História The Girl Of Black Garter Belt - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Ashley Benson, Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Josh Hutcherson, Justin Bieber, Kendall Jenner, Kylie Jenner, Matthew Espinosa, Nash Grier, Pattie Mallette, Ryan Butler, Sasha Pieterse
Tags Criminal, Járbara, Justin Bieber, Romance
Exibições 346
Palavras 2.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus amorzinhos, bom, cheguei com capítulo novo e cheio de coisas novas <333
Estou sentindo falta de vocês interagindo nos comentários
Amo vocês, QUASE EM 500
Boa Leitura!

Capítulo 50 - Completamente desligada


Desde que descobrimos que tem gangue nova na nossa área, não paramos de procurá-la. Estava ficando tudo muito cansativo, eu estava participando mais dos planos e Justin estava cada vez mais estressado por isso. 

Ele não gosta que eu fique nos planos, por insegurança, ele tem medo de alguma falha acontecer e isso me atingir. Estamos morando juntos agora, e tudo parece estar mais agitado do que antes. 

Abri a porta de casa cansada e fechei a mesma, suspirando. Tirei os meus saltos e joguei a minha bolsa preta no sofá. 

— Amor? — Chamei por Justin sem nenhuma resposta, fui até o escritório e abri a porta, vendo o loiro com um cigarro de maconha entre os dedos. 

Suspirei e ele me olhou com os olhos mais vermelhos do que nunca. 

— Desculpa — Ele sussurrou e logo eu senti os meus olhos marejarem. 

Odiava quando ele fumava, isso mostrava o quanto ele não estava suportando e o quanto estava fraco. Fechei a porta do escritório e caminhei lentamente na sua direção. 

— Você nunca me escuta — Falei com a voz fraca, virando a sua poltrona de couro para mim.

Encarei os seus olhos vermelhos e neguei, Justin estava com os seus olhos marejados também, mas nenhuma lágrima descia. 

— Eu não aguento mais — Ele sussurrou perto do meu rosto e suspirou — Eu não vou aguentar — Ele falou com a voz rouca e eu neguei. 

— Respire — Falei acariciando o seu rosto e ele negou, deixando uma lágrima descer por sua bochecha. 

— Eu estou viciado, Zie, eu não consigo mais — Justin falou respirando fundo, se atrapalhando ao falar. 

— Se vicie apenas em mim — Sussurrei perto dos seus lábios, fazendo um carinho nos seus cabelos. — Só em mim — Encostei a minha testa na dele e fechei os meus olhos, deixando as minhas lágrimas molharem as minha bochechas.

Justin passou os seus polegares pelas minhas bochechas, limpando as minhas lágrimas. 

O puxei pela mão, fazendo ele ficar em pé, Justin estava com o corpo mole. 

— Você precisa descansar — Falei saindo com ele do escritório, subimos a escada devagar e eu o levei até o "nosso" banheiro. 

Tirei sua camisa preta e olhei seus olhos novamente, que me encaravam atentamente. 

— Eu senti a sua falta — Ele sussurrou perto dos meus lábios e eu assenti com a cabeça. 

Tirei a sua calça o deixando só de cueca, abri a água da banheira e deixei a mesma encher. 

Olhei para Justin que estava encostado na pia de cabeça baixa, peguei suas roupas e coloquei no cesto de roupa suja, logo o olhando de novo. 

— Eu estou com dor de cabeça — Ele falou baixo e eu fui na sua direção, puxando seus braços, abraçando seu corpo desnudo. 

Enfiei o meu rosto no seu pescoço e beijei de leve o mesmo, sentindo ele se arrepiar. 

— Vá tomar um banho, eu vou pegar algum remédio — Falei baixo e beijei sua bochecha. 

Justin assentiu tirando a sua cueca, entrando na banheira. Desci as escadas e fui direto para o armário da cozinha, peguei um remédio para dor de cabeça e uma garrafa D'água. 

Subi de novo e Justin ainda estava na banheira, liguei a TV e me deitei na cama, esperando ele sair do banheiro. Alguns minutos depois Justin saiu com os cabelos molhados e a toalha na sua cintura, sorri fraco e ele foi até o closet se trocar. Ele saiu de lá com uma cueca boxer preta e se deitou ao meu lado, suspirando. 

Dei o remédio á ele e ele bebeu um pouco da água.

Ficamos em silêncio por um bom tempo, só escutando ambas respirações cansadas. 

— Está brava comigo? — Ele perguntou baixo e eu o olhei, Justin me olhava sereno. 

Neguei com a cabeça e ele me puxou ao seu encontro, me abraçando carinhosamente. 

— Estou triste porque voltou a fumar essa merda — Falei baixo, passando meus dedos entre os seus fios loiros. 

Ele suspirou e beijou o meu pescoço de leve. 

