História The Father Of My Babies {Imagine Kim Taehyung} - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 4
Palavras 2.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, como vão? Eu realmente espero que não tenha ficando ruim, me dêem dicas de tudo que eu posso melhorar e assim trazer uma boa história para vocês❤ Ah, e estou à procura de um(a) capista, quem tiver uma alma caridosa, por favor, entre em contato comigo.

Boa leitura~

Capítulo 1 - Tenho certeza


Fanfic / Fanfiction The Father Of My Babies {Imagine Kim Taehyung} - Capítulo 1 - Tenho certeza

"Dificuldades serão adicionadas, pois nada é perfeito e precisamos lidar com isso"– Myian



Coração acelerado, suspiros insistentes, mão trêmulas… Uma mistura de emoções tomava meu corpo naquele momento. O momento mais esperado dos últimos seis meses. Meu sonho estava se realizando, meu primeiro teste para o tão esperado tratamento de fertilidade.

Sei que é loucura minha mas, meu sonho de ser mãe é tão grande que tenho que tentar fazer esse tratamento. Minhas amigas sempre me recomendaram, só que até seis meses atrás, eu não tinha a quantia necessária para iniciar. E o que eu fiz foi, esperar.

E não, eu não tenho um parceiro, não é problema para engravidar. Sei que estou completamente maluca e que ter um filho sozinha, para algumas pessoas, está fora de cogitação. Mas eu sou diferente, não acho que ser mãe solteira seja lá essas dificuldades. Bom, esse é meu jeito de pensar.

Estava esperando meu nome ser chamado para a minha tão esperada consulta. A sala que eu estava havia vários casais se abraçando, os papais acariciando as barrigas de suas esposas. E claramente eu, estava ali, sozinha. Roendo minhas unhas de ansiedade.

Até que uma enfermeira saiu de uma das salas e chamou meu nome. Me levantei rapidamente e em questão de segundos corri até a porta.

Ao abri-la, me deparei com a médica. Ainda bem que era mulher, não ficaria confortável se fosse um homem.

–S/n, certo?– a médica me encarou. –Sente-se, por favor.–

–Claro…– me aproximei de uma das cadeiras e me sentei, colocando minha bolsa na cadeira ao lado.

–Bom, vou começar com algumas perguntas, tudo bem?– retirou os óculos e os colocou em cima da mesa, cruzando os braços.

–Estou pronta.– dei um sorriso e me ajeitei na cadeira.

–S/n, por quê tomou essa decisão?– ela me encarou.

–Pra falar a verdade, eu tenho um grande sonho de ser mãe. Agora, que tenho uma carreira boa, acho que estou pronta para iniciar minha própria família. – sorri, ao me imaginar segurando um bebê em meus braços.

–Você tem certeza de que quer continuar?– ela continuava me encarando.

–Nunca tive tanta certeza. Mas, porquê está me perguntando isso?– eu estava um pouco confusa com a pergunta.

–É que se você continuar, suas chances de encontrar um parceiro para se casar, fica bem menor. Já que nenhum homem gosta de mulheres com filhos.

–Eu já tenho 26 anos, acha mesmo que irei encontrar alguém? Se fosse eu já teria encontrado, portanto, quero continuar.– fiquei brava com o que ela havia dito, mesmo sabendo que era tudo verdade.

–Tudo bem, agora, vamos as perguntas que serão fundamentais para o seu tratamento. – ela se levantou e caminhou até uma estante onde havia vários livros coloridos.

–Estou ouvindo.– cruzei minhas pernas e continuei a encarando.

–Você tem condições de criar mais de dois filhos? – ela abriu um livro verde e me encarou.

–Acho que sim, mas não é meu plano ter mais de um filho.– falei mesmo estando confusa.

–S/n, entenda. Fazendo esse tratamento, você terá chences de ter gêmeos, trigêmeos, e em alguns casos muito raros, ter quadrigêmeos. Mesmo que as chances sejam pequenas, você correrá esse risco.– sorria para mim.

–Uau, tudo isso?– coloquei a mão na boca e arregalei meus olhos.

–Sim.– deu uma leve gargalhada.

–Se for assim, tenho condições de cuidar de gêmeos. – afirmei

–Próxima pergunta. Você tem preferência quanto ao doador?– voltou a se sentar na cadeira.

–Creio que não. Para mim não irá fazer diferença.– sorri.

–Certo, acho que isso é tudo. Comece uma alimentação saudável e faça exercícios todos os dias. Daqui um mês, volte para a clínica e começaremos sua primeira sessão.–

–Pra quê esperar um mês?– perguntei um pouco triste.

–Precisamos encontrar um doador. Não se preocupe e faça o que eu te pedi, certo?– ela escrevia em um caderno.

–Certo.– disse animada.

–Por hoje é só. – ela me entregou um papel.

