História The Green Eyes - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 217
Palavras 2.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 51 - Fifty One


- Camila, por que não desliga a droga desse celular? Estou tentando me concentrar nesses papeis aqui. Se você não me ajuda mais, então vê se também não me atrapalha. – Brant gritou irritado pelo celular de Camila estar tocando várias vezes nos últimos dias e quando ela atendia ninguém falava absolutamente nada. Mas Camila ainda podia ouvir a respiração da pessoa do outro lado da linha.

- Por que você não vai pro seu escritório? Estou em casa e eu deixo o meu celular tocar quantas vezes eu quiser. Você não manda em mim. – Camila aumentou o volume do toque e novamente ele tocou. Ela atendendo imediatamente. Não estava mais se dando ao trabalho em descobrir quem era, pois a pessoa nunca falava nada, então ela ficava ouvindo a respiração até que a pessoa desligasse.

- Deve ser um desses seus fãs idiotas que descobriu seu número e vai ficar te ligando todo o tempo pra ouvir sua voz. Troca logo de número e acaba com essa porcaria. Vê se troca esse toque irritante também. Isso está me deixando louco. – Ele realmente parecia irritado e Camila riu por o ver assim.

- Brant, amor. Sabe o que você devia fazer? Você deveria ir pro inferno. Se falar assim mais uma vez de qualquer fã meu, é melhor que eu não esteja presente para ouvir isso. Se está incomodado, volte para a droga do seu escritório e pronto. – Camila ainda estava na chamada e pôde ouvir um pequeno riso do outro lado depois de falar isso. 

Ela teve quase total certeza que era Lauren e tudo o que Brant disse depois não entrou na cabeça dela. Ela queria voltar a ligação e ouvir o riso novamente para ter certeza que era a de olhos verdes.


...

- Mas que droga!! – Lauren disse jogando o celular no sofá e saindo rindo para a cozinha.

- O que foi? – Matheus perguntou desviando o olhar das fotos que estava tentando selecionar no notebook e olhando para a amiga.

- Eu acho que ela ouviu meu riso. – Lauren continuou rindo e pegou algo para beber na geladeira.

- Você é tão besta, Lauren. Por que não fala nada? – Ele voltou a atenção para as fotos.

- Porque eu não quero. – Ela deu de ombros e voltou para o sofá.

- E por que diabos você liga para ela? 

- Porque é divertido ouvir ela brigando com o Brant sobre alguém ficar ligando o tempo todo. – Lauren riu novamente.

- Nossa, que infantil. Você deve ficar ligando porque quer ouvir a voz dela. – Matheus a olhou e Lauren ficou séria. Era exatamente por isso e ninguém era burro o suficiente para acreditar nela sobre negar o que sentia por Camila.

- Okay! Talvez seja isso mesmo, mas eu não vou afirmar. – Lauren bebeu o resto do liquido que estava em seu copo e levantou do sofá indo em direção a porta. – Eu vou sair. Volto mais tarde e não me espere para dormir.

- Onde diabos você está indo? – Matheus perguntou confuso.

- Eu preciso beber algo mais forte e aqui não temos nada a não ser vinho barato. – Ela vestiu a jaqueta pendurada perto da porta e piscou para ele.

- O que aconteceu com você? Vai ser uma Lauren Bitch agora? – Matheus gargalhou e Lauren serrou os olhos sorrindo.

- Eu só vou beber algo, idiota. – Lauren se observou rapidamente no espelho e abriu a porta.

- Não vá beber muito e começar a beijar as pessoas pensando que é a Camila. – Matheus gritou e Lauren fechou a porta gargalhando. Não seria estranho se ela fizesse isso. Mas a única boca que ela realmente queria beijar na vida estava do outro lado do país.


...

Um ano e meio passou e Lauren ainda não havia falado nada quando ligava para Camila. E mesmo que a menor soubesse ou ficasse se perguntando se era ela, ela apenas sorria e desligava ou então começava a falar sobre algo do seu dia. Talvez não fizesse sentido ela ficar contando da sua vida para uma pessoa que ela não tinha certeza de quem era, mas se a pessoa ligava para ouvir sua voz, então ela devia dar um pouco disso, esperando que Lauren ficasse feliz em ouvir algo.

Lauren estava finalmente terminando o trabalho nos quadros da sua primeira exposição em um salão de artes. Ela ainda não era a artista principal, mas já era um passo grande para ela e mesmo que tentasse negar, todos sabiam o quanto ela estava nervosa.

