História The Eye - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui
Exibições 20
Palavras 1.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ficou bem sem sentido e bem curto :(

Capítulo 3 - O Teletransporte


- Chegamos. - Disse ela desligando o carro -

 

Saímos do carro e logo me deparo com a frente do Aeroporto Internacional de L.A, olhei pra ela sem entender.

 

- O que estamos fazendo aqui?

- Iremos dar uma pequena volta. Vamos para Paris!

- Paris? Fazer o que lá?

- Recebi um e-mail, temos trabalho há fazer.

- Qual? - Perguntei -

 

Entramos no aeroporto sem nenhuma bagagem, era estranho pois todos os seguranças nos olhavam como se fossemos terroristas com explosivos em nosso corpo. Ao chegar para comprar nossas passagens, dois guardas nos pararam.

 

- Senhoras, poderiam nos acompanhar?

- De novo não... - Resmunguei -

- Esta tudo bem meninos. - Camila tirou suas carteira, mostrando que trabalha no FBI -

- Desculpe, Sra Estrabão, mas temos ordem de levar essa moça conosco!

- Ela esta comigo, estou encarregada de levar ela para uma prisão máxima.

- Tudo bem...  Algeme ela pelo menos. - Disseram -

- Ela já está! - Disse ela jogando as algemas em meus punhos -

- Mas... - Sem entender, não contestarão, eles foram embora -

 

Fiquei em silêncio enquanto ela comprava, fiquei olhando de uma lado para apenas olhando as pessoas ali. Novamente soltei as algemas, cruzei os braços e a encarei enquanto ela comprava as coisas. Nesse tempo, fiquei a encarando. Era fácil decifrar ela, pelo visto era bastante vaidosa e sua vida resumia em; Procurar macho, e prender macho, um ciclo vicioso sem sexo. O corpo dela parecia ter sido cuidado e esculpido por Deus. Ombros pequenos, cintura mediana, busto que dava pro gasto, bumbum... era aquele que te fazia fica sem folego... Voltando sobre ela, parecia ter uma vida limitada entre trabalho e casa, casa trabalho. Ser um dos 4 cavalheiros deveria ser a unica diversão dela, vivia para o trabalho e se relacionava bem pouco com homens.

Assim que ela terminou de comprar a passagem, ela viu meus braços sem as algemas, puxou novamente meus pulsos para me prender.

 

- Eu sei que você não gosta, mas estou fazendo o que deve ser feito para eles não te levarem embora. - Ela colocou as algemas -

- Se me permite perguntar, quantos anos tem? - Perguntei como uma criancinha -

- Vamos andando... - Ela me puxou -

- Me responde, olha, eu tenho 20. - Sorri -:- A senhora deve ter uns 25, certo?

- 19. - Respondeu ela. Sem eu acreditar, contestei -

- 19? Sério? Mas... Sério?

- Algum problema?

 

Caminhamos até o lugar de fazer o check in.

 

- Não senhora, quer dizer... Como posso te chamar?

- Camila.

- Okay Camila. Como chegou nesse posto assim, tão cedo?

- No avião nós conversamos.

 

Logo após fazer o check in, fomos revistadas antes de entrar no avião, nesse mesmo tempo vi que ela colocou uma aliança junto as coisas que não podiam passar no detector, olhei para a cara dela sem entender e rindo. Logo depois de passar na revista, ela colocou as algemas novamente e começou a me puxar pela corrente da mesma, até entrar no avião. (Rápido né? Vocês nem imaginam como é fácil pra eles pegarem aviões) 

Caminhando até a plataforma para o avião, o celular dela toca, ela para e me olha. Logo depois ela desliga o celular e diz:

 

- Sua amiga, Lucy, está no mesmo avião que nós.

- Como assim? - Perguntei sem entender -

- Vamos entrar.

 

Ao entrar no avião, já me deparo com Lucy sentada no fundo olhando pela janela, fiquei encarando ela até perceber minha presença ali. Depois de uns 7 passos ela me olha, se afunda na poltrona tentando se esconder, Camila me manda sentar enquanto ela ia em direção a Lucy.

