História The Green Eyes - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 232
Palavras 2.568
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 46 - Forty Six


- Camila, Camila... O que está fazendo aí no canto da parede? Todas essas pessoas na sala para conversar e você aqui sozinha. – Brant riu se encostando à parede da escada assim como Camila.

- Essas pessoas não tem nada de interessante para se conversar. – Ela revirou os olhos e olhou rapidamente para ele.

- Não posso concordar com você. Eu cresci muito conversando com pessoas assim, e mesmo que você ache super chato, você vai acabar aprendendo alguma coisa. Olhe aquela mulher, o vestido dela é horrível e quando ela fala, não mantêm uma boa postura. Observe e aprenda a não fazer o mesmo. O homem a esquerda com terno azul, ele cospe quando fala e tende a conversar apenas sobre corridas de cavalo. Aprenda a não manter apenas um assunto durante a conversa toda, dê espaço para que falem com você. Ninguém quer ouvir outra pessoa falar por horas sobre cavalos. – Brant a olhou depois de fazer suas próprias observações.

- Eu poderia ouvir alguém falar sobre cavalos, por horas e horas. – Camila sorriu.

- Não conversando com alguém que cospe em você o tempo todo. – Brant sorriu também. – Onde está a sua amiga?

- Ela foi procurar algo para beber. – Camila procurou por Lauren entre as pessoas, não a achando ainda.

- Certo. Você parece tão entediada aqui. Isso não soa muito bem para a comemoração de aniversário do seu pai. Vamos dar uma volta lá fora e você respira um pouco de ar livre, fora de todo esse cheiro de perfume francês. – Brant a puxou pelo braço a levando para a porta de entrada. Camila procurando por Lauren uma ultima vez.

Eles saíram da casa e Brant a guiou para o jardim, onde Camila e Sofia haviam esperado por Lauren. Camila mantendo os olhos na porta de casa, preocupada com Lauren e em como ela saberia que estavam lá fora. 

- Eu não posso ficar aqui fora por muito tempo. A Lauren pode estar me procurando. – Camila olhou para Brant que estava com o rosto para o alto e parecia observar as estrelas. 

- Ela vai acabar te achando. Não se preocupe. Sua amiga parece esperta. – Ele manteve os olhos no céu e respirou fundo.

- Eu não sei se...

- Pare de se preocupar tanto. Sua amiga ficará bem. Ela parece melhor que você entre todo mundo lá dentro. Deve ter contato com gente assim o tempo todo também, mas pelo menos ela não demonstra que está desconfortável sobre conversas que não goste. – Brant olhou para Camila e fixou seus olhos nos dela.

- Você não conhece a Lauren. – Camila falou rápido. 

- Você nunca me falou sobre seus amigos. Como gostaria que eu conhecesse? – Ele riu e passou a mão nos cabelos escuros, os penteando para trás. – Você conhece mais sobre mim do que eu conheço sobre você. 

- Você conhece os meus pais. – Camila desviou o olhar e os manteve novamente na porta de entrada.

- Mas não conheço os seus amigos, o que gosta de fazer nos fins de semana, o que faz quando está entediada em seu quarto, seu sabor favorito de sorvete, suas bandas e músicas favoritas. Você não me deixa saber nada sobre você e mesmo assim eu acho que gosto de você. – Ele levou a mão ao cabelo de Camila e colocou uma mexa para trás da orelha dela. Camila o olhando séria. 

- Você nunca me perguntou nada. – Camila afastou um pouco a cabeça quando Brant aproximou o rosto do seu.

- Eu posso aprender muito sobre você Srta. Cabello. – Sem dizer mais nada Brant puxou Camila para seu peito e a beijou. Foi um beijo suave. Os lábios dele estavam frios e sua mão entrelaçada nos fios de cabelo da nuca dela. 

Ela tentou o empurrar, mas seus braços a envolveram e ele a segurou mais forte, a fazendo permanecer onde estava. Camila caindo em seu beijo e o beijando de volta. As mãos dela não o tocaram, ele manteve suas mãos no mesmo lugar e apenas movimentou os dedos um pouco antes de quebrar o contato entre seus lábios e fixar o olhar em nela.

