História The Enemy of the Shadows - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Tsuki_no_yaya
Visualizações 9
Palavras 1.518
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, FemmeSlash, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Fala pessoas! E então… eu tenho um aviso nível:
CARALHO, NÃO ESQUEÇAM!!!!!!!!!!!
Infelizmente (ou felizmente, NÃO SEI A OPINIÃO DE VCS SOBRE A FIC DEVIDO A ESCASSEZ DE COMENTÁRIOS) a fic ta QUASE no fim. Quase mesmo. Quase no nível de uns 2, 3 ou 4 caps dps desse… só isso mesmo, tchau e
BOA LEITURA!

Capítulo 19 - Está viva


Fanfic / Fanfiction The Enemy of the Shadows - Capítulo 19 - Está viva

Pessoas, favor ler as notas (iniciais e finais)

Eles ainda estavam em choque devido a morte de Yukina, o aviso de que mais um assassinato havia ocorrido estava sendo completamente ignorado. Algo que não pôde ser ignorado foi a figura que tomou conta das telas do computador, uma figura que estava difícil de reconhecer, mas parecia ser uma mulher.

Uma máscara cobria quase todo seu rosto, deixando a mostra somente seus lábios com um forte batom o marcando em vermelho e seus olhos, em um tom de vermelho ainda mais forte. Um capuz tapava seus cabelos, fazendo uma sombra sobre seu rosto, fazendo seus olhos parecerem ainda mais brilhantes.

— Ahahahahahahaha, vejo que um de seus companheiros morreu… que pena… eu adoraria… MATÁ-LA COM MINHAS PRÓPRIAS MÃOS!!!!-falava entre risadas histéricas, deixando transparecer sua identidade.

Rilliane: Quem é você?-perguntava sabendo que era a única que não estava em um estado de choque tão grande quanto os outros, ainda consolando Yupina, que chorava e soluçava incansavelmente em seu ombro.

— Ora, ora… o que temos aqui? Você é bem ousada, não é? Por acaso… não teme a morte?

Rilliane: Só temo a morte dos meus amigos.

— Que frieza a sua então… não derramou nem uma lágrima pela morte de sua “amiga”

Rilliane: Fiz isso porque tenho que ter força, para poder proteger Yupina. Agora me diga: por quê matou Yukina.

— Acho que eu já disse que não a matei… foi algo bom a morte dela. Essa garotinha idiota… SABIA DEMAIS!

Rilliane: SEU…

— Acho melhor calar a boca, sua tola. Eu posso, em um piscar de olhos, matar todos os seus amigos.-e, em uma risada sarcástica, desapareceu das telas, sem deixar o mais pequeno dos rastros.

Depois daquilo, o diretor veio até o porão somente para dar a Yukina o mesmo destino que os outros alunos mortos tiveram. Cremação.

Eles nem ao menos tiveram chance de se despedirem dela uma última vez. Eles nem ao menos sabiam onde as suas cinzas haviam sido espalhadas.

Mas algo que eles sabiam, era que mada mais seria a mesma coisa que antes. Tudo mudaria drasticamente, e eles não poderiam nem mesmo questionar.

4 anos depois - tempo atual

Após o fatídico dia em que todos eles se separaram, cada um seguiu o seu caminho, deixando o caso dos assassinatos “encerrado”.

Charlotte e Allen estavam noivos e, Charlotte estava esperando o seu primeiro filho ou filha. Rilliane e Yupina haviam se “casado” há alguns anos. Optaram por tentar inseminação artificial, fizeram nas duas caso uma desse errado,mas, para a alegria delas, as duas deram certo, tendo duas crianças que agora estão completando seus 3 anos.

Jason… bem, ele foi um caso mais… “especial”, por assim dizer. Para ele, havia perdido duas pessoas naquele dia. Mesmo que uma delas ainda não pudesse ser notada, ele a amou pelo curto momento de tempo que soube de sua existência. Ainda amava, mesmo que nunca mais pudesse ver, nem sua criança e… nem a mãe dela, a mulher que amava. Ele, disposto a descobrir quem foi a causa do suicídio de Yukina, continuava a investigar o caso por baixo dos panos. Mesmo que ele ainda estivesse parado no mesmo lugar, não saía de seu apartamento, bem, melhor dizendo… saía somente quando os mantimentos que precisava para sobreviver acabavam, então ele ia para o mercado, mas não passava disso.

Quem o sustentava era seu tio. Não por vontade própria, até porque ele o ameaçou contar os podres da escola que havia descoberto através das câmeras que tinha instalado e, não é que havia funcionado? Sabia que com ou sem ameaças, seu tio iria o ajudar de um jeito ou de outro.

Motivos pelo qual ainda não desistiu de tudo, sabendo que sua voda estava na merda? Ele não sabia, só sabia que algo ainda o prendia lá. Que algo estava o esperando, algo grande.

Ele pode ter descoberto qual era esse motivo em uma de suas raras saídas ao mercado, onde percebeu que estavam de mudança ao lado de seu apartamento. Quem iria morar lá era um criança com cerca de 4 ou 5 anos, pelo que pode reconjecer pela sua altura e voz, e uma mulher, provavelmente a mãe. De algum jeito, ele a achava familiar. Aquilo o trazia arrepios.

Mas o que mais o assustou foi quando escutou a voz da mulher. Por um segundo, pensou ser Yukina, mas, como um balde de água fria, novamente a lembrança de que ela estava morta voltou para o assombrar.

Estava quase desistindo de ir ao supermercado quando aquela voz, tão nostálgica, o chamou.

