História The Girlfriend Of My Friend - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Laucy
Exibições 1.869
Palavras 3.722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores, como vocês estão?

Eu fiquei muito feliz com o comentário do cap anterior, a forma que vocês receberam mais um de meus nenéns. Fiquei bastante empolgada para escrever o proximo. Eu finalizei ontem de madrugada, quando eu cheguei do trabalho! Enfim... É hot, então se alguem não gosta já pula pro final, enfim... é isso, tenham uma boa leitura amores.

Capítulo 2 - Salva pela mamãe


 

POV Lauren

 

Os lábios macios de Camila se chocaram contra o meu e suas mãos agarraram os meus cabelos de maneira firme, a minha língua sedenta invadiu a sua boca sem ao menos pedir permissão, e eu pude sentir um leve gosto de morango, o que deixou o beijo ainda mais gostoso. Essa latina maldita tem um beijo tão bom, e viciante.

 

Minhas mãos automaticamente desceram para aquele monte delicioso da bunda de Camila, onde eu apertei com força e pressionei o seu quadril contra o meu, e como resposta ela gemeu contra os meus lábios, quando sentiu o meu membro já completamente duro dentro de minha roupa. Ela começou a dar passos para trás em direção a cama, enquanto me puxava junto, eu estava ocupada demais em seu pescoço, fazendo questão de deixa-la marcada com chupões e mordidas, mas antes que Camila pudesse me jogar na cama, eu girei o nosso corpo e a joguei com uma certa agressividade contra o colchão macio da cama, a desgraçada me olhou com um sorrisinho sínico nos lábios. Sem esperar nenhum segundo eu me deitei por cima dela, me encaixando entre as suas pernas, prendi suas mãos por cima de sua cabeça, entrelaçando nossos dedos, eu ainda beijava pescoço e rebolava sobre o seu sexo, roçando o meu membro sobre a sua intimidade, por conta da saia que ela vestia eu pude sentir sua umidade molhar a minha calça.

 

- Porra garota! Você está tão molhada – Murmurei eu estava em transe com aquela sensação. O desejo de foder aquela bocetinha só aumentava. E foi nesse meu momento de distração, que Camila usou para girar o nosso corpo e assim ficou por cima de mim.

 

A desgraçada fez questão de sentar bem encima de meu pau, que por sinal já estava um tanto dolorido sendo esmagado por aquele pano inútil da calça jeans que eu vestia. As minhas mãos agarraram a cintura de Camila e eu forcei um pouco o meu quadril para cima, querendo mais que tudo estar livres daquelas roupas. E parece que Camila me ouviu, pois no minuto seguinte ela retirou a blusa que estava vestida, em seguida desabotoou o sutiã e jogou para longe junto com aquela blusa. Os meus olhos caíram sobre os seus seios médios, durinho, os mamilos rosadinhos e chamativos, minha boca salivou, o desejo de chupar, e morder, sentir o gostinho de Camila. INFERNO DE LATINA GOSTOSA.

 

- Eu odeio quando você enrola assim – Camila grunhiu, os seus dentes cerrados me fez ter a certeza de que ela estava irritada. Aquilo só me fez sorrir, e a vontade de provoca-la me invadiu sem muito esforço.

 

- Você está com pressa? - Me sentei na cama com ela ainda sobre o meu colo. O meu braço rodeou a sua cintura – Porque eu não estou – Mordisquei o seu queixo e deslizei os meus lábios de forma lenta até que chegasse próximo ao seu ouvido para então continuar a falar, dessa vez de forma sussurrada – Eu tenho a tarde todinha para te foder, gostosa. - Quando terminei de falar, os meus lábios se fecharam contra o lóbulo de sua orelha onde eu chupei, podendo sentir os pelinhos de Camila se arrepiando.

