História The fault is our love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Regra do Jogo, Alexandre Nero, Giovana Antonelli, Salve Jorge
Personagens Alexandre Nero, Atena Torremolinos, Giovana Antonelli, Heloísa "Helô" Sampaio Alencar, Romero Rômulo dos Santos
Tags A Regra Do Jogo, Alexandre Nero, Amor, Drama, Giovanna Antonelli, Revelaçoes, Romance, Salve Jorge
Visualizações 63
Palavras 2.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Preciso de sua ajuda


Depois de se acomodar na cadeira, Giovanna vê Alexandre lhe encarar e decide revidar:

G- Ótima noite – Fala revirando os olhos

N- Eu sou tão má companhia assim? – Cheira-se para discontrair o clima

G- Não vem ao caso, seu.. seu.. seu idiota – Dispara

N- Poderíamos ao menos ter uma paresentação amigável? O que ocorreu na boate não foi porque eu quis, você sabe. – Fala com calmaria

G- Giovanna Antonelli, diretora da Gio Engenhria – Rende-se estendendo a mão comprimentando-o e brincando com a apresentação

N- Alexandre Nero, diretor e advogado da empresa EquipArch – Entra na brincadeira

G- Não acredito que você além de diretor, é advogado da empresa! Como você arca com tudo, cara? – Quer saber, curiosa

N- Tenho dois filiais e os mesmos são meus amigos, dividimos as tarefas da diretoria e arcamos com a despesa e decisão juntos. Mas sempre o pesado eu carrego, claro – Sorrir

G- Óbvio, diretoria não é pra todos. Eu que o diga – Pega a taça e começa saborear o vinho que lhe fora servido outrora – Que delicia, Alexandre! Prova! – Incentiva-o

N- Nossa! Bom mesmo, acho que vou levar umas três garrafas pra casa – Diz saboreando o vinho

G- Exagero, né!? – Olha-o com desdém

N- Um pro Ota, outro pro Joca e um pra mim. Algum problema nisso, mocinha? – Insinua-se

G- Problema nenhum, mocinho – Pisca e entra no clima.

N- Amanhã tem companhia?

G- Por que te responderia? – Desafia-o

N- Porque quero te fazer companhia, ué! Algum problema nisso? – Entra no jogo

G- Tenho que pensar no seu caso. Daqui pro final da janta te respondo.

Seguiram a noite conversando e se conhecendo. Quando se dão conta, só restava os dois no restaurante e logo Giovanna alarma-se e o fuzila

N- O que foi? Falei algo errado? – Se preocupa

G- Só tem nós dois aqui, Alexandre! Vamos para nossos respctivos quartos. – Desespera-se pelo horário

N- Eu te levo, vamos! – Paga a conta e segue Giovanna para deixá-la em seu quarto

G- Chegamos! – Abre a porta em seguida

N- Mas que engraçado, não? – Sorrir

G- O que houve? Estou suja? – Começa a procurar deifeito em si

N- O meu quarto é ao lado do seu – Comemora

G- Não acredito, Alexandre – Abaixa a cabeça nervosa com os olhares atentos que Nero lhe dá

N- E ai? Vamos juntos para continuação da reunião amanhã? O que acha? – Fuzila-a com o olhar

G- Você está tentando me seduzir? – Sente suas mãos apertarem sua cintura

N- Você está sendo seduzida? – Vê ela morder os lábios

G- Alexandre... – Afasta-se

N- Vamos? – Escora-se na quina da entrada do seu quarto

G- Vamos juntos, sem atrasos – Alerta-o

N- Horas? – Fuzila-a

G- Horas? Hum... é... oito! Oito horas – Atrapalha-se sentindo o corpo fervilha com as fuziladas que Nero lhe dá

N- Ótimo! Passo aqui. – Se despedem com um aperto de mão e seguem para seus quartos

Depois de tomar um banho demorado, Amora liga para Giovanna que de imediato atende a a ligação da amiga

-Oi Amora – Diz animada

-Como foi a reunião? – Quer saber

- Amora, foi uma reunião tão boa para empresa, você não sabe o quanto.

-Já arrumou algum gato por ai?

-Você acredita que aquele bofe da balada é diretor de uma empresa de arquitetura? E que também é uma das melhores.

