História The Green Eyes - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 207
Palavras 3.095
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 54 - Fifty Four


- Lauren, são duas semanas já. Você deveria tirar esse moletom horrível e sair um pouco. Não é que eu não aguente mais olhar para o seu rosto, mas sua expressão está acabando comigo. Vamos lá, troque de roupa e nós descemos para comer alguma coisa. – Matheus disse tentando tirar Lauren da fossa que ela parecia estar.

- Eu não estou com fome. – Disse calmamente e continuou lendo o livro que havia começado a ler no dia anterior.

- Porra! O que eu faço pra ti tirar desse sofá e fazer você sair do apartamento? Eu to querendo um pouco de privacidade também. – Ele tentou brincar, mas tudo o que Lauren fez foi olhar rapidamente para ele e sem dizer nada, voltou à leitura.

Matheus saiu duas horas depois para comprar mais tinta para Lauren. Ele pensou que talvez ela pudesse sair do sofá e criar algo para expressar o que estava sentindo, ou seja, nada melhor que tintas novas para animar a melhor amiga.

Camila ainda estava na cidade. Ela tinha saído com Dinah para compras e dado algumas entrevistas em programas de TV locais. Lauren tinha visto eles anunciando a entrevista, mas decidiu se manter fora disso tudo, pois talvez já tivesse passado da hora de superar um amor ruim do passado.

- Mila, apresentação na quarta. Será transmitido pela rádio e na TV. Will acabou de avisar. É bom que esteja pronta. Eles querem um ensaio na segunda. – Dinah falou rapidamente quando encontrou a amiga no corredor do hotel. Ela havia acabado de sair do quarto.

- Tudo bem. Eu posso fazer isso. – Camila disse desanimada e caminhou para o elevador. Dinah logo atrás verificando o celular.

- O que vocês conversaram ontem? – Dinah perguntou quando as portas do elevador abriram e as duas saltaram para dentro.

- Vocês quem? – A expressão no rosto de Camila ficou mais viva e mesmo que ela soubesse que não tinha falado com Lauren depois da noite da exposição, algo nela sempre voltava a dizer que "vocês" era apenas ela e a de olhos verdes.

- Você e o Brant. – A mais alta disse e Camila respirou fundo.

- Ele ficou reclamando de várias coisas do hotel, porque nada é bom o suficiente para ele. Depois eu dormi e não lembro o que ele fez. Quando acordei...

- Estou falando sobre o pedido de casamento. – Dinah reforçou a pergunta.

- Ahhh!! – A menor revirou os olhos e um sorriso leve no cantos dos lábios se tornou presente. – Eu disse ao Brant que não estava pronta para esse tipo de avanço no nosso relacionamento. Porque nós estamos em uma fase difícil e...

- Vocês sempre estiveram em uma fase difícil. Até quando você colocou na cabeça que estava gostando dele. Por Deus, Mila. Todo mundo sabe que ele não é para você. – As portas se abriram novamente no saguão do hotel e elas caminharam juntas para o restaurante. 

- Tudo bem. Eu não vou negar isso, mas depois de tanto tempo e... Eu não sei. Talvez eu só tenha que dar uma chance de verdade e ver como as coisas serão por um tempo. – Camila passou na frente da amiga e tomou seu lugar na mesa próxima a janela enorme de vidro.

- Eu vou fingir que você pulou toda essa parte de dar uma chance e ver como as coisas funcionam. Você me decepciona cada vez mais com esse relacionamento. – Dinah revirou os olhos e Camila levantou a mão chamando o garçom. 

Depois de fazer os pedidos e esperar até que a comida chegasse sem voltar a tocar no assunto, Camila o trouxe de volta a mesa no meio da refeição. 

- Se você sabia que a Lauren era a principal artista naquela noite, e fez tudo aquilo com o amigo dela... Dinah, você deveria ter me avisado. – A menor deu um gole em sua bebida e continuou com o olhar voltado para as ruas.

- Você iria ficar louca se soubesse. Não dava pra te avisar, ou você daria pra trás ou iria surtar e sair feito louca tentando manter Brant longe o bastante para você organizar algo. Eu só te livrei de ficar tentando criar planos perfeitos e...

- Eu criei planos perfeitos por muito tempo, Dinah. Talvez as coisas com a Lauren simplesmente não tinham que ser. – Camila deu um sorriso triste e volto a comer. Dinah negando com a cabeça, mas ela não voltou a dizer nada até o fim do café da manhã.

Camila decidiu que não sairia do hotel com Dinah pelo resto da manhã. E já que Dinah estaria sozinha pela cidade, ela marcou de encontrar Matheus no café perto do apartamento onde ele morava com a amiga e Dinah o acompanharia até lá para encontrar Lauren e tentar fazer com que ela saísse um pouco.