— Me desculpe — Justin falou com a voz mais rouca que o normal. 

— Está tudo bem, eu vou tomar um banho — Falei me levantando e ele assentiu, fui direto para o banheiro e me despi, entrei no box e liguei o chuveiro, entrando debaixo do mesmo. 

Tomei um banho bem rápido, coloquei a minha camisola e deitei ao lado de Justin novamente, que dormia. 

Depositei um beijo nos seus lábios rosados e o cobri, abraçando seu corpo por de baixo do cobertor. Fechei os meus olhos e suspirei. 
 

                                                                                           [...]


 

Acordei com o meu celular tocando, revirei os olhos e desliguei o mesmo, escutando Justin resmungar alguma coisa. Eram três horas da manhã, Chaz me ligava freneticamente, sentei-me na cama e liguei de volta para ele. 

— O que aconteceu? — Perguntei com a voz sonolenta, e consegui escutar a respiração de Chaz no outro lado da linha. 

— Achamos a outra gangue — Ele falou rápido, fazendo com que eu revirasse os meus olhos. 

— Quem são eles? — Perguntei olhando Justin, que babava no meu travesseiro. 

— Não sabemos, esses filhos da puta usam máscaras. 

— Máscaras? Que porra de máscaras, Chaz?

— De palhaços, eu não sei Zie, essa merda está estranha. 

— Caralho! 

— Eles são barra pesada, são pirados Mackenzie. 

— Eu vou falar com Justin. 

— Ok, qualquer coisa eu ligo de novo. 
 

Chaz desligou a chamada e eu suspirei. Palhaços? Só pode ser brincadeira. 

Deitei novamente e fechei os meus olhos, procurando o sono novamente.
 

Acordei com Justin depositando vários beijos por o meu rosto, fazendo com que eu sorrisse fraco. 

— Boa tarde, baby — Ele sussurrou e eu me espreguicei, suspirando. 

— São que horas? — Perguntei sonolenta e escutei ele desbloquear o seu celular. 

— Duas e quarenta, nós dois dormimos muito — Justin falou baixo e eu assenti, me sentando na cama, arrumando os meus cabelos bagunçados. 

— Chaz achou a gangue — Falei me levantando, recebendo um tapa na bunda e logo escutando a risada gostosa de Justin. 

— Quem são? — Ele perguntou calmo e eu me virei para o olhar. 

— Ninguém sabe, eles usam máscaras de palhaços — Revirei os meus olhos, vendo ele sorrir. 

— Pensei que tivesse medo de palhaços, naquela foto do seu aniversário você parecia ter medo — Justin falou rindo. 

— Depois de eu me tornar a sua garota, eu não tenho medo de nada — Pisquei e fui para o banheiro, escovei os meus dentes e fiz as minhas necessidades. 

— Profundo — Justin adentrou o banheiro e me deu um beijo demorado. 

Desci as escadas correndo e fui direto para a cozinha, peguei uma maçã e logo vi Justin descendo as escadas. 

— Eu só queria ficar em paz, por alguns dias — Justin falou me olhando, suspirei e caminhei na sua direção, abraçando a sua cintura— Quando tentamos ficar em paz, você vai presa e o seu amigo têm problemas, porra!— Ele falou cansado e eu beijei o seu peitoral. 

— Vamos conseguir ficar bem— Falei o encarando, logo beijando a sua boca. 

— Eu quero parar com isso tudo — Justin falou e eu o encarei confusa. — Com os roubos, podemos ir embora daqui, podemos ir para a França, para a Alemanha, qualquer lugar — Ele disse me olhando. 

— E a minha faculdade? E os meus planos, os meus amigos? — Perguntei com as minhas mãos na minha cintura. 

— Você pode fazer faculdade lá — Justin encarou os meus olhos e eu neguei. 

— Eu ainda não estou pronta para isso, Justin — Falei o olhando e ele assentiu fraco. — Nós mal começamos a morar juntos, eu não penso na possibilidade de sumir do mapa — Falei me sentando no balcão, com os meus olhos em cima dele.

— Está certa — Ele falou derrotado, saindo da cozinha. 

Fui atrás dele e o abracei pelas costas, beijando as mesmas. 

— Só... Tenta aguentar mais um pouco, ok? — Perguntei baixo, escutando ele murmurar um "Uhum". 

Ele foi para o escritório e eu o segui, abri as gavetas e tirei todos os cigarros e saquinhos com maconha dentro de lá. Justin suspirou e passou sua língua por os seus lábios me encarando. 

— Eu vou colocar fogo nisso — Encarei seus olhos e ele revirou os mesmos. 

— Cuidado para não se queimar, bebê — Ele disse rindo, bati no seu braço e ele me puxou pela cintura, fazendo com que todas as coisas caíssem no chão. 

