História The Ghost Groom (Long Fanfic Jimin) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bangtan Sonyeondan, Bts, Casamento, Casamento Arranjado, Emocional, Fantasma, História, Hot Jimin, Imagine, Imagine Jimin, Jimin, Noivo, Romance, Sex, Sexo, Sobrenatural, Submissa, Suspense, Tarado, Terror
Exibições 198
Palavras 6.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI OI OI OI OI OI <3
VOLTEI DEPOIS DE UM MILÊNIO COM ESSE PRESENTE! 6000 PALAVRAS, MEU NOVO RECORD!

Eu fiquei fora porque fiquei sem luz. :')
Minha beta também. Isso se chama telepatia!

A LUZ DA MINHA CASA ACABOU MAS A LUZ DA MINHA CRIATIVIDADE NÃO!
TENHO MUITAS IDEIAS PARA FANFIC GENTE, SOCORRO! Mais para frente eu postarei, pode deixar! :D

Irei me esforçar mais!

não sei bem o porque, mas hoje eu me senti uma poeteira e escrevi várias frases legais :3

~Boa leitura meu queridos :V

-Hoje não tem capa de capitulo, sorry!-

Capítulo 25 - Não Vai Ficar Tudo Bem


 

 “Eu sei que você quer a verdade, mas quando eu lhe dizer, você ainda me amará ou me chamará de monstro como os outros? ” – Sra.Rap Suga

 

Chorar. Chorar, podia ser uma demonstração de fraqueza para muitas pessoas, para outras era uma ótima forma de desabafar. Para mim... dane-se o significava ou que poderiam pensar de mim, eu só queria chorar mesmo.

Aquele corpo que por sinal ainda não descobrir quem é ainda me abraçava forte e eu contribuía da mesma intensidade, talvez até mais forte. Suspirei e tentei parar de chorar, o que foi meio falho já que nem deu dois segundos o meu choro voltou, só que um pouco mais forte que antes. Eu mal conseguia respirar direito.

-- E-Eu... – Funguei, provavelmente a camisa daquele cara já estava toda molhada.

-- Calma... respira fundo e se acalme... – Depois eu parei para escutar melhor e percebi que aquela voz era de ... Taehyung? O que ele faz aqui?

-- T-Tae?! – Me afasto de seu corpo e olho em sua direção, ele tinha um sorriso no rosto sem mostrar os dentes, enquanto eu o analisava ela alisava meus cabelos, limpei algumas lágrimas de meus olhos e depois voltei a olhá-lo, tentando entender como foi que ele entrou na minha casa, mas com tanto tempo o encarando ele acabou rindo da minha cara.

-- Quer um beijinho também? – Ele fez um biquinho mal feito chegando perto de mim, porem eu o empurrei devagar e acabei rindo da sua brincadeira. – Se sente melhor?

-- S-sim... obrigada... – Senti minhas bochechas quentes, provavelmente corei. A situação que eu me encontrava é num tanto constrangedora.

Eu estava de camisola, sem sutiã, sem calcinha, além do mais, ele me encontrou gritando que nem louca para depois começar a chorar que nem criancinha. Alguém me ajuda a enterrar minha cabeça na terra?

-- Onw, que fofa! – Ele dá uma risada nasal e aperta minhas bochechas e então desvio meu olhar. Não queria olhar para ele por ainda estar envergonhada, então eu pego uma ponta do meu cobertor e me cubro até a altura dos meus seios, enquanto seu olhar me seguia. – Depois que eu já vi você se esconde?

-- C-como você entrou aqui? – Pergunto tentando mudar de assunto.

-- Nha... foi nada demais... – Ele coçou a nuca. – Eu vim para trazer a Lind que por sinal se divertiu muito ontem – Ah, é verdade! Lind foi dormir na casa do Tae com os irmãos dele, porque minha mãe não estava parando muito em casa e eu estava sempre no hospital, apenas levava e a buscava na escola. Sorri para ele sem mostrar os dentes. – Eu estava pensando em entrar na sua casa pela janela, já que a essa hora eu poderia chutar que você não estivesse acordada, mas Lind disse que havia uma chave reserva de baixo do tapete, então assim que abri a porta eu ouvi você gritar e vim correndo ver você.

-- Oh, e aonde ela está? – Pergunto olhando para trás dele a procurando.

-- Ficou lá embaixo com o Suguinha hyung. – Apenas assinto com a cabeça. – Olha... eu nunca te vi desse jeito antes... você parecia desesperada demais para ter sido apenas um pesadelo... – Abaixo minha cabeça e engulo um seco. Parecia tão real. – O-olha... não fique envergonhada por eu ter te visto de camisola o-ou... eu ter visto você chorar... isso faz bem para o coração! – Ele sorri. Seu sorriso era uma forma quadrada tão fofo que acabei não resistindo e sorri também. – Bem... era o que a minha mãe dizia para mim..., mas se tiver alguma coisa que te atormenta e que você queira desabafar... conte comigo! Não somos muito achegados, nem amigos... mas poderemos ser se você quiser. – Ah sim, quantas pessoas já não me falaram a mesma coisa quando meu pai morreu? Porém, algo diferente no Tae me chamou a atenção. Parecia palavras sinceras e não aquelas palavras que você fala como se fosse um automático para poder confortar alguém, mas de uma forma que não ajuda em nada.

