História The Flowers of Death - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Bellatrix Lestrange, Lílian Evans, Pedro Pettigrew, Personagens Originais, Regulus Black, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter, Vincent Crabbe
Tags Ação, Harry Potter, Romance, Sirius Black
Visualizações 14
Palavras 1.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Hentai, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido capítulo extra em homenagem ao pessoal do Enem.
Sorte nessa fase nova!

Capítulo 12 - Capítulo Doze


Segurou minha cabeça entre suas mãos e aproximou nossos rostos lentamente. Colando a testa, como se pedindo permissão, beijou-me.

Primeiro um leve encostar de lábios e depois sua língua pediu passagem para explorar minha boca. Seu hálito com sabor de chocolate e baunilha tomou conta de mim despertando os maiores sentimentos no meu interior. As borboletas do meu estômago estão livres e circulando por todo o meu corpo causando as mais loucas sensações. Minha mente parecia anestesiada pois todos os problemas haviam evaporado dela e apenas Sirius estava tomando conta dela, meu corpo estava entregue ao seu abraço que me prendia de forma gentil e firme ao seu, um arrepio desceu forte pela minha espinha e um calor protetor se instaurou por todo meu corpo e quando o ar faltou e nos separamos ele segurou minha mão beijou-a e olhou para mim. Seus olhos estavam brilhando e havia felicidade neles; então porque tudo isso parece uma despedida?

Por fim ele soltou-me e foi embora. Juntou com ele as sensações foram também. As borboletas aquietaram-se, os batimentos se acalmaram, o calor se foi dando lugar a leve frieza, e o arrepio recolheu-se. No entanto seu cheiro estava impregnado em mim. No meu corpo gravado como sendo aquele o dono das sensações, na minha boca como aquele que a faz delirar e na minha mente como lembrete que aquela cena não era imaginação minha, tão pouco um sonho.

Ainda que eu tivesse ido aos céus com aquele beijo, minha mente me irritava com um questionamento, o que aquele beijo significava ? Como nós ficaríamos. Estava claro para mim que eu gostava de Sírius mais do que eu imaginava, talvez não o amasse, mas sentia esse fruto em mim, sentia a força que ele tinha sobre mim. Entretanto, Sirius ainda continha seus defeitos e que agora, depois desse beijo, rodeavam minha minha mente, ele continuava mulherengo e teimoso como sempre. As vezes que ele brincava com as garotas e os comentários rodeavam minha mente e se faziam presente em meus ouvidos, como se todas elas apontassem para meu lado e contam se suas mágoas com Sirius. Além disso havia sua família que sem dúvidas nenhuma não me aceitaria e deixaria Sirius em maus lençóis. Afinal, ele ainda era um Black.

Entrei em casa com a confusão rodando minha mente e fui direto para meu quarto.

As coisas que Lúcio falou me atingiram também eu só não deixaria que eles vissem isso. Não sou boa para um Black. Mais lágrimas silenciosas e teimosas desceram, aquilo não era verdade, é óbvio, mas ainda assim isso me atingiu. Deitei na minha cama com tudo confundindo minha mente a cena do beijo rodeando meus sentidos. O que eu faria afinal ?

Eu não sei… pensei confusa.



 

〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰

 

[Sirius on]

 

Eu acho bom que Tiago já tivesse chegado porque eu não iria voltar essa noite para casa. Nem esse final de semana.

Bati na porta e logo a Sra. Potter me atendeu.

— Sra. Potter, boa tarde — disse gentil

Ela sorriu e abriu a porta para que eu entrasse.

— Tiago está lá em cima, fique à vontade Sirius — disse sorridente.

Agradeci e subi até seu quarto. Abri a porta e vi ele escrevendo uma carta na sua mesa.

Nem se deu ao trabalho de virar e deu um sorriso.

Deitei na sua cama e falei provocando.

— Deixe eu adivinhar.. hmmm, Lilian ? — disse rindo.

Ele me olhou e pegou sua varinha, desviei rindo da sua cara carrancuda. Enquanto esperava ele terminar sua carta minha mente finalmente voou até Liana, a sua face, seu jeito, o seu beijo. Seu corpo no meu parecia tão pequeno e tão indefeso, no entanto sua presença era tão forte e enchia o ambiente de tal forma que ela se tornava enorme. Aquele beijo foi totalmente impulsivo, eu e Liana nunca poderíamos sentir o que sentimos um pelo outro, não é justo com ela isso. Toda mágoa e decepção comigo, a luta que seria com minha família, além de todos os meus problemas… eu sei que não sou perfeito e a minha fama de ser galanteador de meninas indefesas estava formada; não que fosse mentira, eu realmente era assim, mas com Lia era diferente. Tudo era diferente, eu só não sabia se ela acreditasse nisso.

Passei a mão pelos meus cachos frustrado. Eu nunca fui assim, que diabos, antes o que meus pais pensam ou deixam de pensar de mim não era exatamente um problema. Mas se Lia e eu.. e meus pais sequer desconfiarem, nem sei o que o que podem fazer. Além de atormentar a minha vida e a dela… Céus, eu não podia estar gostando de Lia… não podia. Porque ela ? Por Merlim poderia ser qualquer uma pura para causar menos problema e então porque ela?

— Parece ser sério pela sua cara de frustração — disse Tiago olhando para mim.

— Quer mesmo saber? — perguntei.

— Depende, se eu disse que não você vai me forçar a ouvir ? — perguntou irônico.

Olhei para ele com uma sobrancelha em deboche.

— Diz logo… — se convenceu.

— Eu e Liana nos beijamos — soltei.

Ele parou e olhou fixamente para mim como se não acreditasse no que estava ouvindo.

