História The Green Eyes - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 173
Palavras 2.372
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 58 - Fifty Eight


- Como você e o Brant estão? - Dinah sussurrou enquanto se sentava ao lado de Camila no sofá da sala de Lauren e Matheus.

- Ele está bem. - Camila deu de ombros e se apertou no casaco que vestia. 

- Camila, está quente aqui dentro. Por que não tira essa porcaria? - Dinah tentou puxar o casaco da amiga e Camila arregalou os olhos e se apertou mais contra o corpo. 

- Eu estou bem. - Ela disse tentando empurrar as mãos de Dinah para longe.

- Math, não parece que a Camila está sufocando nesse casaco? - Dinah virou e piscou para Matheus que estava sussurrando algo para Lauren.

- Claro. Parece sufocar. Por que ela não tira isso? - Ele perguntou confuso, mas segundos depois sua expressão mudou para um sorriso malicioso quando voltou o olhar para Lauren. 

- Eu não estou sufocando. Estou bem. Dinah, já que você chegou, nós podemos ir jantar? Eu estou com fome. - Camila tentou mudar de assunto. Dinah apenas concordou depois de alguns segundos, pois teve que admitir que também estava com fome depois de ter que passar algumas horas ajudando Matheus a caminhar pelas ruas. 

- Por que vocês não ficam e todos jantamos juntos? - Matheus sugeriu e Camila e Lauren o olharam rapidamente tensas.

- Eu não sei se é uma boa ideia. Tenho que voltar pro hotel e ver como as coisas estão. - Camila disse se levantando do sofá e Dinah a acompanhando. 

- E eu não vou esperar até que decidam se vão comer ou não. A gente pode pedir aquele prato de ontem do restaurante. - Dinah pegou a bolsa e a colocou no ombro. - Eu ligo para você depois, Math! Lauren, se cuida!

Dinah arrastou Camila para fora do apartamento antes que ela pudesse dizer algo para se despedir dos dois. Ela só pode devolver o sorriso de Lauren antes que Dinah fechasse a porta do apartamento. Então elas partiram de volta para o hotel.


...

- Você pode me explicar isso? - Brant perguntou assim que Camila subiu mais tarde para o quarto do hotel.

- Onde você encontrou isso? - Camila jogou a bolsa no chão e se aproximou rapidamente dele para tirar o bloco de notas que ele segurava nas mãos.

- Você esqueceu com o amiguinho da Dinah e o motorista trouxe para você. Como não estava aqui e eu sou seu noivo, peguei para te entregar. Alias, onde esteve o dia todo? - Ele se afastou levantando o bloco pro alto.

- Você não é meu noivo. Eu tinha saído com a Dinah. Você pode me devolver isso? - Camila disse tentando mais uma vez tomar o bloco das mãos dele.

- Você não estava com a Dinah. Eu passei por ela na rua e ela estava com aquele amiguinho gay. - Brant ergueu uma sobrancelha e deu um sorriso forçado. Camila pareceu tensa. 

- Brant, por favor. Me devolve isso? - Ela se afastou um pouco e relaxou os ombros, esperando que ele a devolvesse o bloco. 

- Certo. Você não vai me dizer onde esteve o dia todo. Então me explica essas músicas. Pensei que tivesse dito que nunca tinha gostado do Austin. - Ele abriu o bloco de notas e Camila pareceu mais tensa e preocupada do que antes. - Olhos verdes? 

- Isso não é sobre o Austin. São músicas antigas. Eu as escrevi enquanto estava no curso de música e não...

- Então você já conhecia o Austin. Não foi muito tempo antes de me conhecer. - Ele balançou o bloco nas mãos e negou com a cabeça. - E quer saber? São músicas até boas. 

- Brant...

- Agora entendi porque quis sair da gravadora. Era por isso, certo? - Brant jogou o bloco pra ela e Camila ficou em silencio antes de afirmar com a cabeça. Ela observou o bloco e apertou as mãos sobre ele. - Espero que tenha aproveitado Nova Iorque. Voltaremos para Los Angeles daqui a dois dias. Avise a Dinah se ela quiser carona. 

- Mas você disse que passaríamos o Natal aqui. - Camila o olhou, deixando de lado o bloco e o seguindo para o banheiro. 

- Você fica toda estranha e não ajuda muito para que eu me empolgue em ficar aqui para o Natal. Vamos passar as festas de fim de ano na casa dos seus pais. Alejandro nos convidou e eu aceitei o convite por nós dois. - Brant começou a tirar a roupa para entrar no chuveiro.

- Você não podia ter aceitado por nós dois. Eu tinha convidado a minha mãe e a Sophia para passar o Natal aqui comigo. 