Aí quando você vai desabafar com a pessoa com que te disse isso, ela te olha com cara de tacho sem saber o que te dizer, como reagir ou as vezes nem liga para o que você fala. Quando você fala esse tipo de coisa, a sinceridade é fundamental. Deve-se estar até psicologicamente preparado e com um coração pronto para mostra a pessoa o que você quer falar para confortá-la e aconselha-la por mais que você não saiba o que dizer, ficar calada também não ajuda em nada, falar que não sabe o que dizer, muito menos, que você não sabe dar conselhos... é melhor nem aparecer.

Entende?

-- O-Okay... obrigada. – Dei meu melhor sorriso para ele.

-- V-você irá querer visitar o Kookie? – Eu assenti afirmando. – Sabe de alguma notícia? – Neguei com a cabeça. – Quando ele sair dessa eu irei acertar um bastão na cara dele... depois vou abraça-lo para quem sabe depois mata-lo. – Eu ri nasalmente.

-- E-Eu preciso me trocar... – Digo como uma forma de expulsá-lo de meu quarto, de uma forma amigável.

--Oh, claro. Eu e o hyung vamos estar aqui embaixo te esperando.

Assim que ele saiu do meu quarto, saltei de minha cama e fui direto para o banheiro para tomar banho. Quando terminei fui ao meu quarto de toalha e antes que eu pudesse abri o meu armário eu ouvi uma risada e passos atrás de mim. Lentamente fui me virando e então eu o vi.

-- Não irei mentir que senti sua falta, querida. – Jimin mostrou seu sorriso na qual antes eu achava fofo e agora eu acho diabólico, bem largo fazendo seus olhos diminuírem. Ele sentou na cama e cruzou os braços na frente de seu peitoral. – Eu queria ter terminado de brincar com você... – Ele fingiu estar emburrado e fez bico com os lábios. Eu ainda permanecia paralisada, segurando forte minha toalha no meio de meus seios. – Que pena... como foi seus dias sem mim? Aproveitou enquanto eu estava fora? – Ele me analisava de cima a baixo, engoli um seco quando eu o vi morder um lábio inferior. – Recomendo colocar uma roupa longo se não quer que eu te jogue nessa cama, arranque essa toalha e façe coisas que você não queria.

Respirei fundo, foi quando eu percebi que tremia. Peguei minha roupa o mais rápido possível e praguejei quando eu sem querer deixei minha camisa moletom cair. Estava com medo de demorar demais e ele acabar fazendo algo comigo por conta disso, acabei lembrando daquele pesadelo horrível e por isso olhei rapidamente para ele atrás dos ombros. Ele não demonstrava reação nenhuma quando fiz isso, então senti um arrepio em minha espinha. Ele não sorriu, não desviou o olhar, não praguejou, apenas ficou me olhando enquanto eu fazia o mesmo com ele, parecia perdido em seu próprio mundo. Foi como um flash que de repente o rosto de Jimin se transformou igual ao meu sonho, melhor, meu pesadelo. Segurei o berro que ia dar e mal percebi que lágrimas já saiam de meus olhos sem eu permitir, peguei minhas coisas o mais rápido que pudesse e me tranquei no banheiro.

“ Eu queria que você soubesse, todos têm medo. Eu também sinto medo... medo de você fugir de mim! ” – Sra.Rap Suga

Assim que terminei de me arrumar, respirei fundo, destranquei a porta e sai. Jimin estava deitado bem desleixado em minha cama. A porta do banheiro fez barulho então acabou chamando a atenção dele, abaixei meu olhar e engoli meu vigésimo seco e caminhei até a porta de saída de meu quarto o mais rápido que eu consegui, mas foi só eu tocar na maçaneta que minhas chances de sair dali foram para o ralo.

-- Eu preciso que você fique. – Falou ele num tom grave e alto, ainda de cabeça baixa girei meus calcanhares e fiquei esperando ele falar, senti uma gota de suor escorrer por minha testa e eu podia ouvir meus batimentos cardíacos. Ele estala a língua e suspira. – Isso já está me cansando... – Ele fala baixo, talvez para ele mesmo, porem eu consegui ouvir. – Venha aqui.

Em passos bem lentos fui dando até ficar de frente a ele. Não olhava seus olhos, apenas suas pernas que por sinal vestia uma calça social preta um pouco larga. Foi nesse momento que eu lembrei que nunca o perguntei aonde que ele consegue roupas. Um arrepio estranho passou por mim atrás de meus ombros, quase como se fosse um vento, mas a janela estava fechada, então aquele vento era estranho, e assustada olhei para trás com os olhos arregalados, não tinha ninguém, nem o Jimin. Olho para frente ele tinha um olhar confuso em minha direção.

-- Foi você? – Perguntei rápido e ligeiro, ele espremeu os olhos ainda confuso.

-- O que eu fiz?

