadora.

  _ Não me chame de mocinha, aliás não sou sua amiga e não tenho intenção de ser. - Ela disse.

  _ Lhe dou um desconto por não saber nada que está acontecendo, mas é melhor se comportar pirralha, minha paciência tem limite. - Ele disse segurando os braços dela com força e a jogando no chão. - Aprenda seu lugar mocinha.

  _ Qual o seu problema?! - Carl se ajoelhou ao lado de Charlotte enquanto tentava acalmar ela e a olhava por inteiro.-Está bem? Se feriu? - Enquanto isso Kevin vinha correndo ao ver a cena e se aproximou do homem.

  _ Não deveria falar assim comigo depois daquela noite com Negan e seus amiguinhos sabia moleque? - Ele diz se aproximando do mesmo e puxando seu cabelo o fazendo se afastar de Charlie. Em seguida chuta a barriga da garota. - Será que nunca aprendem a lição? - Kevin riu encarando o homem que o encarou de forma ameaçadora.

 _ Aí coroa… Não sei quem é você ou o tal Negan, o que eu sei é que você tem que se acalmar… - Kevin piscou pra ele e abriu um largo sorriso.

  _ Parece que tenho que ensinar uma lição para esse pirralho antes, o recado pelo visto não entrou na mente dele. - Ele pegou a arma mirando na perna do garoto, porém Charlie se levantou com certa dificuldade e deu um soco no rosto do homem que o fez ficar zonzo e cuspir sangue. - Ai, ai… nunca aprendem… - Ele suspira e atira na perna de Charlie a fazendo a ajoelhar, porém ela se levantou em seguida ignorando a dor. Ele atirou novamente na mesma perna, porém ela se levantou novamente deixando uma pequena lágrima escapar de seus olhos. O homem riu e começou a atirar em sequência até sua arma descarregar nos braços e pernas dela o que a derrubou de vez. Carl iria ajudá-la, porém Rick o segurou. - Vamos te educar. - Ele pega Charlie pelos cabelos a arrastando e deixando uma trilha de sangue pelo chão. Ela apenas soltou um sorriso para Carl tentando lhe acalmar e dizer que estava tudo bem, o que claramente não estava.

  Os portões foram fechados e o homem saiu com os outros. Kevin ainda estava estático e Rick tentava conter seu filho a todo custo.

  _ Carl, se acalme, não podemos fazer nada. - Rick segurava seu filho com certa dificuldade.

  _ Podemos sim! Devíamos ter dado um tiro nele também… matado ele se necessário, sei que o que o Negan fez foi insuportável e doloroso, mas isso não faz de nós inúteis, e estamos agindo como inúteis. - Carl dizia irritado e atrás dele Kevin sussurrava coisas para si mesmo.

  _ O motivo dela ter se sacrificado foi para que ele não fizesse nada com você! Acha que ela gostaria de te ver indo atrás deles e morrendo?! - Rick aumentou seu tom de voz para com seu filho.

  _ Não sei se isso importa tanto, afinal não adianta de nada se ela morrer… - Carl encara o pai por um momento.

  _ Temos que fazer alguma coisa… Eu vou esperar um plano de vocês… Ou vou seguir aquele cara e enfiar um machado na cabeça dele. - Kevin falou estalando os dedos e saiu do lugar.

  _ Não vou arriscar mais ninguém, fiquem quietos e esperem, essa é a única coisa que podemos fazer. - Rick falou sério e ameaçador, após isso saiu andando sem mais nada a dizer.

 

  Quebra de tempo: Um mês depois

 

  Havia se passado um mês desde aquele dia. Ninguém ousou sair ou falar nada sobre o ocorrido. A cidade se mantinha silenciosa. Carl se encontrava na varando de sua casa observando o céu até Enid se sentar ao seu lado. Ela suspirou.

  _ Ainda está assim? Sabe que era para acontecer, não adianta ficar esperando um milagre acontecer. - Ela disse. Pôde perceber o menino baixando sua cabeça. - Desculpe, não queria ser rude… mas não deveria estar se importando tanto por aquela garota. Ela chegou não faz nem uma semana. Além do mais essa hora eles já devem ter a…

  _ Não fale assim… Não importa o tempo, ela era importante, tanto quanto eu ou qualquer outro que está aqui, espero que ela esteja bem… Se é que isso é possível.

  _ Olha… - A garota foi interrompida por uma agitação no portão. Kevin apareceu puxando o garoto desesperado.

