História The Golden Girl - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Gareth Bale, Irina Shayk, James Rodríguez, Karim Benzema, Manuel Neuer, Marco Reus, Mario Götze, Mats Hummels, Mesut Özil, Pierre-Emerick Aubameyang, Robert Lewandowski, Sergio Ramos, Thomas Müller
Personagens Álvaro Morata, Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Gareth Bale, Irina Shayk, James Rodríguez, Karim Benzema, Manuel Neuer, Marco Reus, Mario Götze, Mats Hummels, Mesut Özil, Pierre-Emerick Aubameyang, Robert Lewandowski, Sergio Ramos, Thomas Müller
Tags Drama, Euro, Futebol!, Romance
Exibições 109
Palavras 1.858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Sei que estou em falta para com vocês mas fiquei doente e acabei não conseguindo postar.
Espero que gostem!
Beijos😘

Capítulo 37 - Back With The Squad


****Raquel POV****

 

A semana dos jogos com a seleção havia chegado e o facto de que Mario me havia levado a casa no Ano Novo ainda atormentava minha cabeça.

 

Meu equipamento oficial da seleção estava perfeitamente colocado em meu corpo, bem como o pequeno saco de desporto oficial pendurado em meu ombro enquanto entrava nas instalações do CT do Bayern que seria minha "casa" na próxima semana. 

Supostamente nos iriamos treinar em Dortmund, no entanto houve problemas com o relvado do CT do Borussia e a única solução passou por dividir o CT do Bayern com a Die Mannschaft, o que implicava ver Mario a semana toda antes do jogo no Allianz Arena. 

 

Minha família chegaria hoje mais à tarde, e iriam diretamente para o hotel descansar até serem horas de jantar, quando eu, Carolina e Miguel nos juntariamos a eles. 

 

Carolina devido ao reconhecimento do seu bom trabalho no Borussia, principalmente por conseguir colocar Marco apto de uma lesão muscular na coxa em apenas duas semanas (3semanas a menos que o previsto) foi chamada para integrar também a equipe médica da seleção portuguesa. Ela tinha vindo assim que teve a dispensa no Borussia e, claro que veio com Marco. Segundo ela, não se desgrudaram nem um minuto nessas duas semanas em Dortmund, o que incluiu passeios à noite, jantares românticos e claro, algumas noites escaldantes no luxuoso apartamento de Marco.

 

Quem também fazia parte da equipe era Anna, que foi contratada pela Federação para trabalhar apenas comigo, mas se fosse necessário para mais algum jogador ela teria que intervir. Robert não gostou muito da ideia, mas como também iria estar no CT devido a uma lesão no pé, aceitou por poder ficar perto da mulher.

 

Saí do carro no estacionamento do CT e a primeira pessoa que vi foi Cédric. Nunca mais tinha visto ele, por conta da lesão não fui chamada para os outros jogos com Portugal então não o via desde aquele episódio bastante triste em meu aniversário. Ele me acenou educadamente e eu, também por educação, acenei de volta e sorri leve. Ele seguiu para a porta de entrada enquanto eu fui tirar meu saco do outro lado de meu Range Rover.

 

Entrei no CT e logo gritos em português e alemão encheram meus ouvidos. O monte de casacos brancos e calças cinza gritavam com Joachim e o monte de casaco azul claro e calças pretas gritava com Fernando. 

 

Ninguém deu por minha chegada até que eu, farta de tanto barulho, assobiei fazendo com que todos me notassem e fizessem silêncio.

 

-O que está acontecendo aqui? - perguntei em português para Fernando, fazendo os meninos alemães me olharem confusos.

-Distribuição de quartos. Não estamos conseguindo fazer uma distribuição que agrade a todos. - Fernando respondeu, me dando a placa com a folha onde iriam ser apontados os ocupantes de cada quarto.

-Posso tentar? -eu perguntei e ele assentiu. -Meninos isso vai ser à moda antiga: vamos sortear. - eu falei e logo os gritos em português preencheram a entrada do CT me fazendo soltar um grito que os fez calar.- Vai ser assim como eu estou dizendo porque estamos perdendo tempo de treino que é precioso. Portanto calem essas bocas e vamos sortear essa porcaria logo! - eu falei e todos concordaram. 

