História The Good in me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 16
Palavras 1.471
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~

Capítulo 1 - How we met


Baekhyun não havia dormido bem naquela noite. Havia se revirado de um lado para o outro, pensando no dia seguinte. Depois de quase um ano sem poder trabalhar e estudar por conta de um tratamento hospitalar, iria à sua primeira entrevista de emprego. Sentia-se ainda mais ansioso por ser em uma das empresas mais bem conceituadas de Seul.

 Os efeitos da doença ainda o pegavam vez ou outra. Seu corpo nunca tinha sido o mesmo. Câncer. Essa era a palavra que o rapaz mais temia. Leucemia, mais especificamente. A doença que quase havia tirado sua vida. Depois do tratamento, ainda se sentia fraco vez ou outra. E estava cansado de tantos medicamentos.

“Será bom pra mim e me darei bem”, pensou. Em seguida, levantou-se, calçou as pantufas azul claro e foi até a cozinha. Sua casa parecia especialmente quieta aquela manhã. Sentiu um cheiro conhecido de café da manhã e seguiu-o. Onde encontrou sua tia Seohyun preparando kimchi e sopa. O rapaz apertou os pequenos olhinhos em satisfação.

- Isso cheira muito bem. – sorriu, em seguida abraçou a mulher.

- Obrigada querido. – a mulher um tanto quanto idosa retribuiu o sorriso. – Espero que vá bem alimentado, assim terá um bom desempenho hoje.

- Não dormi quase nada essa noite. – bufou. – Só consegui pensar nessa entrevista que é tão importante.

- Eu já imaginei. – ela cerrou os lábios. Sabia o quanto o sobrinho era ansioso. – por isso mesmo preparei o melhor café da manhã e tenho certeza que tudo dará certo. Você é a pessoa mais inteligente que conheço. – disse a mulher, em seguida colocando os pratos sobre a mesa, e sentando-se ao lado de Baekhyun.

- Vou comer bem, tia. – Baekhyun fez uma pequena reverência.

 

Depois de comer, era a hora de se arrumar. Olhou-se no espelho do banheiro pequeno e notou ali algumas olheiras. Bufou. Aparência é algo importante, dizia seu melhor amigo Sehun. E naquele momento, Baekhyun parecia um frango despenado.

Tomou um banho e vestiu seu único terno. Os cabelos castanho escuro caíam-lhe sobre o rosto. Ele respirou fundo.

Em seguida despediu-se de sua tia e foi até o lado de fora da pequena casa esperar o melhor amigo o buscar.

Alguns minutos depois um carro escuro desceu a rua e o vidro do mesmo abriu-se em pequena proporção.

- Vai entrar ou não? – Sehun mantinha uma expressão de deboche, típica dele.

Baekhyun adentrou ao carro e Sehun continuou dirigindo.

- Você parece nervoso. – Sehun disse, ao observar de soslaio o melhor amigo.

- É claro que estou nervoso. – Baekhyun respondeu. – Faz mais de um ano que eu não sei o que é trabalhar.

- Vai dar tudo certo. – o amigo sorriu. – Não conheço pessoa melhor pra trabalhar na Park Design’s do que você. – ele fez uma breve pausa. – Ou acha que te indiquei por que não confio em você? – Sehun riu descontraído. – Sei que pode ser um pouco estranho e difícil no começo, mas uma hora você precisava voltar à sua vida normal.

Sehun tinha razão. Depois do tratamento que durou quase a metade do ano, Baekhyun não conseguia fazer mais nada. Ficava em casa o dia todo, lendo e dormindo. O que o motivou a sair daquela rotina sem graça, era saber que sua tia precisava muito de ajuda financeira. Pagar as contas da casa e alguns remédios que Baekhyun ainda tomava não era simples.

Depois de meses Sehun havia surgido com a proposta e Baekhyun decidiu aceitar.

- Meu chefe pode ser um pouco rígido às vezes. – Sehun começou. – Mas você só precisa fazer o que ele quiser, e não terá problemas.

No resto do caminho ambos permaneceram em silêncio. Vez ou outra Baekhyun observava discretamente Sehun. Ele ocupava o segundo cargo mais alto da empresa. Era alto e magro. Parecia bonito demais até executando uma simples ação como dirigir um carro. Os cabelos escuros eram penteados para trás com cuidado, e seu terno deveria custar muito dinheiro. Internamente Baekhyun desejava ser como ele.

*

Quando ambos desceram do carro, Baekhyun olhou para o grande edifício com admiração. Era muito bonito e apenas pessoas importantes pareciam entrar lá.

- Quantos andares isso tem? – perguntou com curiosidade.

- 26. – Sehun respondeu com indiferença. – Mas você se acostuma, agora vamos.

Os dois adentraram ao local e Baekhyun ainda parecia perplexo. O lugar era grande, havia pessoas andando de um lado para o outro, segurando pastas, roupas. Todo mundo se vestia muito bem. Não era à toa que produziam roupas lá.

