História The Green Eyes - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Visualizações 403
Palavras 3.038
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 56 - Fifty Six


- Eu não gosto que fique pegando táxis de noite por aqui. Você não conhece a cidade e as pessoas já sabem quem você é. – Brant dava o nó na gravata enquanto conversava sozinho, porque Camila obviamente não estava dando atenção ao que ele dizia. – Camila, vamos nos atrasar!

- Eu estou pronta! – Ela disse em voz alta e ele a observou por alguns segundos.

- Então vamos. Sabe que não gosto de chegar atrasado aos lugares. – Brant abriu a porta do quarto e Camila pegou a bolsa para enfim saírem.

- Eu não queria ir a esse jantar de qualquer jeito. – Ela falou tão baixo que não pôde ter certeza se ele ouviu, então apenas agradeceu quando ele não disse nada como resposta e os dois caminharam juntos até o elevador.

- Quero que conheça...

- Você quer que eu conheça todo mundo. Eu gostaria apenas de lembrar que não trabalho mais para você. Eu conhecerei quem me interessar. – Camila acelerou na frente assim que as portas do elevador se abriram já no saguão do hotel.

- Você é minha noiva. Quero que conheça pessoas que eu julgo serem importantes. – Brant acelerou os passos para alcançá-la.

- Eu não aceitei o seu pedido de casamento. – Ela revirou os olhos e passou pela porta de entrada.

- Ainda não, mas aceitará. Sabe o que... – Brant continuou falando até que eles chegassem ao restaurante em algum lugar. Camila não sabia exatamente onde estavam e nem prestou atenção em qualquer outra informação durante o caminho. – Mesa reservada por Alejandro Cabello. 

- O meu pai organizou esse jantar? – Camila perguntou surpresa.

- Sim. Eu te disse alguns minutos atrás no carro. Ele quer que seja apresentada para...

- Que se foda! – Camila respondeu e seguiu até a mesa onde o pai e alguns homens e mulheres os esperavam. 

- Boa noite, querida! – Alejandro levantou para abraçar a filha, mas ela apenas estendeu a mão e deu um leve aperto, enquanto Brant recebeu o abraço do anfitrião. 

- Senhores! Senhoras! – Brant cumprimentou todos na mesa e Camila apenas deu um sorriso forçado para quem quer que estivesse olhando para ela. 

- Eu estive esperando meses para lhe conhecer, Sra. Daughert. Não sabe o quanto estou feliz em finalmente conhecê-la. – Um homem com mais da idade de seu pai disse e estendeu as mãos para Camila. 

"Que se foda!" Camila pensou e sorriu estendendo a mão de volta para o homem, que a segurou entre as suas as balançando. – Ainda sou uma Cabello. – Ela disse lançando um olhar rápido para Brant.

- Sim, em breve será uma Daughert. Brant teve a incrível sorte em encontrar alguém como você. Parabéns aos dois. – O homem disse voltando ao seu lugar. Camila ainda com o sorriso forçado.

- Bem, eu sei dizer quando tive sorte na vida e com toda certeza, ter conhecido Alejandro anos atrás me proporcionou essa alegria que é ter Camila. – Brant estava todo sorridente enquanto Camila estava enfiando garfos nos olhos de todos na mesa em sua mente. – Estive pensando que essa noite seria perfeita para finalmente ofici...

- Brant! – Camila gritou e chutou a perna do namorado por baixo da mesa. – Pode pedir algo para eu beber? Estou extremamente com sede e... 

- Tem água no seu copo, amor. – Brant respondeu sorrindo e todos sorriram junto, menos Camila.

- Eu não sei se estou me sentindo muito bem. Vou tomar um ar lá fora. – Ela tentou se levantar, mas Brant a segurou de volta a mesa.

- Está frio lá fora. Você pode ficar resfriada. – Todos ainda estavam sorrindo e observando os dois. Camila se sentindo extremamente desconfortável. 

- Eu estou sufocando aqui dentro. – Ela sussurrou para ele. – Me dêem licença, irei ao banheiro. É rapidinho. 

Ela apenas empurrou a mão dele e se levantou, andando o mais rápido possível para longe da mesa e tentando encontrar o banheiro feminino do restaurante. Como não conseguia se concentrar em achar o banheiro, Camila pegou o caminho mais rápido para sair do restaurante. Ela não queria estar ali mais uma vez para ficar sem palavras quando Brant tentasse fazer novamente o pedido de casamento.

Quando no lado de fora, ela quis apenas andar até chegar em casa, mas andar até Los Angeles não era algo possível no momento. Não com aqueles saltos. Ela poderia pegar um táxi e voltar para o hotel e enfrentar longos minutos de discussão mais tarde quando Brant finalmente chegasse lá. Tinha a precisão de sumir dali de qualquer jeito.