-Se não fosse pedir muito será que podiamos saber o que disseram? -Thomas falou em inglês, e olhei para eles que nos encaravam como se fossemos malucos, provavelmente por não perceberem nada de português.

-Nós vamos sortear os companheiros de quarto, é a maneira mais rápida já que estamos perdendo tempo de treino.- eu respondi e logo eles disseram que sorteariam também.

 

Acabei ficando com Cristiano no quarto e Miguel ficaria com Pepe e Renato.

Depois dessa bagunça inicial seguimos para nossos quartos, que ficavam na ala oposta aos da seleção alemã, nos equipamos e descemos até ao gramado. 

 

Fernando começou por dizer que teríamos que sair do modo de Campeões Europeus e entrar em modo qualificatórias, senão não conseguiriamos impor nosso futebol e nosso nível de jogo.

Depois de um treino leve na parte da manhã nos juntamos aos membros da equipe técnica e médica, que incluía Anna e Carolina, para o almoço.

 

 E aí, vi Mario pela primeira vez desde o Ano Novo. Ele estava exatamente igual. O cabelo bagunçado, barba mal feita, o mesmo ar de menino inocente. Mas em seus olhos se encontrava um olhar triste, arrependido e misterioso. 

 

Aqueles olhos cor de mel que eu adoro haviam perdido aquele brilho que Mario sempre tinha, e nem o facto de estar na seleção lhes tinha devolvido o brilho. Nossos olhares se cruzaram por breves momentos, quando ele passou com seu tabuleiro em frente à mesa onde nós almoçavamos, desviando seu olhar em seguida. 

 

Não tinha falado mais com ele desde aquela noite e nem sabia se estava preparada para uma eventual conversa entre nós mas eu queria muito saber o que tinha acontecido para ser justamente ele a me trazer em casa. 

 

Olhei para onde ele estava sentado e vi que ele já estava olhando então tentei me concentrar em meu prato, mas sem sucesso. Eu queria explicações sobre aquela noite, e só ele me podia dar elas.

 

****Mario POV****

 

Voltar a ver Raquel foi como outro balde de água fria me acordando para a realidade. Não conseguia decifrar seu olhar que, insistia em se cruzar com o meu. 

 

-Mario, talvez fosse melhor se concentrar na comida em vez de ficar olhando para uma certa portuguesa.- Mesut falou e logo todas as atenções da mesa estavam viradas para mim. 

-Tá bom.- respondi sem emoção alguma olhando o prato com esparguete e brincando com a mesma.

-Mario, vou te dar um conselho.- Toni falou enquanto saiamos do refeitório.- Fale com ela. Não peça para voltarem, apenas fala o que o seu coração mandar no momento. Vai ver que vai se sentir melhor depois. 

-Valeu Toni.- eu falei e o abracei. 

 

Toni tinha razão eu tinha mesmo que falar com Raquel, contar toda a verdade e pedir perdão. Era a única coisa que eu  podia fazer paea resolver de uma vez por todas toda essa merda que fiz.

 

[...]

 

Parei em frente à porta de um dos quartos que tinha uma pequena placa na porta que dizia "Cristiano Ronaldo & Raquel Guerreiro". Confesso que meu nervosismo aumentou no compasso de espera entre bater à porta e a mesma se abrir, me mostrando Raquel.

 

-Mario? O que você tá fazendo aqui? -ela perguntou claramente surpresa por me ver ali.

-Quero conversar com você. Acha que posso entrar? - eu perguntei e ela, depois de alguns segundos em silêncio, me deu passagem para seu quarto. Sentei numa das camas e ela sentou ao meu lado, perto o suficiente para que eu sentisse seu perfume floral que sempre adorei.

-Então Mario, o que queria falar comigo?

-Eu vim lhe contar tudo sobre a noite do Ano Novo. Não quero mais segredos entre nós, então decidi lhe contar tudo o que eu falei e que fiz nessa noite.- peguei sua mão e acariciei leve.- Naquela noite eu te levei a casa porque era o único ali, tirando Marco e a fisioterapeuta do Borussia que estavam se pegando. Durante a viagem de carro nós conversamos sobre a situação da foto, lembra? - eu perguntei para ela.