 

Espalmei minha mão sobre o seu seio direito, ele era médio do jeitinho que eu gosto, parecia que foi feito exclusivamente para mim, permaneci com um braço firme envolta de sua cintura e comecei a fazer massagem lenta sobre o seu seio direito, meu dedo polegar acariciavam o seu mamilo com uma delicadeza que eu nunca havia usado com ela. Eu fazia tudo isso sem desviar os meus olhos do dela, e eu sorri internamente ao perceber que ela estava travando uma luta interna com ela mesmo para manter os olhos abertos. O seu lábio inferior estava presa entre os seus dentes, se controlando para não gemer, mais eu queria que ela gemesse, eu queria ouvir aquele gemido gostoso dela, ao mesmo tempo eu queria tortura-la.

 

Abaixei o meu rosto na altura do seu seio esquerdo e passei a pontinha de minha língua sobre o seu mamilo rodeando o mesmo com cuidado. Olhei para Camila e a latina já havia desistido de lutar e os seus olhos estavam fechados, sua cabeça jogada um pouco para trás, sua respiração já começando a pesar, mais ela ainda mantinha o lábio preso entre os seus dentes, a vadia ainda me poupava de ouvir os seus gemidos, mas eu sabia que ela não iria segurar por muito tempo. Abocanhei o seu seio esquerdo e chupei ali com força, ao mesmo tempo que apertei o direito. E ali estava ele, o gemido de Camila, não foi nem um tanto baixo, e também não muito alto, foi exatamente do jeitinho que eu gosto. Camila geme tão gostoso. Eu costumo dizer que aquele era o meu som preferido.

 

Depois de aproveitar o seu seio esquerdo, eu segui para o direito, lambendo e chupando ele todinho com calma, apenas aproveitando do gosto e dos gemidos de Camila, quando me dei por satisfeita eu me levantei com ela em meu colo, e em um movimento rápido lhe joguei na cama novamente. Aproveitei aquele momento para poder retirar a minha jaqueta e minha camiseta. Enquanto fazia isso, Camila se sentou na cama e ficou me olhando com um sorrisinho torto nos lábios e porra, aquela era a cena mais sexy da minha vida. Abri os botões de minha calça e retirei os meus coturnos arrancando a calça em seguida, soltando um suspiro aliviado, quando retirei aquela peça inútil que estava apertando o meu pau.

 

- Vem cá – Agarrei Camila pela as pernas e a puxei para beirada da cama. Eu ainda estava em pé, tinha apenas o meu joelho direito apoiado no colchão. Quando Camila já estava próxima a mim, eu soltei as suas pernas – Senta – Pedi e ela soltou uma risadinha baixa porem me obedeceu, automaticamente as minhas mãos foram para os seus cabelos lisos e eu agarrei ali com firmeza.

 

- O que você quer? – Perguntou de uma forma cínica. Os seus olhos transbordavam uma falsa inocência, que se eu não conhecesse tanto essa maldita eu poderia até acreditar. Eu não respondi, apenas apertei ainda mais os meus dedos em seu cabelo e puxei com força, fazendo ela inclinar a sua cabeça para trás e um gemido manhoso escapar de sua garganta – Maldita – Xingou e eu sorri afrouxando os meus dedos em seu cabelo.

 

- Me chupa, logo – Pedi, soando mais como uma ordem.

 

- Uai, não foi você que falou que não estava com pressa? – Provocou com um sorrisinho no rosto. Suas mãos foram até a barra de minha cueca e ela abaixou a mesma, o meu pau saltou duro para fora batendo contra minha barriga. Camila sorriu e sua língua saiu para fora umedecendo os seus lábios – Delicia – Sussurrou. A sua mão delicada rodeou o meu pau e ela começou a me masturbar, de forma lenta. Arfei, e dessa vez foi a minha vez de morder o lábio inferior e prender o meu gemido. Mas isso se tornou impossível, quando eu senti a língua de Camila rodeando a minha glande lambendo o pré-gozo que saia dali e logo sua boquinha quente cobrindo o meu pau e ela sugou, enquanto sua mão me masturbava um pouco mais rápido.

