História THE FAMILY SEASON 1 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Exibições 1
Palavras 1.504
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Parada na encruzilhada!


The Family

Temporada 1 – Episódio 2

Parada na encruzilhada!

Personagens nesse episódio:

 Mateus

 Rafael

 Rafaela

 Silmara

 Anton

 Alícia

 Jéssica

 Juscelino

 Ruberval

 Silvinha

 Raquel

É a manhã seguinte ao telefonema. Mateus, Rafael, Rafaela e Silmara se preparam para pegar estrada rumo à João Pessoa. Quando entram no carro, Ruberval entrega um pequeno embrulho de tecido roxo para Silmara, e diz para abrirem apenas em caso de emergência extrema. Silmara consente com a cabeça e olha pra Mateus, que está no banco do motorista, e com um breve adeus, saem da garagem subterrânea da casa em Guarabira.

Ruberval olha para esposa ao seu lado e diz:

- Uma vidente entrou em contato comigo através de um sonho esta noite. Os meninos vão encontrar algo muito importante na estrada, mas não me disse o que é. Espero que não seja algo ruim.

Quando estão próximos a Café do Vento, um bar conhecido por ser ponto de encontro de seres sobrenaturais e caçadores, e percebem que algo está diferente. Apesar de serem jovens, já frequentavam o lugar desde a infância, portanto o conheciam bem.

Esse bar era famoso entre os conhecedores do submundo por estar localizado em cima de um portal para uma das ilhas mais mal assombradas do mundo, a Ilha Vataporak*. Lá se podia fazer feitiços, pactos, invocar fantasmas, mas sempre com uma consequência, por isso também era o local de inúmeros desaparecimentos. A polícia já tentou fechar as portas várias vezes, mas nunca conseguiu por falta de provas. Era lá em que poderia se encontrar qualquer ajuda que precisasse, sendo ela deste mundo ou não.

Quando chegaram mais perto, viram um homem gravemente ferido e muito assustado. Mateus logo estacionou o carro e todos desceram para ajuda-lo. Ele disse que seu nome era Anton, e seus cabelos levemente grisalhos diziam que tinha por volta de seus quarenta anos, também carregava no pescoço uma bela joia de cor azul que indicava que era um bruxo da Ordem. Rafael levantou desconhecido e o levou para dentro do bar, onde se sentaram em uma das mesas mais afastadas da multidão que sempre rodeava o balcão principal. O homem disse que foi atacado por vampiros – coisa normal por aquelas bandas da estrada -, mas estava ali por um motivo: estava procurando um bruxo em ascensão. Apenas esse bruxo poderia enfrentar a ameaça que está por vir. Foi quando ele repetiu o que a criatura que encontraram na noite anterior já havia dito:

- “Preparem-se para a fúria do Mestre”, eles me disseram e depois saíram correndo e gritando para todos ouvirem. Fiquei muito assustado, pois nunca tinha ouvido nada igualmente ameaçador. Algo grande está por vir, meus jovens. Tenham cuidado.

Eles se entreolham e decidem que vão investigar mais sobre o caso. Se levantam e saem do estabelecimento junto com Anton, que promete leva-los até o local onde viu um grupo de vampiros antes de ser atacado.

A campainha toca enquanto o noticiário está mostrando os desaparecimentos misteriosos na cidade de João Pessoa. Jéssica sai do sofá em que estava com seu marido Juscelino e sua filha Alícia e vai em direção a porta, quando escuta batidas fortes na porta e fica um pouco assustada. Quando abre, uma mulher encapuzada e muito molhada por causa da chuva vai entrando com tudo e diz que está ali para ver Alícia. Jéssica corre e a mulher a empurra contra a porta e Jéssica cai e machuca o braço. Juscelino levanta e esconde a filha de baixo da mesa, pega a adaga que fica embaixo em uma das almofadas que ficam no sofá. Parte pra cima da mulher misteriosa e a golpeia, mas não acerta. A mulher grita e ele cai desmaiado no chão. Indo em direção à mesa, a inimiga é surpreendida por Jéssica com um golpe quase fatal e cai no chão com um sério sangramento, quando diz com um sorriso diabólico cheio de sangue na boca:

- Não ache que serei a última a vir atrás dessa criança. O Mestre está com sede de sangue e ela é perfeita para o seu plano maligno! HAHAHAHAHA... Raquel... Guarde esse nome... Vocês ainda me verão.

Juscelino acorda e corre em direção a esposa que está com a filha no colo e as abraçam. E num piscar de olhos a mulher que estava ali deitada some...

