História The good, the bad and the dirty. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Suga
Tags Angst, Bagtanboys, Bts, Hoseok, Jhope, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Pwp, Rapmonster, Seokjin, Smut, Suga, Sugakook, Taehyung, Vhope, Yoongi, Yoonkook
Exibições 179
Palavras 4.237
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Última parte da fic.
Espero que gostem e leiam as notas finais. <3
(capítulo não revisado)

Nick.

Capítulo 4 - EXTRA Without you I am nothing. (END)


 

Jungkook sempre pensou que existem males que vêm para o bem.

Infelizmente todos os males em sua vida foram causados principalmente por si mesmo, mas de qualquer forma, acarretaram uma mudança quase drástica em sua vida. Por sorte, para melhor.

 

Busan era uma cidade muito semelhante à Seoul.

Moravam em um bairro mais afastado também, mas não existiam gangues por ali e era de certa forma mais organizado que o local onde residiam na capital.

O trailer ainda existia, sim. Embora estivesse caindo aos pedaços, Yoongi se recusa de todas as formas em vender seu bem mais precioso. Sempre diz que irá reforma-lo, mas parece que o rapaz tem um apreço por aquela “coisa” velha do jeito que era.

Ao menos alugaram um apartamento pequeno. Bem pequeno mesmo, minúsculo, mas mais que suficiente para os dois rapazes que o dividiam.

 

 Há pouco mais de um ano haviam saído de Seoul.

No início foi complicado, embora Yoongi estivesse totalmente aberto a lhe ajudar, reconquistar sua confiança não foi um trabalho fácil para o mais novo. Menos ainda quando ele soube que os tais caras que apanharam na noite do incidente foram simplesmente seu melhor amigo e o namorado.

Por sorte o tal rapaz, Taehyung, conseguiu ficar bem. Teve o nariz quebrado, maxilar também e algumas cicatrizes de cortes pelo rosto, mas após alguns meses já estava novo em folha.

Infelizmente eles não tinham como visitar Yoongi por conta de dinheiro, mesmo que se oferecesse a pagar as passagens, então todos se comunicavam apenas por mensagens e ligações. De alguma forma que Jungkook ainda não entendia, os dois rapazes não tinham nada contra si e até mesmo o agradeciam por ter os ajudado.

Ainda era complicado para o moreno lembrar de todas essas coisas. Tudo o que fizera. E principalmente tudo o que não fizera também. Sentia-se altamente culpado, e como Yoongi sempre dizia, ele tinha que aprender a se desculpar antes de procurar o perdão alheio.

Apenas após dois ou três meses os dois estavam “normais”. Tinham um namoro de verdade, aberto para as novas amizades que fizeram naquela cidade, como Namjoon e Jimin, que trabalhavam com Jungkook em uma loja de instrumentos musicais. Não havia aliança, pois Yoongi dizia que aquilo era brega demais, mas ele não se opôs a ideia de usarem um mesmo bracelete algum tempo depois.

Aos poucos a relação ia melhorando e Jungkook conseguia ir se livrando das culpas de seu passado.

 

Porém, ainda continuava com um de seus piores defeitos bem encrustado em si.

Não sabia cozinhar.

Nada.

Absolutamente nada.

Até quando tentava fritar um ovo ficava salgado demais ou então sem sal nenhum por esquecer de colocar.

Por sorte seu salário era razoável e conseguia pedir comida fora sempre, porque se dependesse dele cozinhar, estavam mortos. Yoongi também não se arriscava muito na cozinha, embora sempre que tentasse algo ficasse simplesmente delicioso.

 

Mas Jungkook estava determinado naquele dia. Era 9 de Março, aniversário de Yoongi.

Esperou o namorado sair para o trabalho de tarde, trabalhava em uma nova assistência técnica a computadores e então foi ao mercado comprar todos os ingredientes que tinha visto na internet.

Tudo coisas que nunca havia comprado na vida e ficou uma boa meia hora no supermercado para procurar meia dúzia de produtos.

Chegando ao pequeno apartamento novamente, dispôs todos os ingredientes na bancada e ficou observando-os atentamente.