Não acredito que Lucy esta fugindo do País sem ao menos tentar me ajudar, ou sei lá, me avisar antes. Que vadia. Eu não acredito que ela pegou todo o dinheiro que EU roubei e pretendia fugir sem que eu soubesse de nada.

Logo depois, Camila se senta ao meu lado e respirou fundo.

 

- Sua amiga parece ter te traído!

- Como assim?

- Você não sabia? Ela te traiu.

- Não estou entendo.

- Vocês não trabalhavam juntas... Ela estava trabalhando para outra pessoa, todo o dinheiro que vocês roubavam, ela dava para o chefe dela.

- Quem é o chefe dela?

- Isso que vamos descobrir. - Ela abriu a mesa atrás da poltrona -:- Existe uma ligação de todos os traficantes e chefes de quadrinha no mundo todo. - Ela começou a tirar diversos documentos da sua bolsa, mostrando cada um deles -:- Esse aqui é o suspeito que você e os cavalheiros irão tentar encontrar.- Ela me deu um dos documentos -

- Será que você... pode me soltar? - Perguntei segurando-os -

- Você não consegue?

- Dei mal jeito no pulso.- Fiz cara de dó -

Ela puxou meu pulso eme soltou -:- Agora preste atenção, esse cara é complicado, chegar perto dela é uma questão de vida ou morte.

- E vocês vão me colocar com ele? - Perguntei indignada -

- Posso terminar? - Ela me encarou -:- Obrigada. Ele ira parecer no show dos cavaleiros, e vai ser ali que você vai entrar em ação. Enquanto ele se distrai com as meninas, você ira tentar arrancar todas as armas dele, tudo que possa nos atrapalhar. Depois disso, iremos dar um jeito de acabar com ele.

- E se eu não conseguir?

- Você consegue. Eu te estudei antes de te prender. Não é só você que sabe ler as pessoas só de observa-las.

- Então me fala, o que descobriu de mim.

- Obviamente tens 20 anos, seu nome completo é Lauren Michelle Morgado Jauregui. Trabalhou no circo até seus 12 anos depois da morte de seu pai, começou a viver nas costas do roubo graças aos seu dotes de magica. Não sabe nada da sua mãe, sua unica família era Lucy, que desde pequena te ajudou. Você vivia num apartamento velho no centro da cidade, o qual estava já prestes a ser despejar pois, mesmo você roubando, não pagava as contas nem o aluguel. Acho que é isso.

- Parabéns, acertou bastante coisa. Agora me diga, como conseguiu entrar nesse ramo com apenas 19 anos? Ou melhor, chegou nesse auge da carreira tão nova.

- Meu pai era chefe, tinha o mesmo cargo que eu tenho, assim que terminei a escola com 17 anos, comecei a trabalhar na policia como estagiaria para pagar minha faculdade, até que quando fiz 18 anos, descobri o assassino de Lolly Jones, desde então, fui tomando a frente de diversos casos. No mês 6, fui promovida a esse cargo, tomando o lugar de meu pai que está doente,

- É casada?

- Não.

- E a aliança que tinha tirado do bolso?

- Era de um namoro recente que terminei. Esse trabalho não permite que você ame alguém.

- Porque? - Perguntei curiosa -

- Ao mesmo tempo que você trabalha numa da maiores agencias intencional, você se torna uma pessoa que observa cada minimo detalhe. Foi assim que descobri que estava sendo traída a quase 1 ano e meio.

- Porque não deu um tiro nele? - Brinquei, fiz ela rir -

- Não resolvo as coisas dessa forma, fui adulta e apenas terminei. Além de que, eu o entendo. Não parava em casa, e muito menos conseguia dar atenção a ele. Homens são carentes.

- Não, se o cara te ama, ele vai te esperar até dar 3 horas da manhã, pra você chegar e te dar todo o amor que ele tem guardado.

- Vamos voltar pro que interessa. Quando chegarmos a Paris, iremos direto para o seu treinamento.

- Enquanto Lucy? O que iremos fazer com a vadia?

- Deixe ela, esqueça, temos coisas mais importantes.