Camila ia para o quarto Cd e todos os outros tinham a jogado realmente para dentro dos grandes na indústria da música. O que tinha deixado Brant com raiva de não ser o nome da gravadora dele acompanhando os álbuns dela nas prateleiras das lojas. 

- Sabe o que temos para Novembro? – Brant perguntou enquanto Camila terminava de arrumar a gravata dele. 

- O que temos para o mês 11? – Ela perguntou sorrindo.

- Eu vou te levar em uma exposição de artes em Nova Iorque. Um amigo meu vai expor alguns quadros e eu li que terão ótimos pintores. – Brant disse animado pois sabia o quanto Camila estava viciada em comprar quadros, só não sabia que todos eram de um mesmo artista. Ele nunca havia parado para observar as pinturas na parede e ver quem os tinha feito, mas Camila tinha bom gosto em decorar a casa com eles.

- Nova Iorque? Eu amo essa cidade. Podemos ficar para dezembro? – Camila perguntou apoiando os braços nos ombros dele. Ele descansando as mãos na cintura dela.

- Bem, eu tenho que voltar para algumas coisas aqui. Você sabe, temos dois álbuns saindo em dezembro, mas eu vou tentar dar um jeito. – Brant tentou beijá-la, mas Camila o empurrou e pegou a bolsa no sofá.

- Tudo bem. Vamos, eu não quero perder o aniversário da Sofi! – Camila saiu correndo de casa e Brant logo vindo trás dela. 

O relacionamento deles havia ficado melhor. Mas Camila o tratava mais como um amigo do que como um namorado e mal ela sabia o que ele estava planejando para Nova Iorque.

Quando eles chegaram no espaço alugado para a comemoração do aniversário da irmã mais nova de Camila, ela quase sumiu com Dinah e Sophia e esqueceu totalmente de Brant, que rapidamente se juntou a Alejandro e seus amigos.


...

- Lauren, me passa essa fita? – Matheus disse apontando para a fita ao lado da amiga.

- O que você está fazendo? – Lauren levantou e caminhou até ele para entregar a fita.

- Não gostou? – Ele perguntou colocando a fita no lugar.

- Parece meio estranho. Mas eu gostei. – Lauren sorriu e bateu de leve no ombro dele.

- Ficará melhor quando as fotos estiverem prontas. Eu te mostro assim que eu terminar. – Matheus pegou a câmera e voltou a fotografar o que estava a sua frente. – Ahh, e a exposição foi ótima. As pessoas te elogiaram bastante e não foi só porque você é toda gata e tem olhos verdes, mas pelos quadros. 

- É, eu recebi um email falando sobre isso. Eles vão manter as telas lá durante três semanas. – Ela se sentou na poltrona perto da janela e olhou para fora, os enormes arranha-céus de Nova Iorque a sua frente. As luzes dos apartamentos acesas, as pessoas pequenas caminhando lá embaixo e os carros todos enfileirados esperando que os sinais ficassem verdes.

- Isso é ótimo, Lauren. Seus pais ficaram muito felizes. – Matheus olhou para ela e rapidamente direcionou a câmera para Lauren, dando alguns cliques sobre a imagem de Lauren olhando para tudo do lado de fora da janela. – Como você pode ser tão bonita e não querer ninguém? 

- Pare com isso. Até pareceu que estava dando em cima de mim. – Lauren riu e ele jogou uma almofada nela. – Pareceu.

- Eww! Não, amor. Acho que gostamos de coisas diferentes. – Ele gargalhou e Lauren voltou a olhar para fora, uma fina neblina começando a cair do céu.

- Eu sei, Math. Eu sei. Eu vou comprar um café do outro lado da rua. Você quer? – Ela levantou da poltrona e correu para o quarto para vestir algo mais quente, já que a noite estava fria.

- Me traga qualquer coisa. Só quero algo quente para beber. – Ele tirou dinheiro do bolso e entregou pra ela quando ela voltou e saiu pela porta.

Lauren dividia um novo apartamento bem maior que o outro e em uma localidade bem melhor agora com Matheus. Eles haviam se mudado não há muito tempo. O apartamento ficava há algumas quadras das ruas principais da cidade e Lauren amava isso, ela não passava mais tanto tempo sozinha em casa, porque não se importava em sair sozinha agora.

Nas outras semanas Lauren acabou aceitando levar seus quadros para outras exposições e cada uma era maior que a outra, fazendo com que o trabalho dela ficasse cada vez mais conhecido no estado. Ela tinha dado uma pequena entrevista para uma revista de Paris e quase morreu quando leu a matéria publicada sobre ela em um portal online londrino. 