“Por favor, me ajudem...” Disse em meio a um riso nervoso, abrindo então a receita no notebook novamente.

 

Parecia fácil.

Colocar a farinha, o açúcar. Bater os ovos, chocolate em pó, derreter chocolate, coco ralado...

 

2 xícaras de trigo.

 

Ok... Não tinha nenhuma xícara naquela casa.

Jungkook começou a, levemente, entrar em pânico e já via todo o desastre que aconteceria.

Por que infernos tinha que ser xícara? Poderiam só falar as gramas. Ou não, pois não tinha copo medidor também...

 

Bateu duas vezes na porta do apartamento logo em frente. Vestia seu melhor sorriso.

Quando o vizinho abriu a porta, estranhou um pouco ver aquele rapaz ali.

“Eita! Oi, Kook!”

 

“Jin-hyung! Oi... Você pode me emprestar uma xícara? É meio urgente, eu estou tentando fazer um bolo.”

 

Seokjin soltou um riso arrastado ao ouvir aquilo. Tinha ficado bem próximo daqueles dois rapazes desde que se mudaram para o apartamento frente ao seu e sabia das histórias tensas de um Jungkook solto na cozinha. “Precisa de uma xícara do que?”

“Uh... Só a xícara mesmo.”

“Como assim só a xícara?” O mais velho franziu o cenho.

“Diz lá na receita que precisa de duas xícaras de farinha, mas eu não tenho uma xícara para medir certo então... Vim pedir uma.” Jungkook tentava não parecer muito estúpido por ter problemas para fazer até um bolo, mas continuava com seu sorriso.

Seokjin, porém, apenas começou a rir mais alto.

 

“Você sabe que pode usar um copo, né? É praticamente a mesma coisa.”

“Sério?” Jungkook se desarmou um pouco, tentando esconder sua vergonha. Porém... Bom, não era como se o outro não o conhecesse a ponto de esperar por aquilo.

“Você quer ajuda? Porque eu não tenho para onde ir se o prédio começar a pegar fogo ou qualquer coisa do tipo.” Enquanto falava, o maior já calçava suas pantufas deixadas ao lado da porta e saía do apartamento, empurrando o moreno mais baixo de volta para dentro do dele.

 

“O quão inútil é você precisar de ajuda para fazer uma droga de um bolo?” Jungkook ria, voltando à cozinha.

 

“O que vale é a intenção de estar tentando fazer um bolo.” Seokjin enviou um sorriso gentil a ele e então pegou a receita que ele seguia, dando uma olhada.

 

Jungkook agradecia inteiramente a si mesmo por ter decidido bater à porta de Seokjin, porque ele parecia nem mesmo ter que olhar a receita para saber o que fazer.

É claro que deixava o mais novo fazer tudo, mas ficava do lado dando as coordenadas. Como se estivessem fazendo algo realmente muito sério e importante. Bom, importante era.

 

Demoraram quase uma hora até colocarem o bolo no forno enfim e mais alguns minutos fazendo o recheio. Recheio esse que Jungkook quase deixou queimar na panela, mas foi só um detalhe.

Quando estava tudo pronto já, com o recheio colocado no meio das camadas do bolo, inclusive camadas essa que não teve coragem de cortar. Pediu que Seokjin fizesse porque tinha certeza de que cortar um bolo horizontalmente no meio era um trabalho muito difícil para uma ameba como si.

Porém, no final até que ficou bonito.

Não.

Não ficou bonito, mas devia estar gostoso. O cheiro estava bom e tudo o que foi colocado ali era bom também, então tudo certo.

 

Após colocar o bolo dentro da geladeira, Jungkook se virou para agradecer o mais velho, mas ele estava encostado no balcão, encarando a si com um sorriso diferente nos lábios. Quase como impressionado.

 

“Você realmente gosta dele, não gosta?”

Jungkook se envergonhou um pouco com a pergunta.

“Eu... Amo ele. Nunca... falamos isso um para o outro, sabia? Eu te amo... Eu não sei se mereço isso, ele sempre fez mais por mim do que eu por ele, mas não consigo me ver longe dele.”