- Dinah, você sabe o numero de um táxi confiável? – Camila perguntou rapidamente para a amiga assim que ela atendeu. 

- Ahmm... Mila, você não está jantando com o Brant? Aconteceu alguma coisa? – Dinah pareceu se afastar de alguém falando e pareceu ficar levemente preocupada.

- Ele vai me pedir em casamento de novo e meu pai está lá dentro e tem um monte de velhos que eu não conheço e uma mulher com um casaco de pele de animal e eu estou sem ar... – Camila falou rapidamente e soltou o ar dos pulmões pesadamente. Dinah quis rir, mas manteve o controle.

- Certo. Me diz onde você está. Eu vou mandar alguém ir te buscar. – Dinah então voltou para onde estavam conversando e se afastou novamente.

- Eu não sei onde estou. É um restaurante grande e tem esse... Moço, você pode me informar o nome desse restaurante? – Camila perguntou para algum funcionário que estava ajudando um dos clientes a sair do carro. Dinah esperando do outro lado da linha.

- Petrossian. – O homem disse apontando para o nome do restaurante logo acima da porta de entrada, Camila sorriu parecendo sem jeito por não ter notado o nome enorme ali antes.

- Obrigada! – Agradeceu e se afastou. – Dinah, é o Petrossian. Eu não sei onde fica, mas se você ligar pro táxi ele vai saber. 

- Camila, esse restaurante fica perto do hotel. – Dinah gargalhou. Camila se sentindo mais tola ainda por não ter prestado atenção no caminho que havia feito com Brant no carro. – Eu vou mandar alguém ir te buscar. Não vai demorar muito. Espera aí. 

- Tudo bem. Rápido antes que eles notem que eu estou demorando. – Camila disse sozinha, pois Dinah já havia desligado a chamada.

Ela esperou por quatro minutos no frio do lado de fora. Seu casaco havia ficado pendurado lá dentro. Um carro preto se aproximou e parou na frente dela. O vidro do carro baixou e revelou uma Lauren séria do lado de dentro. Camila sorriu fraco e se sentiu nervosa, pois Lauren não parecia nada feliz. 

- Obrigada. – Ela agradeceu depois de entrar no carro. Lauren não disse nada e saiu dirigindo pela rua. – A Dinah pediu para vir me buscar? 

- Sim. A Dinah pediu. – Lauren disse seca e atravessou um sinal que havia acabado de ficar vermelho. – É melhor colocar o sinto. 

Camila se sentiu assustada e fez o que Lauren havia sugerido. Ela não sabia o que havia acontecido. Talvez Dinah tivesse forçado Lauren a ir buscá-la no restaurante contra sua própria vontade. 

- Desculpa por isso. – Camila voltou a falar quando elas pararam em um sinal vermelho segundos depois. 

- Por isso o que? – Perguntou ainda séria e fria. 

- Eu tinha pedido pra Dinah ligar pra um táxi. – Ela disse tentando parecer não tão nervosa quanto estava. Lauren batendo as mãos no volante como se quisesse passar por cima de todos os carros na frente delas. 

- O que isso tem a ver? Você está mais segura aqui. – A de olhos verdes saiu rapidamente quando o sinal ficou verde e buzinou para que os carros fossem mais rápidos e saíssem do seu caminho.

- Não está brava porque a Dinah te forçou a vir me buscar? – Camila se sentiu confusa por alguns segundos.

- Claro que não. Eu estou com raiva porque estão querendo diminuir o tempo da minha exposição e meu pai quer que eu vá para casa no final de semana, sendo que eu tenho que terminar alguns projetos, que no caso, são bem importantes e depois levá-los de volta para a universi...

- Lauren!! Por favor, respira um pouco. Você vai acabar batendo o carro. – Camila disse acima do tom de Lauren e enfim ela parou de falar e respirou. Alguns segundos seguidos pelo silencio.

- Quer saber? Que se foda todo mundo. Eu sou grande o suficiente para saber o que eu quero e eu vou ligar amanhã para o Felix e dizer que ele tem que manter a exposição pelo tempo que me foi prometido. Eu assinei um contrato e eles não podem apenas mudar isso da noite para o dia porque o senhorzinho que voltar atrás e expor os quadros dele. 

- Lauren... só respira. – Camila falou com suavidade, Lauren a olhou rapidamente e voltou a atenção para a rua. – Você precisa ir um pouco mais devagar.

- Eu pensei que gostasse quando eu ia rápido. – Ela disse rápido e fechou os olhos sorrindo logo em seguida. Camila sem entender o porquê de ela ter sorrido. – Desculpa.

- Ahm... Tudo bem. – Respondeu confusa. Lauren permaneceu com o sorriso no rosto até que segundos depois ela voltou a ficar séria. 