- Tanto faz, Camila. O Alejandro vai fazer uma festa lá. Elas não iriam vir de qualquer jeito. Agora ou você se junta a mim no banho ou cai fora. - Ele a olhou com um sorriso e esperando alguma resposta. Camila apenas fechou a porta do banheiro com força e saiu do quarto, parando alguns minutos no corredor para pensar sobre como Brant queria a controlar o tempo todo. 

Ela voltou ao quarto apenas para pegar algumas roupas e o bloco que havia ficado sobre uma poltrona, depois disso ela estava esperando um taxi do lado de fora do hotel. E mesmo que estivesse frio e ela tivesse esquecido de colocar de volta o casaco, o frio não era o que mais a incomodava agora. Camila só tinha uma coisa em mente e era a necessidade de tirar Brant de sua vida.


...

- Vamos Dinah, você sabe para onde ela foi. Você é a melhor amiga dela. - Brant estava parado em frente a porta do quarto de Dinah enquanto esperava a mesma responder sobre para onde Camila havia ido. 

- Por que diabos você ainda está aqui? - Dinah abriu a porta do quarto e encarou Brant no corredor. - Eu já te falei mais de vinte vezes que eu não sei para onde a Mila foi e mesmo se eu soubesse, eu não te diria do mesmo jeito. Agora me deixa dormir. 

- Qual é Dinah?! - Brant se aproximou com um sorriso leve. - Eu só preciso saber se ela está bem.

- Se você não calar a boca e sair daqui, vou chamar os seguranças e eles fazem isso por mim. - Ela piscou o olho e fechou a porta, dando alguns pulos de alegria por Camila ter ido embora e deixado Brant totalmente perdido. Dinah poderia ter mandado mensagem ou ligado para a amiga, mas ela sabia que Camila estava melhor lá fora do que ao lado dele.


...

Camila estava sentada no banco de trás do taxi em frente ao apartamento onde Lauren morava. O taxista deixou o taxímetro rodando assim como Camila havia pedido. Ela tinha que decidir o que faria agora. Talvez ir para outro hotel fosse o suficiente, mas tudo nela dizia sobre onde e com quem ela deveria estar agora.

Ela pagou o taxi e subiu até o andar do apartamento da de olhos verdes. Lauren estava terminando de guardar as louças, enquanto Matheus caia no sono no sofá da sala por ter tomado um remédio para dor que o dava muito sono. 

Camila bateu de leve na porta em vez de tocar a campainha. Lauren franziu o cenho e deixou o pano de copa sobre o balcão enquanto voltava para a sala e olhava rapidamente para Matheus adormecido no sofá.

- Camila? - Lauren disse preocupada e tentou olhar para o fim do corredor procurando por Dinah. - Você está sozinha? 

- Eu posso ficar aqui? - A menor disse sem desviar o olhar dos olhos brilhantes de Lauren. 

- Claro! Entra. - A maior deu passagem e Camila entrou no apartamento. Lauren fechando a porta com cuidado para não acordar o amigo. - Você está bem?

- Eu vou terminar com o Brant. - Camila estava falando mais sério do que Lauren jamais a tinha ouvido falar. 

- Por que? - Ela perguntou puxando Camila para a cozinha. Talvez a conversa fosse acordar Matheus e ele certamente surtaria por encontrar Camila aquela hora da noite no apartamento deles. 

- Eu posso dormir aqui? - Camila não respondeu a pergunta da maior e em vez disso, devolveu outra pergunta. - É só por hoje.

- Claro que pode. Vocês brigaram? Ele te machucou? Você esta bem? - Lauren queria que ela respondesse qualquer coisa, mas Camila parecia apenas não poder tirar seus olhos dos de Lauren e fazer mais perguntas em vez de respostas. 

- Eu só preciso dormir. 

- Camila...

- Eu posso dormir em qualquer lugar. Talvez na sala. - Ela deu de ombros para tudo o que Lauren perguntava, fazendo com que a maior desistisse de saber o que havia acontecido de verdade e apenas levasse Camila até seu quarto para dormir. 

Lauren colocou um pequeno colchão no chão e insistiu para que Camila dormisse na cama. Ela poderia ficar bem no chão. Ela poderia ficar bem em saber que Camila estava segura e livre de qualquer coisa, porque ela estaria ali do lado para proteger a menor.

Camila demorou para cair no sono e fitou o teto do quarto até que Lauren voltasse depois de ter ajudado Matheus a ir para o próprio quarto e se aconchegasse confortavelmente na cama. A menor fechou os olhos assim que Lauren passou pela porta e a fechou sem fazer nenhum ruído, ela não queria acordar Camila, que fingiu estar dormindo. 

