História The Experience - Capítulo 28


Escrita por: ~

Exibições 177
Palavras 2.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Capítulo cheio de altos e baixos ^^ <3 aproveitem! boa leitura ^^

Capítulo 28 - Obrigada por ser minha


Fanfic / Fanfiction The Experience - Capítulo 28 - Obrigada por ser minha

[17 de Dezembro]

POV (...)

Você já se sentiu sozinho no mundo? Eu me sinto assim todos os dias, vivo em uma ausência enorme de sentimentos, pela minha aparência acham que não sinto, mas eu ainda tenho um coração e eu não sou como os outros, eu não gosto de matar pessoas, eu caço animais pra sobreviver e me alimento de peixes, a anos eu me senti perdido até encontrar ela, passei esse tempo todo esperando por isso, eu já sabia da sua existência mas nunca consegui entrar no laboratório, ou seria morto. Ela não sabe quem eu sou, prefiro que continue assim, na verdade eu não tenho um nome, eu não tenho nada, eu não tinha, tenho Camila agora.

Precisava correr, estava difícil encontrar peixes mas os que consegui pegar foram o suficiente, a mulher que estava com ela havia saído pra caçar, consegui chegar primeiro e encontrar Camila ainda dormindo, botei os peixes e frutas em cima de uma mesa e me aproximei, toquei no seu braço e quando ela abriu os olhos me empurrou e começou a gritar

-aahhh!! Me larga! Você.. o que vai fazer comigo?

-espere

-sai de perto de mim seu monstro!

Monstro.. é, eu sou isso, pode-se notar pela minha aparência, não tenho um rosto angelical como o dela e nem uma pele normal, eu nunca serei normal.

-não quero te fazer mal eu..

-O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI?

A mulher que não desgrudava dela apareceu e de alguma forma me fez sentir uma terrível dor de cabeça, isso deve fazer parte dos seus poderes, é uma das experiências

-aahh!! Para.. por favor! Eu.. não ia fazer mal, só trouxe comida

Camila levantou e foi pra perto dela, a dor de cabeça cessou quando ela viu os mantimentos que com esforço eu consegui trazer

-a febre.. eu queria saber se o chá funcionou, já estou indo embora

Ela colocou a mão sob a testa

-sim eu.. estou bem, não me sinto mais com febre

-ótimo, tenho que ir agora.. deve se alimentar

Apontei para os peixes e frutas e fui me retirando do local quando ouvi a doce voz dela, ainda é tão jovem

-porque me ajudou?

-não importa, está bem agora e isso é o que basta

-falava tudo errado e.. fala certo agora

-aprendo rápido, tenho observado

-você tem nos vigiado?

-lolo calma..

-mas Camz ele tem nos vigiado!

-eu só.. ouço vocês, de longe. Tenho que ir!

Sai correndo para não ter que dar mais explicações, tinha que voltar e estar no meio dos outros, eu não me encaixava ali mas eu era um monstro, teria que conviver com outros monstros.

(...)

Lauren deu um jeito de assar os peixes, Camila devorou as frutas rapidamente, estava faminta, ainda meditava sobre a ajuda do canibal, não conseguia entender o porque dele tê-la ajudado

-está pronto, mas tenha cuidado porque está quente

-obrigada

-não está feliz assim Camz.. eu não queria essa vida pra você, merece mais que isso

-eu escolhi estar aqui

-porque você teve que se apaixonar por mim?

-essa é uma pergunta que não posso te responder, talvez tenha sido a conexão, eu me senti ligada a ti desde a primeira vez que nos vimos

-você merece alguém que..

-Shii! Não tem que estar me dizendo o que mereço, tenho tudo que preciso, não me importo com o que a gente tenha que enfrentar, só não posso ficar sem você, seria como a morte pra mim

-que futuro teremos juntas?

-vamos sair daqui! Vamos ter uma vida lá fora, você vai cuidar de mim e eu vou cuidar de você, simples

Lauren se aproximou dela e abraçaram-se, ela queria ter tanta certeza de que as coisas iam se encaixar e queria ser tão esperançosa quanto sua garota

[ Laboratório Subterrâneo ]

-vocês são todos incompetentes! Como deixaram a minha filha fugir?