Matheus a acompanhou para cada exposição e os contatos que ambos faziam era cada vez mais extenso, aumentando também o numero na conta bancaria dos dois. Eles estavam tendo uma vida totalmente confortável e Lauren vinha guardando dinheiro para alguma coisa que nem ela sabia ainda para o que.


...


Novembro chegou mais rápido do que Brant imaginou e lá estava Camila toda animada em deixar o aeroporto de Nova Iorque e caminhar pelas ruas da cidade. A exposição em que Brant a levaria era em dois dias e ela queria aproveitar o máximo possível para visitar outros lugares também. Dinah iria a acompanhar na exposição também, porque sabia que Brant não iria ficar tão empolgado sobre os quadros e sobre Camila querer conhecer todo mundo naquele lugar e ter de se controlar internamente para não levar nenhum deles para casa. 

- Camila, pra onde você está indo? – Brant perguntou enquanto observava Camila sair andando pela rua do lado de fora do aeroporto. O motorista deles guardando as malas no carro.

- Estou indo visitar a cidade. – Camila disse rapidamente o olhando e continuou a andar.

- Você não está cansada do vôo? Você não dorme faz dois dias. – Brant continuou falando, mas Camila não se importou em responder e atravessou a rua, o deixando sozinho.

Ela não conhecia muito bem Nova Iorque, mas precisava sair para dar uma volta e se sentir livre. Quando Brant correu até ela, Camila respirou fundo e pensou que talvez a companhia dele para visitar a cidade não seria tão ruim assim. Ele podia ser muito legal quando queria, talvez esse não fosse o dia certo.

Camila foi parada por alguns fãs pedindo por fotos e autógrafos, Brant revelando sua melhor expressão de raiva e arrastando literalmente Camila dali e a levando de volta para o carro, o que fez ela realmente ficar com raiva dele.

Eles foram para o hotel e enquanto Brant fazia o check-in na recepção, Camila ficou bombardeando o celular de Dinah com mensagens pedindo para que ela voasse o mais rápido possível para Nova Iorque. Ela não queria ter que subir para o quarto com Brant e ficar ouvindo ele reclamar de algo que ela fez. Isso seria totalmente mais irritante. 

Brant não brigaria com ela em publico, então ela resolveu ir para o restaurante do hotel e comer algo. Ele se juntou a ela minutos depois e ambos não disseram nada um para o outro. Apenas permaneceram comendo e olhando pela janela do hotel. 


...

- Eu acho que essa exposição vai ser uma das melhores. O Timmy vai estar lá e eu mal vejo a hora de dar uns bons clicks nele. – Matheus riu pulando na cama com Lauren.

- Muitas pessoas importantes vão ver meus quadros dessa vez. – Ela continuou rindo e pulando com ele ate que do nada ela parou e se jogou na cama séria. – Eu estou totalmente, literalmente, fudidamente nervosa. 

- Ahh, Lauren, deixa de frescura. Tanta gente já viu seus quadros. É só a maior exposição que você já esteve participando e com um numero bem maior de visitantes e muitas pessoas importantes que vão julgar você como artista e... Você precisa de uma roupa nova para usar. – Matheus se jogou ao lado dela e os dois passaram a fitar o teto.

- Preciso ser uma Lauren Bitch e não ficar nervosa sobre isso ou eu vou chegar vomitando o salão todo. – Ela riu levemente e ele a acompanhou.

Os dois saíram minutos depois para procurar uma roupa nova e que Lauren pudesse usar durante a primeira noite na exposição. Ela estaria do lado de grandes pintores do país e não poderia fazer feio. 

Camila e Brant ainda estavam no restaurante do hotel. Ele havia ido ao banheiro e deixado Camila o esperando na mesa. Ela ainda observando as pessoas passarem na calçada. 

Elas duas não sabiam que estavam uma tão próxima da outra. Se Camila não tivesse virado para responder o garçom que lhe perguntou se podia retirar os pratos da mesa e se Lauren tivesse olhado para dentro do restaurante do hotel, certamente uma teria visto a outra, mas isso não aconteceu.

Lauren continuou procurando uma roupa nova com Matheus e Camila subiu para o quarto depois que Brant voltou do banheiro. Essa certamente seria uma das melhores visitas a Nova Iorque que Camila poderia ter feito na vida. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...