–Tchau, doutora.– acenei para a mesma, antes de sair da sala.

Saí um pouco decepcionada por não poder fazer o tratamento hoje mas, eu entendi que precisava de um doador e que isso pode demorar. Então, o que eu fiz foi aceitar e esperar.

Resolvi então passar em um supermercado e comprar frutas, legumes etc. Já que a médica disse que eu teria que ter uma dieta saudável.


(…)


Cheguei em casa e fui direto para a cozinha, guardar tudo que eu havia comprado. Logo depois fui tomar um banho, me despi e entrei no box do banheiro.

A água estava tão quentinha que fiquei longos minutos debaixo do chuveiro, até que meu telefone começou a tocar e não parou mais.

Saí o mais rápido e ainda de toalha, corri até o telefone que estava do lado da estante de livros, na sala.

–Alô… –

S/n?– eu não reconheci a voz, mas parecia ser masculina.

–Quem fala?– perguntei segurando firmemente minha toalha, para a mesma não cair.

É o TaeHyung… Tudo bem?–

–Ah, é você – sorri– Estou bem e você? –

–Eu estou ótimo, bom eu só liguei para avisar que eu estou voltando para a Coréia.

–Oh, sério? Que bom, espero que quando você chegar venha me visitar…– disse andando de um lado para o outro.

–Eu irei… Bom, era só isso. Espero que não tenha ligando em uma hora errada, já que você demorou para atender. – dizia entre os risos.

–Ah, eu acho que não. Só estava no banho.– caminhei até meu quarto ainda com o telefone em mãos.

Me desculpe– ele ria.– Acho que é só isso. Ah, e eu irei chegar quarta feira que vem, então me receba de braços abertos

–Mas é claro– abri a porta do meu guarda-roupa, procurando algo para vestir.

Ok, então. Tchau

–Tchau.– desliguei o telefone e o coloquei em minha escrivaninha.

Peguei de dentro do guarda-roupa, um vestido florido, fui até minha cômoda e peguei uma lingerie preta. Me vesti e sentei em minha cama.

Fazia tempo que eu não conversava com Taehyung, ele havia se mudado para o Canadá e viveu lá por quatro anos. Eramos super amigos, mas perdemos contato e ficamos esses quatro anos sem nos falarmos, foi esses dias que ele conseguiu entrar em contato comigo. Ele disse que eu e ele tínhamos um amigo em comum e que esse amigo havia passado meu número para ele. Fiquei feliz mas, ao mesmo tempo fiquei triste, pois eu tinha uma queda por ele. Nada muito forte, mas mesmo assim eu ficava nervosa quando falava com ele e ficava envergonhada. Acho que ele nunca notou, mas mesmo assim insistia em me chamar para sair e dizia que minha companhia o fazia bem.

Eu comecei a aceitar que gostava dele, mas foi nessa época –época da aceitação– que ele teve que ir para o Canadá. No começo fiquei perdida, mas com o tempo consegui me acostumar e logo, meus sentimentos por ele se foram.

Há uns dias ele me ligou e parece que tudo voltou, tudo mesmo. Meus sentimentos, minha vontade de sair com ele, minha amizade com ele. Tudo.

É lógico que mantive segredo de tudo. Não contei nada para ele, e pretendia deixar tudo como está. É tudo que eu posso fazer, aliás, acho que ele nunca sentiu nada por mim. Por isso, resolvi manter tudo em segredo e manter a nossa "linda amizade".

Depois de muito pensar, me levantei e fui até a cozinha, preparar algo para mim comer. Fritei alguns frangos, fiz uma salada e cozinhei uma pequena porção de arroz integral. Me servi e logo comecei a comer, ali na cozinha mesmo.

Já passava das oito e então resolvi fazer meu trabalho de apresentação, já que amanhã começaria alguns estagiários e eu teria que mostrar como tudo funcionava na empresa.

Eu trabalho como secretária em uma empresa de publicidade, e adoro meu trabalho. Já que não é tão puxado, apesar de ser secretária.

Preparei tudo para o dia seguinte e depois fui dormir.

(…)

Acordei com o despertador tocando, me levantei rapidamente, deixando minha visão um pouco turva. Me estabilizei e ainda com os olhos fechados caminhei lentamente até o banheiro, lavei meu rosto e peguei minha escova de dente. Fiz tudo o que tinha para fazer e logo me despi, entrei no box e tomei um banho rápido, só para acordar. Saí do banheiro e fui em direção ao guarda-roupas, peguei uma saia justa, uma blusa branca com detalhes em dourado e um blazer, coloquei uma sapatilha preta e arrumei meus cabelos.

Não deu tempo de tomar café em casa, mas assim que estava chegando perto da empresa, entrei em uma cafeteria e fiz meu pedido: um café extra forte e um pedaço de bolo. Comi rapidamente e corri para não me atrasar em minha apresentação.

