História The Four Knights - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), CNBlue, EXO, Got7
Personagens BamBam, Jung Yong Hwa, Jungkook, Personagens Originais, Sehun
Tags Comedia, Drama, Romance
Visualizações 23
Palavras 2.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Eu vou ser a sua noiva





                YOUNG DO
    -Os meus netos, eles vão vir para o meu casamento? - perguntou o senhor Kang e eu respirei fundo. Nós estávamos prestes a entrar na mansão dos herdeiros do império Kang.

    -Eles disseram que não iam. - respondi calmamente. - Senhor, eu disse à eles sobre a perda dos privilégios, só o que se incomodou foi o Bam... Bhuwakul, eu acho que ele é o único que vai. - falei e as portas duplas de vidro se abriram, deixando a mostra uma zona. A mansão estava completamente revirada. - Oh Sehun. - rosnei baixo.

    -O que houve aqui? Mordomo Chang! Mordomo Chang! - gritou o senhor Kang e eu olhei em volta. - Onde ele se meteu? - perguntou e nós fomos até a sala de jantar. - Mordomo Chang! - escutamos um grunhido vindo do alto e olhamos para cima, eles prenderam o pobre homem no teto.


                    [...]






                JUNGKOOK
    -O que achou? - perguntou Gyu Won me mostrando um lindo vestido verde água.

    -É lindo, você quem fez? - perguntei e ela assentiu com um sorriso radiante no rosto. Gyu Won tinha um talento incrível e fazia bom proveito desse talento.

    -Fiz para o casamento do seu avô. - falou e o meu sorriso desapareceu, ela percebeu, pois se aproximou e sentou em um banco à frente de mim. - Você não vai? - perguntou e eu neguei. - Você devia ir, é o casamento do seu avô.

    -Você vai ficar bem indo para lá? - perguntei e ela entendeu de quem eu falava. Eu e a Gyu Won nos tornamos grandes amigos desde o dia em que eu me mudei para a mansão Kang. Gyu Won foi a única garota que conseguiu se apaixonar de verdade pelo Sehun, foi a única garota sem altas condições financeiras que o Sehun chegou a ficar e ela foi a única que mais se machucou nas mãos dele, e ela ainda o amava.

    -Eu ficaria melhor se você fosse comigo. - falou com um sorriso fraco no rosto. - Soube que o Sehun vai levar uma garota, é verdade? - perguntou e eu pude sentir uma pontada de ciúmes na sua voz.

    -Tenho pena da garota, vai ter que ficar a noite toda com ele. - falei e ela sorriu. Eu queria muito fazer ela esquecer o Sehun, não gostava de ver ela sofrendo.


                        [...]



                    HA-NI
    O ônibus estava em movimento, seguindo seu percurso. Eu iria visitar a urna da minha mãe, mesmo estando cansada, mesmo tendo milhares de coisas na cabeça. Encarei as rosas brancas nas minhas mãos e sorri triste. Lembro muito bem da primeira vez que eu dei uma rosa branca para a minha mãe.

    "-Para você, mãe. Minha professora disse que a gente deve dar rosas brancas as pessoas que amamos e respeitamos."

    Respirei fundo e encarei a paisagem do lado de fora, foi quando uma moto passou ao lado do ônibus, roubando minha atenção por alguns poucos segundos.




                        [...]





    Assim que entrei no local e fui até o local onde estava a urna da minha mãe, tive um susto, a urna da minha mãe não estava mais lá. Encarei o Ahjussi que trabalhava aqui.

    -Senhor? O que aconteceu com a urna que estava aqui? - perguntei e ele encarou a direção que eu apontei.

    -Ah! Essa urna foi retirada. Consta no registro que a família não paga mais a taxa anual, então tivemos que retirar a urna. - arregalei os olhos ao escutar aquilo.

    -Vocês jogaram fora as cinzas da minha mãe? - perguntei exasperada e ele negou.

    -Não, senhorita, colocamos no depósito, como diz as regras. - respondeu e eu fiquei um pouco mais aliviada. Mas estava me deixando intrigada, meu pai disse que estava pagando a taxa anual.

    -Quanto estamos devendo? - perguntei e ele encarou uma prancheta que estava em suas mãos.

    -Cinco mil wons. - respondeu e eu arregalei os olhos. Faz 5 anos que o meu pai não paga?