Quando Matheus e Dinah entraram no apartamento, Lauren não estava mais na sala. O livro que estava lendo estava sobre a mesinha de centro. Matheus deixou as tintas que havia comprado sobre o balcão e procurou com Dinah por Lauren, mas nenhum deles a encontrou lá.

- Pra onde diabos ela foi? – Matheus perguntou antes de ligar para a amiga, mas sem sorte, Lauren também não o atendeu.

Dinah deixou algumas mensagens perguntando onde ela estava e que horas voltaria para o apartamento. Os dois acabaram por passar o resto da manhã e o começo da tarde apenas assistindo algum programa divertido na televisão enquanto bebiam cerveja e esperavam pela chegada de Lauren.

- Eu acho que já passei da conta por hoje. Eu tenho que voltar pra casa. E muito obrigada por me contar a sua história. Realmente me fez sentir um pouco menos pior. – Lauren disse com a voz um pouco arrastada e levantou do banco em que estava sentada. Pegou a jaqueta no balcão e a vestiu calmamente.

- Você deveria se cuidar mocinha. Está cedo e você já está quase bêbeda. Eu não deveria ter te servido tantas bebidas. – O homem atrás do balcão disse enquanto limpava o mesmo com um pano já um pouco sujo.

- Você precisa do dinheiro. Não pode negar servir bebida para quem precisa. De qualquer forma, a gente se vê por aí. – Lauren piscou e caminhou para fora do bar. Ela finalmente tirou o celular do bolso e verificou as chamadas perdidas, assim como as mensagens. – Que se foda! Preciso ir para outro lugar.

Ela entrou no carro, mesmo sabendo que era errado dirigir daquele jeito. Não deixaria o carro ali. Ele tinha custado muito caro e o bairro onde estava não era conhecido pela sua segurança. 

Depois de dirigir por alguns minutos e ter flashbacks da noite em que tinha encontrado Camila, ela resolveu apenas parar o carro no acostamento. Estava ficando com sono.

Camila almoçou sozinha, já que Dinah não tinha voltado da rua e Brant estava em uma reunião em algum lugar da cidade. Ela se sentiu triste por estar em uma cidade tão movimentada e mesmo assim ter que acabar comendo sozinha e no mesmo restaurante do hotel. 

Se ela pedisse ao motorista que a levasse a algum lugar, ele certamente iria chamar algum segurança para ela, e Camila não estava com vontade de ter que discutir com eles por maltratar os fãs. Talvez ela tivesse que falar com Brant que não precisava mais que ele escolhesse os seguranças dela e ela mesma contratasse um, só para mantê-la salva quando por acaso um mar de gente corresse até ela e tentasse atacar, o que não havia acontecido ainda.

Lauren voltou pra casa depois de ter acordado dentro do carro e o céu já estando quase escuro. Ela dirigiu rápido e subiu com a mesma velocidade para o apartamento. Matheus e Dinah ainda estavam lá, e em vez de terem continuado com a maratona na TV, agora os dois conversavam enquanto preparavam algo para lanchar.

- Pensei que não fosse mais voltar. Você está louca ou algo do tipo? – Matheus perguntou quando Lauren entrou e jogou a jaqueta no chão perto da porta.

- Me deixa em paz. – Ela disse caminhando para o quarto e batendo a porta logo em seguida.

Matheus olhou para Dinah surpreso e ela sorriu erguendo as sobrancelhas. Lauren parecia estranha, e Dinah teve que manter Math na cozinha para ele não bombardear Lauren de perguntas sobre onde ela esteva o dia todo e o que ela tinha feito durante esse tempo.

Dois dias depois Camila estava indo para o ensaio da apresentação que faria para a rádio e a televisão. Dinah não a acompanhou e resolveu sair com Matheus para uma exposição de fotografias na qual o ex dele estava. Talvez Dinah ajudasse a dar uma solução para as brigas constantes na relação deles e tentar salvar algo que eles tinham de bom. Ela amaria poder fazer isso.

Lauren estava dirigindo até a universidade. Ela iria desenhar algo e pediu para que selecionassem alguém para posar para ela. Depois de deixar o carro no estacionamento e agradecer os elogios de antigos professores, ela finalmente se direcionou a sala onde a modelo já devia estar a sua espera.

- Ei, olhos verdes! – A mulher sentada em um banco disse assim que Lauren passou pela porta e a fechou.

- Oi. – Lauren disse observando o rosto dela. Ela não parecia estranha. – Eu sou a...

- Lauren olhos verdes Jauregui. Eu sei quem você é, amor. – Ela sorriu e tirou um sorriso de volta de Lauren.

- Tudo bem. Ahmm...Como você se chama? – Lauren perguntou enquanto arrumava o material perto da tela em frente à mulher.