- Brant... Eu não... Desculpa! – Camila estava perdida em sua cabeça. Ele a olhando com um sorriso nos lábios, o mesmo sorriso que ela havia visto durante o jantar onde o conheceu, o sorriso que havia ficado fixado em sua mente. 

- Não precisa dizer nada. Eu vou voltar para dentro e terminar alguns assuntos com essas pessoas chatas. Nos vemos lá dentro. Ahh, sua amiga. – Brant olhou para a porta de entrada da casa e viu Lauren parada segurando dois copos nas mãos. 

Camila virou rapidamente o rosto. Só conseguiu ver Lauren voltando para dentro e desaparecendo. Ela colocou a mão no rosto e presumiu o que viria a seguir, seus olhos enchendo de lagrimas ali mesmo. Brant deu um beijo em seu ombro e voltou para dentro, logo desaparecendo também.

Ela respirou fundo, algumas lagrimas teimosas escorreram pelo seu rosto, ela as secou e respirou fundo novamente. Bateu o pé e se dirigiu para dentro também. A cada passo que dava, ela ficava mais devagar, seus pernas pareciam pesar mais e ela não sabia se seria possível continuar andando até encontrar Lauren. 

Não foi preciso entrar em casa e procurá-la lá dentro. Lauren saiu correndo e parou assim que viu Camila em sua frente. Ela caminhou rápido e antes que Camila abrisse a boca para falar algo, sua mão colidiu forte na bochecha da menor. Os olhos dela estavam cheios de lagrimas e ela parecia tremer. 

Camila levou a mão até a pele atingida e pressionou esperando que a dor diminuísse. O olhar de Lauren estava a matando por dentro, mas ela sabia que havia ferido Lauren bem mais forte do que um tapa no rosto. 

- Eu pensei que conhecesse e pudesse mesmo confiar em você. Mas eu não te conheço, Camila. Aproveite a festa e o resto das suas férias com o Sr. Apenas falamos sobre assuntos profissionais. – Foi tudo que saiu da boca de Lauren naquela noite. Ela partiu como um furacão passando por Camila, se dirigindo até o carro e bateu a porta depois de entrar. 

Camila desabando por dentro e não sendo capaz de olhar para trás e ver que ela estava indo embora. O barulho do motor do carro ficando cada vez mais distante e então impossível de ser ouvido. Ela soltou o ar que estava preso em seus pulmões e secou novamente as lagrimas que caiam incontroladamente do seu rosto. 

Teve que voltar para dentro. A festa não era mais uma coisa que ela tinha que aguentar. Não havia a mínima possibilidade de ela continuar ali embaixo com todo mundo. Depois de desviar de algumas pessoas para chegar a escada, Camila foi parada por alguém a segurando pelo braço.

- Hija, o que foi isso no seu rosto? – Sinu perguntou colocando a mão sobre a marca vermelha na bochecha de Camila.

- Não é nada. – Camila disse tentando segurar o choro. 

- O que aconteceu? O seu pai fez algo? – Sinu pareceu ficar mais preocupada.

- Não, mama. Ele não fez nada. Eu merecia isso. – Ela repediu diversas vezes o tapa que Lauren lhe deu em sua cabeça, as lagrimas teimando em cair livremente.

- Camila... Cadê a Lauren? – Sua mãe franziu as sobrancelhas e Camila teve de respirar mais forte para manter a calma e não desabar em um choro descontrolado ali mesmo.

- Ela foi embora, mama. E eu não sei se ela vai olhar pra mim de novo. – Ela abraçou a mãe e enterrou o rosto em seu pescoço, deixando um choro controlado surgir. Ela tentou ao máximo o manter calmo, mas ficava cada vez mais difícil. 