— E-ei… s-senhor! P-poderia me dizer onde é o supermercado? É que… minha filha quer tomar sorvete e eu… bem… me esqueci completamente de comprar…

Jason: Ah, sim claro…-agora desconfiava ainda mais, além da voz e da aparência serem assustadoramente semelhantes, a forma de gaguejar também era.- a propósito, meu nome é Jason. Jason Smith.

— J-jason… S-smith?

Jason: Algo errado?

— Não nada…

Jason: E seu nome? Não acha injusto somente eu me apresentar?

— Meu nome… bem… acho que você já sabe né?

Jason: É impossível! Eu vi você…

Yukina: Calma. Vamos comprar o sorvete, depois conversamos com mais calma. Aliás… filha! Venha aqui!-gritou na porta, chamando a pequena garota de cabelos castanhos e olhos azuis.

Jason: Espera… se ela é sua filha, então eu…

— Você é o meu papai?-disse olhando no fundo dos olhos dele, com um olhar inocentemente fascinado.

Yukina: Sim, filha. Ele é o seu papai.-disse sorrindo, seu sorriso quase não cabia em seu rosto.

— Ei, papai! É verdade que você e a mamãe se amavam muito?

Jason: S-sim… ainda nos amamos.

— Papai? Por que você ta chorando? Ficou dodói?

Jason: Não, minha pequena. Eu estou chorando porque… eu estou… feliz.

Yukina: Ei, filha… você não vai se apresentar para o papai? Daí sim ele vai ficar triste…

— Meu nome é Hikari, papai… e o seu?

Jason: Hikari… é um nome lindo. Meu nome é Jason.

Hikari: Mamãe disse que esse nome é luz na língua dela! Ela disse que eu tenho esse nome porque eu sou a estrelinha brilhante dela! Eu sou a sua estrelinha, papai?

Jason: Claro que é! E sabe o que estrelinhas tem que ganhar?-falou com o sentimento de tristeza que sentia minutos atrás saindo, dando lugar a uma imensa felicidade.

Hikari: O quê?

Jason: Um sorvete enorme e um…-falou se aproximando da pequena.- ABRAÇO DE URSO!-ergueu a pequena, que ria alegremente enquanto recebia o abraço de seu pai.

Yukina: Jason… temos que ir antes que o mercado feche…

Hikari: Mamãe tá com ciúmes! Não fica com medo, mamãe! Eu não vou roubar o papai de você!

Yukina: Ai, ai… só vamos logo, ok?-sorriu para sua filha. Por mais que por fora estivesse assim, por dentro temia a conversa que teria com Jason quando voltassem.

O passeio até ao mercado, por incrível que pareça foi rápido. Pelo menos foi o que pareceu para Yukina, que queria que aquilo demorasse o máximo possível. Eles se divertiram em excesso naquela tarde, a ponto de nem ao menos perceberem quando a noite chegou. Jason, esperou somente o tempo de Hikari ir dormir para olhar no fundo dos olhos de Yukina e falar:

Jason: Eu quero uma explicação.

Yukina: Tudo bem… tudo bem… eu entendo. Isso deve estar sendo estranho para você, não é? Hoje aqui estou eu, sentada de frente para você nessas poltronas… mas ontem mesmo, para você eu estava…

Jason: Morta?

Yukina: Sim. Seria bom explicar isso tudo desde o começo, mas acho que já mostraram para você os registros de Psíchy, não é?

Jason: Sim, no dia da sua… morte?

Yukina: Ótimo. Assim eu sou poupada de tanto trabalho. Indo direto ao ponto, eu, você e minhas irmãs somos as reencarnações das três irmãs e do Jin.

Jason: C-como assim?

Yukina: Eu sou Psíchy, você é Jin, Yupina é Vitae…

Jason: E sua irmã falecida é Laví.

Yukina: Exato.

Jason: Mas isso não explica absolutamente nada! O que isso tem haver com a sua “morte”?

Yukina: Naqueles registros que você viu, falavam sobre o sangue da serpente, não é? Pois é. Eu bebi para poder me salvar e salvar Hikari, que ainda não estava nascida.

Jason: Salvar? Salvar de quem?

Yukina: Salvar da reencarnação de Laví, minha irmã Yukari.

Jason: Espera aí! Ela não estava morta?

Yukina: Eu também estava, ou esqueceu disso?

Jason: Bem… nossa eu… não sei o que falar.

Yukina: Entendo… fiquei assim em relação à Yukari também… mas agora… mudando de assunto…-disse com seu rosto ficando vermelho aos poucos- Você… esteve com outra mulher nesses 4 anos?

Jason: Por que? Está com ciúmes?

Yukina: Claro que sim… afinal, eu estive “morta” por 4 anos.

Jason: Claro que não fiquei com mais ninguém, quem eu amo é você. Mas… é você? Tem outra pessoa?-eles nem ao menos percebiam a pouquíssima distância que separava eles.

Yukina: Claro que também não, você também é… o único que eu ja amei, amo e vou amar.-nesse instante, seus lábios se juntaram de forma urgente. Eles estavam necessitando isso há anos. Suas línguas se misturavam, travando uma batalha pelo poder.

Jason sentiu uma pancada na cabeça e logo sua consciência se esvaiu de seu corpo, o fazendo cair desmaiado no chão da sala.

Yukina: Desculpa, mas…-falou já com sua voz embargada, lágrimas corriam sem a sua permissão.- é por te amar demais que eu preciso fazer isso. Por amar todos vocês demais que eu preciso fazer isso. Preciso salvar, todos vocês.


Notas Finais


Então? ACHARAM MESMO QUE A YUKI TAVA MORTA????? HAHAHAHAHAHAHA NÃO MESMO!!!!!!
Não esqueçam de comentar, a opinião de vcs sobre a fic é MUITO importante, mesmo.
Até a próxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...