- É uma pena que não tenha lembrado de mim. Você me deixou triste agora. – Ela fez uma expressão triste, mas Lauren não viu. – Eu te servi um café com creme um tempo atrás. Você disse que voltaria para as panquecas... e nunca voltou. 

- Oh meu Deus! Você é a garota do Café. – Lauren olhou para ela e voltou a sorrir. – Desculpa, é que faz tanto tempo já. Eu simplesmente não consigo lembrar o seu nome.

- Tudo bem Srta. Olhos verdes. Talvez eu não tenha te dito o meu nome antes, mas eu sei o seu porque estive na exposição e você estava simplesmente maravilhosa naquele vestido. – Ela piscou para Lauren, que deu um sorriso tímido de volta. 

- Obrigada! Ahmm... Mas você ainda não me disse seu nome. – Lauren voltou a organizar o material.

- Ahh, claro. Sou Beth. Por que nunca voltou para as panquecas? Eu fiquei te esperando pelo resto do ano. – Ela encarava as costas de Lauren e seus olhos pousaram sobre as curvas do seu corpo.

- Eu me mudei pouco tempo depois, então simplesmente não pude voltar. – Lauren olhou para ela e respirou fundo. Um ar tranquilo no rosto. – Você pode se endireitar no banco para que possamos começar? 

- Tudo bem, olhos verdes. Como me quer? Com roupão ou sem ele? – Beth deu um leve sorriso malicioso e Lauren não pôde deixar de sorrir para isso.

- Sem o roupão. Mas vamos manter isso como está. Por favor. – Lauren assistiu Beth tirar o roupão vagarosamente e encarando a mesma. Ela pareceu se sentir um pouco desconfortável, mas permaneceu onde estava e apenas pegou o pincel e o colocou na tinta para começar o trabalho.

Depois de algumas horas, Lauren já tinha um material bom para o desenho. Ela pediu que Beth se aproximasse para que ela pudesse se concentrar em mais detalhes. Lauren se manteve profissional, mas Beth lhe lançava olhares provocantes o tempo todo. 

- Por que não há nenhum anel de compromisso no seu dedo? – Beth perguntou depois de mais algum tempo.

- Talvez seja porque eu não esteja em nenhum relacionamento. – Ela respondeu sem dar importância à pergunta.

- Então eu devo comemorar? – Beth sorriu. Lauren permaneceu séria e focada no trabalho.

- Comemorar sobre o que? Você pode virar seu quadril um pouco para a direita. Acho que você saiu da posição inicial. – A de olhos verdes se aproximou de Beth e tentou colocá-la na posição correta. – Assim está bom.

- Você é sempre tão séria? Lembro que quando te servi um café, você me dava sorrisos o tempo todo. – A mulher com cachos voltou a falar. Lauren respirou fundo e sorriu de leve.

- Tudo bem. Eu sei que é difícil passar tanto tempo sentada em algo desconfortável como esse banco. Por que não damos uma pausa e voltamos amanhã às 9 horas? Está bom para você? – Lauren terminou algumas pinceladas e se afastou para observar o que estava fazendo.

- Qualquer horário está bom para mim. Se eu puder te ver novamente, já é uma vitoria. – Beth sorriu largo e Lauren balançou a cabeça sorrindo e voltou a organizar os materiais de volta para dentro da bolsa.

- Pode vestir as suas roupas. Está um pouco frio aqui dentro, mesmo com o aquecedor ligado. Não quero que fique doente. 

- Tudo bem, amor. Eu deixei minhas roupas atrás de você. Pode pega-las para mim? – Ela apontou para uma bancada onde as roupas estavam. Lauren afirmou com a cabeça e caminhou até lá para pegar as roupas, quando girou para entregá-las à Beth, ela percebeu que ela já estava bem próxima. Sua respiração saindo pesada pelo susto. – Te assustei?

- Ahmm... Não. É... Aqui suas roupas. – Lauren empurrou as roupas contra ela e deu meia volta passando por ela e se distanciando. Talvez ela estivesse tensa por Beth estar tão perto e sem roupa alguma no corpo.

- Por que você ficou tensa? – Beth seguiu Lauren com os olhos e manteve as roupas nas mãos.

- Não estou. ... Tensa. Não estou! – Lauren jogou todo o material na bolsa de uma vez e limpou o que estava sujo. – Eu...

- Lauren, Matheus disse que você esteve tensa por muito tempo. Talvez eu possa te ajudar com isso. – Ela se aproximou de Lauren sem que ela percebesse e sussurrou em sua orelha. Lauren fechou os olhos e respirou fundo novamente.

Beth não perdeu tempo em começar uma trilha de beijos pelo pescoço dela e envolver seu corpo em um abraço por trás. O corpo de Lauren estava firme e seus ombros tensos. Ela podia negar, mas ainda precisava disso.

