História The Green Eyes - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 239
Palavras 2.262
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 61 - Sixty One


Elas voltaram para a mesa cada uma de uma vez. Camila voltou primeiro e se sentou ao lado de Brant onde estava antes. Lauren parando em qualquer mesa e perguntando algo extremamente sem importância para eles. Ela agradeceu a resposta e saiu sorrindo de volta para a mesa onde todos estavam. Alejandro ainda a encarando.

- Dinah, eu gostaria de agradecer pelo convite. O jantar estava simplesmente perfeito, mas eu preciso...

- Não, Lauren. Senta essa bunda aí. A sobremesa chega a qualquer momento. – Dinah disse apontando para Lauren que riu.

- Eu comi o suficiente para hoje. Mas obrigada mesmo assim. Math, a gente se vê em casa. Eu preciso enviar uns e-mails e descansar um pouco. Tenho algumas coisas para resolver amanhã. – Ela disse para o amigo e ele faz uma expressão confusa.

- Mas você não tem nada pra fazer aman... – Ele estava falando quando ela beliscou forte o braço dele e ele arregalou os olhos. – Ahh sim!! Claro, eu estava esquecendo. Você tem que responder o Aleph até hoje. Ele tem que te manter naquela exposição em Paris. 

- Sim. Eu preciso colocar tudo em ordem. Obrigada novamente Dinah! – Lauren mandou um beijo para a amiga. – E boa noite a todos vocês. Espero que aproveitem o fim do jantar. 

Ela piscou rapidamente para Camila e saiu do restaurante. Ela sabia que Matheus não voltaria para casa aquela noite. Ele estava próximo demais do outro convidado de Dinah, então Lauren simplesmente pegou o carro para voltar ao apartamento. 

- Eu acho que deveríamos ir embora também. – Camila disse ao pai e a Brant minutos depois.

- Claro que não. Só iremos embora quando a Dinah for. – Brant disse rapidamente a ela. Alejandro não deu importância ao que ela tinha dito anteriormente. Eles permaneceram conversando sobre qualquer coisa com outros convidados. 

Camila deu a volta na mesa e se inclinou para falar com Dinah. A mais alta empurrou um pouco a amiga para trás e arrumou o vestido no corpo de Camila.

- Assim fica bem melhor. Você estava amassando meu vestido. – Dinah sorriu e deu um tapa fraco na coxa da amiga.

- Pensei que fosse meu. – Camila sorriu. – Dinah, você se importa se eu for embora? 

- Claro que não. Vá atrás da Lauren. – Dinah piscou e Camila olhou rapidamente para o pai e Brant para se certificar de que eles não haviam ouvido o que Dinah tinha dito. – Eu sei que ela te seguiu até o banheiro e depois que ela se despediu de você com um piscar de olhos... apenas vá. Eu espero que fique bem. 

- Mas...

- Ohh Camila, eu sei. Você deveria voltar pro hotel e descansar um pouco. Foi um longo dia, eu sei. – Dinah disse em voz alta e todos olharam para as duas.

- Você está bem, Camila? – Brant perguntou enquanto ela desviava o olhar de volta para Dinah. 

- Ela está um pouco tonta, talvez seja o cansaço. Tivemos um dia longo e ela precisa dormir um pouco. – Dinah respondeu por ela e Camila agradeceu internamente por Dinah ter feito isso.

- Bem, então acho que vamos indo. – Brant estava preste a levantar, mas Alejandro o puxou para a cadeira novamente. 

- Camila é grande o suficiente para saber se cuidar. Chame o motorista e peça para ele te deixar no hotel. Chegaremos lá mais tarde. O jantar ainda não acabou, Brant. Temos muita conversa e negócios a resolver aqui. Certo, Sr. Mezrich? – Alejandro disse olhando para um dos convidados de Dinah. O homem parecia ser importante para ele e Brant.

- Sim, eu vou ficar bem. Só preciso descansar um pouco. – Camila concordou com o pai e Dinah se levantou rapidamente para abraçá-la. 