- Por que fugiu do jantar com o... – Ela não sabia como continuar a pergunta e parou de falar, fazendo Camila se sentir perdida.

- Brant? – Perguntou. Lauren afirmando com a cabeça. – Ele ia... me pedir em casamento de novo na frente de um monte de velhos e o meu pai. 

- Seu pai é velho. – Lauren respondeu fria e Camila não teve certeza se essa conversa seria apropriada para o momento. 

- Sim. Ele é velho. – Ela concordou em voz baixa. 

- Então você está fugindo desse merda. Por que não simplesmente termina com ele e vai embora? – Voltou a acelerar o carro mais do que da ultima vez.

- Lauren, não precisamos conversar sobre isso. – Camila tentou dizer suavemente, mas Lauren parecia agora mais brava do que quando ela tinha entrado no carro.

- Eu não entendo você, Camila. Sinceramente, eu não te entendo. Você não pode ser tão burra assim e ficar desperdiçando seu tempo com alguém que você não gosta. – Ela ia acelerando o carro sempre que sua raiva aumentava. 

- Ahm... Eu... Você vai bater... Lauren... Ahmm.. – Camila não soube como continuar a conversa e o carro ia cada vez mais rápido sendo que elas ainda estavam no centro da cidade. – Pra onde estamos indo?

- Não interessa. – Lauren respondeu mais uma vez seca e totalmente fria. A voz áspera demais.

Camila sentiu medo por rápidos segundos, mas Lauren não iria a machucar, ela não poderia. Era o que Camila esperava. Lauren pareceu ter saído do centro da cidade e entrado em uma estrada levemente mais escura do que as outras. Ela continuou dirigindo por cinco minutos até parar o carro fora da estrada e sair batendo a porta com força. A menor se assustando com o barulho forte. 

Lauren estava andando de um lado para o outro e pareceu chutar algumas pedras para longe dos pés. Camila não estava certa se deveria sair do carro e perguntar o que havia acontecido, mas apenas o fez. Ela abriu a porta e saiu do carro, dando a volta para encontrar Lauren do outro lado.

- Você está bem? – Ela perguntou com a voz baixa e levemente tremula pelo frio que a havia atingido assim que ela desceu e o ar congelante da estrada, fora de toda a movimentação do centro, bateu contra o seu corpo. 

- Isso não interessa. Por que você se importa? – Lauren gritou passando as mãos pelos cabelos.

- Ahm... Eu não sei. Você... Eu acho que...

- Volta pra dentro da porcaria do carro, Camila. – Os olhos verdes não estavam direcionados para Camila e ela não podia dizer ao certo que estava vendo o rosto dela, porque estava escuro.

- Você deveria voltar também. – A menor disse e acabou se assustando quando do nada, Lauren virou em sua direção e deu dois passos para perto dela rapidamente. 

Lauren pareceu querer dizer algo, mas apenas permaneceu com o dedo apontado para Camila, sua boca abrindo e fechando. Ela não tinha conseguido formular algo coerente para dizer. 

- Você e o Brant? – Lauren disse rindo ironicamente depois de alguns segundos. – Isso nunca daria certo. Sabe por que, Camila? 

Ela voltou a andar em direção a menor com o dedo ainda apontado para ela. Em segundos, o rosto de Camila estava na mão de Lauren. Ela foi empurrando Camila para trás até que o corpo da menor se chocasse contra o carro.

- Você sabe? – Lauren perguntou de novo. A voz mais alta dessa vez. Seu rosto estava tão próximo do de Camila, que o ar frio da sua respiração bateu contra o rosto dela. Camila sentiu o corpo estremecer e o coração acelerar pela tensão do momento. – Estou perguntando algo pra você.

- N-não... Não sei. – Camila disse engasgando e engolindo o seco. Lauren estar tão próxima agora, não estava ajudando no funcionamento do cérebro.

- Porque você ainda pensa em mim. E todo mundo sabe disso. Quando você cantou a música foi pra mim. Você nunca diria sim pra ele, porque o seu sim, só sairia dessa sua maldita boca... – Lauren encarou os lábios da menor e Camila se controlou para não lamber os lábios e fazer tudo ficar pior. – Se fosse pra mim.

As ultimas palavras saíram como um sussurro antes que os lábios de Lauren se chocassem com os de Camila. O choque pareceu ser tão forte, que nenhuma das duas estava pensando em absolutamente nada durante algum tempo. O corpo de Lauren só pressionava cada vez mais o corpo da menor contra o carro. 

- Lauren... – Camila tentou dizer algo quando seus lábios se separaram, mas Lauren a virou de costas e a empurrou novamente contra o carro, agora ela estava de costas para a mais alta.