 

Acabei pegando no sono por causa da viagem, ao acordar, vejo Camila deitada sobre meu ombro. Parecia uma criança dormindo. A aeromoça passou e nos entregou uma coberta pequena, joguei em cima de nós duas, ela se encolheu ainda mais em mim. Abri a janela e vi que já estava amanhecendo, o sol estava se levantando no horizonte enquanto o escuro dominava em cima. Era uma visão magnifica no céu, e minha cabeço só estava ali, na imensidão do mesmo.

Alguns minutos depois eu vejo Lucy ao nosso lado me chamando.

 

- O que você quer? - Perguntei sussurrando -

- Preciso falar com você...

- Não posso sair, irei acordar ela! - Olhei Camila -

- De um jeito, preciso falar com você.

 

Lucy saiu andando até o banheiro, inclinei o banco de Camila e a deitei sem fazer muito esforço para não acorda-la. Fui caminhando até o banheiro, Lucy me puxa pra dentro e nos tranca. Uma encara a outra sem nenhuma das dizer nada, até que decido cortar o silêncio.

 

- Anda, comece a falar.

- Desculpe.

- Não quero suas desculpas. VOCÊ ME TRAIU!!!

- Não grite.

- Como não gritar? Você me traiu. - A empurrei pelo ombro -

- Eu fiz isso por nós!

- Custava me falar?

- Eu não podia, eles iriam me matar!

- Eu nunca, nunca mais na minha vida quero te ver novamente! - Fui em direção a porta -

- Não. - Ela me puxou em direção a ela -:- Eu preciso de você!

- Você nunca precisou. - Me soltei de sua mão -:- Só me fala uma coisa, a quanto tempo você esta nisso?

- 3 anos... - Ela abaixou a cabeça -

- Nunca mais, olhe na minha cara. NUNCA!

- Eu te amo!!!

 

Aquelas palavras me gelaram, parei por um minuto, respirei profundamente.

 

- Você nunca me amou!

- Lauren... - Clamou ela -

- Nos vemos no inferno, Lucy. - Abri a porta do banheiro e sai -

 

Assim que sai, dei de cara com uma das aeromoças, perguntei se Camila já havia acordado. A mesma disse que não. Pedi para que ela levasse algum café da manhã que tenha no avião para nós. Caminhei em direção ao meu lugar e suavemente me sentei ao lado de Camila, que ainda dormia. Olhei para trás e vi Lucy saindo do banheiro em prantos, mas mantive a calma, e a ignorei. Arrumei a coberta sobre Camila que estava caindo e reclinei minha poltrona para ficar igual ao dela, ela novamente se deitou em meu ombro.

Alguns minutos depois, a moço aparece com uma bandeja de café e algumas coisas para comermos, abri a mesa e coloquei-o em cima. Olhei para Camila e fiquei com dó de acorda-la, parecia dormir tão profundamente... mas a acordei.

 

- Camila? Acorda... - A balancei -

- Já falou com Lucy? - Disse ela abrindo os olhos e se espreguiçando -

- Como... já!

- Ótimo. - Ela levantou a poltrona e observou a bandeja -:- Não sabia que eles davam café da manhã assim no avião...

- Pedi para que a moça fizesse para nós. - Sorri -:- E também, estou com bastante fome, não como a dias.

- Pois pode comer, não estou com fome.

- Tome um café pelo menos. - Ofereci -

 

Após terminarmos de comer, o piloto avisa que em dentro de algumas horas iriamos chegar em Paris. A aeromoça tirou a bandeja e mandou nós colocarmos o cinto. O avião começou a descer cada vez mais, mas a cada metro descido, mais um frio na barriga me dava, segurava o braço da poltrona tão forte que as veias de minha mão saltavam. Não que eu tivesse medo de altura, avião, nada disso, mas nunca viajei de avião, ou melhor, nunca se quer cheguei perto de ir. Na ida foi maravilhoso, ao ficar conversando, acabou me fazendo esquecer que estava num avião, mas ao lembrar... eu fiquei parecendo uma criança.


Notas Finais


Twitter: @fwckizzy
Facebook: facebook.com/bellygaby


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...