-Vagamente. Não consigo distinguir a conversa inteira, mas lembro algumas partes, acho eu.- ela falou baixo e desviando seu olhar do meu.

-Então, você me perguntou porque eu não tinha confiado em você e porque não tinha pedido perdão depois da foto ter sido divulgada...

-E o que você me respondeu? - ela perguntou me interompendo. 

-Respondi que deixei meus ciúmes falarem mais alto que meu coração. E depois meu orgulho não permitiu que eu corresse para você pedindo seu perdão.- eu falei olhando diretamente para ela.

-Me lembro de falarmos de Ann também...- ela falou e meu coração apertou ao ver aqueles olhos verdes um pouco marejados.

-Sim, falamos dela também. Eu disse que ela não podia competir com você, porque você tinha ganho o jogo antes de começarem a jogar. - eu falei e respirei fundo me preparando para o que teria que contar a seguir. - Quando chegamos em sua casa eu vesti um pijama em você e te deitei mas você pediu que eu ficasse com você e eu não tive como negar isso. Não para você. - eu falei e ela arregalou os olhos. 

-Mas você não estava lá quando eu acordei...- ela falou, com alguma tristeza na voz.

-Achei que não gostaria de me ver quando acordasse entao saí alguns minutos depois de você adormecer.

-Ah,tudo bem.

-Raquel?- eu a chamei nervoso a fazendo me olhar nos olhos. Iria magoar ela, eu sei que ia, mas tinha que lhe contar.- Eu... Naquela noite... Porra, porque isso é tão difícil de dizer? - eu falei passando a mão pelos cabelos e baixando a cabeça.

-Diga logo Mario. 

-Eu transei com Ann naquela noite. - eu falei de olhos fechados e cabeça baixa. Não conseguiria encarar ela, não depois de tudo o que eu admiti.

-E porque está me contando? Nós não temos mais nenhum tipo de relação, você não me deve qualquer explicação de sua vida. - ela falou sem emoção.

-Estou contando para não haver mais segredos entre nós. Só agora eu me toquei de toda a merda que fiz Raquel. Minha vida está virada de pernas para o ar! - Eu falei suspirando, senti que meus olhos não iriam aguentar segurar mais as lágrimas.

-Dê tempo Mario. - ela falou passando a mão por minhas costas.- Não posso perdoar você agora, ainda me sinto magoada pela sua falta de confiança em mim...-ela falou suspirando.- Mas tenha paciência. Deus sabe bem o que está fazendo, e se ele nos colocou todos esses obstáculos de certeza que tem uma razão. Tente se organizar aos poucos, vai ver que daqui a pouco aquele Mario sorridente e saltitante estará de volta. - ela falou ainda acariciando minhas costas. Thomas tinha razão: ela é demasiada areia para o meu camião.

-Obrigado Raquel, eu magoei tanto você e mesmo assim você fica me ajudando... Não te mereço mesmo! - eu falei sorrindo leve para ela. Ela apenas me sorriu leve também e logo fomos interrompidos por Cristiano que tinha chegado da academia. 

 

Me despedi dela e segui para o quarto que eu dividia com Thomas e Marco.

-Onde você estava Sunny?- Marco falou quando entrei no quarto vendo todos os meninos lá jogando Fifa.- Jogi virou o CT do avesso à sua procura! 

-Eu... estava com Raquel. - eu falei e a barulheira que havia antes se tornou num silêncio ensurdecedor.

-Fazendo o quê? - Bastian perguntou.

-Dizer toda a verdade para ela. - eu falei me sentando na cama.

-Foi finalmente pedir perdão? - Thomas falou.-Não acha que já vai um pouco tarde. - Thomas perguntou um pouco zangado.

-Não fui pedir perdão. Não posso pedir algo que não mereço.- eu suspirei.- Mas tinha que começar por algum lado.

-E agora?- Draxler se manifestou.

-Agora tenho que acabar de vez com Ann-Kathrin. E de amanhã não passa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo meio chato!💓
Beijos ❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...