“Sabe, Kookie... Eu lembro como vocês eram quando se mudaram para cá... Eram bem estranhos um com o outro. Eu não sei sobre o passado de vocês nem nada, mas eu sei que o jeito que o Yoongi te olha hoje não combina com isso que você diz... Talvez você ache que ele fez mais por você com ações ou algo do tipo... Mas as vezes simplesmente ter a pessoa que a gente gosta do nosso lado é a melhor coisa do mundo e supera qualquer outra coisa.”  

Seokjin riu baixo após terminar de falar. Sempre acabava tentando dar conselhos amorosos para os outros, quase como uma mãe que tentava ajudar todos os filhos da forma que podia mas acabou se desencostando do balcão e voltando à sala para voltar para seu apartamento.

“Hyung!” Jungkook veio logo atrás de si, apertando de leve seu ombro. “Obrigado pela ajuda, huh? Vou guardar um pedaço de bolo para você mais tarde...”

O mais alto apenas sorriu e bagunçou os fios do outro rapaz, finalmente deixando-o sozinho ali.

 

 

Jungkook não era um santo milagreiro, então tudo o que se arriscou a fazer foi apenas o bolo mesmo.

De resto, pediu massas de um restaurante italiano do centro, tentando cronometrar o horário de entrega com a saída do trabalho de Yoongi, assim tudo estaria quente ainda quando ele chegasse em casa.

Ajeitou os pratos, trocou a embalagem de plástico da massa por uma travessa de vidro e adicionou mais queijo ralado por cima – eram viciados nisso –, colocando tudo sobre a pequena mesa da cozinha, porém que agora estava na sala.

Poderia ter colocado velas para ficar mais romântico, mas nenhum daqueles dois gostava disso, então o refrigerante foi o toque final na mesa. Ambos adoravam se entupir de porcarias, provavelmente não viveriam muito, mas quem se importa?

 

Ficou esperando ao lado da porta até o momento que Yoongi chegasse em casa.

Queria realmente fazer uma surpresa a ele, então no momento em que o mais baixo abriu a porta, Jungkook logo se enfiou na frente dele e o empurrou para fora novamente, apenas para dar a volta em seu corpo e tampar sua visão só então passando a guia-lo para dentro do apartamento.

 

“O que é isso, Jeon Jungkook?”

Yoongi agora tinha os fios extremamente negros e lisos, estava com um sorriso divertido estampado nos lábios, mostrando suas gengivas como sempre. Jungkook sempre gostou dele loiro, mas quando o namorado decidiu a ficar moreno novamente e o viu, teve que concordar que ficava ainda mais lindo. O provocava algumas vezes, chamando-o de Branca de Neve, mas no fundo estava simplesmente se apaixonando mais pelo rapaz.

 

“Eu fiz um jantar para a gente, hoje! É um dia especial, afinal.” O mais alto comentou perto da audição alheia, deixando os lábios esbarrarem ali levemente. Conseguiu sentir o momento em que o corpo de Yoongi estremeceu pelo arrepio que subiu sua espinha.

“Claro, você cozinhou, com certeza.” O aniversariante comentou com um sorriso debochado.

 

“Vamos fazer de conta que sim!” Jungkook adicionou enfim rindo, liberando a visão do menor.

 

Não que Yoongi não fosse acostumado a chegar em casa e seu namorado ter pedido comida, mas era totalmente diferente ver a mesa posta, bonita, arrumada e não ter que ir pegar a comida dentro dos potes descartáveis de sempre.

Morder o lábio inferior de leve, contendo que seu sorriso aumentasse um pouco mais, mas sem conseguir fazer com que o brilho de seus olhos não o entregassem.

 “Hm... Que coisa chique.”

 

Ambos sentaram-se à mesa e embora estivesse tudo bem arrumado, tudo colocado e com um ar de que juras de amor deveriam ser feitas para selar o momento antes de comerem calmamente com uma conversa produtiva sobre o dia... Aquilo não combinava nem um pouco om os dois.