-- Esse vento! – Olho ao redor do quarto abraçando a mim mesma. Estou ficando perturbada? Louca? Não, isso não! Eu juro que senti algo! Lembrei dos outros dias em que senti esse mesmo vento e arrepio estranho. – Não só agora, mas como os outros dias! Não é a primeira vez que sinto esse vento... por que faz isso? – Ele revirou os olhos, enquanto eu ainda estava de olhos arregalados observando os seus.

-- Eu não fiz nada. Nem hoje nem nunca! Eu não estava aqui bobinha!  – Respondeu simplista. – Aliás, se eu fizesse alguma coisa eu não estaria na sua cama. Deve ter sido um vento qualquer e você que está se assustando atoa. – Ele riu de mim, eu apenas estalei a língua e voltei a olhar meus pés. – Está mais magra... andou comendo direito? Está fazendo dieta? -- Ele se levantou e isso me intimidou, mesmo que não fosse proposital.

-- N-Não.

-- Olhe para mim. – Ele parou em minha frente e sem fazer uma só reclamação para não ter escândalos a essa hora da manhã, atendi o seu pedido, levantando lentamente a minha cabeça o olhando nos olhos. – Está com olheiras... o que aconteceu?

Não sei se isso era algum tipo de brincadeira com a minha cara. Ele se importando comigo? Nunca em mil anos! Esses dias eu andei mal enquanto ele sumiu, nem eu quero saber o que aconteceu com ele por ter conseguido um arranhão enorme na bochecha. Tá, acho que gostaria de saber sim, mas seria apenas de pura curiosidade, porque eu realmente eu deixei de me importar com ele e se isso for mais uma de suas palhaçadas eu irei pedir a morte de uma vez e logo de manhã eu iria ficar p... furiosa!

-- V-Você... não se importa de verdade. – Respondi sussurrando com a voz rouca e chorosa já me preparando para o pior... que graças ao meu bom Deus que não veio! Tentando segurar o choro eu mordo meus lábios.

“Sei que parece que não me importo, mas eu me importo sim, por mais que eu também não demonstre... não tenho culpa se Deus me criou assim... sem saber demonstrar meus sentimentos. ” – Sra. Rap Suga

-- Okay... não estou com paciência e tempo hoje. – Ele respondeu voltando a se sentar na cama. Ótimo, não queria falar mesmo. Suspiro aliviada. – Eu estava num lugar muito distante... – Ele força uma tosse. – Treinando meus novos poderes. – Eu o ouvia fingindo um interesse, mas a verdade era que eu não estava nem aí para ele, eu preferiria que ele morresse, nem ia me fazer falta mesmo. – Foi um pouco difícil, mas consegui concluir o que eu queria... com a sua ajuda eu também escapei de um lugar muito perigoso. – Ele sorriu safado para mim, eu revirei os olhos e respirei fundo. Esperai... como assim com a minha ajuda?

-- Que ajuda? Não lembro de ter te ajudado em nada. – Respondi até rápido demais. O Taehyung podia subir aqui e me chamar para descer para acabar com tudo aquilo, né? Nem iria reclamar. Ele suspira e se esparrama na cama logo depois.

-- Não teve um sonho estranho esses dias? – Ele pergunta se apoiando com os cotovelos para me ver.

Sem contar o de hoje? Sim, eu tive um sonho estranho. Eu já tive uma ideia que seria ele, mas essa ideia foi excluída assim que lembrei que ele estava longe, mas então como ele conseguiu fazer isso? Isso tem a ver com “os novos poderes” dele? O desgraçado me fez sonhar com uma idiotice dessas!

Infelizmente não pude evitar de corar violentamente, enquanto isso ouvi sua risada como se ele tivesse comprovado sua pergunta sem eu precisar responder com minhas palavras.

-- Então, você a primeira a ser meu experimento para poderes! – Ele gargalhou diabolicamente. – Se sinta honrada!

-- Cretino! Isso não teve a mínima graça! Não quero que faça isso de novo! – Não grito, até porque ele poderia arrancar a minha boca, ele apenas revirou os olhos com o sorriso nos lábios.

-- Ora, não fica nervosinha, querida. Até parece que não gostou de ser chupada. – Ele lambeu os lábios, mesmo aquilo sendo excitante fiquei firme. E mais uma vez, na qual não era nenhuma novidade para ninguém, corei. – Ficou gemendo tão manhosa e sexy... poderia te ouvir todas as noites para eu poder me masturbar. – Ele gargalhou mais uma vez.