-Mentira, claro! – Ironiza

-Sério, Amora! Jantamos juntos hoje – Diz rápido

-Me conte tudo! – Fala rindo

-Não aconteceu nada. Aliás, hoje foi a noite do vinho, então, não podíamos escolher as mesas. Não tive escolhas, ou ficaria com fome. Eles não servem jantar no quarto quando tem esse evento no hotel. No começo eu não gostei, mas depois... A regra era que quem chegasse, sentava numa mesa vaga. Ganhamos uma  migalha e, segundo o garçom, ela dá sorte no amor. Disse também que depois da noite do vinho, sairam muitos casais desse restaurante. – Fala intusiasmada

-Quem sabe você não saia mesmo! Está na hora de se enrolar com um macho fuderoso – Sorri

-Eu não preciso de ninguém, Amora. Estou feliz sozinha – Tenta convencer-se

-Eu sei que você anda meio tristinha e se ocupa com a empresa para esquecer disso. Você acha que não lhe conheço? – Pergunta

- Eu estou bem, Amora! Amanhã vou com ele para a reunião de manhã. Não sabemos se é a última, veremos amanhã. – Muda de assunto

-Espero que não seja a última e vocês se conheçam melhor. A boate não foi um bom lugar para se conhecerem. Ele é um gato, mana. – Anima-se

-Quero voltar o mais rápido possível – Deixa claro – Tenho reuniões na segunda pela tarde. Sim, e a reunião da filial? Já marcou? – Quer saber

-Sim, é exatamente ela que é pela tarde. A segunda reunião da tarde, melhor dizendo. A filial é ótima e nos ajudará bastante também. Apesar que não precisamos. Mas como vamos abrir dois anexos, sugiro que, pelo menos, tenhamos uma filial. – Exorta-a

-Tudo bem, veremos isso na segunda. – Fala se despedindo

-Ta certo! Curta por ai, e não deixa o macho passar! SEGURA A MIGALHA – Grita do outro lado da  linha

- Amora! – Sorrir

-Tchau amor – Despede-se

-Beijos, te amo – Desliga

Após desligar, Giovanna fica pensando no que Amora acabara de lhe dizer e liga a TV para assistir algum programa, estava sem sono. De repente, ouve alguém batendo na porta e segue para atender.

Olha pelo visor da porta e de imediato vai pegar o roupão para pôr por cima da sua camisola. Depois de feito, Giovanna vai abrir a porta para atendê-lo

G- Ah, oi! – Atrapalha-se

N- É... vim te convidar pra irmos dar uma volta lá em baixo. Dizem que tem uma ótima vista para conversar. E veja, está ótimo lá fora, vamos? – Estende as mãos

G- Alexandre, olha como estou, roupa de dormir – Sorri

N- Sim? Todos estão! Dá uma olhadinha pela janela – Incentiva-a

G- É verdade! Está parecendo uma festa do pijama – Gargalha

N- Deixa disso, vamos – A puxa pela mão e seguem para o elevador

G- Temos que subir cedo viu,amanhã temos reunião. – Alarma-o

N- Não se preocupe. Às duas horas subiremos – Pega pela mão dela e entram no elevador

G- Duas horas, Alexandre? – Fala confusa pelo ato

N- Me chama de Nero. Como quer que eu te chame? – Pergunta a olhando com serenidade

G- Gio. Me chame de Gio, Nero – Sorri envergonhada

N- Você está linda hoje – A faz girar

G- Nero! – Bate nos ombros dele

N- Já estou vendo que temos que nos conhecer melhor – Fala enquanto passa as mão por onde ela bateu

G- Ah, doeu assim? – Ironiza

N- Sou homem, Gio. HOMEM – Infatiza

G- Bom saber – Sorrir

N- Vamos! – Pega em suas mãos e a conduz até um lugar reservado para conversarem

Depois de andarem um pouco, Nero avista uma rede vazia e a leva até ela para se acomodarem

N- Eu acho que aqui está ótimo, o que acha? – Quer saber

G- Pra mim está ótimo. É tudo que preciso. – Se joga na rede, deitando e não dando espaço para ele

N- Oh, Gio! – Gargalha – Eu fico onde? – Pergunta a observando

G- Fica ai me olhando, seu bobo – Sorrri, e logo levanta

N- Agora melhorou – Senta-se ao lado dela

G- Mas, eai? Como vai a vida? – Quer saber

N- Minha vida não é nada fácil. Vou te contar um pedaço...

Conversa vai, conversa vem e logo Giovanna está mais que empolgada na conversa e logo entram numa conversa íntima

N- Você está solteira?

G- Claro, e você? – Diz com desdém

N- Mesma condição que a sua – Gosta de saber

G- Deveríamos subir? – O olha de relance

N- Você quer entrar? Sabe a hora? – Pergunta

G- Não! Vamos perguntar a primeira pessoa que passar – Sugere

N- Ei – Chama a atenção de uma moça que passa

P- Olá, me chamo Patricia – Se apresenta

G- Olá, Patrícia! – Comprimenta-a – Me chamo Giovanna – Apresenta-se – Eu e o Nero gostaríamos de saber a hora

P- Sabe as regras das perguntas durante à noite do vinho?