-eu não sei, juro que não encontrei com ela senhora Cabello

-e como acha que ela passou pelos guardas? Ficou invisível?

-não.. talvez ela possa ter tido alguma ajuda

-de quem?

-Lucy Vives, ela tem o poder de hipnose, isso! é exatamente por essa razão que não conseguimos nos lembrar de nada, Lucy deve ter nos hipnotizado

-TRAGAM A GAROTA AGORA!

Os guardas invadiam a Ala A, Normani e Dinah que estavam trocando beijos se assustaram, Verônica ficou apreensiva quando viu o olhar dos homens para Lucy

-aconteceu alguma coisa?

-ainda não, mas vai acontecer. Sabem que a Dra Sinuhe não tolera que a desobedeçam certo?

-sabemos disso

-e porque quebraram essa regra?! –o homem gritou

-não fizemos nada eu juro!

O guarda segurou no pescoço de Veronica e riu debochando, jogou ela no chão, como usavam as pulseiras os poderes da garota ficavam fracos

-peguem Lucy!

-o que? não! Me leve, mas deixem ela! por favor.. não fizemos nada! –Vero tentava livrar a namorada mas isso foi em vão

-foi você que ajudou a filha da Dra a fugir! –apontou o dedo pra Lucy

Pegaram a garota e a levaram, ela tentava resistir mas foi forçada a ir pra onde queriam

-ela é gostosa, poderíamos tirar o atraso, faz tempo que não transo

-NÃO! ME LARGA

-eu acho uma ótima ideia

Empurraram a garota contra a parede e baixaram sua calça, um dos homens já com sua ereção evidente puxou as vestes e começou a passar seu membro próximo as nádegas da garota, ela sentia pavor, nojo, medo!

-não faça isso por favor! Eu não tive culpa, ela me obrigou!

-vai ser gostoso eu prometo, vou meter em você bem devagar, mas só no começo –o homem começou a rir e posicionar sua ereção na intimidade da garota

-não.. por favor!

No instante que foi concretizar Sinuhe apareceu

-o que porra pensa que está fazendo?!

O homem praticamente saltou de perto dela puxando suas roupas rapidamente

-eu disse pra trazer a menina e não pra estupra-la!

-desculpe senhora eu.. pensei que não tivesse importância, é só uma experiência e..

-é só uma menina! –olharam pra Sinu surpresos –saiam daqui! E se isso acontecer de novo sem a minha permissão irão virar comida de canibais

-sim senhora! Com licença!

A garota ainda tremia e chorava também, suas pernas um pouco bambas, Sinu ajudou ela a vestir-se adequadamente, felizmente o homem não conseguiu fazer o que pretendia

-sempre foi obediente Lucy Vives, porque quebrou as regras dessa vez?

-a sua filha praticamente me obrigou, ela queria ir atrás da Lauren

-LAUREN! SEMPRE LAUREN! –empurrou algumas coisas de cima da mesa

-eu não tive culpa.. só fiz o que ela me mandou, não me faça mal eu te peço

-vou te deixar ir, irei mandar uma equipe de busca por ela na ilha, se minha filha estiver morta te darei como presentinho para que todos os guardas aqui do laboratório te usarem da forma que quiserem, são muitos! Não sei se aguentaria

-não.. isso não! Nunca fui tocada, um homem jamais me tocou dessa forma

-então eu acho bom começar a rezar, porque não terei compaixão caso a minha filha esteja morta! Ou caso eu não encontre-a. agora volte pra onde estava

Ela correu retornando pra ALA A, Verônica ao vê-la puxou a garota pra seus braços, foram em direção a cela

-o que fizeram contigo? -ela chorava

-eles.. quase abusaram de mim Vero.. 

