História The Green Eyes - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 184
Palavras 2.831
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - Forty One


- Camila, porque você não pega outra coisa pra comer? – Lauren estava segurando sua bandeja com seu lanche, enquanto aguardava a namorada terminar de escolher o que comeria.

- Por que eu não posso comer essa torta? E por que você está me chamando de Camila? Você não me chama de Camila. – A menor deu um olhar rápido para Lauren e a mesma deu de ombros e arrastou os pés para fora do refeitório. Ela parou do lado de fora e se sentou no chão, encostando-se na parede e cruzando as pernas. – Qual o seu problema?

- Eu não tenho nenhum problema. – Lauren respondeu rápido assim que Camila repetiu seus movimentos e se sentou ao seu lado. – Você vai mesmo comer isso? Semana passada a Ally passou mal por comer essa torta.

- Não estou comendo a mesma torta que ela comeu na semana passada, Lauren. O que deu em você? – Camila manteve os olhos em Lauren, mas a de olhos verdes parecia desviar qualquer tipo de olhar que estava tendo com Camila.

- Eu não tenho nada. Estou normal. Talvez você tenha um problema. – Ela olhou rapidamente para Camila, apenas para novamente desviar o olhar para a bandeja em suas pernas.

- O que você está tentando dizer? Eu... Eu não estou entendendo onde você quer chegar com isso. Você está me chamando de Camila e não olha pra mim direito faz três dias, Lauren. Se você me falasse qual o seu problema, talvez eu possa te entender. – Camila revirou os dedos sobre o garfo e o enfiou no pedaço de torta de maçã. Não estava parecendo tão ruim assim, e Ally tinha ficado bem depois de algumas horas.

- Você está realmente falando isso? Não se faça de desentendida. Deve saber muito bem o porque de eu estar assim. Qual o meu problema? O meu problema é que você não está sendo você mesma e certamente esconde algo de mim. Por que você não atende seu celular perto de mim quando o Brant te liga? – Lauren finalmente a encarou e manteve os olhos nela. Camila se sentiu incomodada com o olhar que recebia da namorada. Era como se aquele olhar a deixasse nua na frente de uma multidão e ela quisesse se esconder em algum lugar fora dali.

- Não acredito que isso tudo é por causa disso. Você está assim porque eu não atendo o celular na sua frente? Eu só falo sobre música e estúdio e a porcaria do meu contrato, se é isso que você quer saber. Ele será meu produtor, Lauren. Que tipo de relacionamento você acha que eu tenho com ele? – Camila pareceu ficar ofendida com o que a namorada estava pensando dela naquele momento, mas Lauren não se importou e apenas revirou os olhos e deu um sorriso cínico. 

- Um tipo de relacionamento onde você envia mensagens as 3h da madrugada dizendo que também sente falta dele. – A voz de Lauren deixou de ser firme e passou a ser falha e para um tom bem inferior. Ela não estava olhando para Camila.

- O que?... Você andou fuçando o meu celular? Você não sabe se eu fiz isso. Você... Como?...

- Você devia prestar atenção quando vai mandar uma mensagem para alguém. Ou você estava com muito sono e não percebeu que em vez de enviar a mensagem pra ele, você enviou pra mim, ou você anda muito desatenta nas ultimas semanas. Ainda quer saber o meu problema, Camila? – O olhar da mais alta voltou para ela e a mesma engoliu o seco, não conseguindo mais manter os olhos nos de Lauren.

- Lauren, eu...

- Tudo bem. Eu pensei que você fosse diferente disso. Eu realmente pensei. – Lauren se levantou e seguiu de volta para dentro do refeitório com a bandeja. Ela a jogou no balcão do refeitório junto com outras bandejas. Camila tentando dizer algo atrás dela. Nesse ponto ela não queria ouvir nada que viesse da boca da namorada. Lauren não sabia se pensava se Camila estava a traindo com Brant, ou se ela estava tentando o agarrar apenas para manter o contrato e conseguir o que queria. Não importava o que fosse, Lauren não iria aprovar nenhum dos dois e se sentiu magoada por isso.

- Você pode parar e me ouvir por um segundo? – Camila agarrou o braço direito dela e a puxou, fazendo que ela parasse de andar no meio do corredor. – Eu preciso que me ouça.

- Não importa o que você tem pra dizer.