(...)

Logo após o expediente, resolvi passar na casa de Yoona. Ela era minha melhor amiga e ao contrário de mim, já estava casada e tinha dois filhos, Seokjin de 5 anos e Taeyeon de 4. Seu marido era muito amoroso e fazia de tudo para vê-la feliz. Quem me dera encontrar um marido assim.

Estacionei meu carro na calçada de sua casa e logo abri o pequeno portão que dava acesso a um lindo jardim. Caminhei até a porta e apertei a campanhia.

–Já vai…– ouvi Yoona gritar.

Após alguns segundos ela atende:

–S/n… Que bom que está aqui…– ela parecia aliviada ao me ver.

–Ainda bem que eu resolvi aparecer, né? – eu ria

–Mas é claro– riu junto comigo. –Entre!– a mesma deu espaço para mim passar.

–Tá, o que eu terei que fazer?– perguntei enquanto ela me olhava receosa.

–Você pode cuidar da Taeyeon e do Seokjin pra mim?– ela juntou as mãos em sinal de imploro.

–Era pra isso?– gargalhei –Mas é claro, acha mesmo que eu iria negar?– dei um abraço nela.

–Pensei que estivesse muito ocupada.– ela fez bico e caminhou até a escada.

–Não muito. Aliás, cadê as crianças?– perguntei enquanto procurava por eles na sala.

–Estão lá em cima.– dizia subindo a escada.

–E você vai pra onde? Vai sair?– perguntei seguindo-a.

–Eu vou sair com meu amado marido, faz tempo que não temos uma noite só para nós dois, sem ter as crianças grudadas em nossa cama.– ela caminhava até o último quarto do corredor.

–Ah, entendi o que você quis dizer– falei em tom de malícia.

–Mas é claro que entendeu. – ela sorria.– Olha quem chegou– Yoona disse quando abriu a porta entrando no quarto.

–Tia S/n!!!– Taeyeon e Seokjin correram em minha direção, me dando um abraço.

–Ai que abraço apertado. Vocês estão tão lindos, como podem ser tão lindos? Devem ter puxado ao papai, não é mesmo?– eu fazia cócegas nos dois.

–Nossa que engraçado, S/n– Yoona ria irônica.

–Mas é a verdade…– gargalhava.

–Mamãe, a tia S/n vai dormir aqui?– Seokjin encarou sua mãe.

–Pergunte você mesmo. – ela ria.

–Você vai dormir aqui? – Seokjin fez a mesma pergunta.

–Sim, eu vou dormir aqui.– falei em um tom animador.

–Ebaaaa– os dois gritaram e logo me deram um abraço.

–Bom amiga, eu vou me arrumar. Jimin já deve estar me esperando.– me deu um abraço. –Te devo essa, quando precisar, eu estarei aqui.– Yoona saiu do quarto me deixando sozinha com as crianças.

–Quem quer brincar de pirataaa?– fim uma pose engraçada e perguntei assim que ficamos completamente sozinhos.

–Euuu!!!– as crianças gritavam de tanta alegria.

(…)

Já passava das nove quando resolvi colocar as crianças para dormir. Dei banho nos dois, alimentei e subi com os dois para o quarto. Adentramos no lugar e rapidamente coloquei Taeyeon em sua cama e Seokjin na outra:

–Tia S/n…– Taeyeon me chamou com sua voz embargada por causa do sono.

–Sim?– perguntei em um sussurro.

–Você pode dormir comigo? Eu estou com medo.– ela esfregava suas mãozinhas em seus olhos.

–Claro, meu amor.– falei em um tom de voz doce.

Caminhei até Taeyeon e me deitei ao seu lado. Passei meus dedos levemente entre seus cabelos e comecei a fazer carinho nela.

A essas horas, Seokjin já estava dormindo, ele adormece muito rápido e por isso não precisei me deitar com ele. Cantarolei algumas músicas e logo Taeyeon adormeceu. Levantei-me cuidadosamente para não acorda-la e assim que consegui sair completamente da cama. Sei meus lábios em sua pequena testa. Caminhei até

Seokjin e fiz o mesmo. Deixando o quarto.

Passei pelo corredor e adentrei ao quarto de hóspedes. Troquei de roupa e logo me deitei. Antes mesmo de pegar no sono, meu celular toca, era uma mensagem.

Desconhecido: Oi, S/n. É o Taehyung, sei que ai já é tarde mas, resolvi te mandar essa foto. Estou com saudades. [Foto da capa]

Ao ler aquilo e ver aquela foto, sorri. Ele era tão lindo, ainda bem que irei ve-lo em breve.E foi assim que eu adormeci, sorrindo por causa de uma foto.


Notas Finais


Obrigado por ler!! Comentem o que acharam❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...