N-G- Não! – Falam juntos

P- Então, fazer perguntas alternativas a qualquer pessoa que não seja seu par pela noite você terá que responder três perguntas, topa? – Anima-se

G-N- Claro – Se entreolham

P- Giovanna, o que achou do seu par hoje? E você, Nero?

G- Ele até que é sociável, uma ótima pessoa! – Fala ironizando

N- Eu achei ela muito marrenta no começo, tive que ser paciente. Olha onde estamos – Mostra os dois sentados na rede

P- Ótimo – Sorri dos dois – Agora, dois elogios

N- Hum... –Diz coçando a cabeça – Ela tem tantas coisas a serem elogiadas – Dia a olhando com carinho – É, ela é muito linda a princípio. Gosto do sorriso dela e de como reage quando está com vergonha – Arranca um sorriso largo dela

G- Ele é muito cheiroso – Diz olhando para ele – Não diria que ele é lindo, já vi melhores – Fala brincando – Ele é atencioso, e isso basta – O encara

N- Jogo sujo, Gio – A olha rindo

P- A última – Anuncia fazendo suspense- Se beijariam hoje?

G- Não sei – Giovanna o olha com vergonha

N- Não forçarei a fazer o que ela não quiser. Se estivermos no clima, quem sabe – Fala acariciando suas pernas

P- São 02:15 da madrugada, boa sorte

G- Subir, já! – Alarma-se pelo horário e se levanta de súbito

N- Calma – A puxa pelo braço a fazendo cair sobre seu colo

G- Nero! – Sorrir envergonhada

N- Tá, vamos subir – Levanta-se junto com ela

Durante a entrada no elevador, Nero e Giovanna se entreolham. Envergonhada, pede para ele:

G- Para de me olhar assim – Cochicha para Nero, de modo que o  restante do povo não escute

N- Como parar? – Gesticula com  a boca

G- Nero... – Baixa o olhar

N- Vamos! – Pega-a pela mão e segue com ela para frente do quarto

G- Você não merece um beijo, sabia? – Fala quando sente as mão dele sobre a sua cintura

N- Por que não? – Fala cheirando seu pescoço

G- Humm.. – Sente o corpo se arrepiar com o toque

N- Você está tão cheirosa – Fala enquanto sobre a boca até encontrar a de Giovanna

G- Eu já disse que você estava cheiroso hoje – Diz enquanto fecha os olhos ao sentir sua boca próxima a dele

N- Disse sim, mas não disse com gosto – Sente a respiração ofegante de Giovanna

G- Você disse que não faria nada comigo se eu não quisesse, se demorar, vou recusar esse beijo - Depois de dita essas palavras, Nero começa o beijo com calmaria sentindo seu gosto. Quando o beijo vai se intensificando, a língua de Nero vai pedindo espaço que logo em seguida Giovanna dá o espaço suficiente para que suas línguas dancem freneticamente sobre suas bocas. Já sem ar, Giovanna encerra o beijo com selinhos enquanto Nero o finaliza puxando seu lábio inferior para si

G- Você está muito cheiroso hoje – O cheira no pescoço fazendo-o fechar os olhos com o toque – Boa noite – Vê o quanto o seu toque mexe com ele e festeja por isso

N- Boa noite! – Dá um selinho nela e sai

G- Oito horas amanhã – Lembra-o

N- Como esquecer? – Diz fuzilando-a

Giovanna entra no seu quarto ainda sentindo o gosto de Nero em sua boca. Convencendo-se de que não passaria de um simples beijo do qual mexeu muito com ela

Nero ao entrar no quarto percebe o quanto Giovanna mexe com ele e logo em seguida toma um banho gelado para acalmar os nervos e segue para cama.

No dia seguinte, Nero se arruma e vai ao encontro de Giovanna. Chegando na porta do seu quarto, Nero dá duas batidas e Giovanna de prontidão, responde:

G- JÁ VAI – Grita

N- PELO MENOS ABRE – Responde

Giovanna apressa-se em vestir o vestido social preto que usaria para a reunião, mas sente dificuldade para fechar o zíper. Sem pensar, Giovanna abre a porta

G- Entra – Dá espaço

N- Que demora! – Impacienta-se

G- Preciso de sua ajuda – Vira-se para que ele veja o zíper aberto. Nero de imediato fica boquiaberto com a imagem que lhe é proporcionada. Vê o quanto ela é linda e observa bem as curvas do seu corpo, sente o corpo esquentar, mas não exita e vai ao encontro de Giovanna que o sente pegar na sua cintura...


Notas Finais


Será que irá acontecer um Hot?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...