- Importa sim. Eu não tive nada com ele quando eu estive lá naquelas duas semanas. Eu o conheci alguns dias antes de voltar. Nós só mantivemos o contato para falar sobre assuntos... – Camila falava o mais rápido que conseguia. Lauren a olhando séria e com ironia.

- Assuntos... Você sente falta dele sem ao menos ter passado muito tempo com ele. Você não me mandou uma mensagem dizendo que sentia minha falta por duas semanas. – Lauren puxou o braço de volta e continuou seu caminho pelo corredor.

- Pra onde você está indo? – Camila a seguiu de perto. As duas tentando desviar de outros alunos no corredor principal.

- Não interessa para onde eu vou. – Lauren saiu pela porta lateral e foi em direção a garagem.

- Ei Mila, pra onde você vai com essa bandeja? Você não pode levar isso pra casa. – Dinah agarrou o braço de Camila e riu para a amiga. Ela não tinha visto Lauren saindo segundos antes.

- Eu estava...

- Ok! Vamos voltar pro refeitório. E você não vai comer isso. Ally não serviu de exemplo? – Dinah entrelaçou seus braços e arrastou Camila de volta para o refeitório, a menor tentando se livrar da amiga no começo, mas sabia que se falasse algo, Dinah a julgaria da mesma forma que Lauren.

...

- Dinah, me empresta seu celular? – Camila cutucou o braço da amiga enquanto ela e Rick estavam se beijando no sofá da sala. Dinah a empurrando com um braço para longe. – Dinah!

- Mas que porra, Mila. Qual seu problema? Eu não empato seus momentos com a Lauren. – Dinah a olhou séria e Rick riu.

- Na verdade você faz isso quase sempre. Eu preciso do seu celular. – Camila cruzou os braços abaixo dos seios.

- Por que precisa do meu celular? Você tem o seu, use ele. – Dinah olhou para o namorado novamente e quando estava prestes a beijá-lo novamente, Camila a puxou para trás. – Urgh! Pega esse celular e some daqui ou eu vou enfiá-lo em um lugar onde você jamais imaginou que celular pudesse entrar. 

- Okay!! E obrigada. Eu não vou mais aparecer aqui durante um bom tempo. – Ela piscou para a amiga e Dinah revirou os olhos enquanto gesticulava com a mão para que Camila fosse embora.

Depois de passar um bom tempo tentando ligar para Lauren de seu próprio celular, Camila percebeu que a namorada não iria a atender sabendo que era ela quem a estava ligando. De qualquer forma, o celular não estava desligado e permanecia chamando até cair na caixa de recados. Talvez ligando com o numero de Dinah, Lauren atendesse.

- Oi, Dinah! – Lauren disse desanimada do outro lado da linha.

- Lauren, por favor, nós precisamos conversar. – Camila falou e ouviu a respiração de Lauren durante alguns minutos enquanto ela não respondia nada de volta. – Lauren!

- Eu não sei. Eu estive tentando ignorar isso, porque eu não podia acreditar que você iria fazer isso comigo, mas quando eu disse hoje e você não negou depois. Apenas... Você devia ter me dito algo. 

- O que eu poderia ter dito sobre isso? Eu não sei o que você queria que eu te dissesse. – Mais alguns segundos de silencio e Camila parecia impaciente enquanto andava em círculos dentro do próprio quarto. – Lauren! Diga alguma coisa.

- Eu não sei se eu quero falar contigo agora. Você devia me ligar daqui algumas horas. – Lauren respirou fundo e Camila pôde ouvir o ar deixando os pulmões de Lauren vagarosamente. 

- Eu posso ir aí agora? – Camila perguntou o mais suave que pôde esperando que Lauren apenas afirmasse e que ela corresse até lá para resolverem isso. Mas ela não sabia nem por onde começar, muito menos em como resolver essa situação.

- Não. Eu não consigo olhar pra você agora. Você pode tentar me ligar depois. Eu não quero falar com você agora. Desculpa. Até mais. 

- Lauren... – A chamada foi encerrada e Camila queria jogar o celular para longe, mas sabia que Dinah arrancaria sua cabeça depois. Ela estava esperando se sentir melhor ou menor pior depois disso, mas quando Lauren afirmou não querer falar com ela naquele momento e que não conseguia a olhar, a deixou pior do que antes e ainda ouvir Lauren pedindo desculpas por algo que ela não deveria... bem, talvez isso só tivesse arruinado tudo um pouco mais dentro de Camila.