- Eu vou te deixar aqui na entrada. – Sehun disse com calma. – Você precisa conversar com a secretária e esperar até o chefe te chamar pra entrevista, ok? – Baekhyun assentiu. – Eu preciso ir agora. Boa sorte. – Sehun sorriu brevemente, e foi até um elevador. Em segundos Baekhyun estava sozinho.

Respirou fundo e foi até o balcão de mármore preto da entrada. Uma mulher que não deveria ter mais de 25 anos sorria levemente atrás do mesmo. Estava rodeada de computadores da Apple, papéis, rascunhos, agendas e todas as coisas que obviamente são encontradas em recepções.

- Pois não senhor? – ela disse calmamente.

- Vim aqui para uma entrevista de emprego. – disse com a voz baixa.

- Ah certo! – Baekhyun quase notou uma risada saindo da mulher. – Sente-se em algum daqueles bancos ali – disse apontando a um canto onde havia um lugar para descanso. – Assim que o senhor Park puder vê-lo, eu lhe chamarei.

- Obrigado. – Baekhyun fez uma pequena reverência e foi até o local.

Alguns minutos se passaram e a mulher voltou a chamá-lo.

- O senhor já pode subir. - ela disse com simpatia. – O chefe Park o espera no vigésimo terceiro andar. – ela hesitou. – Uma de nossas assistentes irá conduzi-lo até lá. Boa sorte. – disse em meio a um sorriso.

- Obrigado. – Baekhyun agradeceu e seguiu uma assistente que surgiu de trás do balcão. Não era muito alta. Usava uniforme branco e preto, com uma jaqueta de couro. Os cabelos estavam presos. Parecia séria e muito inteligente.

- Me siga, por favor. – e foi o que Baekhyun fez.

Adentraram ao elevador e quando parou no vigésimo terceiro andar, o coração de Baekhyun quase parou.

- Aqui é o andar, senhor. – a mulher disse. – A sala do chefe Park fica no final do corredor.

- Obrigado. – Foi tudo o que conseguiu dizer.  

Seguiu até o fim do corredor pensando se conseguiria passar por aquilo. Respirou fundo e quando parou, observou a porta meio aberta. A sala de seu futuro chefe parecia grande demais e muito bem decorada. Pôde observar o futuro chefe sentado de cabeça baixa, provavelmente escrevendo algo em um caderno.

- Pode entrar, por favor. – uma voz grossa soou pela sala e Baekhyun adentrou a mesma. Fez uma pequena reverência.

- Bom dia. – o rapaz alto se levantou e estendeu sua mão até a de Baekhyun, cumprimentando-o. – Sente-se, por favor.

Baekhyun não esperava que o chefe fosse tão novo e tão bonito. Parecia de certa forma, ser intocável. Era mais alto que ele, vestia um terno escuro e seus cabelos igualmente negros estavam penteados para trás com gel.

- Como você deve saber, meu nome é Park Chanyeol. – ele disse com calma e frieza. – Eu sou o dono dessa empresa e faço a maioria dos designs de roupas daqui. – em seguida suspirou, pegando o currículo de Baekhyun que estava sobre mesa. – Certo. Então você é Byun Baekhyun. Fez faculdade de administração por um tempo e parou no último ano. – Chanyeol parecia confuso. – Você pode me informar o motivo?

- Bem. – o rapaz suspirou profundamente. – Eu tive que largar por problemas de saúde mas agora eu estou bem.

- E por que não continuou? – Chanyeol perguntou rapidamente.

- Eu era bolsista e pararam de financiar meu curso. – respondeu imediatamente.

- Certo. – Chanyeol franziu o cenho. – É mesmo uma situação complicada. – ele fez uma pequena pausa, enquanto lia as informações do currículo de Baekhyun. – Bom, você conhece Oh Sehun certo? – Baekhyun assentiu. – Ele é um ótimo funcionário da empresa. Ele cuida de todos os detalhes financeiros daqui. – Chanyeol levou a mão até os cabelos. – Ele indicou você, dizendo que era seu amigo e confiava muito em você.

- Sim, ele é um ótimo amigo. – Baekhyun engoliu em seco.

- De qualquer forma, o emprego é seu. – Chanyeol sorriu de canto. – Você será meu assistente pessoal. E antes de você começar, tenho algumas coisas a dizer.

- Oh, muito obrigado. – Baek sentia como se um peso havia sido retirado de suas costas.

- Eu que agradeço, caso você fizer um bom trabalho. – O chefe deixou o currículo sobre a mesa e encarou Baekhyun. – Às vezes é bem comum que você precise ficar até mais tarde. Gosto que meus funcionários liguem diretamente aos clientes. E não é um trabalho fácil, Byun Baekhyun. Por isso confiarei muito em você.

- Certo. – Baekhyun sorriu. – Vou dar o meu melhor.


Notas Finais


Sei que o capítulo não tá tão grande mas é porque eu quis fazer só como se fosse uma introdução aos dois personagens. É a minha primeira fanfic de Exo e eu espero realmente conseguir terminá-la. Eu deletei uma outra que havia começado há uns meses, porque eu não conseguia escrever. Aí decidi tentar mais uma vez. Espero que vocês gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...