 

“-- Você tem um gosto tão doce, amor. – Ele disse e sua voz rouca e sexy só meu fez ter espasmos em meu corpo que cada vez se amolecia ainda mais. – Hum... como você é debaixo desse paninho? – Ele desce pude sentir meus pés encostar o chão gelado, estremeci já que a temperatura de meu corpo estava completamente diferente daquele chão, mas aqui não estava quente? Sinto suas mãos alisarem as minhas coxas e subirem para debaixo de minha camisola até chegar as laterais de minha calcinha, a tirando logo depois. – Vamos lá de novo... – Ele solta uma risada maliciosa e agarrou minhas coxas as levantando e separando novamente, deixando a mesma coxa no mesmo lugar de antes. – Olha... – Ele finalmente toca meu clitóris que eu sentia inchado, pulsante e principalmente molhado me fazendo prender o ar de novo. – Você é tão rosinha, querida. – Ouço ele puxar o ar entre os dentes suspirando logo depois. Seu dedo subia e descia se esfregando bem forte em meu botão, eu me contorcia e sentia seu olhar queimar sobre mim. – Está mais quente que o normal... pulsa tão forte... sabe o que também está pulsando? – Nada respondo, meu corpo não responde por mim. – Meu pênis está pedindo arrego! ”

 

-- CALA A MALDITA BOCA! – Gritei furiosa e ele atendeu meu pedido, porém ainda segurava o riso e aquilo me irritou, então sem pensar nenhuma vez eu o empurrei da cama o fazendo cair do lado da mesma, ouço ele resmungar um palavrão e para me “livrar”, finjo arrumar minha cama. Qual é? Eu não arrumo a cama deve já fazer uns 2 meses, isso se não for mais, até porque para que se vou bagunça-la toda depois a noite quando eu for dormir? Sinto Jimin me matando com os olhos de pura raiva em minha direção ainda no chão.

-- Por mais que você fique assim, você deve aceitar até porque não tem volta... e para você pode ter sido apenas um sonho... – Ele se levantou do chão, limpando as mãos logo em seguida, quanto isso eu estendo meu edredom na cama. -- ..., mas não foi. – Paro no mesmo instante como uma estátua para raciocinar e analisar o que ele disse que para mim eu não queria ter entendido e apenas ignorado.

Ele realmente fez isso? Ele fez... um... aquilo? Aquele sonho não era real, né? Me diz que ele está brincando? Esperei um curto tempo para ele desmentir aquilo, mas nada e isso significa que... isso realmente aconteceu. Eu acabei de imaginar umas 1001 formas de como matar Park Jimin, talvez eu faça até um livro, olha que legal! Uma dessas formas na qual estou mais interessada em fazer é arrancar os olhos dele com um chinelo, amassar os testículos dele, pegar os olhos e enrolá-los nos testículos amassados, depois eu enfio meus dedos nos buracos nos olhos para furar o cérebro dele até sagrar e morrer. Tá, estou exagerando na minha tortura, porém nesse momento era o que eu mais queria fazer, matar Park Jimin. Porém se eu fizesse isso, por ele ser mais forte, mais alto e mais malandrado, em meio segundo eu já teria, se bobear, perdido a minha virgindade, então é deixar isso de lado, contar até 785, respirar fundo, segurar o choro e voltar a fazer o que eu estava fazendo antes e isso pareceu irritar um pouco ele, já que não reagi a nada e eu o ouvi bufar. Viu só como funciona? Ótimo método, vou aderir a isso.

-- Não vai dizer nada?

-- Como você mesmo disse: não tem volta. – Respondi simplista, finalizando minha arte de arrumar camas. – Agora se me der licença, eu tenho um lugar para ir.

-- A onde vai mocinha?

-- Como já disse: você não se importa de verdade. – Já tinha tocado na maçaneta pronta para sair, porém uma maldição aconteceu, foi como se eu sentisse meu corpo sair voando sozinho, só senti um meu pulmão sair do lugar, então gemi de dor. Ninguém me puxou ou empurrou, foi como se um vento superforte tivesse me colocado na parede que por sinal agora não conseguia sair. Vi o corpo de Jimin se aproximar e eu o fitei por inteiro. Sua camisa era um listrado branco e preto que cobria toda a mão e deixava os dedos de fora.

-- Eu ainda não terminei. – Ele disse autoritário, então eu engoli um seco. – Eu quero te contar uma coisa, mas não agora já que você vai sair e eu não quero que se atrase meu bebê. – Ele acaricia meu rosto com cuidado, okay, não tenho mais medo de baratas e sim do Jimin carinhoso, alguém pode colocá-lo no manicômio? Tremo com o seu toque, sua mão estava gelada e eu sentia seu olhar em direção de meus lábios.

-- O que você quer falar? – Pergunto pausadamente quase num sussurro.

-- De como e porque eu me transformei em um fantasma. – Ele disse firme e com voz grave, aquilo foi tão surpreendente que até arregalei os olhos e pela primeira vez desde do Jimin voltou aqui eu estava interessada em saber dele.

 

“Eu irei contar, mas com uma condição! Vamos fazer um pacto? Eu irei te amarrar na cama, apenas para prevenir que você fuja. ” – Sra.Rap Suga

 

 

[...]

 

-- Graças a Deus! Eu pensei que morreu no quarto. – Taehyung grita, apesar de estar na frente dele então aquilo foi bem desnecessário.

-- Oi, também! – Respondi com uma ironia.

-- Ótimo, Ada eu espero que não se importe, porque eu assaltei a geladeira. – Yoongi surge vindo da cozinha comendo um sanduíche cheio de coisas dentro com a boca cheia.

-- Como achou alguma coisa comestível? – Ele riu, mas antes de responder, Taehyung interrompeu.

