História The Genius (TG) - Camren - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Visualizações 298
Palavras 1.387
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a mini demora <3

Boa Leitura ❤

Capítulo 13 - She did not leave.


POV Camila


Lauren me olhou e seus olhos marejaram na hora.

Mamãe...?- ela perguntou sorrindo.

Duas vezes.- falei boba.

Meu deus...- ela disse e finalmente deixou uma lágrima sair.

Eu fiquei assim também quando ouvi.- falei e ela riu.

Isso é...- ela me olhou.

Incrível?- perguntei e limpei a lágrima de seu olho.

Incrível...- ela disse.

Era por isso que eu estava assim.- falei.

Podia ter me falado...- ela disse e se aproximou mais.

Eu sei, só que... sei lá.- falei rindo.

Eu tenho que ir.- ela disse olhando pro carro e me abraçou.

Eu queria ficar com você...- falei abafado em seu pescoço e a abracei um pouco mais forte.

Vem comigo.- Lauren disse e me olhou- Eu te espero aqui...- ela disse e eu sorri.

Lo...- eu não queria apressar as coisas.

Isso não vai apressar as coisas.- ela disse.

Como...?- eu fiquei com um pouco de medo, confesso.

Então... você vem ou não?- ela perguntou.

Eu já volto.- falei e ela sorriu.


(...)


POV Lauren


Nós fomos pra minha casa, eu estava bem nervosa, afinal fazia muito tempo que Camila não vinha aqui.

Eu coloquei as crianças na cama e encontrei Camila na sala.

Oi.- falei baixo e sorrindo.

Oi.- ela se virou e sorriu.

Tudo bem com você?- perguntei.

Tudo sim, e com você?- ela perguntou, entrando na brincadeira.

Estou sim. Você vem sempre aqui?- perguntei.

Primeira vez, acredita?- ela disse como se fosse algo novo.

Sendo assim, é meu dever te dar as boas vindas. Prazer, sou Lauren Jauregui.- falei de forma gentil.

Oh, sou Camila.- ela disse e apertamos as mãos.

A moça aceitaria uma bebida?- perguntei.

Minha mãe disse pra eu não aceitar nada de estranhos...- ela dise inocente.

Tenho certeza que não sou uma estranha.- falei e a puxei pra cozinha- Hm... temos bastante toddynho... nenhum deles é alcóolico, aceita?- perguntei rindo e peguei um pra mim.

Como você é boba, Lauren...- ela disse rindo.

Posso ser boba, mas ninguém recusa um toddynho.- falei.

Okay, eu aceito.- ela disse rindo e eu a entreguei o mesmo- Sei que trabalha relativamente bastante, então então pergunta que não quer calar, como você mantém a casa limpa?- ela perguntou.

Claramente eu tenho uma empregada, empregada não, é quase uma segunda mãe, Maria, mas ela só fica durante o dia, ela vai embora quando eu chego do trabalho.- falei.

Óbvio...- ela disse eu sorri.

Vem cá.- falei assim que terminamos de tomar o toddynho e a puxei para um dos cômodos da casa, que na verdade era um lugar nosso antigamente.

Era uma sala não muito grande, tinha um espaço no meio.

Adivinhem o por que?

Isso mesmo, ela gostava de dançar, e sempre me obrigava a fazer parte.

Que sala é essa?- ela perguntou indo pro centro da mesma.

Eu não falei nada, fechei a porta e coloquei uma música.


POV Camila


Eu me virei e vi Lauren se aproximando. Ela colocou as mãos em minha cintura.

Ela começou a fazer passos leves, e eu fui acompanhando, por fim, eu passei meus braços em volta de seu pescoço.

Sabe quando você sente uma sensação de que seus pulmões estão enchendo de ar, e não consegue parar?

Era assim que eu estava.

E só me sentia assim com ela.

Eu coloquei meu rosto na curva de seu pescoço e ela me apertou mais.

Ficamos ali apenas nos movendo, sem falar nada.

Lauren passou a mão direita em meu braço, e levou a mão até meu pescoço.

Eu levantei um pouco a cabeça e olhei ela, que estava um pouco séria e tinha seus olhos avermelhados.

Eu sorri e dei um beijo na ponta de seu nariz, fazendo ela sorrir também e encostar nossas testas.

Eu não sei explicar o que eu sinto por você.- falei sincera.

Eu sei exatamente...- ela me olhou.

Lauren eu...- ela sorriu, e colocou meu cabelo atrás da minha orelha.

Eu amo você, Camila. Talvez você não possa entender, e achar precipitado, mas eu sei o que eu sinto.- ela disse convicta e eu fiquei calada.

Pelo incrível que pareça eu não achava aquilo precipitado.

Eu não acho...- falei e ela sorriu.

Você pode dormir no quarto...- ela disse e eu não entendi muito bem.

É brincadeira, né?- perguntei e ela sorriu.

Uhum.- ela disse e eu ri.

A música não está alta não?- perguntei um pouco preocupada, afinal as crianças poderiam acordar.

