História The Eye - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui
Exibições 27
Palavras 1.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem <3

Capítulo 2 - A magica tem duas faces


Entreguei meus punhos para que ela me algemasse, obvio que não iria arrumar intriga com 5 armas na minha cabeça, correndo o risco de levar um tiro. Caminhando ao lado dela e dos outros policiais, consegui pegar a chave das algemas, como? Ela colocou no bolso da frente, simplesmente amostra ao lado da arma, basta uma distração:

 

- Tenho permissão de espirrar? - Perguntei ironizando -

- Espirre. - Disse um dos policiais -

 

Puxei o folego completamente e fingi o espirro, em fração de segundos abaixada, consegui pegar as chaves sem ela ver. Parece simples? Talvez, a burrice da morena foi deixar as coisas visíveis para que qualquer um pudesse pegar, o único risco era dela perceber ou algum dos policias ver. 

Ao sair do metro, me levaram direto pra viatura, enquanto abriam o porta-malas vi uma bela oportunidade para me soltar. Peguei a chave e sem fazer muito movimento, num único minuto consegui me soltar.

Quando iam me colocar lá dentro, olhei pra morena.

 

- Você já viu minhas pulseiras?

- Sua pulseira de presidiaria? 

- Não. Essas são as suas. - Num único movimento, joguei as algemas nos pulsos dela as quais no mesmo tempo se fecharam.

- PEGUEM ELA!!! - Gritou a morena -

- Escolham uma carta!? - Puxei um baralho -

- Sem gracinhas. - Um dos guardas bateu em minha mão, derrubando todas as costas.

 

Começaram a me empurrar para dentro do carro, num passo em cima da carta, consegui que ela grudasses em meu tênis sem ninguém ver. Entrei no carro enquanto ria da chefe do FBI tentando se soltar as algemas, seus policiais idiotas esqueceram que a chave estava comigo. Ela desistiu e entrou no carro no banco de trás toda estressada, ela olhou para trás.

 

- Onde estão as chaves? - Perguntou ela para mim -

- Olha em seu bolso.

- Não estavam. - Ela colocou a mão nos bolos -

- Há sim, no bolso do seu motorista esta um sutiã... Só não sei de quem é.

 

O motorista colocou as mãos em seu bolso desesperado.

 

- Brincadeira. - Disse rindo -:- Olha atrás da sua orelha.

 

Ela pegou a chave e tentou abrir as algemas, assim que ela conseguiu, fechou a janelinha que tinha, dividindo o banco de trás do porta-malas. Virei-me olhando o nada, a carta em meu tênis acabou voando para meu colo. Nele havia um chip rastreador que eu e Lucy usávamos caso nos perde ou entrar em cana, como agora. 

 

 

Um tempo depois...

 

 

Me deixaram sentada numa salinha pequena com duas cadeiras, uma de frente para a outra com uma mesa no meio, enquanto meus punho estavam algemados na mesa. Fiquei ali por meia hora mais ou menos brincando com as algemas para descobrir com elas funcionavam. Uma mão mexe dali, outra daqui, até que a porta se abre, entra a bela morena, dessa vez sem colete, o que dava vista para seu belo decote - não que eu tenha reparado, nada disso -. Ela se sentou na minha frente com alguns papeis em mãos e ficou ali, organizando cada um deles em silencio, até que finalmente abre a boca e um lindo sotaque latino quebra o silêncio da sala.

 

- Você sabe porque esta aqui? - Ela apoiou os braços sobre a mesa -

- Porque eu roubei uma senhora. 

- Acha que só por isso?

- Que eu lembre sim.

- A gente tem um relatório seu, sobre todos os seus crimes cometidos, só não entendemos como você conseguiu fazer essas coisas.

- Tipo... - Puxei meus punhos, fazendo as algemas se abrirem -:- Isso?

- Parada! - Ela apontou a arma para mim -

- Calma! - Levantei as mãos -:- Eu sou inofensiva, não tenho uma arma aqui, mas... - Remexi em meu bolso -:- Tenho cartas, escolha uma. - Abri na frente dela o baralho, deixando vista todas as cartas -

- Solta essas cartas agora! - Ordenou ela -

- Acho que você nunca jogou cartas. - A encarei -:- Vamos, sente-se ai, vou te contar um segredo.

 

Ela guardou a arma e se sentou novamente.