-- Ele come qualquer coisa quando está com fome. Uma vez eu tinha deixado cair um enorme x - Burger de forno no chão da rua, sabe o que ele fez? – Neguei com a cabeça sorrindo enquanto Yoongi tentava terminar de mastigar o enorme pedaço de sanduíche que estava na boca com um sorriso no rosto. – Ele pegou do chão, assoprou todos os lados, alegou: “Estou com mais fome do que você! ... e o que não mata engorda! ” – Ele engrossa a voz tentando imitar a de Yoongi o que faz ele rir. – E simplesmente comeu o MEU x – Burger! – Faço cara feia para Yoongi que na mesma hora tenta se defender.

-- Eu peguei antes de 3 segundos! Pode pegar a comida do chão e comer se demorar até 3 segundos! – Ele morde mais um pedaço e fala com a boca cheia. – Deixou de ser seu quando caiu no chão, Tae. – Ri dos dois e vou em direção a Lind que nos observava envergonhada e querendo entrar na conversa, mas parece que ela não entendeu muito a “piada”.

-- Como foi lá na casa do Tae, Lind? – Ela deixa um sorriso escapar.

– Foi legal, eu desenhei um arco-íris de presente no quarto do Taehyungie oppa! – Arregalo os olhos surpresa e só ouço a risada de Yoongi.

-- Eu não sabia disso! Acho que o Taehyung teve sua masculinidade cortada pela raiz depois dessa! – Yoongi se pronuncia e Taehyung o xinga baixinho para a Lind não ouvir, olho para a garotinha na minha frente e a reprovo com o olhar.

-- Não deveria ter feito isso! É errado pinta a parede dos outros, Lind! – Brigo com ela e a mesma abaixa o olhar

-- Principalmente um arco-íris sem pedir a permissão! – Yoongi, não ri, porém, o Taehyung fez isso, batendo no ombro de seu hyung, o fazendo rir logo depois.

-- Pede desculpa para ele! – Mandei, ela já estava até pronta para ir e falar com ele, porém o Tae se pronuncia.

-- Está tudo bem Adalind! – Foi no meu antigo quarto da casa da minha mãe, nem durmo mais lá mesmo! – Ele coça a nuca um pouco sem graça e Lind por pouco período de tempo tinha ficado alegre por achar ter se safado dessa, mas isso não aconteceu, já que eu ainda mantinha o olhar de reprovação sobre ela.

-- Mesmo assim Taehyung! Eu ainda quero que ela se desculpe. – O mesmo assente e se agacha perto dela para chegar na altura dela. Ouço ela sussurrar um: “desculpa” no ouvido dele, então ele sorri sem mostrar os dentes.

-- Está tudo bem! – Ele responde beijando a bochecha dela que cora e ele ri de sua fofura, ela retribui o carinho beijando a bochecha dele depois dele a ter colocado no colo. Que cena fofa.

-- Vamos? Já são 9:56! – Yoongi se pronuncia, então vamos em direção a porta de saída da casa.

Lembra daquele “instinto de ficar parado, fechar os olhos para tentar sentir uma presença, que nem Naruto”? Não? Enfim! Foi isso que aconteceu comigo de novo, olhei em direção a escada e vi Jimin me olhando de lá de cima que sorriu de ladinho, mas não o retribui e então saímos de casa.

Andamos um pouquinho e não demorou muito para eu perceber que Taehyung carregava Lind no seu colo e aquilo me incomodou, não que eu tivesse ciúmes, mas acho que aquilo era mimação demais.

-- Tae! Não precisa carregar a Lind no colo! Ela é pesada e já é bem grandinha para andar no chão! – Na mesma hora ela fecha a cara e me dá língua já que eu praticamente acabei com a sua festa de “andar no colo do oppa”.

-- Não se preocupe, está tudo bem! – Ele apenas disse. Ele só sabe dizer isso?

Yoongi andava no meu lado direito e Taehyung, obviamente, do outro lado. Os dois vestiam calças, mas o Tae usava um jeans escuro e o Yoongi um jeans mais claro e rasgado nos joelhos com uma camisa social num tom de laranja com um boné branco em seus cabelos, já Taehyung, usava um casaco grande a branco, não fazia muito frio hoje, porém, era um frescor e ele não parecia se importar, mesmo que não desse para ver por causa de seus cabelos, ele usava uma bandana vermelha. Nos pés dos dois estava um tênis preto, talvez uma da Puma ou da Nike. Enquanto eu usava uma calça legue estilo jeans cinza com uma camisa vermelha qualquer com uma sapatilha marrom. Me sinto um trapo perto deles, porque estavam bem estilosos. Eles vão ter que me ensinar a ser estilosa também!

 

[...]

 

São 23:45! Estou no hospital, numa cama. Com um braço quebrado, uma perna atropelada, estou menstruada e com uma cólica horrível. Meu nome é Adalind e eu sou a Universal! Pfff, brincadeiras à parte, menos a parte da perna e braço... e da menstruarão bem desnecessária. Quer ouvir a história de como eu vim parar aqui? Ótimo! É o que eu mais quero fazer.

