História The Game Begin! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias 24K, ASTRO, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Taegi
Visualizações 6
Palavras 1.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente! Só justificando os títulos em inglês: PENSA EM ALGUÉM HORRÍVEL PRA DAR NOME PRAS COISAS! Parabéns, acabou de me imaginar, vamos combinar que em inglês as coisas parecem fodas, então agente taca o inglês mesmo :3

Título: "Como o mais saboroso saquê"

Capítulo 2 - As the most tasty sake


Fanfic / Fanfiction The Game Begin! - Capítulo 2 - As the most tasty sake

Era apenas mais uma noite qualquer, a mesma lua de sempre iluminava o país, as mesmas estrelas com brilhos sem graça, o mesmo negro profundo no céu de Seul. Apenas mais um noite em que centenas de jovens Sul-Coreanos passavam em claro. Vandalizando pelas ruas em meio a um silêncio perturbador, deixando seus pensamentos correrem soltos enquanto mantinham-se estáticos olhando para os tetos imundos de suas casas, ou até mesmo meditando consigos mesmos se ainda tinham por que insistir em manter-se naquele mundo superficial. No fim, não passava de mais uma maldita noite igual a todas.

Ou não!

Simultaneamente, em toda Seul, cortando o silêncio quase absoluto da noite, celulares puseram-se a tocar, vibrar, dispararam sons estridentes, tocaram canções rápidas. Naquele momento para alguns chegavam ligações com vozes modificadas por milhares de efeitos, para outros chegavam mensagens em textos compridos.

Mas o que era aquilo?

Todos traziam as mesma informações, sem diferença de uma palavra se quer. Nas chamadas de voz a pronúncia era sempre a mesma, nas mensagens escritas, se quer uma vírgula colocava-se fora de seu devido lugar. Eram convites, convites enviados para "vítimas" que por tempos foram observadas de longe, das sombras, testados como possíveis potenciais, ou simplesmente, vistos como pessoas que já não tinham mais por que evitarem o perigo.

"Prazer, caro participante!

Quem sou eu? Sou um homem que habita no mais profundo covil desse país, sou um homem que sabe tanto quanto você o quão ruim é essa realidade de falsos sorrisos em que todos nos obrigam a viver! Sou o homem que atingiu a liberdade! A riqueza! O poder!

E você? Você é apenas mais um 'cãozinho' abandonado nessas terras cruéis, mas eu posso te ajudar, posso te mostrar esse mundo sem máscaras. Sei quem é você, sei que não se encaixa com os 'do bem', sei que é um vilão assim como eu! Deixe-me te ajudar! Te farei uma oferta.

Jogue comigo!

Prove que é digno do submundo deste país! Prove que é melhor que todos os que vivem suas vidinhas encenadas e ensaiadas fingindo que tudo é perfeito

Você sabe que não é assim, sabe o quão o mundo pode ser cruel! Você já provou o gosto amargo do desespero.

E então? Está disposto a jogar?!

Deve saber bem do que se trata essa mensagem, a mídia divulga cada vez mais notícias avisando para que tomem cuidado 'uma máfia que busca novos homens através de jogos desumanos', tão tolos! Mesmo sabendo o que fazemos não sabem quem somos, também não sabem como são aqueles que jogam conosco, não sabem que todos esses "avisos" que espalham só facilita nosso trabalho.

Sua vida é uma droga!

Cada um de seus dias são uma droga!

O simples fato de acordar pra você é uma droga!

Livre-se disso, nós te entendemos, todos nós somos assim, por isso você foi escolhido. Um jovem renegado dentre os outros, alguém que se entregaria de corpo e alma para o mal. Esse é você!

Aceite meu jogo!

Aceite arriscar cada um de seus preciosos fios de cabelo para buscar finalmente o real significado de trevas!

Ganhe!

Junte-se a nós!

Prove que não é apenas mais um covarde que teme a morte todos os dias!

Prove que é forte o suficiente para ser um dos nossos!

E depois? Depois tenha tudo que quiser, dinheiro, poder, mulheres e homens, não importa, deixe que a maldade que aos poucos aflora em você tome todo seu corpo, deixe que ela te consuma como você consome o mais saboroso saquê.

Veja o mundo sem panos que atrapalham sua visão e irritam seus olhos!

Aceite!

Jogue!

Yes.                       No."

143 mensagens foram enviadas, 127 visualizadas, 56 aceitas.

O que faz alguém se submeter a dizer sim a algo assim? Ou esse alguém é muito tolo ou desesperado para morrer!

Só 1 poderá glorificar-se da vitória, e até que apenas ele reste o jogo continua. Cada vez mais e mais doentio, até levar seus participantes até a mais terrível insanidade…

"Interessante" e mais uma vez o "yes" foi pressionado.

Jeon Jungkook, 19 anos, jovem alto de cabelos e olhos negros, um dos escolhidos que por algum motivo foi levado a aceitar. Com as costas sobre o chão gélido e os olhos sob a tela do celular, sendo a única luz que quebrava aquela escuridão perturbadora o brilho cegante vindo dessa. Foi assim que sem pesar duas vezes ele abriu um sorriso sarcástico em seus lábios, que costumeiramente se mantinham no mesmo formato indiferente, e levou seu dedo lentamente ao "yes".