 

- Porra – Gemi. Ela sabia exatamente o que fazer com a boca, com as mãos. A desgraçada tinha uma boca gostosa do caralho. – Inferno – Gemi audivelmente, eu tinha os olhos fechados. Apertei meus dedos em seus cabelos e forcei a sua cabeça contra o meu pau, fazendo com que todo o meu pau entrasse na boca dela, mais logo tirei quando percebi que ela engasgaria. Eu sentia que poderia gozar a qualquer momento. E foi apenas por isso que eu empurrei ela na cama novamente, ela me olhou confusa, mais logo sorriu – Você vai me fazer gozar assim – Confessei, e abri suas pernas me deitando encima dela novamente – Eu quero gozar nessa sua bocetinha gostosa hoje – Sussurrei contra os seus lábios, escorreguei minha mão pela as suas coxas e ergui sua perna até altura de meu quadril, levantei a sua saia e acariciei a sua bunda apertando ali com firmeza arrancando um suspiro da latina. Mordi o seu lábio inferior e puxei com cuidado, ao mesmo tempo eu alisei a parte interna de sua coxa até a sua bocetinha onde eu alisei por cima da calcinha, assim que eu soltei o seu lábio eu puxei sua calcinha de lado e deslizei o meu dedo pela suas dobras, sentindo os meus dedos deslizarem lá com facilidade, ela estava tão molhada. Camila soltou um gemido alto quando eu pressionei os meus dedos em seu clitóris e comecei ali uma massagem lenta. Senti suas unhas descendo rasgando as minhas costas e ela iniciou um beijo desesperado.

 

Camila me beijava com pressa, suas unhas me arranhava com vontade. Durante o beijo, ela tirou a minha mão de sua boceta e girou nossos corpos, ficando por cima de mim, os seus beijos desesperados foi descendo para o meu pescoço, ela lambia e beijava, ela sabia que não podia deixar marca. A nossas respirações ofegantes era tudo que se ouvia naquele quarto, eu tinha a minha mão firme seu quadril, mas não aguentei quando ela rebolou encima do meu pau, eu pude sentir aquela bocetinha molhada ao mesmo tempo que aquele pedaço de pano de sua calcinha me incomodou. Deslizei minha mão do seu quadril até alcançar a alça de sua calcinha, puxei a mesma com força e Camila travou, quando ouviu o pano de sua calcinha sendo rasgada. Ela me olhou, com um olhar quase assassino e eu apenas sorri largo.

 

- Você é uma vadia – Xingou irritada e eu sorri mais largo ainda, girando o nosso corpo mais uma vez, ficando por cima dela.

 

- Você é uma vadia – Falei dando ênfase no “ Você “. Os meus lábios praticamente colado aos dela – Você é a minha vadia – Completei e em seguida eu lhe beijei, em um beijo feroz, transbordando todo o desejo que eu sentia por ela.

 

Camila entrelaçou suas pernas envolta de minha cintura e eu suspirei entre o beijo quando eu senti o meu pau roçando naquela bocetinha lisinha e molhada dela, sem conseguir mais me conter, eu segurei o meu pau e direcionei até a sua entrada e penetrei lá com força, arrancando um gritinho surpreso de Camila em meio a um gemido. Eu afastei nossas bocas e escondi o meu rosto na curva de seu pescoço e fiquei ali parada aproveitando a sensação maravilhosa que é estar dentro de Camila. O tanto que essa latina maldita é apertada, as suas paredes esmagavam o meu pau causando uma sensação gostosa. CÉUS! Camila um dia ainda vai me matar. Comecei a me mover lentamente dentro dela em um vai e vem gostoso, aproveitando cada minutinho daquilo. Eu nunca vou me cansar de foder Camila.

