História The father of my son - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Min Yoongi
Visualizações 76
Palavras 1.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi genty

Capítulo 2 - Aparentemente tudo normal.


Fanfic / Fanfiction The father of my son - Capítulo 2 - Aparentemente tudo normal.

Jimin era uma das crianças mais desprezadas daquele orfanato, e por não ter muitas exigências, demorou três meses para que o meu bebê fosse só meu. Claro, tive que resolver mais coisas por ser solteira. Fala sério? Por que quando somos solteiros não podemos adotar filhos? Mas no final deu tudo certo.

Minha rotina não é uma das melhores. Acordar 05:00 da manhã 'pra trabalhar não é de Deus não, minha gente. Jimin sempre acorda às 09:00, então a babá sempre chega 08:00, – eu espero, foi assim que nós combinamos – no começo eu até perguntava para o porteiro se ela chegava no horário certo, mas uma semana depois, eu já confiava em S/n de olhos fechados.

S/n com certeza foi um anjo que entrou na minha vida. Não só pelo fato de cuidar do meu filho, como por tirar meu irmão, Kim Idiota Taehyung, daquela vida de viado piranha que ele estava. Perdi até a conta de quantas vezes acordei 03:00 da madruga, já xingando Taehyung com todos os xingamentos que eu conhecia, só porque o filho da mãe bebeu e não aguentava andar até sua casa – sim, andar, porque Idiota Taehyung não tem carro – e eu tinha que deixar ele dormir na minha casa. Taehyung é meu irmão, por incrível que pareça. Ele era daqueles que saiam até nos dias de semanas, e no outro dia, faltava no trabalho por não conseguir acordar no horário; até que ele foi despedido, e eu ri da desgraça dele, irresponsável do caramba. Era notável os chupões que Taehyung ganhava logo após alguns amassos com aquelas putas de esquina que só pensam em dar o ânus e nada de futuro. Não que eu tenha algo contra meninas assim, eu não julgo ninguém, mas fala sério, quem sai em dia de semana pra ir em uma festa ao invés de dormir 'pra não perder a hora de levantar e ir pra famosa prisão/escola? As meninas que achavam que precisavam só de meninos para viver. Do que estávamos falando mesmo? Aah, continuando... S/n conseguiu tirar ele daquela vidinha que ele considerava boa, mas que sinceramente, era uma verdadeira bosta.

Era engraçado como TaeTae ficava corado cada vez que a menina sorria para ele – vale ressaltar que ele ainda cora com os sorrisos de sua atual namorada – e nervoso cada vez que ela se aproximava. Triste mesmo era como eu ficava quando estava assistindo Teen Wolf pela terceira vez, e Taehyung me ligava bêbado se lamentando por não conseguir chamar a babá do meu filho para sair. Isso aconteceu durante um mês inteiro, sem deixar NENHUM dia escapar, até que eu, Kim Ajuda Irmão Idiota Somi, fui falar com a minha dongsaeng e perguntar o que ela achava do Taehyung. Ela disse que achava ele fofo e que estava sentindo algo por ele, mas achava que era muito cedo. Contei 'pro Tae e ele ficou puto, dizendo que não estava cedo, estava no tempo perfeito.

Confesso que se eu fosse homem também ficaria nervoso em conversar com S/n, poxa, a menina é linda, gentil, bondosa, fofa, invejinha bate. Não se engane, tá? Eu sou 100% hétero. É como a Lydia, minha amiga falou uma vez: eu sou hétero de Taubaté. Eu sinceramente não sei o que significa, mas deve ser tipo, que eu sou 100% hétero. Ela disse isso quando um menino passou por nós.

— Esse é o Kim Namjoon, hétero de Taubaté. 

Ele tinha cara de hétero, então deve ser hétero.


Falando em Lydia, ela é minha melhor amiga. Brasileira e um ano mais velha que eu, adora memes, ri de tudo, gosta de uma briga, chora por filmes de animais, mais encalhada que eu, só ela. Ela é daquelas amigas que mandam memes brasileiros e depois traduzem, e além de traduzir tem que explicar porque eu não entendo nada do que os olhos redondos falam. Brasileiro é uma coisa que tem que ser estudada.

Última pessoa, e, a menos importante, é o Yun Do-Hyun. Eu não vou dizer que não gosto do Hyun, mas é isso mesmo. Ele é um homem que aparentemente gosta de mim. Vive atrás de mim, chora quando eu falo que não tenho tempo 'pra conversar, um verdadeiro ânus. Se eu disser que uma vez ele pediu pra beijar meu pé, vocês acreditam? Pois é. Ele só não vem em casa, porque eu disse que o Jimin tem vergonha, e começa a chorar com pessoas novas em casa; e ele acreditou, obviamente.