A luz do banheiro estava acessa e Camila entreabriu os olhos enquanto espiava Lauren cuidadosamente trocar de roupa para dormir. Ela deu um pequeno sorriso enquanto a maior terminava de secar o rosto e observava o próprio reflexo com atenção. Novamente ela fingiu estar dormindo quando Lauren voltou do banheiro, ela decidiu deixar a luz acessa caso Camila acordasse no meio da noite, então talvez ela ficasse menos assustada por não estar em casa. 

Depois de meia hora, finalmente Camila havia adormecido, o travesseiro e os cobertores com o perfume de Lauren fizeram com que ela se sentisse confortavelmente segura e o sono viesse pesando cada vez mais até que ela não conseguisse mais manter os olhos abertos. Lauren não pôde fazer o mesmo. Ela revirou o corpo de um lado para o outro no pequeno colchão e mesmo que ela tentasse muito dormir, o frio estava cada vez mais forte, deixando seu corpo tenso e implorando por um dos cobertores sobre o corpo de Camila na cama ao lado dela.

As horas passaram devagar, era como se cada minuto fosse uma hora. O sol parecia não querer tomar o lugar da lua e a deixar iluminando a noite por mais tempo que o necessário. Quando os primeiros raios de sol bateram contra a janela e um pouco de luz entrou pela abertura da cortina, Lauren se levantou com o mesmo cuidado, esperando não fazer barulho e acordar a menor.

Ainda era cedo quando ela foi para a cozinha e decidiu preparar panquecas e café. Ela torceu para que Camila não acordasse e saísse do quarto antes que tudo estivesse pronto. Depois de alguns minutos com as panquecas e o café prontos, decidiu que teria de leva-los para a menor na cama antes que tudo ficasse frio e o gosto não fosse o mesmo. 

O quarto era iluminado apenas pelos raios de sol que ficavam cada vez mais fortes e que passavam pelas finas aberturas na cortina. Camila estava literalmente jogada na cama e o cobertor agora cobria apenas parte do seu corpo. Ela estava usando um fino vestido de seda que ia até um pouco antes da metade da coxa e todos aqueles movimentos durante o sono o tinham trazido para cima, deixando parte da calcinha a mostra e Lauren riu pela posição divertida em que a menor se encontrava. 

Ela colocou lentamente a bandeja com o café sobre a cama e cobriu Camila novamente para que ela não se sentisse envergonhada quando acordasse daquele jeito. A maior hesitou em acorda-la e apenas se sentou no canto próximo a bandeja do café e observou os mesmos detalhes no rosto da menor como costumava fazer antes. 

- Oi! - Lauren disse suavemente quando Camila abriu lentamente os olhos e os piscou algumas vezes tentando focar no rosto dela.

- Oi. - Camila disse arrastando a voz e o tom de sono em sua voz fez Lauren sorrir mais uma vez.

- Eu espero que esteja com fome. Fiz algumas panquecas e café como você gosta. - Ela ainda estava sorrindo e assim que panquecas saíram suavemente dos lábios de Lauren, a expressão no rosto da menor mudou de sonolenta para totalmente animada. A morena sabia o quanto Camila era apaixonada por panquecas. 

Lauren arrastou a badeja e a levou para mais perto de Camila que agora estava se sentando e encostando as costas na cabeceira da cama. Camila não disse nada e apenas pegou uma xícara de café nas mãos e deu um gole na bebida quente, logo depois dando uma mordida na panqueca. Com a boca cheia de comida, o olhar e a expressão no rosto da menor mostrou o quão grata Camila estava pelo café da manhã que Lauren a havia preparado.

- Isso está ótimo. Obrigada! - Camila disse depois de alguns minutos. O olhar de Lauren totalmente voltado para ela.

- Por nada. - Ela sorriu e Camila o devolveu segundos depois. O silencio se instalou por algum tempo até Lauren perceber que a menor havia ficado sem jeito. - Eu vou ver se o Math acordou. Ele precisa...

- Você não vai comer? - Camila perguntou antes que Lauren saísse do quarto tentando encontrar palavras para se distanciar. 

- Eu volto em alguns minutos. Apenas coma. - E assim Camila ficou sozinha novamente no quarto. Lauren parada encostada na parede do corredor ao lado da porta do quarto e com um pequeno sorriso nos lábios.

Ela estava sorrindo por finalmente perceber o porque da insistência de Camila em ter permanecido com o casaco na tarde anterior. Estava quente no apartamento e mesmo que ela sufocasse, ela não queria mostrar a ninguém as marcas que haviam ficado em seu corpo. Não era apenas ela quem vinha tentando esconder as marcas de uma noite no carro dias atrás, Lauren também teve que se manter atenta para Dinah não perceber os arranhões em seu ombro. 


Notas Finais


Como estamos? Como estão? Espero que bem.
Agora me deixem saber suas opiniões sobre fic!!
Amo vocês!
Se cuidem
2bjos
Emma


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...