— Repete, acho que não ouvi bem — disse com a face enraivecida. — sério que você beijou nossa amiga Sirius — disse.

Suspirei pesado. Ele achava que eu estava brincando como ela. E quem não acharia… Aposto que Lia achava.

— E Lúcio, Bella e Ciça chegaram bem na hora do quase beijo e, obviamente, conseguiram a confusão que queriam — expliquei.

Ele olhou para mim confuso e fez uma face de interrogação como se não entendesse mais nada.

— Vou explicar do início.


 

Expliquei tudo sem me aprofundar no que conversamos ou no que senti quando a beijei. Na verdade, na hora eu não pensei muito e apenas fui e me deixei levar por tudo, e por todos os meus sentimentos presos. Quando terminei ele olhou para mim duvidoso e suspirou pesado.

 

— Você não parece está brincando com ela… — disse.

— E não estou, eu gosto de Liana de uma forma nova. Lembra quando você me falou que você e Lilian se beijaram ? E eu perguntei o que você sentia por ela — perguntei e ele balançou a cabeça em afirmação. — Você disse da preocupação com ela e a forma como se sentia quando ela estava por perto, a sensação que seu corpo emanava quando suas mãos se tocavam e como tudo era diferente com ela. Eu sinto isso com Lia, e tudo foi crescendo aos poucos dentro de mim, as sensações e tudo que sinto em relação a ela, quando a beijei me senti especial e único, me senti bem e de tantas maneiras que eu não consigo descrever só que…

— O episódio com Malfoy te fez lembrar que você é um Black e puro e ela.. — ele interrompeu com meu olhar frustrado para ele com o recado explícito: não me lembre disso.

Levantei com raiva e bagunçando meu cabelo eu conclui que não podia arriscar que vivesse com tudo isso, esse problemas não eram dela e sim meus. Só meus. E ela não merecia ficar com um pessoa que só tinha problemas, sem contar os que ela não sabia.

Os outros, os piores que ninguém sabia e que explodiram para sair de mim. Olhei para Tiago que me analisava com a testa enrugada.

Ele fechou a cara e me olhou firme. A algum tempo ele sabia que eu escondia algo grave e havia insistido para lhe contar, sempre contávamos tudo uns para os outros. Sempre. Independente da gravidade, mas eu não sabia se falar que minha casa era sede oficial de reuniões para Comensais da Morte e que, consequentemente, grande parte das pessoas que frequentam minha casa são seguidores dele era saudável. E se eles não quisessem mais me ver ou se relacionar comigo ? E se Lia descobrisse o que ela pensaria ? E lilian ? Por Merlin… eu odeio isso!

— Quando vai me contar o que te perturba Sirius? Sabe que não sou idiota e até Pedro percebeu que está escondendo algo de nós, algo sério. E por isso que está assim ? Às vezes se afasta de nós e outra hora está de volta.. — disse.

— Se eu contar você….

— Eu nunca vou olhar mais na sua cara e blá blá blá, é já sei disso — disse irritado.

— E Lupin, como anda a investigação ? — perguntei mudando o rumo da conversa.

 

Desde conhecemos Lupin sabíamos que ele escondia algo, no entanto sempre que questionamos ele não conseguimos saber o que escondia por trás daquelas desculpas esfarrapadas, sempre doente, e se esquivando das nossa perguntas. Foi aos poucos que conseguimos entender que as sumidas dele tinham um padrão. Não sabemos exatamente para quê esse padrão ou o quê ele faz quando sai, mas seja lá o que for ele chega extremamente cansado e debilitado.

Tentamos uma vez seguir ele, mas algo bagunçou nosso caminho, parecia que a própria escola não queria que seguríssimo ele. Em uma outra noite, quando planejamos cada mínimo detalhe e conseguimos chegar até o gramado da escola encontramos com o próprio Dumbledore e ele nem sequer nos deu atenção quando dissemos que o Lupin haviam saido.

Mas desta vez montaremos alguma forma de segui-los e descobrir. Há alguns meses vínhamos planejando tudo. Desde pontos estratégicos para ficarmos de vigia, até códigos de comunicação e monitorização constante das suas saídas, por onde ele passa.. tudo! Nós estávamos determinados a descobrir o que Lupin escondia de nós.

 

— Nada, principalmente agora que estamos de férias. As cartas estão vindo com frequência normal, como sempre. E além disso, marquei com ele para de tarde na praça do bairro, ele vem no fim da tarde — disse.

— Ótimo… — disse sentando-me na cama. — posso ficar aqui um tempo ? — perguntei abaixando a cabeça.

— Claro, fique à vontade Sirius, mas.. você sabe que seus pais vão exigir umas respostas quanto ao que ocorreu com Malfoy, aquele trasgo vai contar tudo e do jeito dele — disse receoso.

— Eu sei disso e talvez improvise algo e..

— E Lia ? — perguntou. — como vocês dois ficam ? — disse.

Suspirei.

— Não vou trazê-la para meu mundo de problemas, ela não merece isso; apenas vou fingir que nada existiu e quem sabe para o bem dela ela também não esqueça tudo aos poucos — conclui com uma esperança frustrada.

— Sinto muito, porque você parece realmente gostar dela — disse dando tapinhas nas minhas costas. — No entanto — ele contrapôs rindo. — ela pode não desistir tão facilmente.

Olhei para ele e bufei com a ideia.

Tiago saiu rindo minha cara e fazendo algum comentário sobre cenas dos próximos capítulos, levantei e o acompanhei.

 


Notas Finais


FINALMENTE SENHORRR esse beijo saiu! ~ comemorações~
Comentem me falando o que acharam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...