Se ela quisesse fazer algo certo, elas teriam que ter uma longa conversa. Camila estava certa disso. Mas não conseguia se controlar por um minuto dentro do próprio quarto. Ela não parava de pensar sobre o que estava fazendo. Nada parecia certo vindo dela. Talvez ela realmente devesse dar um espaço para Lauren, se era isso que ela queria.

Depois de alguns minutos andando em círculos e girar o celular de Dinah nas mãos, Camila decidiu que tinha que fazer algo para se acalmar, e nada melhor do que cantar ou tocar algo para isso. Ela pegou o violão e se sentou na cama. Dedilhou as cordas e deixou que qualquer coisa soasse dali. Ela tocou algo até letras aleatórias virem em sua mente. Tinha que sair algo bom de tudo isso, talvez uma música.

...

- Lauren, você pode me deixar na casa da Angela? A mamãe disse que talvez você já estivesse melhor da sua dor de cabeça, e o Chris não quer ir porque não quer sair do celular. – Taylor fez a sua cara de pidona e Lauren sabia que era impossível negar algo a irmã mais nova quando ela fazia isso.

- Tudo bem. Vocês vão sair ou algo do tipo? – Lauren levantou do sofá e desligou a TV. Estava passando um filme, mas ela não estava realmente o assistindo. Sua mente estava longe demais para prestar atenção em qualquer coisa que passasse na TV.

- Nós vamos terminar um trabalho de Biologia para segunda. Talvez você pudesse ficar e ajudar a gente. Ter uma cabeça a mais para pensar poderia ajudar. – Taylor sorriu acompanhando a irmã até o carro fora de casa.

- Não. Eu te deixo lá e quando você terminar, eu vou te buscar. Não to muito bem para estudar Biologia hoje. Isso vai fazer com que minha dor de cabeça volte. – Elas entraram no carro e Taylor concordou com a cabeça e seguiu os movimentos de Lauren colocando o cinto de segurança. 

- Você tem que procurar um médico pra ver o que é isso. – Disse parecendo ficar preocupada.

- Não é nada, sua boba. Eu só não estou dormindo muito bem e isso me deixa com dor de cabeça. Vai passar assim que eu colocar meu sono em dias. – Lauren a empurrou e as duas riram.

Ela deixou a irmã na casa da amiga e se despediu dizendo para Taylor a ligar quando fosse embora. Ela dirigiu até um Café próximo. Ficou um tempo sentada olhando para fora da janela, uma garçonete se aproximou.

- O que você gostaria de pedir? – Era uma garota talvez um pouco mais velha que Lauren. Tinha cabelos cacheados, caramelo, olhos cor de mel e um sorriso contagiante. Ela vestia o uniforme vermelho do Café e tinha nas mãos um bloco de notas e uma caneta.

- Ahmm... O que vocês tem de bom? – Lauren sorriu para a garota. 

- Nada. – A garota ficou séria e Lauren sorriu mais largo, a fazendo rir. – Certo. Eu te indicaria o café com creme, é realmente delicioso. E talvez... hum... as panquecas são gostosas também. 

- Tudo bem. Traga-me só o café com creme. Sem as panquecas. – Lauren disse tirando o celular do bolso e verificando as horas.

- Então você pode voltar depois para provar as panquecas. – A garota anotou o pedido no bloco e sorriu para Lauren lhe lançando uma piscadela. – Eu volto em instantes com o seu café. Com licença. 

Lauren acompanhou com o olhar a garota ir até o balcão e preparar seu café, mas desviou o olhar para o celular que vibrou em suas mãos.

"Lauren, por favor. Me deixe conversar com você. Eu não te trai com o Brant e nem com ninguém. Você pode, por favor, me ligar e dizer que eu posso ir te ver pra gente resolver isso? Eu te amo muito! Nunca duvide disso. Por favor. Me desculpe por isso." 

Ela considerou em responder a mensagem, mas a garçonete voltou trazendo seu café. Ela bloqueou o celular e o deixou sobre a mesa, deixando que a garota colocasse a xícara na sua frente. 

- Prontinho, olhos verdes! Espero que goste. – A garota tirou do bolso do vestido o bloco e a caneta novamente, percebendo que mais pessoas haviam ocupado outra mesa. – Qualquer coisa é só me chamar.

