História The Experience - Capítulo 18


Escrita por: ~

Exibições 352
Palavras 1.563
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Power loss


Fanfic / Fanfiction The Experience - Capítulo 18 - Power loss

[07 de Dezembro - 2006 ]

Sinuhe havia realizado duas operações arriscadas, uma em Dinah e outra em Normani, ambas estavam desacordadas sendo monitoradas por aparelhos, a morena as vezes fazia as máquinas se descontrolar e marcar errado os seus batimentos cardíacos e sinais vitais por conta do seu poder, a energia ficou um pouco descontrolada após a operação, ela havia perdido muito sangue e teve que fazer transfusão usando o sangue de Ally que permitiu que retirasse uma bolsa, o sangue da garota de alguma forma estava agindo, pelo menos com Dinah, seus sinais vitais estavam bons e a marca no lugar onde foi cortado havia sumido, bastava esperar que acordasse. A cientista estava focada fazendo um corte na área da coluna de Keana para realizar o mesmo processo, depois dela seriam Lucy e Vero. Camila havia acordado por volta das 10:00 e levou o lanche juntamente com o almoço de Lauren, ia juntar os dois já que havia acordado tarde, quando entrou na sala viu a garota deitada na cama usando um pequeno shortinho apertado e uma camiseta branca, colocou as coisas em uma pequena mesinha e se aproximou

-acho que me atrasei um pouco hoje, está com muita fome? trouxe o lanche e seu almoço também

-relaxa, eu nem estou com fome, só um pouquinho. onde está a injeção?

-não trouxe

-mas porque?

-não quero fazer isso hoje, te deixa fraca e eu confio em você Lauren, sei que não vai tentar nada

-como pode ter tanta certeza assim?

-eu não tenho, mas confio em ti

Ela assentiu e se alimentou, logo terminou de comer e foi pro banheiro escovar os dentes

-você disse na outra vez que estava lendo Orgulho e Preconceito da Jane

-sim, estou, bem pela quinta vez, eu amo essa história

-quando terminar quero emprestado, já li também mas não me incomodaria em ler novamente

-está acabado, pode levar quando quiser

-tá bom, podemos falar sobre o que aconteceu ontem?

-porque falar? combinamos apenas de ir devagar, vamos só seguir com isso ta?

-mas eu quero saber se gosta de mim Lauren, se está apaixonada

-eu não sei, lidar com sentimentos não é meu forte sabe disso né? eu estou descobrindo coisas novas, sensações novas

-eu também estou, a única diferença é que já joguei tudo em cima de ti e falei o que estou sentindo, não consigo guardar isso, precisava te dizer o quanto mexe com meus sentimentos e o quanto faz meu coração bater tão rápido com apenas um olhar que me lança

-você me faz bem Camz, gosto da sua companhia, do seu beijo, por mais que nossos lábios ainda não tenham tanto conhecimento um do outro

-isso só depende de você, eu estou aqui pra te dar quantos beijos desejar de mim

Aproximou-se unindo seus lábios aos dela fazendo sua língua serpentear na boca da garota que foi parando aos poucos o beijo

-você parece me deixar anestesiada

-quer me beijar mais?

-quero

-faça isso bem aqui -tirou os cabelos do seu ombro esquerdo colocando para o outro lado deixando sua pele exposta para que a garota tocasse com seus lábios, Lauren então foi beijando devagar aquela localidade deslizando seus lábios ali fazendo com que a latina suspirasse

-eu sinto a sua respiração morna contra a minha pele -sussurrou fechando os olhos, baixou um pouco da própria blusa deixando a mostra o ossinho de sua clavícula, Lauren parecia estar hipnotizada deixando-se levar pelo desejo de toca-la, conforme ia beijando sua pele Camila começou a ficar um pouco inquieta coma sensação, sua respiração se modificou e a de Lauren também, era como se precisassem de mais, mais contato físico, a latina segurou no queixo da garota puxando-a para um beijo mais intenso, ela levantou da cama com Camila em seus braços, sua intimidade roçando contra o corpo de Lauren que segurava firme em suas nádegas mantendo seus corpos cada vez mais unidos, usou um pouco da sanidade que ainda lhe restava para falar algo entre o beijo

-Camz.. a gente precisa parar, eu.. estou ficando daquele jeito, estou excitada, ardendo em desejo

-tudo que eu menos queria agora era parar

-eu sei, me desculpe mas, a gente precisa, para sua própria segurança

-tudo bem -foi colocada no chão e respirou fundo

-você é tão linda, não consigo evitar, é como se o desejo me consumisse

-se sente desejo por mim nem imagina a proporção do desejo que sinto por você, mas eu preciso te manter segura, não posso perder a cabeça contigo

-tudo bem, não tem problema, já voltou -foi até o banheiro molhando suas mãos e passando em seu pescoço e logo voltou para perto dela -estava um pouco calor demais aqui

-deita aqui comigo? -Lauren pediu se aconchegando na cama

-sim -ela sorriu e deitou-se se acomodando no corpo da garota, apoiando sua cabeça nela recebendo uma leve carícia em seus cabelos

-em que resultou as operações? alguém morreu?