Yoongi atacou a massa primeiro, seguido de Jungkook e enquanto comiam conversavam sobre o jogo que seria lançado na semana seguinte e que mal podiam esperar para jogar, já tinham até mesmo comprado a primeira edição na pré-venda, mal se aguentavam de expectativas de finalmente poderem jogar.

Conversavam sobre tudo, sobre o tempo, sobre Hoseok e Taehyung, sobre a irmã de Yoongi que ainda estudava no Japão, sobre Namjoon que descobriu que eram vizinhos de Seokjin e trocou o dia de folga com Jungkook em troca de que apresentassem os dois um para o outro.

Se alguém olhasse-os agora, nunca imaginaria tudo o que já tinham passado há tempos atrás.

 

Assim que terminaram, Jungkook disse para que o namorado não saísse da mesa, pois tinha mais uma surpresa a ele.

Correu à cozinha e pegou o bolo de dentro da geladeira, colocando sobre ele duas pequenas velas que completavam o número 25, quais acendeu e conforme voltava para a sala, segurando o bolo enquanto cantava parabéns em bom e alto tom.

Yoongi, claro, começou a rir sozinho, já que aquilo sim era uma grande surpresa. Não lembrava-se a última vez em que teve bolo em seu aniversário, talvez quando era criança ainda, mas há pelo menos dez anos tinha certeza de que aquela data não era tão comemorada assim como hoje.

Jungkook colocou o bolo logo em frente ao namorado e continuava batendo palmas, tão animado com a situação do que o próprio aniversariante. Tinha um enorme sorriso estampado nos lábios, de orgulho, de felicidade, de tudo de bom que sentia e mais um pouco.

“Vai, faz um pedido e assopra as velas!”

“Mas eu não sei o que pedir, Kookie!” Yoongi exibiu um pequeno bico.

“Sabe sim, pensa em alguma coisa, fecha os olhos e pede!”

O mais velho tentou continuar argumentando de que não sabia fazer aquilo, mas por fim acabou se concentrando um pouco.

Encarou por alguns instantes as chamas que queimavam na vela e respirou fundo, tentando, da melhor forma possível, mentalizar bem o seu desejo. Mesmo que fosse algo muito bobo e mundano, sorriu logo após assoprar as velas, apagando-as e riu de um Jungkook novamente batendo as palmas, animado.

 

Logo o maior trouxe dois pequenos pratos para que pudessem comer.

“De onde você tirou esse bolo?” Yoongi o encarava com cara meio duvidosa, afinal, o bolo estava bastante torto, com um lado maior que o outro.

“Eu que fiz!” Jungkook disse com a boca cheia de orgulho, exibindo um sorriso galã. Não diria que teve ajuda, claro, até porque apenas foi coordenado, quem misturou tudo foram suas próprias mãos. Cortava dois pedaços quando olhou a expressão do mais velho. “Por que não vai duvidar que eu que fiz dessa vez?”

Yoongi riu ao escutar aquilo, cruzando os braços. “Porque está realmente parecendo algo que você faria...” Provocou o namorado, enviando a ele um sorriso malicioso.

 

Quando o bolo foi servido a si, porém, Yoongi franziu um pouco o cenho, dividindo o olhar entre ele e o jovem sentado a sua frente.

“Não vai comer?” Jungkook falou um pouco preocupado, ou melhor, desanimado. Sabia que estava feio, mas podia jurar que estava gostoso.

 

“Você lembra aquela vez, há uns três anos que eu fui na casa do Hope e depois te liguei porque estava sendo levado para o hospital, né?” Yoongi tinha um certo sorriso preocupado nos lábios.

“Lembro, por qu—“

 

Jungkook fechou os olhos com força, se controlando para não simplesmente se atirar da janela do apartamento. “Nossa... Eu sou muito idiota mesmo.”

Yoongi riu de forma alta e exagerada, logo se levantando para correr ao namorado e abraça-lo com força, envolvendo seus ombros. “Não fala assim! Não tem problema, eu tiro o coco, acho que não vai dar nada!”

Embora Yoongi não tivesse dito aquilo por mal, até porque não tinha o que fazer, Jungkook realmente sentia-se a pior pessoa do mundo.

