História The Green Eyes - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 193
Palavras 3.913
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 53 - Fifty Three


- Você não pode estar falando sério! – Matheus saiu do táxi e caminhou vagarosamente para dentro do edifício onde morava com a amiga. – Como assim? É claro que você vai fazer isso! Ela ficará "morta" quando souber. ... Quero dizer... Será uma honra para Srta. Jauregui em expor os quadros no salão principal esta noite. Avisarei a ela em instantes e me certificarei que tudo esteja pronto antes da exposição começar. ... Se posso encontrá-lo em 15 minutos? – Ele parou no caminho para o elevador e deu meia volta para fora do edifico novamente. – Claro! Estarei aí em 15 minutos. Até mais!

Matheus não disse nada o caminho todo até o local da exposição, ele checou o próprio reflexo no espelho da bolsa durante algum tempo e repetia mentalmente um grande "Puta que pariu, Jauregui! Você vai morrer quando souber."


Depois de resolver o que lhe pediram, Matheus enviou uma mensagem para Lauren onde escreveu:


"VIADA! O senhorzinho grande da noite NÃO VAI APARECER NA EXPOSIÇÃO POR PROBLEMAS... (NÃO IMPORTA) VOCÊ É A ESTRELA DA NOITE (SUA GAY, EU DISSE QUE ESSE DIA CHEGARIA) T-O-D-O-S OS SEUS QUADROS ESTARÃO NO SALÃO PRINCIPAL DA EXPOSIÇÃO. (Eu sei que você não vai visualizar isso porque seu celular vive no silencioso, mas quando você quiser me matar por você ser a ultima a saber sobre isso, então você vai checar isso e não vai poder arrancar meu pescoço.) Bjos <3 Math!"

Lauren realmente não visualizou a mensagem. Ela se despediu dos funcionários do salão e voltou para casa de táxi repetindo sempre em sua mente, "Você é uma Jauregui e você acaba com todo mundo. Ajuste os olhos verdes e tire a alma daqueles corpos vazios." Na metade do caminho ela parou e viu que isso não era muito apropriado para o momento, então suas mãos começaram a suar e ela se sentiu em seu primeiro dia no primário, em que sua vontade era voltar para dentro do carro do pai e assistir desenhos até que fosse hora de almoçar.

- Você checou suas mensagens? – Matheus perguntou assim que Lauren fechou a porta de entrada do apartamento. 

- Não. ... Math, por favor, eles não tiraram meu nome da lista dos expositores, não é? – Lauren jogou a bolsa e a jaqueta no canto da porta e quase implorou que ele dissesse que não. Matheus com um sorriu contido no canto dos lábios.

- Não, Lauren. Eles só te colocaram como a estrela da noite. – Ele falou dando de ombros e mordeu o chocolate que tinha na mão. Lauren demorou alguns segundos até repetir o que ele havia acabado de dizer em sua mente e finalmente entender sobre o que seria a noite.

- Você está brincando, certo? Matheus, por favor...

- Eu sinto muito, mas eu tive que aceitar. – Ele correu para perto dela e a puxou para o quarto, onde o vestido que haviam comprado para a noite o aguardava. – Você tem 20 minutos até a limousine chegar. Fique pronta para os fleches de luz por todos os lados! 

- Hey, Math. Por que vamos de limousine? – Ela perguntou antes que ele fechasse a porta.

- Lauren, você é a estrela. Eles mandaram a limousine para te levar até lá. Terá tapete vermelho e tudo mais. – Matheus piscou e Lauren franziu as sobrancelhas.

- Isso é brincadeira, não é? – Ela respirou fundo e relaxou os ombros.

- Só a parte do tapete vermelho. Eu pedi para tirarem. Não combinam com seus olhos verdes. – Ele gargalhou e fechou a porta enquanto Lauren sorriu de leve e revirava os olhos.

Ela não queria fazer disso grande coisa, então tentou manter em mente que era apenas mais uma das pequenas exposições que tinha participado antes, ou até mesmo que era só uma reunião com amigos ou a festa de aniversário de Math, mas quando distraidamente a ideia de estrela principal da noite batia de volta para ela... bem, então ela tinha que contar até 60 prendendo a respiração.