 

Ela desceu as mãos por minhas costas e cravou suas unhas em minha bunda e apertou, impulsionando o meu corpo um pouco para baixo, eu sabia muito bem o que ela queria. Espalmei minhas mãos sobre a cama em cada lado de sua cabeça e levantei um pouco o meu corpo para poder lhe olhar. Dei uma estocada mais forte e Camila gemeu, apertando ainda mais suas unhas em mim.

 

- É assim que você gosta, não é safada? – Falei com um sorriso torto nos lábios, e quando Camila abriu a boca para falar alguma coisa eu estoquei mais uma vez e o único som que saiu de sua boca, foi do gemido alto – Cachorra – Segurei o seu queixo e fiz com que ela me olhasse – Safada – Soltei o seu rosto com um pouco de agressividade e comecei a me movimentar mais rápido dentro dela, dando estocadas fortes e precisas. Os gemidos de Camila foram ficando cada vez mais alto, se alguém iria ouvir? Não me importo. Só sei que aquele gemidos estava me deixando cada vez mais louca.

 

- Laureeen – Camila gemeu em meio ouvido, ela agora tinha uma mão agarrada em meus cabelos enquanto a outra arranhava as minhas costas, causando uma ardência gostosa no local. – Ah... eu vo.. Lauren – Ela continuou gemendo no meu ouvido, minhas estocadas continuaram fortes agora em um ritmo mais rápido, e não precisei de muito, foi só mais algumas investidas e Camila gozou gostosamente em meu pau, deixando ele ainda mais melado e facilitando o movimento dele dentro daquela bocetinha apertada dela, mas eu não aguentei muito, e logo acabo gozando também, liberando três jatos dentro dela. E sem forças para aguentar o meu peso em meus braços eu me joguei encima dela, o meu rosto escondido na curva de seu pescoço, o seu cheiro natural invadindo as minha narinas me trazendo uma sensação de conforto. Não sei explicar, eu só gosto do cheiro dela.

 

Os dedos de Camila se enroscaram em meu cabelo, onde ela começou a fazer um cafune gostoso ali, e ficamos ali por longos minutos, nada foi dito a única coisa que se ouvia naquele quarto era as nossas respirações que ainda estávamos tentando normalizar, teve um momento que eu até achei que a Camila havia dormido, mas então....

 

- Até que você está ficando melhorzinha nisso – Provocou, levantei minha cabeça e lhe encarei com as sobrancelhas arqueadas.

 

- Como é que é? – Perguntei em descrença. Ela havia mesmo me dito aquilo?. Camila deu de ombros e virou o rosto – Camila, Camila.... – Murmurei e ela me olhou com um sorrisinho no rosto – Garota não me provoca... – Alertei.

 

- A é? Você vai fazer o que? – Me olhou de forma desafiadora e eu neguei com a cabeça e no instante seguinte eu atacava os seus lábios, iniciando um beijo urgente, as minhas mãos escorreu pelo o seu corpo e parou em sua coxa, onde eu apertei com força a fazendo arfar contra os meus lábios....

 

- “ Camila, o seu lanche vai esfriar “ – Camila me empurrou de cima dela com uma força que eu nem sabia que ela tinha que eu fui parar no chão do quarto.

 

- Puta que pariu – Resmunguei enquanto massageava a minha bunda e me levantava do chão, com uma careta no rosto. Camila puxava o edredom para cima do seu corpo lhe cobrindo. Como se alguém fosse entrar aqui.... Bufei.

 

- Eu não estou com fome, mama – Respondeu Camila olhando para porta, com uma expressão assustada no rosto. Revirei os meus olhos e me sentei na cama.

 

- “ Não tem essa Karla Camila, você vai descer e comer o lanche que eu preparei para você ou eu vou invadir o seu quarto e enfiar ele para goela a baixo” – A voz soou irritada do outro lado da porta e eu soltei uma risadinha baixa, recebendo como resposta o dedo do meio de Camila apontado para mim.