"Eu aceito seu jogo, me leve ao mal que tanto se glorifica de conhecer" pensou, mesmo sabendo que já havia abraçado esse tal "mal" a tempos.

Os dedos entrelaçados ao aparelho eletrônico se jogaram ao chão, a tela escureceu e assim, estirado ao chão ele esperou pacientemente para que a lua se fosse e a maldita luz cegante do sol tomasse o local trazendo o tão aclamado dia. Vez ou outra os olhos negros atreviam-se a permitir que as pálpebras se tocassem, mas o sono nunca vinha, não importava que espécie de mensagem ele recebesse, no final era apenas mais uma noite igual a todas.

E a luz tocou seus olhos, adentrando a janela mal fechada, transpassando a cortina fina e jogando-se sobre o chão. A cama vazia exaltava seus lençóis bem arrumados, o corpo caído ao chão levantou-se de vagar deixando o aparelho cuja seu olhar se fixou noite passada sobre o solo e andando em passos extremamente lentos até o banheiro de seu quarto.

O rosto mal tratado pelas olheiras era refletido no grande espelho em frente a pia. Há noites que Jeon não dormia, há tempos apenas esperava elas passarem pacientemente, quieto, jogado em qualquer canto do espaçoso quarto.

Enquanto observava o próprio rosto sua mente vagava perdida em pensamentos. Deveria estar pensando sobre a mensagem que receberá, era o lógico, o que qualquer um faria, mas não estava, Jungkook não era qualquer um, não seguia o lógico. Na verdade, nem se importava, era só mais uma mensagem qualquer afinal! Já havia ouvido falar sobre a tal máfia Coreana, sobre o jogo, era alertado todos os dias pelos jornais, mas isso não importava nem um pouco pra ele, apenas mais um jogo…

Os pensamentos do moreno não tinham um foco exato, apenas buscavam algo para tira-lo do tédio. Não fez questão de se arrumar, se quer lavou o rosto, apenas voltou ao quarto, puxou um moletom qualquer do armário, agarrou o celular e se pôs para fora do ambiente. A casa ainda tinha algo que lembrava resquícios da noite, afinal, o Sol havia começado a aparecer no céu a pouco tempo, ele era o único de acordado no local, isso não era problema, era apenas o que ele queria, olhar para cara dos membros da família Jeon com olhos de julgamento nunca seria algo a se abraçar com um sorriso todas as manhãs. Por isso ele se retirava de lá antes que alguém atrevesse-se a retirar os pés da cama.

Dizem que o melhor horário para se caminhar é de manhã, o jovem nunca foi muito apegado a caminhadas, mas qualquer lugar e hora em que pudesse ficar sozinho com seus devaneios era o melhor.

O celular vibrou em seu bolso.

Uma mensagem.

Um endereço.

Era do mesmo número da noite passada, ordenando-lhe sem maiores rodeios a dirigir-se para o lugar.

"Não tenho nada a perder" suspirou, olhou ao céu e mais uma vez sorriu, não um sorriso feliz, um sorriso irônico, um sorriso frio. "É melhor que ficar andando por aí" virou os olhos novamente para o aparelho, confirmou o endereço é finalmente, sem pensar duas vezes resolveu seguir ao local indicado.


[…]


— Realmente pretende fazer isso?

— Isso o que?

— Não se faça de tonto! Realmente pretende encontrar os participantes, Yoongi?

— Me de um um motivo para não faze-lo, Hoseok… — Virou os olhos ao outro.

Dois homens, o menor de cabelos verdes, pele extremamente clara e um olhar indescritível no rosto. O maior, de cabelos castanhos com algumas mechas rosas perdidas por ele, se punha a frente do outro, questionava suas ações, mas ao mesmo tempo seu olhar mostrava certa confiança no parceiro.

— Posso lista-los se quiser! — Ironizou — Está pretendendo mostrar sua cara pra dezenas de idiotas, meia dúzia deles não vai passar nem pela primeira missão, será um milagre se três ainda estiverem vivos na décima!

— Eu disse que os encontraria, não que vou deixar meu rosto expostos para que todos contemplem minha beleza! — Sorriu de canto — Ver um de nós vai intimida-los, assim será mais fácil eliminar vários sem uma missão se quer.

— E por que o "incrível Agust" vai em pessoa ao invés de mandar alguém em seu lugar? — Riu sarcástico.

— Eu quero ver a face de desespero de cada um quando colocarem os olhos em um dos homens mais procurados da Coreia, poderia mandar um farsante, mas quero ver bem de perto!

— Não esperaria nada diferente de você… — Suspirou — Vai levar Jin junto?

— É claro, preciso de alguém que aponte os eliminados um por um. Jin é perfeito para isso.

O jogo finalmente começou!


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^-^
Me digam o que acharam e o que posso melhorar :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...