Brant enviou varias mensagens para ao celular de Camila, mas ela só as leria em outro mundo, então ele teve de reenviar algumas para os seguranças que as seguiam. Minutos depois ele ligou para Dinah, que passou o celular para Camila que fez cara de nojo.

Ele avisou que ficaria preso por mais algumas horas na reunião e que ela não se preocupasse, eles ainda iriam para a exposição de noite. Camila não deu muita importância ao que ele falava, então concordou com tudo e encerrou a chamada.

Dinah ficou louca quando soube do atraso de Brant, pois ele "ordenou" ao motorista que não saísse sem ele e mesmo que Dinah tentasse arrastar Camila para um taxi, os seguranças iriam a impedir. Ela teve que sentar e aguardar até que ele chegasse e estivesse pronto para sair novamente. 


(20:22) Math: "Eu juro que não te amo mais se você furar com a Camila. A Lauren ta precisando de uma foda boa faz um tempo e acho que Camila pode dar a ela o que ela precisa."

(20:23) Dinah DIVA: "Sim. Eu digo o mesmo sobre a Mila. Nós estamos presos nesse engarrafamento, atrás de um milhão de taxis amarelos. Alguém traga algo para eu beber!! (fazendo drama)"

(20:29) Math: "Lauren está sendo BOSS! Todos devem estar tendo orgasmos apenas por estar perto dela agora. Não inventaram um carro que voe ainda? Em que século vocês estão? CORRA PRA CÁ!!"

(20:30) Dinah DIVA: "Querido, não posso fazer nada para chegar mais cedo, estamos tentando. Me dê 5 min e minha Camila será da sua Lauren. CAMREN?"

(20:30) Math: "CAMREN! Estarei esperando você perto do banheiro. Não diga pra Camila que estou aqui, ela vai saber que a Lauren está aqui."

(20:32) Dinah DIVA: "Eu daria a vida do Sr. Come a Camila Mal* aqui para que esse carro voasse. Me traga uma bebida! D: 3 min (* Tbm conhecido como Brant)"

- Mila, eu vou fazer xixi. Eu te acho por aí. – Dinah sussurrou no ouvido da amiga e não esperou por uma resposta. Brant e Camila tiveram que esperar até que os flashes tivessem sido o suficiente para uma noite e ele a arrastou para o salão de entrada. 

Brant parecia exibir Camila para todos os lados, mas o plano de Dinah tinha que dar certo e ela precisava que Brant não estivesse por perto, essa era a hora. Ela tinha que dar continuidade ao plano.

Lauren estava no salão principal e era fotografada por muita gente e com muita gente. O rosto impecável e todos estavam mais que maravilhados com os quadros expostos. Dinah pediu que um garçom do local informasse Camila de que Dinah estava precisando de uma pequena ajuda com o vestido no banheiro, e claro, Brant não a seguiria para lá, pois Matheus iria o manter entretido por alguns minutos.

- Dinah está precisando de mim no banheiro. Eu volto já. – Camila sussurrou para Brant e ele mandou um olhar como se dissesse "okay". Camila teria de atravessar o salão principal e Dinah estava torcendo para que ela não fosse tão cega e percebesse Lauren lá.

- Você é Brant, certo? – Matheus apareceu quando Brant começou a caminhar em direção ao próximo salão.

- Sim. Brant Daughert. Você é?... – Brant analisou a roupa de Matheus e deu um ponto ao rapaz por estar vestindo algo de marca.

- Sou... Daniel. Daniel Flippen. – Matheus se esfaqueou mentalmente por não ter pensado em um nome antes. Ele provavelmente se esqueceria do nome que tinha acabado de criar. – Sou empresário e acabei caindo aqui. Eu li alguma matérias sobre você em algumas revistas, fiquei interessado em saber como poderíamos marcar uma reunião para falar sobre negócios. – E com isso, Matheus tinha acabado de ganhar toda a atenção que esperava ter de Brant. Ele pareceu cair muito rápido no jogo, mas Math não se importaria. Ele só tinha que manter Brant preso por alguns minutos.