  _ Cara! Vamos logo! Você tem que ver isso! - Ele arrasta Carl até o portão e sai junto a ele. - Olha lá. - Ele aponta para um homem que vinha em direção ao portão. Quando chegam, vêem o mesmo homem com Charlie desacordada em seu colo estilo noiva. Seus braços e pernas estavam enfaixados.

  _ Cuidem bem dela, Negan tem grandes planos para essa aqui. É melhor não a deixarem morrer. - O homem apenas a jogou no chão na frente de Carl de qualquer forma. - Cuidem dessas duas aqui também, vão ajudar na mão de obra. - Dois homens trazem cada um uma garota. Uma delas era exatamente igual a Charlie e a outra tinha pele clara, cabelos ruivos e parecia ter uma atitude forte. Cada um as empurrou para Kevin e riram.

  _ O que é isso? - Kevin encarou os homens.

  _ Um presentinho extra para produzirem mais coisas para o Negan. - Ele diz e os homens saem rindo. Charlie abre seus olhos ainda no chão devagar e tentando se acostumar com a claridade. Carl rapidamente se aproxima a encarando e analisando para ver se estava machucada, abriu um sorriso mesmo sem perceber ao ver ela acordando.

  _ Jesus cristo… O que faço com essas garotas? - Kevin perguntou assustado. A ruiva se afasta levando um olhar frio.

  _ Não preciso de babá. -  a ruiva diz o mais grossa possível. A morena sorriu amarelo.

  _ O que Meggie quis dizer é que… não precisa se incomodar conosco, podemos nos virar… - A garota disse tentando suavizar o que Meggie havia dito. - Prazer, me chamo Yumi.

  _ Eu… e-eu estou… - Charlie tentava formular uma frase, todos logo a encararam preocupados. - Eu estou com fome… - Ela disse se sentando no chão com a ajuda de Carl. Todos a encararam com um “poker face”. - Q-qual é… eles não me deram comida… a culpa não é minha…

  _ Vamos então… - Carl a ajudou a levantar e a pegou no colo parecendo ter certa dificuldade mas antes mesmo que ela dissesse algo ele lhe lançou um olhar passando confiança. - Vamos. - Ele carrega Charlotte até a casa dela.

 _ Vamos também garotas… - Kevin falou sorridente. - Quero saber mais sobre vocês.- Ele abraçou ambas as puxando seguindo Carl.

  _ Minha vida não é da sua conta. - Meggie tira o braço dele de si.

  _ Ficarei feliz em compartilhar nossas experiências. - Yumi apenas sorriu amarelo um tanto incomodada pelo abraço. Ao chegarem, perceberam Shintaro cozinhando algo na cozinha, logo se sentaram na mesa com suas bocas salivando.

  _ Shintaro, meu velho amigo! Soube de minha volta e preparou a comida, que fofo! - Charlie dizia com a maior cara de pau até seu estômago roncar.

  _ Não vai se achando especial só porque fez uma idiotice. - Ele se sentou com o prato e iria comer, se ele não tivesse visto Charlie com seus olhos marejados implorando por comida. - Ok… - Ele arrastou o prato até ela que começou a comer com pressa e dificuldade pelos ferimentos. - Somente eu achei estranho essa garota ser idêntica a você?

  _ Claro que não, ela é minha irmã. Nós nos encontramos lá dentro. - Charlie falava enquanto comia até terminar. - Carl… pode me levar pro meu quarto? Precisamos conversar…

  _ Sim… - Carl sem questionar apenas a pegou e levou pro quarto, Kevin apenas observava a cena. Ao chegarem, ela saiu do colo do mesmo se deitando na cama com dificuldade.

  _ Por que não me disse que tinha problemas justamente com o Negan? - Ela perguntou um pouco séria olhando fixamente para ele.

  _ Não é uma das primeiras coisas que eu falaria ao conhecer alguém, nem mesmo pensei que eles voltariam a nos perturbar tão cedo, mas isso faria diferença? - Ele se sentou na cama ficando ao lado dela.

  _ Com toda a certeza. Se tivesse dito antes teria tomado mais cuidado e ajudaria a armar contra ele. Negan matou meus “pais” na minha frente, uma pessoa… não, um monstro como ele não pode ficar vivo. - Ela baixou a cabeça. - Ele vai ter o que merece… fiquei todo esse tempo procurando uma forma de destruí-lo… não posso perdoá-lo por ter matado as únicas pessoas que… bem, esquece, já está se tornando muito sentimental. O fato é: Temos que acabar com ele de vez, minha prioridade agora é proteger vocês enquanto isso… - Ela suspirou.