Havia esquecido completamente que seu namorado era altamente alérgico a coco.

E sempre que comia algo que continha o mínimo que fosse, mesmo que só uma essência, acabava tendo que ir para o hospital, por não conseguir respirar e inchar totalmente o rosto.

E o que tinha para seu aniversário? Um bolo de coco.

No mínimo ele estava pensando que queria mata-lo ou qualquer coisa do tipo e Jungkook realmente se odiava.

 

“Hey, desfaz esse bico!” Yoongi sussurrou com os lábios no topo de sua cabeça, deixando um pequeno beijo ali antes de voltar ao seu lugar na mesa.

Dividiu o bolo no meio e retirou todo o recheio, até que ficasse apenas a massa mesmo e então se arriscou a comer. E, por incrível que parecesse, estava extremamente bom. Não só a massa como aquela calda de chocolate também. Tanto que mal acabou o primeiro pedaço e já cortava um segundo para si.

Jungkook, porém, ainda não tinha nem tocado o seu primeiro.

 

“Desculpa, eu... totalmente esqueci disso. Não foi por mal, hyung.”

“Eu sei que não, relaxa aí e come... Está muito bom, mesmo, acho que você já pode casar, hein.” Yoongi brincou, tendo uma pequena marca de chocolate na lateral esquerda de seus lábios.

 

Jungkook não só sentia-se mal por ter feito o bolo errado. Mas sentia-se mal por estar sentindo-se mal. Era algo tão besta, mas que de alguma forma acabou afetando a si mais do que deveria.

Parecia que todas as coisas erradas que já tinha feito a Yoongi estavam apenas voltando à superfície e afundando lentamente seus pensamentos.

Conseguiu sair deles apenas quando sentiu algo gelado em sua boca e viu que Yoongi estava segurando um pedaço do bolo para que comesse, na verdade, já estava quase enfiando-o dentro de sua boca, querendo ou não.

O mais novo aceitou aquele pedaço e apesar de tudo, tinha que admitir estar realmente muito gostoso. Se não tivesse ferrado com a intenção, teria realmente sido um bom presente de aniversário ao namorado.

 

Conversaram mais algumas coisas bobas e então os dois ajeitaram as louças sujas na pia. É claro que nenhum deles lavaria aquilo agora, ou amanhã, ou depois, mas pelo menos o resto do apartamento estava ajeitado.

 

Yoongi foi tomar um banho e enquanto isso, Jungkook se jogou na cama.

Apenas tinham televisão no quarto, então era lá onde passavam a maior parte do tempo, juntos ou não.

 

Entretanto, Jungkook não ligou-a.

Ficou apenas encarando o teto, tentando não deixar-se levar por suas preocupações. Mesmo sendo tarde demais.

 

Perguntava-se por que infernos Yoongi estava consigo, se era por pena já que não tinha família nenhuma ou talvez só comodidade. Nunca tinha feito a ele nada de realmente bom, enquanto ele mudou toda sua vida, até mesmo mudou de cidade por si.

 

“Jungkook.”

O mais velho chamou pelo nome de seu namorado. Conhecia-o bem o suficiente para saber quando ele entrava em seus momentos mais introspectivos, acabava acontecendo com certa frequência e com calma, sentou-se ao seu lado na cama.

O mais novo focou o outro em seu olhar, com seus fios negros e molhados, pele incrivelmente pálida e um sorriso tranquilo nos lábios.

 

“O que você está pensando, hm?” Yoongi continuou, colocando uma das mãos sobre o peitoral mais largo alheio.

 

“Eu queria realmente fazer alguma coisa diferente para você hoje, e acabei fazendo um bolo que poderia te matar...” Jungkook disse com a voz baixa, notavelmente triste.

 

“Bom... Poderia mesmo.” O menor riu. “Mas você odeia cozinhar, e ainda assim foi lá, fez um bolo, tentou e ficou muito bom, isso que importa.”

Não teve resposta àquilo. O jovem deitado apenas fez um leve bico, maneando a cabeça em negação, como se estivesse decepcionado consigo mesmo.