Camila estava atravessando o salão principal quando parou para observar um dos quadros mais próximos. Ela não pôde continuar andando e se aproximou para observar mais detalhes.

- JL! Oh meu Deus!! JL!! – Depois de observar a assinatura do quadro, Camila girou em direção ao amontoado de gente que cercava o que deveria ser o artista principal da noite. Ela mal podia esperar pelo que estava por vim. 

Caminhou em direção a todos e se permitiu dar uma checagem rápida nos outros quadros do mesmo pintor. Eram extraordinários. Ela ficou nervosa em finalmente conhecer o artista pelo qual tinha se apaixonado só em ver o trabalho. Estava esperando que ele fosse tão bom quando o que fazia.

O queixo dela caiu quando ela percebeu quem era. Os olhos arregalados e ela se esqueceu de como se respirava por alguns segundos. Era como ter sido atingida por um furacão e ela não sabia o que fazer, mas o sorriso foi inevitável. O amor de sua vida estava a poucos metros dela.

Dinah estava no canto da parede e o sorriso de orelha a orelha de volta ao rosto. Ela queria gritar, segurar as duas na mão e colar seus lábios como se fossem bonecas. Dinah mal piscou os olhos, ela permaneceu observando Camila e quando os olhos verdes de Lauren por acaso se encontraram com os castanhos da menor, a explosão de sentimentos em ambas foi perceptível. 

Lauren ficou séria e prendeu o ar nos pulmões enquanto o sorriso de Camila ficou maior sem que a mesma percebesse. Ela tentou desviar o olhar varias vezes, mas não podia deixar de olhar para Camila a sua frente. Respirou fundo e tentou focar no rosto das outras pessoas no salão. Um sorriso forçado nos lábios enquanto ela tentava esquecer da presença de Camila por algum tempo. 

Camila examinou Lauren e ela estava ainda mais bonita do que Camila poderia imaginar. As curvas agora bem modeladas pelo vestido que usava. O corpo não mais de uma adolescente, e sim de uma mulher, assim como o seu. O ar parecia ir embora toda vez que Lauren a olhava, mas ela permanecia sem expressão quando fazia isso. 

Matheus prendeu Brant o máximo que conseguiu e já era tarde, o rapaz alcançou o ombro de Camila, que se assustou levemente com seu toque. Brant olhou para Lauren e para os quadros em volta. Ele reconheceu que o trabalho era realmente bom e por ser o salão principal, Lauren deveria ser a estrela da noite. 

- É uma mulher? – Disse ao lado de Camila. Ela estava chocada pelo fato de Brant não ter reconhecido Lauren, ou talvez ela não esperasse algo diferente. Ele conhecia muita gente e gravar tantos rostos era uma tarefa difícil. Estava até grata por Brant não lembrar de Lauren.

- Sim. Uma mulher. – Camila disse em um tom baixo.

- São muito bons. Vamos falar com ela. Não sei seu nome ainda. – Brant segurou o braço de Camila e os guiou para mais perto de Lauren que engolia em seco agora por ver que Camila e Brant estavam cada vez mais próximos dela. – Senhora! 

- Senhorita! Srta. Jauregui. – Lauren disse com um sorriso novamente forçado nos lábios. As pessoas aos poucos iam se dissipando pelo salão para apreciar as obras nas paredes. Dinah e Matheus com olhares preocupados sobre o que aconteceria a seguir. 

- Srta. Jauregui. Sou Brant Daughert e essa é minha noiva, Camila Cabello. – Brant sorriu para as duas e moveu a mão em direção a Lauren para um aperto de mãos. O noiva que escapou da boca de Brant atingiu ambas com a mesma intensidade. 

- Noiva? – Elas disseram juntas. Brant sorrindo ainda mais.

- Ahh, desculpe me. Ainda não fiz o pedido. Seu nome não me é estranho. – Brant tinha uma expressão confusa no rosto como se tentasse lembrar de Lauren de algum lugar.