 

- Estou indo – Camila praticamente gritou e eu agarrei sua cintura, distribuindo beijos pelo o seu pescoço – Sai – Sussurrou tentando me empurrar e eu firmei os meus braços ainda mais em sua cintura.

 

- “ Te dou cinco minutos, não me faça voltar aqui Camila “ – Revirei os meus olhos novamente. Velha chata, não tinha uma hora melhor para vir chamar ela não?

 

- Sai Lauren, vai embora, eu preciso descer – Camila disse em um tom autoritária enquanto se esquivava de mim, suspirei rendida. Não tinha o que discutir ali.

 

A muito contragosto eu me levantei da cama e ajeitei a cueca em meu corpo, já que a mesma estava apenas abaixada. Fui até minha calça que estava jogada próxima a cama e vesti. Camila estava sentada na cama, olhando atenta para cada movimento meu. Depois de vesti o meu top e minha camisa, me sentei na beirada da cama e calcei meus coturnos. Me levantei e peguei minha jaqueta e amarrei em minha cintura. Em silencio caminhei até a janela do quarto de Camila e me sentei ali, olhei para a Camila e sorri.

 

- Salva pela mamãe, deixa a janela aberta – Avisei. Coloquei minhas pernas para fora da janela e olhei para Camila novamente e mandei beijo – Eu vou voltar – Dito isto eu me joguei na sacada do quarto e fui até a escada...

 

 

POV Camila

 

Depois que Lauren saiu do meu quarto com muita dificuldade eu me levantei para tomar banho. Eu estava com as pernas bambas, a desgraçada me deu um dos orgasmos mais intenso da minha vida. Eu diria com toda certeza que aquele foi o melhor sexo que já fiz. Eu sempre vou agradecer a Deus pelo o isolamento acústico que tem nas paredes do meu quarto. Meu pai nunca gostou de minhas cantorias durante a noite e logo tratou de abafar isso. Depois do banho eu desci para comer aquele bendito lanche que minha mãe me obrigou comer, e quando eu voltei para o quarto eu simplesmente me joguei na cama e apaguei, só acordando agora, pronta para ir para aquele inferno que chamamos de escola. Tomei o café da manha tranquilamente junto com meus pais e minha irmã, depois de satisfeita eu me levantei e me despedi da minha família, peguei a chave de meu carro e meu celular e segui para a garagem, entrei no meu carro e fui para a escola.

 

Quando cheguei eu avistei Dinah e Normani no maior papo, que nem se quer notaram a minha presença.

 

- Ta legal, eu já cheguei, já podem parar de chorar – Digo enquanto afastava Dinah de Normani apenas para me sentar no meio delas.

 

- Aonde você se meteu, eu te liguei a noite inteira ontem – Dinah disparou irritada assim que me viu e eu ri. É muito amor por mim, fala sério.

 

- Oi Dinah, bom dia, eu to bem, dormi muito bem também, que bom que perguntou – Disse de forma irônica e a mais alta bufou revirando os olhos.

 

- Bom dia Mila, você está com uma cara muito boa hoje – Normani falou me olhando, como se estivesse me analisando – Transou – Disse por fim.

 

- Eu não acredito que você não me atendeu porque estava transando –  Dinah disse indignada e eu ri lhe acertando um tapa.

 

- Ai Jane, deixa de ser carente –  Normani resmungou e me olhou – Transou com quem? – Perguntou e eu revirei os meus olhos.

 

- Eu não transei com ninguém gente – Falei e ela me encararam com as sobrancelhas arqueadas – É sério, eu apenas cheguei muito cansada do treino e me joguei na cama e apaguei, só acordei hoje de manhã – Expliquei calma e aquilo pareceu bem convincente para mim.

 

- Bom dia meus amores – Lucy apareceu com o seu bom humor matinal, um sorriso no rosto. Lauren estava ao seu lado, abraçando a sua cintura apenas acenou com a cabeça com um sorriso fechado.