-EU VOU MATAR ESSES.. IMBECIS! -se levantou determinada a fazer isso

-não! a gente não precisa de mais problemas, eu não posso perder você ok? vou ficar bem, só me abraça.. ainda estou com medo

-claro, vem cá, está segura agora, ninguém vai te fazer mal

Se abraçaram por alguns instantes

-se Camila não estiver viva é o fim pra mim

-como assim?

-Sinuhe disse que me daria como prêmio para todos os homens daqui.. eles vão fazer o que quiser.. vão me..

-não fala o resto, não vou deixar isso acontecer, você é minha! só eu tenho o direito de ter acesso ao seu corpo, ninguém vai te tocar

-não pode me proteger Vero.. eles anulam seus poderes e os meus também

-eu morro por você se for preciso Lucy, mas não deixarei que façam isso

Ela assentiu e uniu seus lábios aos de Verônica. Sinuhe caminhou até uma cela afastada e abriu a porta, estava escuro mas dava pra ver alguém se remexendo tentando sair de uma camisa de força

-ainda nisso? Acho melhor desistir, não vai conseguir se soltar

-você é uma maldita covarde!

-posso até ser, mas sou eu que estou no comando e quando eu encontrar a sua filha terei o prazer em mata-la na sua frente

-eu te mato primeiro!

Sinu soltou uma gargalhada, desde que descobriu que Clara sabia que Lauren era sua filha tinha mandado prendê-la, seria o seu trunfo, se de alguma forma conseguisse transmitir a mensagem a Lauren de que sua mãe seria morta caso ela não voltasse a garota com certeza se entregaria, e consequentemente Camila vinha junto

-não percebe que vai fazer tua filha te odiar?

-isso é problema meu

-está bem em relação a saúde mental? Porque faz isso tudo? Porque essa obsessão por experiências genéticas em pessoas? Não poderia ser simplesmente Sinuhe Cabello, uma mulher normal?

-NÃO! Os meus pais eram os melhores cientistas da época deles, conseguiram manter em laboratório uma experiência que sobreviveu, eles conseguiram! Eu sempre foi a indicada a seguir seus passos porém eles me apontavam o dedo dizendo que não ia conseguir, e aqui estou eu!

-não precisa provar nada pra ninguém, eles nem estão mais vivos

-eu não cheguei até aqui pra abandonar o barco

-não acha que sua família é mais importante?

-eu acho que tenho que te fazer calar essa boca!

Se aproximou com uma seringa e enfiou em uma das veias do pescoço de Clara

-tenha bons sonhos Clara Jauregui!

Saiu da sala deixando soar apenas os sons do salto contra o chão

(...)

[Cabana]

Já era noite, ouvia-se apenas o barulho dos insetos, Lauren verificava se as portas estavam bem trancadas antes de descer pra parte subterrânea, Camila escovava os cabelos escuros enquanto mantinha seu olha fixo para a parede. A garota se aproximou sentando-se ao lado dela que ao notar colocou a escova no chão

-no que está pensando?

-em meu pai, na Normani, Dinah, Ally, Lucy, Vero.. será que podem ter se prejudicado por minha causa?

-não sei, talvez.. mas é melhor pensar que não

-eu não queria ser filha dela

-fique feliz por não ser como ela, você é boa, e me salvou

-foi ao contrário, você me salvou de mofar dentro daquele quarto

-você me livrou de viver uma vida sem amor

-ainda podemos ser felizes Lauren..

Olhou fixamente para os olhos verdes da garota e segurou em sua nuca puxando-a para um beijo, a garota ainda tinha um pouquinho de dificuldade ao beijá-la, era uma áurea forte e intensa, tinha vontade de absorver tudo dela. Separou seus lábios dos de Camila e respirou

-eu confio em você, não aconteceu nada da ultima vez, podemos fazer isso de novo

-eu.. ainda me sinto um pouco insegura

-não precisa, concentre-se em mim..