  _ Charlie se acalme, acredito que as coisas vão mudar, com o Kevin e o Shintaro, o Kevin parece não ter gostado nada da situação e se não fosse meu pai, antes deles voltarem ele ia te buscar, eu mesmo fiquei inconformado e concordo, temos que matar o Negan. - Ele dizia tentando manter a calma.

  _ Mesmo que eu tenha que ser levada pela décima vez, se eu tiver uma chance, vou arrancar as tripas daquele homem e suas mãos imundas, com isso fazer um colar com seus órgãos. - Ela dizia até se enjoar e acabou por vomitar sangue no chão. O garoto se assustou e ficou preocupado. - Calma… isso foi parte dos resultados da tortura… pelo menos foi menos pior que a última vez…

  _ Não será levada, eu não vou permitir que isso se repita, e por favor tente manter a calma, ele pegou pesado com você… - Ele dizia preocupado. Ela suspirou novamente.

  _ Eu não tenho importância em comparação à vocês. - Ela disse séria e com o tom de voz frio. Carl a encarou em negação.

  _ Temos todos a mesma importância!E pare de falar esse tipo de coisa, não tem sentido. - Ela apenas suspirou.

  _ Obrigada. - Ela falou para ele. O menino ficou confuso. - Por… ser meu… amigo… nunca tive um antes, pelo menos que não quisessem me matar. - Ela força uma risada e sente uma lágrima escorrer.

  _ Não precisa agradecer, acho você legal, e além do mais não te mataria. - Ele a encara.

 _ Se soubesse sobre meu passado… não diria isso. - Ela comentou mais para si mesma do que para o garoto. - Enfim, como foram as coisas aqui durante meu “passeio”?

  _ Kevin surtou, quebrava a porta todo dia com um machado enquanto meu pai tentou manter ele calmo, Shintaro se “uniu” mais a nós,ele fala um pouco mais, fora isso foi só um mês de muitas preocupações e lamentos. - Ele disse.

  _ Entendo… se possível agora pode me devolver minhas armas? Também quero treinar um pouco com minhas lâminas. - Ela disse bocejando, porém vomitou um pouco mais de sangue antes de apagar por completo. Ele ficou um tanto nervoso e a ajeitou na cama a mantendo o mais confortável possível, então ele saiu do quarto em busca de ajuda.

  Na sala, Yumi conversava animadamente com Kevin e procurava tentar manter conversa com Shintaro. Meggie já havia sumido pela cidade.

  _ Nós deveríamos comemorar que estamos vivos, sabe, do nosso jeito e apenas nós. - Yumi iniciou. - Pelo que Kevin disse esse pessoal não sabe muito bem como fazer festas… Shintaro, pode participar também

  _ Não, obrigado, prefiro não brincar de amiguinhos. - Ele disse completamente entediado até receber um olhar psicopata junto de um sorriso meigo e arrepiante ao mesmo tempo.

  _ Acontece que isso não foi um pedido, “amiguinho”. - Ela continuou sorrindo e ele apenas suspirou desanimado, já que ela não o deixaria em paz enquanto ele não o fizesse.

  _ Seria ótimo fazer um festa comemorando o retorno da Charlie, ela deve ficar feliz… - Kevin disse e antes que falasse mais algo, Carl apareceu descendo as escadas correndo.

 _ Preciso de ajuda! A Charlie não está muito bem… - No mesmo instante Yumi e Kevin se levantaram preocupados, Shintaro apenas deu de ombros sem se importar.

  _ O que houve?! - Yumi perguntou quase desesperada, já que se tratava de sua irmã recém-encontrada.

  _ Está mal, vomitando sangue e desmaiou, vamos logo cuidar dela… - Carl disse tentando manter a calma.

  _ Isso é comigo. Vão pegar as coisas para a festa que eu a deixo intacta até de noite. Tudo no quarto do Kevin. - Ela sorriu e sobe correndo. Eles se encararam e apenas decidiram confiar na garota e saíram da casa em busca das comidas, aquele seria uma festa inesquecível. 


Notas Finais


Pessoal, esperamos que tenham gostado e não esqueçam de comentar o que acharam e deixar suas sugestões. Serão sempre bem vindas. Até o próximo capítulo =^u^=


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...