- Deve ter lido em algum lugar. Me dêem licença. – Lauren estava tentando se afastar deles, mas Brant insistiu em uma conversa.

- Provavelmente. Os quadros já tem valores estimados ou vão para leilão no fim da exposição. – Ele perguntou e Lauren não se deu o trabalho de virar para o responder.

- Eles não estão à venda para você, Sr. Daughert. Sinto muito. – Ela respondeu seca e caminhou até Matheus que tinha um sorriso fechado nos lábios. Lauren sabia agora que ele estava sabendo sobre a vinda de Camila. 

- Lauren, eu não... – Ele tentou falar, mas Lauren o arrastou para o coquetel do salão seguinte. 

- Eu devia arrancar suas tripas e pintar com o seu sangue para minha próxima exposição. Ficaria lindo. – Lauren o empurrou para um banco. Ele não pôde deixar de rir.

- Ahh Lauren, vai dizer que não está feliz em ver a Camila. – Matheus continuou com um sorriso, mas ficou sério assim que Lauren o olhou nos olhos. Ela não parecia feliz.

- Eu deveria mesmo arrancar suas tripas. Devia ter dito que ela estava aqui. Mas que inferno! Agora vou ter que ver os dois passeando por aí juntos como um casal prestes a se casar. A noite não poderia estar melhor. – Lauren virou uma dose de tequila que o barman havia colocado para outra pessoa. Ela se desculpou e saiu de onde estava, deixando Matheus sozinho olhando para o nada.

- Não precisava agradecer, Lauren. Eu trago o amor da sua vida... mas que droga, nem isso fui eu quem fiz. O destino tramou tudo sem que ninguém soubesse de nada. Eu ainda estou esperando minha hora, senhor destino. – Matheus levantou e caminhou na direção em que Lauren tinha seguido.

Camila encontrou Dinah minutos depois e ela ainda não tinha dito nada depois de ouvir Brant falar que ela era sua noiva, justamente na frente de Lauren. Ela poderia jurar que tinha matado Brant na mesma hora, talvez tenha sido tudo na imaginação. Ele permanecia falando asneiras ao seu lado.

- Quer algo para beber? – Ele perguntou assim que os três se encontraram novamente.

- Eu quero ir embora. – Camila disse olhando para os próprios pés.

- O que? Por que quer ir embora? – Brant perguntou sorrindo e observando as pessoas no salão.

- Você não pode ir embora! – Dinah falou rapidamente e Brant a olhou confuso.

- Por que não? E por que você disse que eu sou sua noiva? – Camila perguntou para os dois.

- Ele disse o que? – Dinah arregalou os olhos e entendeu o porque da cara de espanto de Lauren quando Brant lhe disse algo.

- Eu iria fazer isso em uma ocasião mais apropriada, como um jantar ou algo mais intimo. Mas tudo bem. Eu posso fazer isso aqui. – Ele retirou algo do bolso do terno e se ajoelhou na frente de Camila. – Você quer casar comigo?

Todos no salão pararam o que estavam fazendo e passaram a observar o casal. Dinah não poderia xigar mais o mundo internamente. Ela queria chutar a cabeça de Brant até que ele desaparecesse, e Camila, poderíamos dizer que ela estava totalmente fora de sua mente.

Lauren parou de andar quando viu os dois poucos metros a frente. Ela queria estar cega para não ver o que estava acontecendo e Matheus certamente estava desejando o mesmo que Dinah. 

A de olhos verdes deu meia volta e disse que não estava se sentindo bem para o organizador da exposição. Os quadros ficariam ali por quatro semanas e Lauren poderia voltar outro dia. Ela apenas saiu do lugar e pediu que trouxessem seu carro. Matheus pediu que o trouxessem porque Lauren poderia querer voltar mais cedo para casa sem ser com a limousine. Quando o carro chegou, ela apenas se enfiou dentro e bateu a cabeça no volante varias vezes.

Enquanto Lauren saía, Camila voltou do espaço para a Terra e percebeu o que estava acontecendo. Ela se deu conta de todas as pessoas assistindo e que Brant ainda estava de joelhos segurando a caixa com um enorme anel de diamantes. Ela não conseguia dizer nada, apenas olhou para Dinah com uma expressão assustada e em seguida para Brant. Seu olhar foi como um pedido de desculpas e ela saiu correndo do salão. 