-isso é tudo que estou fazendo agora

‘’ Quando eu olho dentro dos seus olhos

Posso ver você e eu

Lembre-se deste momento que vai durar até o fim

Quando eu encontrar você nos meus sonhos

Eu apenas não quero que você vá

Vou guardar você no meu coração

Eu não posso viver sem você

Eu não posso viver sem o seu amor ‘’

-então só me deixe ser sua de novo, faça amor comigo lolo.. eu sei que também quer isso, não quero sempre ter que pedir.. quero que me queira também

-eu quero Camz.. quero fazer amor com você mas.. – foi interrompida por Camila que colocou a mão sob o peito esquerdo dela

–seu coração está batendo tão depressa, assim com o meu, vejo seu olhar pro meu corpo, me deseja e eu te desejo então..

Não conseguiu falar mais nada, Lauren a calou com um beijo, acomodaram-se no chão mesmo, em cima de um fino colchão, não se importavam com o espaço, apenas o espaço entre seus corpos que queriam manter curto. A garota desenhou na pele de Camila com seus lábios, foi arrastando-os por cada parte fazendo seus pelos se eriçarem, as pernas mantendo caricias, os corpos já despidos e o calor dos corpos começando a se fazer presente, não havia canibais, não havia problemas, nem ilha, e nem experiências de laboratório, só havia elas e aquele momento, o instante em que seus corpos conversavam entre caricias mútuas. Nem se juntasse todas as estrelas do céu, cada gotícula da água do mar ou todo e qualquer grão de areia e fizesse uma soma, nada chegaria perto da proporção do sentimentos que unia as duas, era algo completamente sem explicação. Lauren deslizava sua língua pelo seio esquerdo de Camila que mordi o próprio lábio, sugava devagar e apertava o outro com a mão, deixou rastros de beijos pelo pescoço marcando-a, mordia seu ombro e tornava a beijar seus lábios que estava sedentos pelos seus, com o contato dos corpos Lauren começou a acaricia-la em sua intimidade, sentia a umidade presente e o calor que dali exalava, fazia uma leve pressão com seus dedos sob a carne rígida de Camila, ela gemia baixo, sussurrava o quanto precisava de Lauren dentro de si, o mais rápido possível, ela continuava com as caricias até sentir a vontade incontrolável de chupar sua latina, deslizou a pontinha da língua ali, sugou bem lentamente e sua língua ia se movimentando traçando linhas invisíveis por toda região, logo a invadiu com dois dedos

-uuuhh! –suspirou e gemeu..

Lauren pressionava suas coxas uma contra a outra tentando controlar a pulsação vindo da sua intimidade, também estava excitada, Camila além de linda interiormente, por fora parecia uma obra prima feita por mãos de artesões consagrados, uma pele macia, lábios carnudos e avermelhados, seios medianos e belos, cabelos negros que desciam como cascatas pelos seus ombros, cada detalhe dela era digno de ser apreciado, precisava fazê-la chegar ao seu ápice mas também precisava de algum tipo de alivio, foi então que inverteu as posições fazendo um 69, agarrou-se as belas coxas da latina e sem perder tempo voltou a chupá-la de forma prazerosa, Camila entendeu o recado e logo seus lábios se conectaram aos lábios íntimos de Lauren, rosados e pequenos. Sua língua deliberava cada parte. As duas gemiam juntas, os corpos sentindo a mesma sensação de prazer e excitação, o formigamento, o calor, os leves espasmos, logo se tornaram presentes, não pararam com as caricias até chegaram juntas ao último nível do prazer, gozaram praticamente no mesmo instante, Lauren assoprou de leve no local sabendo que o calor de sua respiração deixava Camila nervosa, sugou tudo que ela havia lhe dado assim como Camila também se deliciou com o gosto de sua amada, ambos os corpos exaustos se encaixaram como um quebra cabeça, a latina puxou uma coberta para cima das duas e pousou sua cabeça no ombro dela

-viu como não foi difícil? Eu disse que confiava em você

-obrigada pelo seu amor

-obrigada por ser minha

Sorriam e selaram a noite com um beijo, antes de adormecerem.

 


Notas Finais


aguardo comentários <3 e sobre o canibal vocês ainda vão entender hahahaha

trailer da fic https://www.youtube.com/watch?v=lbNWcGtsTus não ficou tão bom mas.. tentei rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...