 

“Kook, olha aqui...” Yoongi chamou sua atenção. “Eu sei que você acha que tem uma dívida comigo, ou que não pode errar mais comigo porque já errou muito ou sei lá o que... Mas eu estou aqui, agora, com você. A gente está na... nossa casa, com a nossa vida, e você acha mesmo que isso estaria acontecendo se tivesse algo errado?”

 

O maior sentou-se na cama, logo de frente ao namorado, segurando forte suas mãos.

“Eu sempre vejo a cena daquele cara te batendo aquele dia.”

 

“E eu sempre vejo a cena de um menino que tinha medo de carinho, de um menino que tinha medo de que alguém fosse se aproximar muito dele porque acabava perdendo as pessoas que gostava, um menino que não entendia ele mesmo e que tinha medo do que acontecia dentro de si... Jungkook, ninguém é perfeito. Só... Só você não vê o quanto você mudou nos últimos anos e acho que só você não vê o quanto eu sou feliz quando você está comigo.”

Yoongi riu baixo. “No passado, bom, sim, eu era meio masoquista mas hoje em dia a coisa que mais me faz bem é chegar em casa e saber que eu vou poder dormir aqui com você, cuidar de você e você vai cuidar de mim também.”   

 

Os dígitos mais pálidos percorriam as bochechas mais avantajadas do maior até apertar uma delas com força, arrancando um riso dele.

“Ao invés de ver a cena daquele cara, veja a cena da gente indo à praia, eu com um quilo de protetor solar para não virar um camarão, a gente indo no karaokê, eu ganhando de você no vide-gam—“

 

“Eu te amo.”

 

Yoongi ficou um tanto confuso naquele momento. Não sabia se tinha ouvido certo ou se fora na verdade só o maior mandando-o calar a boca por não parar de falar mais.

“Que?”

 

“Eu te amo.”

 

Jungkook nunca disse algo com tanta vontade e certeza como naquele momento.

Respirava de forma rápida e descompassada, apenas pelo nervosismo de, pela primeira vez, ter dito aquilo ao mais velho, mas não se arrependia, na verdade, apenas ficava um pouco mais confiante para mostrar-se mais a ele.

Já Yoongi, ainda tinha os lábios espaçados pela surpresa de ouvir aquilo.

Conheciam-se há cinco anos ou algo muito próximo disso e em todo o tempo em que namoraram, apenas ficaram juntos, começaram a se aproximar de novo, começaram a namorar de novo, nunca haviam trocado aquela confissão.

Não que não o sentisse, muito pelo contrário. Mas não sentia-se pronto para dizer, simplesmente por nunca ter certeza se o que o mais novo tinha por si era igualmente forte e grande.

 

“Desculpa...” Yoongi começou, franzindo o cenho. “Você pode repetir por favor? Eu acho que não ouvi direito.”

Jungkook riu divertido, simplesmente envolvendo com força a cintura mais fina do moreno, trazendo-o para deitar sobre si conforme distribuía diversos selares por seu rosto, pescoço, maxilar, um para cada declaração.

“Eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo...”

 

Yoongi começou a rir também, envolvendo o pescoço alheio entre seus braços.

 

“Eu também te amo, Jeon Jungkook...”

 

Ambos ficaram se encarando, por longos minutos, sem precisar dizer nada um ao outro.

Talvez, apenas talvez, Jungkook estivesse começando a aceitar o fato de que poderia ser realmente feliz ao lado de alguém.

E talvez Yoongi estivesse feliz em saber que poderia ser esse alguém.

 

 

 

“Uh... Kookie?”

“Sim?”

“Você colocou leite de coco na massa do bolo?”

“Eu molhei um pouco depois que terminei, por que?”

“Porque... Eu acho que estou levemente parando de respirar...”

“AI MEU DEUS!”

 

 

Quando se deu conta, Jungkook já estava batendo na porta de Seokjin, pedindo por todos os céus que levasse eles para o pronto socorro porque seu namorado estava morrendo.