T F O M S


Depois de um trabalho cansativo e com o Dohyun no meu pé, eu estava indo para minha adorada casa. Coloquei uma música Bang Bang Bang do BigBang pra tocar e comecei a cantar o mais alto que eu podia. Qual é? Esse é o meu momento. Ao olhar para frente, vi uma mulher que estava tipo, 50 cm longe do meu carro. Parei meu bebê bruscamente e comecei a xingar a mulher.

— MOÇA, A SENHORA NÃO OLHA POR ONDE ANDA NÃO? — claro que não tinha necessidade de gritar, mas eu sou Kim Somi né meu amor, qualquer oportunidade pra brigar eu estou dentro.

— Você que não olha por onde anda. O sinal estava vermelho.

Meio sem jeito, olho para o sinal, e por incrível que pareça estava verde. – OLHA LÁ, VERDE. V-E-R-D-E.

— Mas não esta... — a desconhecida parou de falar quando escutou o barulho do meu celular quando tira foto. — O que você está fazendo?

— Eu estou tirando foto como prova de que você está na minha frente, no sinal verde. Então, caso eu atropelar a senhora, a única errada vai ser a você. Vou contar até 3 e você sai da minha frente, ok? — Nem precisei contar, a mulher já tinha sumido como mágica.

Depois daquilo, fui para minha casa – prestando atenção dessa vez. – deixei meu carro no estacionamento, cumprimentei o porteiro e subi. S/n estava me esperando e parecia estar desesperada.

— O que foi? — Pergunto enquanto deixo minha bolsa em cima do sofá e me sento no mesmo.

— Hoje é o aniversário de 3 meses de namoro, e eu não sei o que dar para o Taehyung.

— Ok, querida. Sente-se aqui. — Bati no sofá, indicando que era pra ela sentar do meu lado. — Vai dar tudo certo, ok? Acalme-se. Não precisa comprar nada caro, faça algo especial que você sabe que ele vai gostar.

— É, mas...

— Mas nada. Vamos, vá comer algo enquanto eu vou tomar um banho. Espere só cinco minutinhos, olhe ele pra mim , por favor? Só pra ele não cair do sofá. — Sorrio fraco e vou em direção a escada, subindo-a e parando no corredor. Vou ao meu quarto, procuro uma roupa confortável e vou ao banheiro.



T F O M S


— Demorei? — Pergunto ainda com a toalha na cabeça.

— Não. Eu estou indo agora, Somi. Já pensei em algo que possa fazer Taehyung feliz. Muito obrigada, você é a melhor cunhada que alguém poderia ter. — Beijou minha bochecha e saiu quase que como o flash.

Olhei para o sofá e Jimin estava deitado, enquanto olhava para a televisão, assistindo um desenho aleatório. — Oi meu amor. — Me sentei perto dele, de um jeito que eu não atrapalhasse sua visão. Ele olhou pra mim e sorriu, sorriso que fez seus olhos ficarem como dois risquinhos. — O nenê quer mamar? — Ele assentiu e eu me levantei. Quase me arrastei até a cozinha, mas com um pouco de coragem cheguei até lá. Abri a geladeira e, quando fui pegar o leite, puff, acabou. Lá vai Somi andar de novo. Revirei os olhos, fui até a minha bolsa – que ainda estava no sofá – tirando minha carteira de lá. Caminhei lentamente, como se atrás daquela porta, haveria lobisomens e, antes de abrir, olhei para o meu filho. — Mamãe já volta, está bem? Não saia daí, não tente levantar se não você vai cair. Se alguém bater na porta você desliga a televisão, ok? Amo você.

   



T F O M S


Passei pelo porteiro novamente, e infelizmente eles já trocaram. Agora era o Senhor Im; vai por mim, nunca diga um bom dia para ele, que ele já começa a perguntar da sua vida. Passei reto antes que ele começasse a falar de alguma coisa e não parasse mais. Cheguei até meu lar, abri a porta e olhei em volta 'pra ver se Jimin não fez nada. Aparentemente tudo igual. Tirando o fato de que Jimin não estava mais no sofá e que tinha um homem no lugar dele. Ok, normal.

Ah, espera…

Um,

Homem

UM HOMEM?

Desmaiei.


Notas Finais


tchau genty


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...