 

- Bom dia Lu, bom dia branquela –  Dinah respondeu.

 

- Onde está a Ally? – Perguntou Normani.

 

- Disse que não viria hoje – Lauren respondeu dando de ombros.

 

- Brigou com o namorado – Lucy completou e eu arquei as sobrancelhas. Ally tem namorado desde quando?

 

- Namorado? – Dinah perguntou tão confusa quanto eu.

 

- É... não é bem um namorado, é só um carinha que ela está ficando que é muito importante para ela, enfim... – Lauren falou apressada.

 

- Tadinha, inclusive eu nem te perguntei, como ela está amor? – Lucy perguntou para Lauren e a mesma deu de ombros – Mas você não passou a tarde toda com ela? – Tornou a perguntar e Lauren arregalou os olhos me fazendo prender o riso, ao entender o que estava acontecendo.

- Ah, ela... ela está bem – Deu de ombros – Enfim, eu ach... – Foi interrompida.

 

- Oi Mila – Shawn Mendes um garoto de minha turma chegou com um sorriso no rosto, suas bochechas coradas e a mão atrás do seu corpo, estava vidente que ele estava envergonhado.

 

- Ah, oi Shawn – Respondi com um sorriso fraco.

 

As meninas ficaram em silencio encarando o garoto assim como eu, ele olhou para os lados e coçou sua nuca e sorriu sem graça.

 

- Então.... eu não queria falar isso aqui, mas assim... eu estava pensando, topa ir no cinema comigo sábado anoite? – Perguntou se enrolando nas palavras e eu arquei as sobrancelhas e sorri. Dinah soltou uma risadinha baixa assim como Lauren.

 

- Assim, eu tenho quase certeza que no sábado anoite eu vou estar ocupada Shawn, e talvez no próximo também... – Eu nunca sei fazer isso. Falar não, sempre foi uma luta para mim. Shawn até parece ser uma pessoa legal, mas tem fama de beijar mal, sem contar que ela é um pouco... hum... estranho?

 

- Resumindo, ela está ocupada para você o resto do ano todo, mas talvez tenhamos uma agenda para o ano que vem, certo Mila? – Normani falou e puxou o livro da mão de Lucy e abriu fingindo olhar na agenda. Dinah gargalhou e Shawn sorriu sem graça e se virou saindo de perto de nós.

 

- Normani – Repreendi lhe dando um tapa no braço, mas acabei rindo também junto com as meninas.

 

- Bom, como eu ia dizendo, eu já vou entrando, preciso falar com o técnico Kah – Lauren falou e olhou para Lucy – Te vejo no intervalo -  Selou os lábios de minha amiga e caminhou até Dinah – Você eu vejo na sala – Estendeu a mão para que Dinah batesse em sua mão, fez o mesmo com Normani e depois comigo. Quando eu bati na mão de Lauren, ela segurou e me olhou com um sorrisinho debochado no rosto. Quem visse de fora, acharia que ela estava apenas implicando comigo, como sempre fazia, mas então eu senti algo entre a nossa mão e prontamente segurei e me livrei de sua mão lhe empurrando para longe de mim.

 

- Sai, imbecil – Xinguei enquanto lhe empurrava e ela riu e correu até Lucy lhe dando mais um selinho e saiu correndo para dentro da escola.

 

- Ai ai, vocês duas – Lucy disse rindo e eu bufei revirando os meus olhos.

 

O sino tocou e as meninas se levantaram indo em direção a grande portão da entrada do prédio da escola. Discretamente eu abri a palma da mão para ver o que Lauren havia me dado e lá estava a Pílula do dia seguinte, rapidamente fechei a minha mão e segui para o bebedouro para tomar aquilo. Ainda bem que a Lauren havia se lembrado, pois eu havia me esquecido completamente desse detalhe... 


Notas Finais


Camila, Camila.....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...