— Justin! — O repreendi e ele me abraçou por trás, apertando a minha cintura. 

— Ah vamos lá, estamos estressados a semana inteira — Ele sussurrou na minha orelha, mordendo a mesma. 

Sorri o olhando e passei os meus braços por o seu pescoço, logo sorrindo encarando seu rosto. 

— Você não presta — Ri fazendo com que ele sorrisse. 

— Deixe-me viciar em você, amor — Justin sussurrou e me deitou cuidadosamente no sofá do escritório, vindo para cima de mim. 

Colei nossos lábios e o puxei mais ainda pela nuca, puxando também sua cintura contra a minha. Justin apertou a minha cintura, fazendo com que eu arfasse, puxei-o mais ainda para mim e me separei de seus lábios. 

Ele subiu a minha camisola preta e apertou a minha cintura, logo descendo seus beijos para o meu pescoço. Justin tirou a minha camisola e a jogou para longe, logo encarando os meus seios. 

— Eles sempre me impressionam — Ele falou olhando com a cabeça inclinada, me fazendo rir. O puxei pelo pescoço e colei nossos lábios novamente. 

Justin pediu passagem com a língua e eu cedi sem nem pensar duas vezes, sua língua invadiu a minha boca, entrando em perfeita sincronia com a minha. Arranhei sua nuca e o puxei mais ainda para mim. 

Deslizei a minha mão por o seu abdômen definido e parei a mesma na barra da sua cueca, logo encarando os seus olhos. Justin fechou os mesmos quando eu coloquei a minha mão dentro da sua cueca, sentindo o seu membro totalmente duro. 

— Uau — Sussurrei risonha perto do seu rosto, escutando o seu riso descontrolado. 

— Vamos ficar só rindo ou...? — Justin perguntou confuso, logo revirando os seus olhos, voltando a me beijar.

Tirei a cueca de Justin e o joguei para o lado, fazendo com que ele caísse sentado no sofá, me levantei e sorri parando na sua frente, só de calcinha. 

Abaixei a minha calcinha lentamente, vendo ele fechar os olhos e negar. 

— Abra os olhos, bebê — Falei o encarando, terminei de tirar a minha calcinha e Justin me puxou pelas laterais das minhas coxas, fazendo com que eu caísse sentada no seu colo. 

Justin beijou a minha clavícula e logo o meu pescoço, deixando um chupão no mesmo, o reprovei com o olhar e o mesmo sorriu amarelo. Me encaixei em cima do seu membro e rebolei bem devagar, mantendo os meus olhos nos de Justin, passei minhas mãos por os seus cabelos loiros e ele começou a aumentar os seus movimentos, fazendo com que eu gemesse.

— Bieber — Gemi o seu sobrenome manhosa, vendo um sorriso brotar em seus lábios, encostei a minha testa na sua, sentindo as estocadas de Justin mais fundas e fortes. 

— Eu amo quando geme o meu nome, bebê — Ele sussurrou apertando a minha cintura, me ajudando com os movimentos, estávamos ambos ofegantes. 

Me joguei para o lado e o puxei rapidamente, Justin deitou sobre o meu corpo e penetrou só a cabecinha, fazendo com que eu o encarasse e revirasse os olhos. 

— Não me provoque, Bieber — O encarei, puxando seus ombros para mim, Justin penetrou tudo de uma vez, me arrancando um grito de prazer, arranhava suas costas, cravando as minhas unhas nas mesmas. 

— Caralho! — Justin gemeu baixo, aumentando os movimentos. 

Suas estocadas eram cada vez mais rápidas, ele beijou o meu pescoço e logo colou nossos lábios. Senti minha intimidade comer o seu membro e fechei os meus olhos, sentindo o seu líquido quente invadir-me por dentro. Gozamos juntos. 

Encarei os seus olhos cor de mel, vendo suas pupilas totalmente dilatadas. Colei nossos lábios novamente, agarrando a sua nuca, fazendo um leve carinho nos pequenos fios de cabelos da mesma. 

Fechei os meus olhos e suspirei, beijando o seu ombro. 

— Porra, como eu amo você! — Justin falou baixo, beijando o meu pescoço novamente. 

— Eu te amo, Justin — Sorri fraco, abraçando suas costas desnudas. 

Ficamos em silêncio por um bom tempo, fiquei dedilhando os meus dedos pelas suas costas desnudas, enquanto Justin beijava o meu pescoço de leve. 

— Amor? —  O chamei e ele murmurou um "Hm". — Por que quer fugir de tudo? Logo agora? Logo depois de ter tantas conquistas? — Perguntei baixo, pertinho da sua orelha. 