    -Cinco mil wons?!

    -Com licença, não se pode ter paz aqui? - uma voz masculina perguntou e nós olhamos para trás. Onde tinha um moreno de cabelos negros.

    -Desculpe, senhor. Vamos. - ele me puxou para conversarmos na entrada do local.



                        [...]





                    JUNGKOOK
    Assim que consegui um pouco de silêncio, eu andei até o local onde foi posto a urna da minha mãe e sorri triste. Já faz 10 anos que minha mãe morreu, eu a perdi quando tinha apenas 11 anos, eu quase não consigo me lembrar do som da sua voz e isso me destrói por dentro.

    -Oi, mãe. - murmurei colocando a rosa branca perto da urna. Depois de passar quase meia hora ali, eu resolvi que era hora de voltarr, quando cheguei na entrada, vi o Ahjussi que trabalhava aqui e a mesma morena que vi a pouco lá dentro.

    -Por favor. - escutei sua voz embargada enquanto a mesma se ajoelhava diante do Ahjussi. - Tire a minha mãe do depósito, eu te imploro. - pediu chorando e eu olhei para trás, para o local onde devia ter uma urna bem ali. Me doeu ver aquela cena, respirei fundo e chamei o Ahjussi.

    -Sim, senhor? - perguntou deixando de lado a garota ajoelhada no chão.

    -Preciso que limpe direito o local da urna da minha mãe. - falei e ele se curvou lentamente.

    -Nós limpamos todos os dias, senhor.

    -Limpe direito.



                        [...]





                    HA-NI
    Eu estava na frente da "casa" da minha mãe, esperando a chuva passar para eu poder ir embora. Encarei as rosas brancas e vi que elas estava querendo murchar. Senti as lágrimas descerem pelo meu rosto na mesma intensidade que a dor afligia o meu peito. Foi quando o mesmo moreno que chamara o Ahjussi, apareceu ao meu lado.

    -Sinto muito. - falou e eu o encarei com a visão embassada. Ele me encarou por um breve segundo e saiu dali, embaixo da chuva, indo até a moto estacionada perto.


                        [...]


    -Mãe... o único dinheiro que eu tenho é o para a faculdade. - falei sentada no banco da parada de ônibus. - Você quer que eu vá para a faculdade, não é, mãe? Você queria muito isso, não é mesmo? - perguntei com as lágrimas descendo pelo meu rosto. Sorri triste, encarando as rosas. - Não, você não quer. Me desculpa, mãe. Não era para você ter escutado isso. - enxuguei as lágrimas e respirei fundo. - Deus, o que eu faço?

    "... vou te dar 4 horas para você se decidir se vai ou não aceitar, se for aceitar me ligue..."

    Respirei fundo mais uma vez e peguei o meu celular, vendo que faltava apenas meia hora para o prazo que ele me deu acabar. Procurei o número dele no bolso da minha calça e o encontrei, digitei os números e iniciei a chamada. Depois de 3 toques, ele atendeu.

    -Quem é?

    -Sou eu.



                        [...]





    Depois de quase meia hora esperando por ele, uma limusine branca estacionou bem na minha frente e dela, ele saiu, usando um belo terno, ele se aproximou e sorriu de lado.

    -Eu sabia que você ia me ligar. - falou convencido. - Vamos. - falou indicando a limusine e eu permaneci no lugar.




                        [...]





                    SEHUN
    -Eu quero o dinheiro agora. - falou e eu cruzei os braços.

    -Agora? - perguntei pensativo, ela não tinha cara de alguém que me passaria a perna. - Tudo bem, vamos fazer o seguinte, eu te dou os mil wons agora e você vai ser a minha noiva por 3 horas. - falei pegando a carteira e ela franziu o cenho.

    -Para quê precisa de uma noiva por 3 horas? - perguntou, ela não tem cara de uma pessoa que passa a perna na outra; e também não tem cara de alguém que acabaria com o casamento de outra. Eu precisava ser esperto.

    -É para o meu avô. - fingi estar com vontade de chorar. - Ele está muito doente, é o casamento de um tio meu e vai ser a única vez que o meu avô vai poder sair do hospital... - vi o semblante triste dela e percebi que meu objetivo estava quase sendo alcançado. - ... é o desejo do meu avô: me ver comprometido... antes de... antes de partir dessa vida. - eu virei as costas para ela e continuei o meu show.