Sinu percebeu o que havia acontecido e arrastou Camila para cima antes que alguém percebesse que ela estava chorando. Camila não conseguiu se manter calma quando entrou em seu quarto e caiu na cama chorando descontroladamente. Sinu fechando a porta e sentando ao lado da filha.

- Mama, por favor. Eu preciso ficar sozinha. Você pode voltar para a festa. – A voz de Camila sendo abafada pelo rosto afundado no travesseiro. Seu peito subindo e descendo rapidamente pelo choro.

- Você vai me contar o que aconteceu assim que estiver mais calma. Tente ficar bem. Por favor! – Sinu se inclinou e deixou um beijo na cabeça da filha, logo depois a deixando sozinha na cama.

Camila não soube dizer quando a festa acabou, ou mesmo quando parou de chorar e dormiu. Ela acordou no dia seguinte com a maquiagem completamente borrada no rosto e o travesseiro sujo de maquiagem. O vestido completamente amassado. Ela não queria levantar e lembrar de tudo da noite passada a fez voltar a chorar. Ela acabou dormindo novamente depois de alguns minutos de choro. 


...

- Lauren? – Alexa ficou surpresa em abrir a porta de casa e dar de cara com sua melhor amiga sentada no banco da varanda de sua casa na manhã seguinte. Ela não parecia nada bem.

- Hey! – Lauren disse desanimada. Ela virou o rosto rapidamente para o lado oposto e tentou limpar as lagrimas e a maquiagem borrada abaixo dos olhos. 

- O que você está fazendo aqui? – Alexa se aproximou e sentou do lado dela. – Você está chorando? 

- Não! Eu só estava dando uma volta e pensei que talvez... eu pensei que... 

- Lauren, você sabe que não precisa ficar criando desculpas. Eu sou sua melhor amiga. Você pode contar o que quer que tenha acontecido. Vamos subir pro meu quarto. Você não parece muito bem aqui fora. Deve estar cansada. – Alexa puxou Lauren pelo braço e a fez levantar do banco. Ela levou a amiga para dentro e antes que fosse conversar sobre qualquer coisa, fez Lauren lavar o rosto e trocar de roupa.

- Eu não preciso trocar de roupa. Não quero ficar usando suas roupas. – Lauren tentou negar em trocar sua roupa por uma que a amiga a oferecia, mas depois de olhar um pouco mais, acabou descobrindo que as roupas eram suas. Talvez ela tivesse as esquecido das outras vezes em que havia ido visitar Alexa, então acabou vestindo.

- Quer conversar sobre isso ou quer descansar um pouco? – Alexa perguntou assim que Lauren voltou para seu quarto.

- Eu acho que preciso dormir um pouco. Eu estou com um pouco de dor de cabeça também, então se eu dormir, eu vou poder dirigir de volta pra casa. – Lauren se sentou na cama ao lado da amiga.

- Lauren... – Alexa simplesmente parou de falar e puxou Lauren para um abraço suave. Lauren a abraçando de volta e quase deixando que as lágrimas voltassem. – Você vai ficar bem. Eu não sei o que aconteceu ainda, mas tudo vai se resolver e você vai ficar bem. Eu vou te deixar dormir um pouco. Quando acordar é só descer e eu preparo algo pra você comer antes de voltar. 

- Você pode enviar uma mensagem do meu celular pra minha mãe e dizer que eu volto depois do almoço? Mas não diz que eu estou aqui. Ela vai ficar preocupada e me encher de perguntas. Eu não quero ficar falando sobre isso. – Lauren deitou e Alexa puxou o cobertor para a cobrir.

- Tudo bem. Eu só vou dizer que você vai voltar depois do almoço e enviar a mensagem como se fosse você. Não se preocupe. – Alexa apertou de leve os ombros da amiga e pegou o celular do lado da cama para fazer o que Lauren havia pedido. – Lauren tem algumas mensagens da Camila.


- Okay! Deixa que eu envio. É melhor. Eu não vou ficar te perturbando. Pode ir tomar seu café. – Lauren puxou o celular da mão da amiga e o encarou por alguns minutos. Alexa sorriu e olhou confusa para a amiga, mas acabou concordando em deixar Lauren descansar e desceu para comer algo.