Anton pede para Mateus parar o carro em frente a um castelo gótico, localizado a aproximadamente 30 quilômetros floresta adentro. Não há luzes elétricas dentro, há apenas luzes flamejantes, o que indica que a casa é iluminada por velas ou uma lareira. Os 5 descem do carro e preparam as armas e estacas.

Batem na porta e um rapaz alto e esguio os atente. A palidez mórbida de sua pele fria é quase agoniante, apesar de suas olheiras serem assustadoramente escuras, sua beleza ainda chamava a atenção. Com um “boa noite” com um leve tom de curiosidade quase imperceptível, abriu a porta e convidou seus hospedes a entrarem. Rafael entrou na frente, com a mão dentro do bolso da calça jeans escuro, olhou a sua volta procurando passagem para uma escapatória rápida, caso precisassem. Silmara entrou atrás, seguida pelos outros que também estavam preparados para uma luta iminente. O rapaz que os atendeu mostrou uma porta a direita que dava para um grande salão que estava enfeitado com velas vermelhas e pretas, dando um ar fúnebre. Um grupo de três pessoas estava dançando no meio do salão, uma espécie de dança folclórica e muito estranha, o que causou risadinhas abafadas entre Rafaela e Mateus. Havia outros doze vampiros no salão, bebendo sangue em taças de cristal finíssimas e comendo o que parecia serem ratos mortos.

Rafaela perguntou ao rapaz onde estavam os outros, e o jovem respondeu que estavam todos ali. Então, como em um movimento sincronizado, os quatro jovens guerreiros partiram pra cima em um ataque a todos os presentes no salão. Com um único movimento, Silmara matou três lançando flechas de madeira em seus corações. Mateus sacou uma adaga do bolso da calça e cortou a cabeça de uma vampira que estava distraída com uma taça de sangue, e o homem que estava do seu lado morreu em seguida com uma estaca no coração. Rafaela sacou a sua faca magica do interior de sua jaqueta e enfiou no coração de um vampiro baixo e corpulento que estava dançando distraído em um canto, logo depois pegou uma espada e matou outros três com um golpe só. Anton tentou lançar um feitiço no primeiro vampiro, mas foi morto com o pescoço quebrado. Rafael matou três e partiu pra cima do que matou Anton. Mateus manteve o último como refém, o amarrando com uma corda mágica e jogando ele no porta-malas do carro. E voltam para Guarabira.

Raquel está com Juscelino de refém e Jéssica tenta recuperá-lo. Alícia lança um feitiço que faz com que Raquel fique desacordada, dando a chance de sua mãe atacar a bruxa, e ela revela que Alícia está prometida para salvar o mundo. Juscelino se desamarra e vai até Alícia e abraça a filha, pois percebeu que a menina tinha dons especiais.

Com a bruxa agora amarrada, Jéssica liga para os pais Ruberval e Silvinha para virem interroga-la. Porém, depois de horas de interrogação, não consegue tirar nada de Raquel. Então Silvinha usa um feitiço para arrancar algo dela e descobre que o Mestre está tramando algo para vir buscar Alícia muito em breve. E depois de dizer, acaba morrendo intoxicada por quebrar o juramento de guardar o segredo de seu mestre.

Depois de saírem da casa onde enfrentaram os vampiros, avistam duas motos se aproximando. Os motores arrancam e Silmara é sequestrada em um piscar de olhos, e levada para um morro que fica atrás da casa. Mateus corre atrás, mas percebe que não dá tempo de ir a pé e volta para pegar o carro. Todos embarcam e seguem a toda força para o topo do morro com armas nas mãos, e pulam do carro já atacando os dois vampiros que estão na porta, com golpes de estacas longas. Não os matam, mas ferem gravemente. E um deles levantando com o próprio sangue na boca, pergunta onde os outros estão. E Rafaela responde:

- Aqueles vermes? Nós os matamos como se fosse baratas tontas!

E então Mateus e Rafael enfiam as estacas, matando os vampiros de vez. Rafaela entra correndo e pega a Silmara que está amarrada a um tronco, enquanto os rapazes enfrentam os últimos dois vampiros.

Assim que voltam para o carro, eles percebem que Silmara está com uma mordida no pescoço e que logo vai completar a transformação. Então abrem o pacote que Ruberval deu pra eles e jogam um pouco do pozinho magico em cima de ferida, mas a transformação já estava completa e de nada adiantou. Pegam a estrada de volta pra casa e no caminho, Mateus faz um amuleto para ela conseguir ficar no sol.

Eles passam por João Pessoa e Rafael percebe um grupo grande de vampiros em um bar da cidade. E diz: - Parece que vamos ter muito trabalho por aqui.

Fim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...