- Obrigada. – Lauren sorriu e a garota se dirigiu a outra mesa. Ela era realmente bonita e simpática. Talvez fosse uma boa pessoa para se conversar em outros momentos. De qualquer forma, Lauren apenas bebeu o seu café, que era realmente maravilhoso. Ela não voltou a olhar o celular novamente, mesmo depois de ele ter vibrado mais duas ou três vezes.

- Não, não, não. O que está fazendo? – A garçonete correu até Lauren quando ela estava levantando da cadeira e deixando o dinheiro do café sobre a mesma.

- Bem, eu estava pagando o meu café. Eu não vi nenhum caixa, então... – Lauren pareceu ficar meio confusa e verificou novamente o lugar a procura de um caixa.

- Não é isso. Guarde o seu dinheiro. Você só pediu um café e é quase incorreto cobrar só por isso. É por minha conta. – A garota pegou o dinheiro sobre a mesa e o entregou a Lauren novamente, a mesma negou com a cabeça e a garçonete enfiou o dinheiro no bolso do short dela rapidamente.

- Deus! Me deixe pagar, é só um café. – Lauren riu.

- É só um café, senhorita olhos verdes. Você paga quando voltar aqui e pedir as panquecas. Combinado? – A garçonete sorriu para ela e arqueou uma sobrancelha.

- Certo. Tudo bem. De qualquer forma, obrigada. – Ela pareceu ficar um pouco sem jeito, mas sorriu de volta para a garota.

- Sem problemas, linda. Volte outra hora e pegue as panquecas. Eu ficarei feliz em te atender novamente. E quem agradece sou eu. Desculpe, eu preciso atender a outra mesa. Tenha cuidado quando estiver voltando para casa ou sei lá para onde estiver indo. Não quero que se machuque e não volte mais aqui. Tchau! – Elas sorriram e Lauren saiu do café enquanto era observada pela garçonete que parecia ter sido hipnotizada até que Lauren desaparecesse de sua vista.

Ela dirigiu até um parque ainda próximo, mas estava mais próxima de uma cidade vizinha. Quando ia sair do carro, recebeu a ligação de Taylor dizendo que já estava pronta para voltar para casa e dirigiu novamente para buscar a irmã.

- Isso foi bem rápido, não? – Lauren sorriu quando a irmã entrou no carro.

- Bem, ela não estava se sentindo muito bem e precisa descansar um pouco. Será que isso que você tem, essas dores de cabeça, são a mesma coisa que ela tem? – Taylor arregalou os olhos e riu alto, Lauren a empurrando contra a porta.

- Pare com isso. Vamos embora. – Lauren e Taylor colocaram o cinto e saíram da rua onde a amiga de Taylor morava.

- Ei, Lauren! Me compra um sorvete? – Taylor disse ligando o radio do carro.

- Quando estivermos no parque você vai na sorveteria de lá e compra um. – A mais velha parecia concentrada no trânsito, mesmo assim olhou rapidamente para a irmã.

- Certo, mas você paga. – Taylor sorriu com a língua entre os dentes e Lauren imediatamente lembrou que Camila fazia a mesma coisa quando sorria assim para ela.

- Tudo bem. – Ela desviou o olhar para a rua novamente e não disse mais nada. Taylor cantando a música que soava pelos alto-falantes do carro.

Depois de dar uma parada na sorveteria para que Taylor comprasse seu sorvete, elas seguiram de volta para casa. Em pouco tempo elas já estavam passando da porta de entrada. Taylor correu para a sala e se jogou no sofá ao lado de Mike que estava assistindo um filme. 

- Lauren, tem uma pessoinha te esperando no seu quarto. – Mike sorriu e tentou pegar um pouco do sorvete da filha mais nova. Taylor o empurrando e gargalhando.

Ela já devia ter uma ideia de quem devia estar esperando em seu quarto, então quase se arrastou pelo caminho, andando o mais devagar possível para tentar colocar a cabeça no lugar e ter uma conversa normal. Ela queria entender o lado de Camila, mas parecia ser difícil ver um ponto sobre isso. As duas estavam com a cabeça fora do lugar e Brant do outro lado, nem ao menos tendo a ideia de que estava causando isso na vida de Camila.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...