— Eu sinto que não estou dando o suficiente por isso, eu não estou dando o suficiente por você — Justin falou com o rosto enterrado no meu pescoço — Eu quero te proteger — Ele falou baixo, fechei os meus olhos e suspirei. 

— Por que tenta me proteger tanto das coisas? — Perguntei ainda com os olhos fechados. 

— Você é muito preciosa para o nosso mundo, e eu não quero deixar-te escapar por os meus dedos — Ele falou rápido, me fazendo sorrir. 

— Drew? — Escutei o grito de Chris invadir a casa, arregalei os meus olhos e Justin se levantou rápido, jogando as roupas por cima do meu corpo, logo abrindo a porta do escritório. 

— Porra, tá pelado? — Chris perguntou cobrindo os olhos me fazendo rir, coloquei a roupa rapidamente, me sentando no sofá do escritório. 

— Até parece que nunca viu o meu pau — Justin reclamou, me fazendo rir. 

— Oi Mack — Chris falou ainda com os olhos fechados, joguei a cueca de Justin para ele e o mesmo colocou. 

— Pronto, donzela, está satisfeita? — Justin ajeitou a cueca e Chris abriu os olhos, o encarando. 

— Acho que temos pistas de quem seja da gangue — Chris me olhou e eu me levantei rapidamente, indo até os dois. 

— Quem? — Perguntei preocupada. 

— Matthew — Christian falou e eu neguei com a cabeça. 

— Não, isso não pode estar acontecendo — Falei o encarando. 

— Achamos o documento dele perto do lugar onde eles estavam, Matt é um amador, mas é perigoso — Ele falou me entregando a identidade de Matt. 

Merda. 

— Não — Falei com os olhos marejados e encarei o documento do mesmo. 

Subi as escadas correndo e troquei de roupa rapidamente, desci novamente e peguei a minha bolsa. 

— Amor, onde está indo? — Justin me puxou pelo braço, fazendo com que eu encarasse os seus olhos. 

— Eu vou resolver isso, sozinha — Me soltei do seu braço e fui direto para o meu carro, entrei no mesmo e dei partida, cantando pneu. 

Depois de dirigir por alguns minutos, parei na frente do prédio de Matthew, peguei a minha arma e coloquei na cintura, suspirando de leve. 

Entrei no seu prédio e cumprimentei o porteiro que já me conhecia, entrei no elevador e cliquei no botão do andar de Matthew. 

Filho duma puta. 

Finalmente chegou ao seu andar, saí do elevador e fui até o seu apartamento, bati na porta brutalmente e escutei seus passos se aproximarem. 

— Zie — Ele abriu a porta sorrindo e eu o empurrei forte, fazendo com que ele cambaleasse. 

— QUAL É A PORRA DO SEU PROBLEMA? — Perguntei o encarando incrédula, ele encarou os meus olhos e tentou falar algo, mas nada saía da sua boca. 

— Mackenzie — Ele falou baixo e eu neguei. 

— Éramos amigos, éramos sempre nós três, mas quer sair por cima? Por que? — Perguntei deixando as minhas lágrimas escorrerem pelas minhas bochechas. 

— Eu não sei do que está falando — Matt falou me encarando, tirei sua identidade do meu bolso e joguei em seu rosto, o encarando com nojo. 

— O que queria de mim? O que queria arrancar de mim Matthew? — Gritei e ele pegou sua identidade do chão, logo negando. 

— Você não entende, Zie, é complicado — Ele falou tocando o meu braço, tirei o meu revólver da cintura e apontei na sua direção, fazendo com que ele se assustasse. 

— Quer acabar comigo? Acabe! — Gritei e ele levantou suas mãos em forma de rendimento — Mas saiba jogar o meu jogo, LIMPO! — Gritei mais uma vez e ele abaixou a cabeça, saí do seu apartamento. 

Desci pelo elevador e rapidamente saí do seu prédio, entrei no meu carro e dei partida, deixando aquela rua para trás. 

Escutei o meu celular ligar e vi que era Justin, recurei a ligação e suspirei, acelerando mais ainda. 

Eu não tinha percebido até então, só depois que o rádio começou a chiar. Não era mais um carro, eram apenas peças destruídas do mesmo, e a minha consciência? Não estava funcionando naquele momento. 

Meu corpo estava doendo, pude abrir os olhos por um único momento, mas fechá-los era a melhor opção naquele instante. 

Eu estava completamente, desligada.  


Notas Finais


ZIE SOFREU UM ACIDENTE DE CARRO, SERÁ QUE AINDA ESTÁ VIVA?
Matthew é um tremendo vacilão, onde já se viu, trair a própria amiga?
Espero que tenham gostadoooooo
Comentem mais por favorzinho, todo o incentivo é bem-vindo.
Amo todos vocês, até os fantasmas.
OBRIGADA POR TUDO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...