- Ele nunca será tão bom quanto eu. O seu corpo só pertence a mim. Somente a mim. – Lauren sussurrou novamente, agora contra sua orelha e todo o corpo de Camila estremeceu mais uma vez. Ela não poderia negar o que Lauren dizia agora.

As mãos de Lauren estavam vagando descontroladamente e agressivamente pelo corpo de Camila. Tudo o que saia da boca da menor eram gemidos baixos e ela não podia negar o fato de que seu corpo reagia infinitas vezes mais ao toque de Lauren do que ao toque de Brant. 

Lauren a puxou para longe da porta do carro para abri-la e antes que ela empurrasse Camila para dentro, o vestido de Camila estava sendo tirado as presas pelas duas. Logo ambas estavam novamente aos beijos no banco traseiro do carro. 

A respiração pesada de Lauren e os gemidos baixos que Camila deixava escapar toda vez que Lauren sugava sua pele em algum lugar. Ela parecia querer marcar Camila como dela de alguma forma, para que da próxima vez que Brant a visse, ele percebesse que Camila sempre pertenceria a mesma pessoa. Sempre pertenceria a Lauren. 

- Lauren, não. – Camila a puxou tentando fazer ela parar com os chupões e marcas, mas Lauren apenas a empurrou de volta para o banco e prendeu suas mãos. Lauren precisava sentir o gosto da pele da menor. Ela esteve desejando isso por muito tempo e agora que ela teve um pequeno gosto em sua boca, só pararia quando fosse o suficiente.

- Você não vai dizer sim pra ele, não é? – Lauren perguntou encarando os olhos castanhos de Camila que a observavam com luxuria. 

- Não. – Camila respondeu e quase delirou por ver Lauren descendo a mão entre suas pernas.

- Por que você vai dizer não? – Desceu mais a mão e pressionou o sexo da menor, sentindo todo o corpo estremecer debaixo de si. 

- Porque... – Camila fechou os olhos e jogou a cabeça contra o banco quando Lauren movimentou os dedos sobre a calcinha dela. 

- Porque...? – Lauren perguntou e precisou com mais força. Camila quase implorando para que ela fizesse algo.

- Porque eu sou sua. – Disse arrastando a voz e isso se misturou com um gemido quando Lauren movimentou os dedos com mais força e velocidade.

- Porque a porra do seu corpo é só meu. – Lauren estava totalmente fora de si. Se isso fosse em algum outro momento, ela certamente já teria parado a si mesma. Mas agora era totalmente impossível.

Ela foi em direção aos seios nus de Camila. A menor não estava usando sutiã naquela noite, e uma vez que o vestido havia sido tirado do seu corpo, as únicas peças em seu corpo agora eram a calcinha fina de renda, o colar em seu pescoço e algumas pulseiras nos pulsos. Lauren arrancou todas elas depois. Camila estava totalmente nua em seu banco traseiro do carro.

Ela parou para apreciar a visão a sua frente. Camila totalmente entregue a ela como antes, e isso não a poderia deixar mais louca. Ela apenas queria a devorar de um jeito inexplicável. 

Minutos depois, quando Camila estava se sentando sobre seu colo e seus dedos sendo enfiados vagarosamente dentro da menor, Lauren teve certeza que deveria ter ido atrás dela muito tempo atrás. Ela não entendeu como conseguiu viver tanto tempo sem ter esse contato com ela. Tê-la agora em seus braços e poder ser o motivo de seu coração cada vez mais acelerado e seus gemidos cada vez mais altos, era o que Lauren precisava para explodir dentro de si cada vez mais.

Os movimentos do quadril de Camila indo de encontro com os dedos de Lauren, eram cada vez mais rápidos. Ela apertava os ombros da maior, enquanto a mão livre de Lauren a mantinha equilibrada sobre os dedos de sua outra mão. Ambas estavam suadas e Camila já havia rasgado a blusa preta que Lauren usava, deixando a mostra o sutiã também preto e a pele levemente arranhada por ela.

- Eu não.. aguento mais. – Camila disse com a voz rouca e Lauren a puxou para mais perto.

Elas mantiveram os movimentos por alguns segundos a mais enquanto Camila explodia em um orgasmo. Lauren respirando pesadamente e tentando acalmar a si mesma enquanto Camila descia a cabeça e colava a testa contra a dela.

- Eu odeio você. – Lauren sussurrou envolvendo o corpo da menor em seus braços.

- Eu também te amo. – Camila fechou os olhos e abriu um sorriso. Lauren poderia jurar que estava em mais um de seus sonhos com Camila. E se isso fosse um sonho, então que ela nunca mais fosse acordada. 


Notas Finais


Cadê vocês comentando e falando comigo no tt??
Amoo voces e obrigada por ainda lerem!!!!❤💞
@27_dragonfly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...