Depois de mais alguns beijos e as mãos de Beth passeando provocativamente pelo corpo da de olhos verdes, Lauren virou rapidamente e atacou os lábios carnudos dela, a empurrando contra os objetos que estavam atrás delas. 

Lauren não tinha nenhum tipo de sentimento na hora. Ela estava apenas explodindo e sendo agressiva, mas Beth não reclamou quanto a isso. Ela apenas deixou que Lauren dominasse a situação e fizesse o que queria. Só não pôde esperar que Lauren simplesmente a empurrasse um pouco mais e saísse desesperada pedindo desculpas e derrubando as coisas pelo caminho até a saída. 

Camila estava conversando com os responsáveis pela preparação do ensaio e a apresentação em dois dias. Eles apresentaram as músicas que ela deveria escolher para cantar, mas em vez disso, Camila decidiu que cantaria algo novo. Ela estava tentando incluir a música no novo álbum, mas desde que os produtores da gravadora tinham ouvido e negado dizendo que a música não fazia o estilo do álbum, Camila sentiu que tinha que cantar e esperar pela reação das pessoas. E ela estava esperando apenas que uma pessoa desse essa reação o mais rápido possível.

- Ei, ei, ei! O que aconteceu com você hoje? – Matheus perguntou quando Lauren chegou no inicio da noite. Dinah do seu lado.

- Por que você mandou a Beth pra lá? – Lauren perguntou séria. Talvez parecesse um pouco brava.

- Ahm... Ahhh sim! A Beth. Pensei que fosse gostar dela. – Matheus disse vagarosamente e preocupado com a reação da amiga.

- Math, eu vou te dizer pela milésima vez. Você não precisa ficar tentando arrumar alguém para eu levar pra cama. Eu posso fazer isso sozinha. – Lauren realmente parecia chateada e Dinah riu.

- Lauren, a única pessoa que você quer na sua cama se chama Camila e você apenas a mandou para fora do seu carro uns dias atrás. – Dinah disse dando de ombros para o que Lauren diria e a mesma arregalou os olhos e ficou parada abrindo e fechando a boca tentando formular algo para dizer de volta. – Tá vendo? Nem negar você conseguiu. 

- Dinah, dá pra dar o fora daqui. Preciso descansar um pouco. – Lauren disse por fim e revirou os olhos. 

- Seu quarto fica a esquerda do corredor. Se não se importa, o Math é tão dono do apartamento quanto você, e ele me convidou para passar a noite. – A mais alta deu um gole em sua bebida que estava sobre o balcão e Lauren lançou um olhar de decepção para o amigo que permaneceu calado. 

- Tudo bem. Se divirtam. Eu volto pela manhã. – Ela pegou o casaco que havia jogado no sofá e o vestiu enquanto saia pela porta.

- LAUREN! VOLTA AQUI! – Matheus gritou correndo até a porta.

- Eu peguei pesado, não é? Mas ela tem que ouvir. Esse lance com a Camila ta me dando nos nervos e eu não aguento mais ver isso. Saudades Camren juntas quase se comendo com os olhos. Você não tem ideia do quanto isso era bom no tempo da escola. (TXF SAUDADES MESMO) 

Os dois tentaram ligar para Lauren e convencer ela a voltar para casa, mas ela vinha bloqueando as chamadas deles desde que haviam ligado pela primeira vez. Ela foi para um restaurante e fez o pedido do jantar. Brant entrou um tempo depois acompanhado de uma mulher loira. Ela passou o tempo todo observando a interação deles, e mesmo que ela quisesse que ele fizesse algo errado ou insinuasse algo para a mulher, ela era a única a se atirar para cima dele. Brant se manteve profissional e até parecia incomodado com a proximidade que a mulher tentava se manter.

Camila que havia passado a tarde ensaiando a nova musica para a apresentação, estava exausta então apenas entrou no carro e voltou para o hotel. Acabou jantando no quarto enquanto Brant tomava banho para dormir. Eles mal haviam conversado depois que Camila tinha comido e ela logo caiu no sono, deixando que Brant passasse algum tempo falando sozinho sobre assuntos que só interessavam a ele.

Na manhã seguinte, Matheus e Dinah acordaram no sofá e perceberam que Lauren havia voltado para casa, pois as chaves do carro e do apartamento estavam penduradas perto da porta e a jaqueta jogada no braço do sofá. 

Matheus foi vagarosamente se arrastando para a porta do quarto da amiga enquanto se espreguiçava. Ele bateu na porta suavemente duas vezes, mas Lauren não a abriu, então ele apenas entrou e a viu deitada na cama com a mesma roupa que tinha chegado no dia anterior. Ela estava jogada na cama e ele se aproximou para verificar se ela ainda respirava. Sua respiração suave e uniforme. Talvez ela só estivesse passando por muita coisa no momento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...