Brant levantou e arregalou os olhos, um sorriso envergonhado no rosto. Ele engoliu em seco varias vezes e tanto Dinah quanto Matheus tiveram que se controlar para não gargalhar dele.

Camila ainda não estava tão ciente de tudo depois de ter corrido. Ela se amaldiçoou por tê-lo deixado plantado de joelhos aos seus pés e não ter sido capaz de dar sequer uma resposta ao rapaz. Entrou dentro do carro preto e não esperou que o motorista perguntasse para onde iriam, ela apenas disse hotel tão baixo que mal tinha ouvido a própria voz.

- Você está de brincadeira? – Lauren disse segurando o volante. – Sério? 

Camila olhou procurando o seu motorista e Lauren quase riu da expressão agora ainda mais assustada no rosto da menor.

- Cadê o meu motorista? – Camila perguntou observando Lauren ainda com as mãos no volante.

- Talvez ele esteja no seu carro, não no meu. – Lauren respondeu seca e esperou que Camila saísse, já que ela não disse mais nada durante alguns segundos.

- Esse não é o seu carro. – Por fim Camila disse e Lauren riu de leve.

- Sim, esse é o meu carro. Você poderia sair? Preciso ir embora. – A de olhos verdes gesticulou para a porta do carro e Camila seguiu seu olhar.

- Não! Esse é o meu carro! – Camila foi firme e Lauren ficou confusa por alguns segundos.

- Qual é o seu carro? – Ela perguntou observando Camila e o carro ao mesmo tempo para ter certeza de que tinham trazido o carro certo.

- Eu não sei. Uma BMW preta. – Camila falou como se estivesse certa de que tinha entrado no carro correto. Lauren riu.

- Camila, isso aqui é um Chrysler. – Ela sorriu balançando a cabeça de um lado para o outro. Camila ainda era tão atrapalhada como antes.

- Mas é preto! – Ela insistiu e Lauren por fim gargalhou.

- Isso não quer dizer que todos os carros pretos sejam o seu. Agora você poderia sair do MEU carro? – Lauren deu ênfase ao meu e Camila serrou os olhos. 

- Não! Eu não vou sair. – Ela disse séria e travou a porta. Lauren a olhou rapidamente e viu quando Brant saiu pela porta de entrada do salão. Matheus e Dinah atrás dele.

- Por favor, Lauren. Para qualquer lugar. – Camila implorou e ela não conseguiu negar ao pedido da menor. Ligou o carro e seguiu para as ruas movimentadas da noite de Nova Iorque.

Elas não disseram nada durante um bom tempo. Lauren não sabia se estava dirigindo em círculos ou se estava saindo do centro. Ela não sabia onde estavam exatamente. Camila tinha o olhar fixo nas próprias mãos sobre as coxas. Tudo o que se ouvia era o leve motor do carro, o aquecedor e o som da respiração uma da outra.

- Onde você está hospedada? – Lauren perguntou depois de mais 10 minutos.

- Não quero ir pro hotel. Brant vai estar lá. – Camila não desviou o olhar das mãos.

- Certo. Você deixou mesmo ele sem uma resposta? – Perguntou como se não tivesse tanto interesse no assunto. Camila apenas acenou que sim com a cabeça e fechou os olhos. – Tudo bem. Sinto muito. Para onde quer ir? 

- Qualquer lugar. – Camila concluiu e Lauren parou o carro no acostamento segundos depois.

- Estamos em qualquer lugar faz uns 40 minutos, Camila. – Ela não olhava para Camila, seu olhar estava fixo no painel do carro. Camila não disse mais nada por algum tempo.

- Como você está? – A menor perguntou e Lauren revirou os olhos por estar entediada e animada ao mesmo tempo com o que estava acontecendo.