-por enquanto não e espero que continue assim, Normani e Dinah estão sendo monitoradas e minha mãe está cuidando das outras

Foi só falar na morena, as luzes do local começaram a piscar e se apagaram de repente

-o que foi isso?

-não faço ideia, mas eu tenho medo de ficar no escuro Camz

-eu volto pra você, eu só vou saber o que aconteceu

-promete?

-prometo, eu passo a noite contigo aqui se quiser

Deu um beijo na testa dela e saiu da cela com cuidado, tudo estava escuro, quando chegou na laboratório presenciou uma cena horrível, Keana se debatia sobre a cama

-mãe o que aconteceu?

-acho que Normani provocou uma queda de energia, eu estava terminando o procedimento com Keana, ela precisava dos aparelhos para se manter viva, mas tudo desligou, pela primeira vez não sei o que fazer

As luzes começaram a piscar e o monitor que estava ligado a garota mostrava frequências que se alterada a cada bipe que dava

-acho que estamos perdendo ela

-é tão nova, tão bonita! faça alguma coisa mãe, por favor, não deixe ela morrer

-não tenho o que fazer Camila, estamos sem energia, Normani está fazendo isso inconsciente, não posso tocá-la ou poderei levar uma descarga elétrica capaz de me matar, não vou arriscar a minha vida por uma experiência

-por uma pessoa! ela é humana!

-eu sinto muito!

Sinuhe saiu do laboratório deixando a garota começando a parar os movimentos de espasmos de seu corpo, ela estava morrendo. Sem aguentar presenciar aquilo Camila correu dali voltando para a cela de Lauren com seus olhos marejados

-o que foi? aconteceu alguma coisa

-Keana, ela está morrendo, Normani fez a energia cessar e ela estava ligada aos aparelhos, não vai conseguir sobreviver

-eu realmente sinto muito por ela

-eu também, isso é tão triste! e o que me deixa mal é o fato de saber que minha mãe não sente nenhum pouco por saber que a garota vai morrer

-ela só se importa com si mesma Camz, desculpe, sei que é sua mãe mas é a verdade

-tudo bem, eu sei que isso é verdade

-vem ficar aqui comigo

-estou assustada com o que vi, ela morrendo na minha frente e eu não podia fazer nada!

-shii, calma, tenta ficar calma

Deitou com ela na cama envolvendo seus braços no corpo de Camila

-eu só queria viver uma vida normal, ter pais normais, morar em uma casa normal, poder agir com uma pessoa normal que não tem que ficar presa em uma maldita ilha sem ver a luz do sol nem sentir o vento contra meu corpo

-também sempre desejei ter nascido sem essas complicações toda, ter uma mãe e um pai, ter uma família

-você pode ter uma mãe

-como assim?

-eu não devia falar mas tenho uma amiga aqui, o nome dela é Clara Jauregui, foi a única que minha mãe deixou viver, ela assim como as outras foi afastada do seu bebê sem nem ter a chance de segurar em seus braços nem de ver, pode ser qualquer um de vocês, pode ser a Aly, Dinah, você.. e pensando bem tem coisas em ti que me lembra ela, Clara é uma mulher maravilhosa, porém se isola bastante, passar mais tempo dentro do quarto do que fora dele, ela é um pouco deprimida, acho que nunca soube lidar com o fato de ter seu bebê tirado de si por mais que na frente de minha mãe tente se mostrar indiferente com o assunto

-eu quero ver ela, algo me diz que eu saberia reconhecer a minha mãe caso a visse

-você já viu ela, era pequena mas viu, no corredor antes de ser levada para a sala onde foi deixada por conta de um castigo

-minha mente é um pouco mais evoluída e eu tenho flashs dessa noite, porém essa parte do corredor eu não me recordo

-depois vou tentar trazê-la até aqui, mas é arriscado, se minha mãe descobre é capaz de me afastar permanentemente de ti e mandar matar Clara

-a gente pode ver isso depois então, só me abraça agora

Ficaram envolvidas com seus corpos juntinhos, Lauren sentiu um fio de esperança dentro de si, nunca pensou na possibilidade de sua mãe estar viva mas agora ao saber da existência de Clara queria descobrir se ambas tinha um parentesco. Lauren jamais foi chamada pelo seu sobrenome, não sabia do ''Jauregui'' mas talvez isso tivesse próximo de acontecer.


Notas Finais


se tiver erros depois dou uma lida de novo e conserto. bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...