História The Ends Justify The Means (creepypasta) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Creepypasta
Exibições 17
Palavras 1.059
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


enfim...é minha primeira creepypasta, se tiver uma bosta desculpa ae :v
desculpa por qualquer erro de português .-.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction The Ends Justify The Means (creepypasta) - Capítulo 1 - Capítulo Único

A noite era fria e estava muito escuro, a única luz que havia naquela rua, era os faróis do carro da mãe de Aihara. Estava chovendo muito e o som das gotas de chuva caindo sob o teto do carro soava como uma melodia relaxante que fez ela adormecer.

No dia seguinte, Aihara acordou em sua cama, viu que seus pulsos estavam enfaixados e com manchas de sangue e suas pernas estavam cheias de curativos, ela tentou se lembrar o que tinha acontecido naquela semana, mas ela só conseguia lembrar de sons de sirene de ambulância e muitos bombeiros correndo dentro da casa de seu pai.

Aihara tentou se levantar apoiando suas mãos na cama, mas caiu logo no primeiro passo, se levantou cambaleando e tentou abrir a porta,sem sucesso, ela não conseguia se lembrar de nada. Pela última vez ela tentou abrir a porta, e conseguiu, caminhou até a escada no fim do corredor, se apoiando todo tempo no corrimão para não cair, quando ela desceu percebeu que a casa estava uma bagunça com várias garrafas de bebidas quebradas no chão da sala.

—M-mamãe? Oque houve?–disse ela com uma voz trêmula

—Ele voltou...–disse a mãe de Aihara com os olhos cheios de lágrimas e fixos no chão da cozinha

—P-papai? Por quê ele não veio me ver? – disse Aihara com uma voz trêmula e de choro

—Ele veio...mas eu não deixei que ele te visse...fiquei com medo de que acontecesse denovo...

A mãe de Aihara começou a chorar, deu um suspiro e continuou:

—Ele me agrediu, disse que se eu abrisse a boca pra policia ele iria me matar e te levar embora, então deixei que ele ficasse aqui em casa até você sair do hospital...

—Hospital? Como assim? Eu estava no hospital? – disse Aihara sem entender nada

—Você não se lembra?

—Lembro do que ?

—A casa!

—O que? Que casa?– disse Aihara ainda mais confusa

—O seu pai, ele... Tentou te matar incendiando a casa dele com você e o Kuma dentro

—O-oque??? E o que aconteceu com meu irmão?– Disse Aihara aos prantos

—Ele...ele não resistiu...os bombeiros chegaram tarde, as chamas já haviam se alastrado...eu sei...é difícil mas...

Nesse momento Aihara não sentiu o chão, sentiu como se todo o peso do mundo estivesse em suas costas, sentiu um sentimento de tristeza, dor e amargura mas ao mesmo tempo sentiu ódio e sede de vingança.

Naquele mesmo dia Aihara subiu até seu quarto onde ficou até a hora de sua mãe lhe chamar pra jantar. Aihara desceu mas nem encostou na comida, disse que não estava com fome e voltou para o quarto.

Dias se passaram sem nenhuma notícia do pai de Aihara, até que alguém alguém bate na porta e ela decide ver quem é.

—Pai !?– disse ela surpresa

—Filha!–disse ele empolgado com os braços abertos esperando um abraço

—Sai...da...nossa...casa! Você não é bem vindo aqui, não quero te ver nunca mais! –Disse ela batendo a porta na cara do pai

—Espera filha, deixa ele entrar –disse a mãe de Aihara

—Mas mãe! Por que ? –indagou Aihara

—Eu o chamei! –disse a mãe de Aihara exaltando a voz —precisamos conversar em família

—MAS ELE NÃO É DA FAMÍLIA...não mais

—Aihara !! Querendo ou não ele ainda é seu pai!

Depois de todos se acalmarem, sentaram-se a mesa :

—Filha me escuta, ele é o seu pai e sempre vai ser, aceite, pelo menos tente.

—Aihara...–começou o pai —Eu sei que você está com raiva de mim, mas por favor me perdoe eu não quero ser o vilão da história.

—Deveria ter pensado nisso antes de tentar me matar e incendiar a casa com eu e o Kuma dentro!–gritou Aihara

—Filha se acalme!

—Não me chame de filha! É Aihara Keehl pra você...

—Desculpa por eu ter sido assim tão cruel com você e com sua mãe e seu irmão, eu vou mudar, eu prometo –disse o pai de Aihara com a voz calma

—Ha! Duvido! Do jeito que você é!

—Filha mas respeito!

—Eu não sou sua filha! NÃO –gritou Aihara —esse é o problema você não me entende! Não sabe o quanto sofro sabendo que não vou acordar e receber um "bom dia mana" do Kuma! Não sabe o quanto dói! –disse Aihara com fúria nos olhos.

Aihara estava completamente alterada, não estava em si, sentia um sentimento muito forte de raiva e tristeza ao mesmo tempo, não sabia o que fazer, cada vez que via o seu pai ela sentia esse sentimento, só que dessa vez ele estava forte...ele estava muito, muito forte, ela precisava descontar essa raiva em qualquer pessoa que estivesse a sua frente...mas espera, ela não seria louca de matar seu próprio pai...ou seria? Não! Ela não podia fazer isso! Mas foi o que ela fez...

Ela agarrou seu pai pelo pescoço e o jogou contra a parede, enquanto ela socava ele no estômago sua mãe não parava de gritar e tentou interferir mas Aihara puxou uma lamina do bolso a mesma que usava para cortar os pulsos, e feriu o rosto da mãe que caiu no chão inconsciente, depois disso ela jogou seu pai no chão ficando por cima dele e pegou o objeto que estava mais próximo de si: uma faca de cozinha, ela tentou esfaquear seu pai mas ele segurou o braço dela é conseguiu levantar jogando-a contra parede

—O que você quer? –ele perguntou

—Meu irmão de volta!

Ela deu uma joelhada no seu estômago fazendo-o cair no chão, e aproveitou a oportunidade e pegou a caixa de fósforos que estava encima da mesa e a garrafa de vodka.

—Filha eu te disse que não podia beber até completar 18 anos –disse ele com uma voz sarcástica

—Eu não vou beber...eu vou te matar com ela!

—Me matar com uma garrafa de vodka ? Que belo jeito de morrer! Então me diga como você vai fazer isso? –perguntou ele ainda com voz sarcástica

—Do mesmo jeito que você matou meu irmão...

Aihara quebrou a garrafa de vodka na cabeça de seu pai e ascendeu o fósforo e o imediatamente o deixou cair no corpo dele. Nesse curto período de tempo sua mãe acordou e gritou "AIHARA!! POR QUÊ??"

Ela se virou pra sua mãe caída no chão e deu um sorriso dizendo:

 

" The ends justify the means"


Notas Finais


enfim...acho que é isso, espero que tenham gostado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...