Lauren cogitou em abrir e ler as mensagens que Camila havia enviado para ela, mas em vez disso, acabou excluindo todas elas sem ao menos ler alguma. Sua mente estava quase explodindo por ter voltado inúmeras vezes a cena do beijo de Camila e Brant. Ela queria apenas não ter visto aquilo, mas acabou que ela riu um pouco antes de pegar no sono. Estava se sentindo idiota por ter confiado tanto tempo em Camila e não ter percebido tudo isso antes.

- Lauren, pra onde você está indo? – Alexa correu atrás da amiga quando ela desceu as escadas e saiu pela porta da frente.

- Ahh, pensei que você não estivesse aí. Minha mãe ligou e pediu pra eu voltar agora. Tenho que chegar lá no tempo normal, como se tivesse indo de onde eu deveria estar, então tenho que ir agora. – Lauren disse andando até o carro estacionado em frente a casa da amiga.

- E onde você deveria estar? Lauren, me diz o que aconteceu. – Alexa a segurou pelo braço a fazendo parar de andar.

- Eu deveria estar na casa dos pais da Camila, mas estou aqui, o que significa que se eu não sair agora, vou chegar 20 minutos mais tarde em casa do que deveria e minha mãe vai surtar. – Lauren quis parecer estar bem, mas sua voz falhou um pouco antes de pronunciar o nome de Camila e certamente Alexa percebeu isso.

- Okay! O que rolou entre você e a Camila pra você ir embora, dirigir até aqui e passar a noite chorando na minha varanda? – Ela cruzou os braços encarando a amiga. Lauren se mexendo desconfortavelmente. – Vamos, Lo! Eu deixei você fugir da conversa por tempo demais. Ou você fala agora ou você chega atrasada e enfrenta uma Clara furiosa. 

- Eu não quero falar sobre isso. – Lauren abriu a porta do carro, mas Alexa a fechou com força e se encostou na porta. – Você ia arrancando meu dedo. 

- Lauren! Me diz o que aconteceu. A Camila terminou com você? – Ela perguntou rápido e Lauren riu por imaginar Camila terminando com ela. Isso estaria sendo um pouco mais simples.

- Eu vi a Camila beijando outra pessoa e fui embora. Foi só isso. – Lauren empurrou a amiga e Alexa pareceu não acreditar no que ela estava dizendo. – É, parece mentira. Mas ninguém conhecia de verdade a garotinha fofa que a Camila parecia ser. Eu vou embora. Obrigada por ter deixado eu dormir um pouco. 

- Não Lauren. Por que você não entra e a gente conversa um pouco mais sobre isso? Você está bem? – Alexa tentou se aproximar de Lauren, mas ela deu um passo para trás e sorriu. Alexa sabia que ela não estava bem.

- Eu vou ficar legal. Eu te ligo depois de qualquer jeito. Eu vou indo, não quero ter que ter uma longa conversa sobre responsabilidades com a minha mãe. – Ela tentou se mostrar firme e até sorriu mais do que deveria. Enganar Alexa não era a tarefa mais fácil do mundo, sendo que a mesma sabia ler Lauren muito bem.

- Você não vai fugir de mim pelo celular, Jauregui. Não dirige muito rápido e presta atenção na estrada. Ahh, nada de Lana agora, okay? E não ouve essas suas músicas também não. Coloca na rádio e deixa tocar até chegar em casa. Você tem certeza que precisar ir ago...

- Lexaaaa!! Eu estou bem. Não se preocupa com isso. Eu aprendi mais uma lição. Volta pra dentro e eu te ligo assim que eu chegar em casa pra avisar que estou bem. – Lauren abraçou a amiga rapidamente e se enfiou dentro do carro. Foi difícil respirar lá dentro. Tentar parecer forte agora estava sendo mais difícil do que tudo.



Notas Finais


💔💔💔💔💔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...