    -Ei, tudo bem. - ela tocou no meu ombro e eu ergui a mão. - Eu vou ser sua noiva.

    E é assim que se consegue o que quer! Eu me virei devagar e sorri para ela.

    -Prazer, eu me chamo Oh Sehun. - estendi a mão para ela, que a apertou logo em seguida.

    -Kim Ha-Ni. - falou sorrindo fraco.

    -Vamos, o casamento é daqui à 40 minutos. - falei abrindo a porta da limusine para ela entrar e assim ela fez, eu entrei logo em seguida e passei o braço em volta de seus ombros, ela revirou os os olhos e se levantou, indo sentar do outro lado da limusine.

    -Não tente nada, ok?

    -Eu só acho que já que somos um casal, devemos nos conhecer melhor, explorar, por exemplo, as nossas bocas. - eu tentei me aproximar, mas ela pôs a mão no meu peito me empurrando de volta para o meu lugar.

    -Encoste um dedo em mim e eu arranco as suas mãos. - falou e eu ergui os braços em forma de rendição.




                        [...]







                    SUN-HEE
    -Hoje estamos todos ansiosos para o ínicio do quinto casamento do Kang Soo, dono do império Kang. O que muitos esperam hoje também é a presença dos 4 primos herdeiros do império Kang, nunca antes tínhamos visto esses 4 rapazes em um mesmo ambiente, o que deixa em dúvida: Será que os primos têm um típico relacionamento difícil devido a disputa de quem vai liderar todo o império? - falou a repórter e eu suspirei cansada. Queria eu estar nesse casamento, queria eu estar perto dos primos do império Kang. Como não posso, a televisão é a minha caixinha mágica. - E parece que o primeiro primo chegou, quem será? - a câmera mostrou uma limusine branca estacionando, de dentro saiu o Sehun, o primo mais velho. - O primeiro a chegar foi o Oh Sehun, o primo mais velho do império Kang e o possível futuro dono do império Kang. Espera, quem é a garota ao lado dele? - arregalei os olhos ao ver uma garota parecida com a Ha-Ni, saindo da mesma limusine que o Sehun. - Será que o tão desejado Kang Sehun encontrou alguém por quem se apaixonou? Fontes alegam que o primo mais velho do império Kang nunca se apresentou diante do público com uma namorada, o que pode nos dar uma dica de que eles já estão juntos há algum tempo. - aquilo só podia ser uma piada de muito mal gosto. - Parece que o segundo primo chegou e é o... - um carro preto estacionou e o Yong Hwa desceu do carro, sendo recebido pelo grito das fãs em volta da entrada. - ... Jung Yong Hwa, o queridinho do mundo da fama. Sempre amável, dando atenção e carinho para todas as fãs, com certeza é o mais querido e o mais bonito de todos os primos Kang. O interessante é que nunca vimos nenhum dos primos com uma namorada, com exceção do Kang Sehun e do Yong. O Kang Yong Hwa, é um exemplo de cavalheirismo, já o vimos diversas vezes com alguma atriz ou cantora famosa, mas não se sabe se alguma delas já foi sua namorada, só o vimos tratando-as muito bem, como um devido cavalheiro. - continuei a assistir para ver se eles confirmavam a identidade da garota que se parecia com a Ha-Ni. - Agora vemos o terceiro primo chegando e é o Kunpimook Bhuwakul. Algo divertido no Kang Bhuwakul é que ele gosta de ser chamado de Bambam, já chegaram a perguntar o motivo do apelido dele ser Bambam e ele respondeu: "Por que 'Bambam'? Bom... gosto de ser chamativo, gosto muito da atenção de todos focada em mim, então, escolhi Bambam só pelo motivo de eu conseguir chamar mais a atenção de todos ao meu redor." Kang Bhuwakul alega que  Bambam é um apelido rebelde, já que seu avô não gosta que o chamem de Bambam e ele acrescentou: "As vezes eu tento imitar o Jeon Jungkook, muitos falam que ele é o rebelde, eu também quero ser rebelde." Bom, agora só falta a presença do quarto primo para que eles estejam juntos em um mesmo lugar pela primeira vez.



                        [...]


Notas Finais


Espero muito que tenham gostado, quero agradecer a quem favoritou e comentou na fic.
Beijos e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...