Depois de andar durante uns 11 minutos andando paramos em um carro que vendia lanches onde eu já estava até acostumada a comer para depois segui até o hospital. Esse carro era praticamente enorme. Sim, um carrinho de fast food! Ele ficava no começo, do alto de um morrinho e era preso por um tijolo enorme e pesado ao lado da roda na direção desse morrinho.

Taehyung começou a brincar com a Lind no chão enquanto eu e Yoongi conversávamos de coisas banais. Até que Lind começou a brincar debaixo do carro, ela conseguia porque a roda daquele negócio era gigante, então ela saia e entrava tranquilamente. Eu logicamente não estava gostando daquilo então eu a mandei sair dali a mesma começou a me irritar do jeito infantil e Lind de ser, eu estava pronta para puxar a Lind debaixo daquele negócio.

Eu não sei como, mas quando ela foi para ficar no meio daquele carro, o tijolo que segurava o carro caiu liberando o caminho para a roda. Nós três entramos em desespero assim que vimos o pneu andar, eu chamei a Lind para ela sair dali enquanto Yoongi mandou o motorista e o cozinheiro sair do carro, a mesma não obedeceu e deitou no chão ainda no meio do carro, provavelmente ela não tinha visto o carro andando sozinho.

No desespero em que o carro estava “acelerando” para descer o morro, eu escorreguei na poça que tinha do lado do carro, Taehyung gritou meu nome pelo susto. O motorista e o cozinheiro saíram do carro que na mesma hora o carro foi embora descendo no morro a baixo e só parou quando bateu em uma árvore antiga de tronco grosso e forte, o problema era que quando eu escorreguei, uma das minhas penas foi parar para debaixo do carro na mesma hora em que o motorista e o cozinheiro tinha saído, Ninguém de lá de baixo se machucou, apenas eu. Uma pequena multidão já estava se formando para ver o carro e outras subiam para me ver toda ferrada. Minha perna direita foi atropelada! Só deu para ouvir meus ossos da minha panturrilha quebrar e a Lind gritar por ter visto aquela cena horrível debaixo do carro.

Graças a Deus, ela não sofreu nada já que estava debaixo do automóvel, porem no meio dela. Taehyung foi buscar a Lind no meio da rua que já chorava pelo desespero de todos ali. Eu apenas sabia gritar e chorar de dor e quando olhei para minha própria perna toda amassada, Yoongi escorregou na mesma poça que eu, caindo em cima no meu braço, já que eu estava de mal jeito por querer observar a arte feita com ossos quase aparecendo e sangue vivo na minha perna. Eu e ele gritamos, mas eu gritei mais alto. Ele quebrou meu braço esquerdo!

Eu desisti de tentar ver alguma coisa, fechei os olhos e comecei a gritar e a chorar, colocando meu braço inteiro, no caso o da direita, nos meus olhos. Lind gritou assim que viu meu braço e Taehyung começou a gritar com o Yoongi por ter escorregado e caído em mim. Enquanto o cozinheiro e o motorista tentavam me abanar, já que eu estava a ponto de desmaiar, com a pressão baixa e a soar frito, o Yoongi ligava para uma ambulância enquanto Taehyung chorava tentando acalmar a Lind. A multidão que me observava... ainda me observava e outras me filmavam.

Mas para melhorar toda aquela desgraça, por causa de toda aquela tensão, eu senti algo saindo sozinho no meio de minhas pernas. Era só o que estava faltando não é mesmo? EU FIQUEI MENSTRUADA, WESLEY!? Eu simplesmente esqueci que estava recebendo os sinais e não coloquei um só absorvente e foi aí que chorei com mais vontade e gritar: “POR QUE VOCÊS TINHAM QUE FAZER UM CARRO-LANCHONETE NO COMEÇO DE UM MORRO SEUS BANDO DE MACACOS? ”. Não fui respondida, logicamente, mas eles me enchiam falando que iria ficar tudo bem, mas era isso que me fez ficar mais irada:

“FICAR TUDO BEM? MEU PÉ FOI ATROPELADO E MEU BRAÇO QUEBRADO! NÃO FALEM QUE VAI FICAR TUDO BEM! ”.

Até que eu ouvi o Yoongi no telefone:

“TEM QUE SER AGORA POR NÃO FOI SÓ O BRAÇO, FOI A PERNA TAMBÉM, MAS A PERNA ESTÁ PIOR, SANGRANDO MUITO! ... A GENTE NÃO PODE ESPERAR ELA ESTÁ SOFRENDO, CARALHO! ... NÃO QUER QUE EU XINGUE? QUER QUE EU FIQUE CALMO? JÁ PRESENCIOU UMA CRIANÇA QUASE SER ATROPELADA E ALGUÉM QUEBRAR NÃO SÓ A PERNA, MAS O BRAÇO TAMBÉM, SENDO QUE O BRAÇO FOI POR CULPA SUA? ... ME MANDE UMA PORRA DE AMBULÂNCIA ANTES QUE EU DESCRUBA QUEM É VOCÊ E QUANDO EU TE ENCONTRAR EU ENFIE UM DAQUELES JARROS DE PLANTAS QUE NÃO SERVEM PARA NADA NA SUA BOCETA, DEMÔNIA?! ... CAGUEI SE VOCÊ VAI ME PROCESSAR SE EU ESTIVER TE OFENDENDO, VOCÊ ACHA QUE ESTOU QUERENDO TE FAZER RIR? ... EU SOU IMUNE AOS SEUS PROCESSOS! ... QUER SABER? FODA-SE! EU VOU DESCUBRIR QUEM É VOCÊ E SE PREPARE! ”. Até que ele desliga o telefone e diz que eles não veriam tão rápido porque só tinham 3 ambulâncias e as três estavam nas ruas rumo as vítimas que estão na minha frente. Então ele me pega no colo, gritei de dor e fiquei rígida e o senti correr o mais rápido possível. Taehyung com a Lind no colo corria logo atrás, não era diferente para o motorista e cozinheiro. A multidão ficou lá trás, não nos seguiu.

Quando chegamos no hospital o Yoongi arrombou a porta, pelo menos era o que ele achava, até porque a porta era aquela que abre e fecha sozinha, quando entramos com ela aberta a mesma se fechou na cara do cozinheiro, motorista e Taehyung que fecharam a cara com o ato de Yoongi. Hoseok, Jin e Namjoon estavam quietos e se assustaram quando a porta do hospital foi... “arrombada”.

“CADÊ AQUELA RECEPCIONISTA DE MERDA? EU QUERO UM ENFERMEIRO! ”.

Foi a primeira coisa que Yoongi gritou assim que chegou no hospital. Jin quase desmaiou quando me viu, Namjoon ficou paralisado, praticamente sem reação, e Hoseok ficou em desespero gritando junto com Yoongi, Taehyung chorava que nem uma criança com Lind virada em sua direção com o rosto em seu peito para não presenciar meu estado deplorável, o motorista e o cozinheiro ainda tentavam de uma forma inútil me acalmar, até que um enfermeiro chegou com uma daquelas camas de rodinhas junto com outros enfermeiros perguntando o que aconteceu comigo, eu calmamente respondi:

“ESTOU TODA SUJA PELA PERNA, PELO BRAÇO E PELA VAGINA JÁ QUE ME ESQUECI QUE IRIA FICAR MENSTRUADA, QUEBREI O BRAÇO POR CAUSA DO IMBECIL DO YOONGI QUE NÃO TEM OLHOS PARA VER AONDE ANDA E MINHA PERNA FOI ATROPELADA POR DUAS RODAS DE UM CARRO-LANCHONETE DE DOIS MACACOS PORQUE O TAEHYUNG NÃO CONSEGUE SER ADULTO O SUFICIENTE PARA CUIDAR DE UMA CRIANÇA, ALGUM PROBLEMA OU VOCÊ NÃO CONSEGUE SER RESPONSÁVEL POR ALGUÉM QUE ESTÁ TODA QUEBRADA ENFERMEIRINHO DE FACULDADE BARATA!?... E NÃO VAI FICAR NADA BEM! ”.

Foi nesse momento que senti uma agulhada no meu braço assim que me colocaram naquela cama de rodinhas e apaguei.

Agora que acordei, me senti culpada pelo o que falei com todo o mundo. Meu braço está engessado junto com a minha perna. Eu queria me desculpar com todo o mundo, eu estava nervosa, eu tinha quebrado vários ossos quase na mesma hora, o que eu poderia fazer? Eu espero que ninguém fique magoado com que eu falei. Depois, lá na frente, quando lembrar desse dia eu iria começar a rir que nem uma hiena, mas nesse momento eu só quero chorar e sofrer sozinha.

Um médico me atendeu e disse que passei por uma cirurgia de reconstrução óssea, pois com a primeira roda daquele carro enorme eu apenas quebrei a minha perna, já com o segundo os ossos quase viram farelos e se isso acontecesse, não teria uma perna agora. Graças a Deus não viraram farelos! Já meu braço, eu apenas quebrei um pouco mais à frente do cotovelo, no meio do rádio (é um nome de um osso do braço, pois é.) então ele foi mais fácil. Logo ele me deu alguns medicamentos para a dor e a cólica e se eu quisesse eu poderia ir embora, eu realmente queria.

Antes de seguir para fora daquele quarto, havia pedido para o médico me levar para o quarto do Jungkook e assim ele fez. Quando cheguei lá, eu o vi, não saiu do mesmo lugar, continuou desde ontem. Não falei nada, apenas beijei sua testa e sorri, pedindo logo depois para o médico me tirar dali ele me esperava do meu lado porque eu estava com uma cadeira de rodas com o pé quebrado para o alto.

 

[...]

 

Voltei para casa com a ajuda de praticamente todos os meninos, me enchendo de perguntas, preocupados. Eu não queria responder nenhuma, não estava com cabeça para isso.