Seokjin entrou em desespero logo, mas no meio do caminho começou a entender o acontecido e não poupou-se em dizer que Jungkook era realmente meio lerdo da cabeça por ter feito justamente aquele bolo.

Yoongi, embora com a garganta inflamando aos poucos e o rosto também, conseguia ainda rir um pouco e repreender o namorado por ter pedido ajuda para fazer um simples bolo.

 

Yoongi teve que ficar algumas horas tomando medicamentos intravenosos no hospital, Jungkook e Seokjin sentados ao seu lado.

Todos conversavam, mas Jungkook ria algumas vezes enquanto parecia trocar mensagens com alguém pelo celular.

 

Não muito tempo depois, Namjoon simplesmente entra na ala de observação, mãos nos bolsos da calça de moletom e um sorriso largo nos lábios.

O jovem deitado na maca franziu o cenho ao ver aquele rapaz chegando. “Ué, o que você está fazendo aqui?”

 

O mais alto, como o bom ator que era, fez-se de ofendido com aquela pergunta, chegando a espalmar a mão direita no peitoral. “Como assim o que? O namorado do meu melhor amigo está no hospital e acha que eu não vou me preocupar? Que tipo de pessoa você acha que eu sou?”

 

O mais novo de todos apenas riu baixo, consigo mesmo e quando seu namorado enviou a si um olhar confuso, Jungkook apenas maneou a cabeça em negação, murmurando que explicaria mais tarde.

Seokjin ainda encarava o recém chegado e levou uma das mãos até o queixo, como se estivesse pensando. “Eu não conheço você?”

Namjoon, com um sorriso ainda maior, sentou-se no pequeno sofá, logo ao lado de Seokjin. “Conhece? Eu acho que não, eu tenho um rosto muito comum, você deve estar me confundindo... Aliás, Namjoon meu nome, muito prazer.”

“Não, não! Kim Namjoon, é você mesmo... Nós não fazíamos o ensino médio juntos?” O outro rebateu, não deixando de encarar o de pele mais morena.

 

“Nossa! Você é Seokjin? Cara... Eu juro que não te reconheci! Que surpresa!”

 

Ok... Talvez Namjoon não fosse tão bom ator assim, porque tanto Jungkook quanto Yoongi acabaram por rir daquela cena.

O último puxou a gola da camiseta de seu namorado para perto, fazendo-o se aproximar. “Sério que você está transformando minha quase morte em um encontro?”

 

Jungkook riu novamente.

“Que foi? Eu estava devendo para ele, desde que soube que a gente conhece o Jin-hyung, vive me pentelhando para apresentar os dois porque o Jin era um tipo de crush dele no colégio ou alguma coisa do tipo, a culpa não é minha.”

 

“Eu quero um cigarro...” Foi a resposta que o “paciente” deu em seguida, exibindo um bico.

“Você não ia parar de fumar?”

“Você não ia parar de ficar falando para eu parar de fumar?”

 

O menor riu baixo. “Velho ranzinza.”

 

“Chato.”

“Lindo.”

“...Idiota.”

 

“Eu te amo.”

 

“Eu também te amo...”

 

 

“even though I was gone for a long time

you received me again without any repulsion

without you I am nothing

as the dawn passed, us two greeted the morning

don’t let go of my hand forever

because I won’t let you go either”

 

 


Notas Finais


Finalmente, huh?! Eu prometi que seria um capítulo fluffly... Não sei se isso pode ser consideraro fluffly, acho que não sei escrever nada assim, midisgulpem. UAHUHUA

Eu sei que essa letra de First Love fala sobre amor maternal, porém fiz esse recorte sim e coloquei na fic sim, porque adorei esse trecho e achei simplesmente o Kook falando para o Suga sim, então haters to the left.

Quero agradecer a todo mundo que leu, que comentou e dizer que amo cada um de vocês! Espero que tenham gostado desse capítulo também e já vou falando que estou trabalhando em uma longfic deles! Vai ser uma pegada bem diferente, mas logo os primeiros capítulos saem. ♥

Como sempre, comentários, críticas e sugestões são sempre muito bem vindos!

See ya next time.
Nick.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...