 

- Eu não quero jogar. - Disse ela -

- Tudo bem, eu jogo sozinha. - Separei as cartas na pesa -:- Você sabia que pra um truque de magica, você só precisa de; Inteligencia e rapidez. A sim, também uma bela assistente para dispersar os idiotas. Já viu o truque da caixa com um coelho dentro o qual o mesmo some? - Arrumei o baralho como se fosse jogar paciência -:- Pegue uma caixa, coloque um espelho em cada lado, o espelho é o truque de magica mais maravilhoso que já inventaram. O espelho nos engana, é igual eu olhara para aquele espelho e achar que só nós estamos aqui nessa sala, mas esse espelho reflete apenas um lado, o lado de dentro. Enquanto a câmera gravam cada movimento meu... talvez grave esse. - Segurei a carta entre meus dedos e joguei na câmera, fazendo o cortar os fios.-

 

- Michelle, você não esta me ajudando. - Disse a morena -

- Pode me chamar de Lauren. - Sorri -:- Então, enquanto conversávamos aqui, eu terminei meu jogo de paciência, cortei a câmera e fiz de meu trabalho manual, uma distração pra você. Pois meus arquivos estão muito mal organizados, nossa! - Disse abrindo a pasta -

- De-me isso!!! - Ela tirou da minha mão -

- Então me diga, o que querem comigo? Se fossem para em prender, já teriam feito isso a anos! - Cruzei os braços -

- Nós lemos o seu histórico, te seguimos a mais de um ano. Cada roubo seu, nós estávamos atrás de você.

- E não fizeram nada pra me parar? Normal da policia daqui.

- Enfim... Você tem truques na manga, eu também tenho. Você tem seus truques, eu? - Ela levantou a mão direita com a carta que havia o chip dentro -:- Também tenho.

- Olha. - Bati palmas ironicamente -:- Esse truque demora...

- 2 anos para ser aperfeiçoado. - Ela me cortou -:- Sim, eu sei. Você não é a unica que sabe fazer truque. - Ela me devolveu a carta -:- Enfim, aproveitando que eles não podem mais nos ouvir... eu tenho duas opções para você; 1. Você vai fazer tudo que eu mandar, ira entrar para os 4 cavalheiros; ou 2; pegara 15 anos de prisão.

- Olha, é uma oferta e tanto, mas eu trabalho sozinha -

- Ótimo, então apodreça na cadeia. - Ela se levantou -

- Espera... - Segurei o braço dela -:- Isso tem que ter algumas modificações.

- Quais? - Ela se sentou novamente -

- Antes de tudo, quem são os cavalheiros, e o que fazem?- Perguntei -

- Os cavalheiro são 4 pessoas; Ally, Dinah, Normani e não menos importante, eu. Nós fazemos o que você faz, roubamos, mas é aquilo, roubamos de pessoas que passaram a perna na população. Tipo Robin Hood.

- Já ouvi falar delas, mas nunca de você.

- Eu sou um caso aparte, faço com que a policia e o FBI/CIA, fiquem fora dos pés delas.

- Você é uma distração!? E que bela distração.

- Sim, eu sou. Mas isso não importa, vai aceitar ou não? 

- Aceito. Mas minha condições é; uma casa ou apartamento confortável, quero que minha amiga Lucy esteja comigo, irei continuar fazer meus roubos ainda e ninguém, ninguém vai mandar em mim. Não quero receber regras!

- Você vai ter uma opção, morar num dos meus apartamentos que tenho pela cidade. Isso é só.

- Espero que seja grande.

- É maior que a cela da prisão.

- Como ira fazer com que eu vá pra sua casa sem que eles embacem? 

- Irei dizer  que pagaram sua fiança.

 

Depois de uma burocracia enorme, conseguimos sair da cadeia. Minha bolsa estava de volta, em meu celular, Lucy perguntava aonde eu estava desesperadamente. Camila me levou até o carro dela enquanto eu digitava rindo em meu celular, ela começou a procurar as chaves em seu bolso e claro, estavam comigo.

 

- Lauren. - Ela me chamou a atenção -

- Há sim. - Peguei as chaves e a entreguei -:- Foi mal, foi o calor do momento -

- 1 regra; nada de truques. - Entramos no carro -

- Pô, mas ai não tem graça!

- Quer graça? Vai pro circo. - Disse ela ligando o carro -

- Ta bom. - Abri a porta do carro -

- Lauren, volte!!! - Ordenou ela firme -

 

Voltei em silêncio. sentei no banco e fiquei no celular, quieta, cabeça baixa.


Notas Finais


Twitter: @fwckizzy
Facebook: facebook.com/bellygaby


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...