Nop... quando esse espaço foi feito, eu optei por colocar isolamento acústico.- ela disse e desligou a música.

Inteligente.- falei.

Vamos pro quarto?- Lauren perguntou e me deu a mão.


(...)


Dia seguinte


Acordei primeiro que Lauren, fui ao banheiro e em seguida decidi fazer o café pra ela.

Na cozinha havia uma senhora, imaginei que fosse a empregada de Lauren.

Bom Dia...- falei um pouco tímida.

Oh, bom dia, dona Camila.- ela disse e eu estranhei.

Desculpa a indelicadeza, mas como você sabe meu nome...?- perguntei.

Oras, Lauren não para de falar de você, nem as crianças.- ela disse e um sorriso involuntário cresceu em meu rosto- Pelo sorriso imagino que você não sabia disso, e que gostou da informação.- ela disse e eu sorri mais ainda.

Eu... sim, eu gostei disso, e eu gosto muito, muito dela... das crianças então... é além do que eu posso entender.- falei um pouco emocionada e me sentei no balcão.

Maria se aproximou e se apoiou no mesmo.

Amor, menina... Amor... é a maior questão sem resposta desse mundo.- ela disse- Eu vou fazer um café pra você.- ela se afastou.

Amor...

Era isso que eu sentia por Lauren?

Maria...- a chemei- Me chame apenas de Camila... ou Mila... sem dona, por favor...- falei gentil e a mulher sorriu.

Tudo bem, Camila.- ela disse e eu sorri.

Posso fazer o café dela?- perguntei.


POV Maria


Claro.- falei.

"Era isso que você sempre fazia..."- pensei.


POV Camila


Fui até ela e comecei a fazer o café de Lauren, nada muito exagerado.

Na noite anterior, nós fomos pro quarto e assistimos um filme, ou metade dele, já que, pelo menos eu, dormi no meio.


POV Lauren


Nunca me acostumei com a horrível sensação de acordar sem ela, ainda mais agora, que eu sei que ela dormiu aqui.

Bom, me levantei como sempre, mas dessa vez eu estava com um pouco de mal humor.

Não que ela tivesse ido embora, será que ela foi?

Não, Lauren... não seja idiota...

Camila só não estava na cama...

Eu fui pra cozinha ainda com a cara fechada e encontrei Maria.

Ótimo.

Ela foi embora.

Que foi? O pote na geladeira não era sorvete?- Maria perguntou brincalhona.

Não.- falei e suspirei- Você sabe como isso é difícil pra mim.- falei.

Por que antes de amarrar essa cara e ficar chata, você não vai até até sala de jantar e toma o seu café feito pela sua esposa?- ela sussurrou a última parte.

Que?- perguntei.

Ela não foi embora, como você está lerda ultimamente...- Maria riu e apontou para a sala.

Camila estava lá, aliás, não só ela.

É normal vocês quererem acabar comigo?- perguntei pra Maria.

Aproveite a sua família, Lauren.- ela disse e eu fui até Camila e as crianças.

Bom Dia, Mama.- eles disseram animados.

Bom Dia, meus amores.- falei e dei um beijo no topo da cabeça de cada um.

Bom Dia...- Camila dusse sorrindo.

Bom Dia, Camz.- falei e também dei um beijo em sua cabeça, era uma coisa natural.

Fazia tempo que eu não tinha um café da manhã com a minha família, e confesso que estava sendo difícil segurar a emoção ao ver aquele momento.

Que foi, Lo?- Camz perguntou passando a mão no meu cabelo.

Nada... Eu acho que não vou trabalhar hoje.- falei e a olhei.

Era mais aquele olhar de: "Fica comigo hoje?".

Nada disso, eu só to aqui porque eu entro mais tarde hoje.- ela disse e eu abaixei a cabeça.

Tá...- falei.

Não faz assim... Lauren, eu não vou falar disso novamente...- ela disse com o tom "cansado" daquele assunto.

Okay, desculpa.- falei e sorri fraco.


(...)


Depois que Camila foi embora, eu fui até o espaço que nós dançamos ontem.

Tinha muito dela ali, era isso que me dava força pra continuar.

Quando ela sofreu o acidente eu não sabia se seria capaz de criar duas crianças logo de cara e relativamente sozinha, já que quem eu precisava não estava comigo.

Foi difícil, mas aos poucos eu me adaptei com essa nova realidade, eu nunca vou me acostumar com isso.

Passei o polegar pela parede, até chegar em uma porta que dava acesso a outra sala.

Uma sala pequena, onde possuía nossas fotos, alguns papéis e outras coisas, claro que tudo a ver com nós duas.

Um lágrima desceu quando eu vi a foto em que ela segurava um algodão doce.

Foi naquele dia em que ela me contou que estava grávida, e como seu "primeiro desejo", ela pediu muito algodão doce.

Foi um dia memorável.

Eu me pergunto, será que um dia eu ainda vou ter a minha Camz de volta?


Notas Finais


Será chessus?

Comentem, bbs <3

Desculpa a hora


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...