- Eu não vou te responder isso. Me diz onde você está hospedada. Eu te levo pra lá, você sai da porcaria do meu carro, eu volto pro meu apartamento e finjo que isso nunca aconteceu. Simples. – Lauren disse em tom de deboche e deu de ombros. Camila agora com o olhar fixo na lateral do rosto de Lauren, o cabelo caindo perfeitamente sobre o ombro.

- Você ainda tem tanta raiva assim de mim? – Perguntou sem querer ouvir a resposta, ela só não conseguiu manter a pergunta para si mesma.

- Eu... Camila, por favor, me diz onde é o hotel e eu...

- Só me responde! – Ela disse em tom alto e passou a mão pelo cabelo os arrastando para fora do seu rosto. O olhar voltado para o porta-luvas do carro.

- Quer saber? Eu não te devo resposta para nenhuma de suas perguntas. Se tem alguém aqui, que sim, ainda está magoada e machucada e essa porra toda, sou eu. Ou você me diz onde fica a porra do hotel onde você está com aquele seu namoradinho de merda ou eu te levo de volta para a exposição e você torce para que ainda tenha alguém lá esperando por você. – Os olhos verdes estavam cada vez mais escuros e Camila engoliu em seco por finalmente ouvir que Lauren continuava sofrendo com isso durante anos. Ela não queria ter causado tantos danos. Ela não queria Brant em sua vida, só queria poder voltar no tempo e mudar tudo para que nunca tivesse feito Lauren se sentir magoada e sair como saiu de sua vida.

- Lauren, eu sinto muito. – Camila se virou um pouco no banco para ficar de frente para ela. Lauren parecia ficar cada vez mais impaciente dentro do carro.

- Você não sente, Camila. Você nunca sentiu. Onde fica a porcaria do hotel? – Ela perguntou de novo.

- Você não pode dizer o que não sabe. – Respondeu firme e Lauren a olhou com ironia. 

- "Oh Lauren, eu te amo e nunca quero perder você" Grande merda! Você vai lá e beija um cara. Poderia ter simplesmente me dito que não me queria mais que eu ia embora bem melhor do que eu fui. – Lauren riu e balançou a cabeça. – O hotel, Camila.

- Você não sabe o que aconteceu! Eu não beijei o Brant. Nada disso aconteceu. 

- Claro que não. Eu fantasiei e me machuquei sozinha com isso, porque eu sou louca e vejo coisas. Por favor! 

- Não aconteceu. Eu estava...

- Olha, eu não quero saber sobre nada disso. Só me diz onde é o hotel, eu te deixo lá e pronto. – Lauren quase sussurrou, era como estar tentando convencer uma criança de algo, mas Camila não se importou.

- Você tem me ligado nos últimos meses. Eu sei que é você. E você não diz nada. – Ela encostou a cabeça no banco e fechou os olhos. – Por que você não diz nada?

- Okay! Eu vou te levar pra qualquer lugar da cidade. Você pega um táxi e volta pro hotel. – Lauren ligou o carro e começou a dirigir de volta para o centro. Camila com a cabeça encostada na janela.

Lauren não podia ver, mas Camila estava chorando e tudo aquilo só tinha partido seu coração um pouco mais. Ambas estavam com o coração mais partidos agora. Camila por ter finalmente encontrado Lauren e nada ter sido como ela esperava e Lauren por ter visto Brant pedindo Camila em casamento e ter que ignorar o fato de que Camila estava sentada no banco do seu carro, ali, elas sozinhas e Lauren podendo fazer o que quisesse. 

- Me diz onde você está hospedada, por favor! – Lauren disse suavemente quando elas voltaram às ruas movimentadas da cidade.

- Eu posso ficar aqui. Eu pego um táxi. Você não precisa dirigir para longe do seu apartamento. – Camila respondeu tão baixo quanto ela.

- Estou longe do meu apartamento. – Lauren disse observando a rua onde morava um pouco mais a frente. 

- Não está. – Camila olhou para ela e Lauren revirou os olhos olhando para o outro lado. – Boa noite, Lauren. A exposição está linda. 

- Obrigada! – Ela parou o carro e destravou a porta. Camila saindo do carro e andando até um táxi parado. – Boa noite, Camila!  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...