Viemos todos num táxi, eu não poderia levar a cadeira de rodas, então foi o Taehyung que me colocou no carro e assim que entrou colocou a Lind em seu colo. O meu médico recomendou eu sempre deixar a perna para o alto e então como Tae estava com a Lind no colo, Jin se candidatou para eu colocar minha perna em seu joelho. PÉSSIMA IDEIA! Por que? Aquilo era um táxi! Um pequenino táxi! Eu tinha que ficar no colo de alguém, então nada e nem ninguém melhor que Jin e Namjoon colocou a minha perna em cima de seu colo. Minha cabeça batia toda hora no teto daquele carro. Hoseok teve que sentar perto do motorista. Lind? Coitada, ainda chorava assustada, acho que ela terá um pequeno receio para me olhar por um bom tempo.

Agora aqui em casa, os meninos não queriam ficar, porem estava na cara deles que estavam todos cansados, então eu os recomendei dormir dessa vez na casa deles e como a ideia era extremamente tentadora, eles aceitaram e foram. Apenas Taehyung que demorou um pouco para ir porque havia colocado a Lind para dormir e me ajudou a ir ao meu quarto.

-- Não se preocupe, eu fecho a porta de sua casa! – Ele diz com um sorriso sem graça assim que paramos na porta e então ele deixou eu ficar de pé por um momento e depois voltou a me carregar até me deixar na cama. – Se quiser, eu nem vou ao hospital amanhã e venho cuidar de você. Não irá poder andar por um bom tempo! – Ele suspira.

-- Eu agradeço, mas não quero te sobrecarregar! Eu irei dar um jeito e ficar bem. – Até porque Jimin daria um jeito e cuidaria de mim, querendo ou não. Respiro fundo e coço os olhos.

-- Você ainda precisa dos remédios. Eu irei comprar para você... quero dizer, eu e o Yoongi hyung! Como um pedido de desculpas e você querendo ou não terá que nos suportar! – Ele apontou o dedo para mim perto do seu rosto, que nem um pai avisando para o filho o que deve ou não fazer. Rio e assinto afirmando depois.

-- Obrigada e desculpe pelo o que eu disse no hospital... e-eu

-- Ei! Está tudo bem, certo? – Ele me pergunta com um sorriso divertido no rosto. Ele nunca deixa de sorrir até nos piores momentos. Quero ser ele quando crescer! Retribui o sorriso então antes de fechar a porta ele me olha novamente.

-- Fique bem! – Repeti e mesmo aceno que ele fez e antes de fechar completamente a porta o vejo piscar um olho para mim, cúmplice.

-- Eu te deixo sair por algumas horas e você volta completamente... quebrada? – Olha lá quem estava me dando esporro? Reviro os olhos e o olho. Ele estava com os braços cruzados na frente de seu peitoral, com a aparência obviamente zangada, estava quase vermelho. – Tem algo para dizer?

-- Estou com sono. – E estava mesmo, tanto que até bocejei quando terminei de falar.

-- O que aconteceu?

-- Não está vendo meu braço e minha perna? Então... quebrei o braço e atropelei a minha perna... para completar a minha desgraça, estou menstruada, então nem me estresse! – Ele bufa. – Não que eu mesma tenha atropelado a minha per...

-- Já chega! – Impaciente com um convite para calar a boca. Que gracinha. – Lembra do que eu queria falar?

Ah, verdade! Hora de pegar a pipoquinha porque o cinema vai começar!

“E foi isso que aconteceu. Não quero que tenha pena ou medo de mim, se for assim, prefiro que vá, então você é como qualquer ser humano patético desse mundo. Se ficar por amor, saiba que irei retribuir com a mesma intensidade, porque eu sinto o mesmo. ” – Sra.Rap Suga

 

 


Notas Finais


O que acharam meu bombons?
Quase 300 favoritos? SÃO QUASE 600 OLHOS GENTE! (fora os que só colocam na biblioteca) <3
Arigato gozaimasu :3 (Obrigado *em japonês)
Tenho dom de poeteira?

Conheça as nossas outras fanfics:

Esquizofrenia (Imagine Jimin - BTS) [Oneshot]
Link: https://spiritfanfics.com/historia/esquizofrenia-imagine-jimin--bts-8202918


The Ghost Groom (Long Fanfic Jimin) [Fanfic ainda não terminada]
Link: https://spiritfanfics.com/historia/the-ghost-groom-jimin-6002022

O Prostituto (Imagine V – BTS) [Fourshot]
Link: https://spiritfanfics.com/historia/o-prostituto-imagine-v--bts-8276542

Criadas por: Sra.Rap Suga

SE INSCREVAM NO NOSSO CANAL: https://www.youtube.com/channel/UCq_zG3PMu4HUiSQWzSwEugg

Whatsapp: Deixe o seu número nos comentários!!!!!! VAMOS SER AMIGUINHOS <3
Ah, coloquem em número separadamente, tipo:
+55 (21) 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Porque se não o sprit coloca com telefone removido...


Conheça a nossa página oficial no facebook... não postamos só capítulos das fanfics, okay? ;)

Página:https://www.facebook.com/BangtanBoysFanficsBROficial/
OBRIGADA POR TUDO <3
★~(◠ω◕✿)
~Sra.Rap Suga


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...