- Espero que não esqueça que tem que voltar... Que se foda. Vá foder a Jauregui e nunca mais volte para olhar na cara do Brant. Eu termino com ele por você. – Dinah sussurrou enquanto abraçava a amiga e Camila riu.

- Eu posso fazer isso eu mesma, Dinah. Mas mesmo assim, muito obrigada. – Elas se separaram e Camila se despediu de todos a mesa. Brant permaneceu ao lado de Alejandro enquanto Camila se afastava e caminhava para fora do restaurante. Dinah piscou pra Matheus e ambos fizeram expressões maliciosas e riram.

Ela agradeceu o recepcionista do restaurante que lhe devolveu o casaco grosso dela, ajudando-a a vesti-lo novamente. As noites ficavam cada vez mais frias e a neve fina já caía a esse ponto do ano. O natal cada vez mais próximo. A decoração da cidade como sempre perfeita e todo o ar parecia mudar quando as festividades do fim de ano se aproximavam. 

Camila avistou o motorista do pai, mas antes que ela caminhasse até ele e pedisse que ele a levasse embora, um carro preto buzinou do outro lado da rua. Ela já tinha visto aquele carro antes e o conhecia muito bem agora. O vidro escuro do carro abaixou e Lauren sorriu do lado de dentro. Camila abraçou o próprio corpo, agora totalmente mais confortável em ver Lauren e atravessou a rua. 

- O que está fazendo aqui? Você não tinha ido embora? – Camila perguntou sorrindo.

- Pensei que poderia esperar 20 minutos para ver se aquele jantar ficava tão entediante para você, que a única alternativa era fingir estar passando mal e pedir para ir embora. – Lauren sorriu arqueando a sobrancelha. – Estou certa? 

- Sim. – Camila gargalhou. 

- O melhor de tudo foi você não ter conseguido ficar nem 10 minutos direito lá dentro. Vamos, entra antes que algum carro te pegue desse lado da rua. – Ela destravou a porta do carro e Camila deu a volta para entrar do outro lado. – Para onde gostaria de ir, senhorita? 

- Para a Lua, por favor. – Camila colocou o sinto e Lauren gargalhou.

- Eu estou pensando se te deixo no hotel ou se te levo para dar uma volta nessa noite gelada. – A de olhos verdes bateu os dedos no volante enquanto parecia pensar.

- Se você estiver disposta a esquentar meu corpo depois, eu te deixo me levar para quantas voltas você quiser nesse gelo. – Camila sorriu e Lauren a olhou surpresa.

- Bem, agora o hotel não é mais uma opção. Eu vou te levar a um lugar que você vai gostar. – Ela deu partida no motor e saiu com o carro. 

Lauren dirigiu por poucos minutos até estacionar em frente ao que parecia ser um museu de artes. Camila a acompanhou até a entrada. O museu parecia estar fechado a essa hora.

- Pronta? – Lauren perguntou oferecendo sua mão a menor.

- Não está fechado? Todas as luzes lá dentro parecem apagadas. Eu não sei se...

- Confia em mim? – Perguntou e Camila sorriu. A menor não precisou responder que sim, apenas aceitou a mão de Lauren e a apertou forte. Agora ambas sorrindo. – Não vamos entrar em problemas. Eu prometo.

Elas deram a volta no lugar e pararam na entrado do que parecia ser um jardim. O local totalmente bem iluminado revelava alguns arbustos, flores e bancos, tanto como algumas pequenas arvores. Camila parecia congelar e Lauren a puxou para perto a dando um abraço de lado.

- Você nunca está com roupa o suficiente para não ficar com tanto frio? – Lauren perguntou enquanto elas caminhavam para dentro do jardim. Era incrível como as flores haviam sobrevivido ao frio do inverno que chegava cada dia mais forte e como elas ficavam lindas com a fina camada de neve caindo sobre elas.

- Eu acho que não. – Sorriu novamente. – Podemos entrar aqui?

- É bom você aproveitar. É a ultima noite que se dá pra ver a flores assim. Amanhã elas estarão cobertas por neve e isso será apenas um pedacinho de verde com o chão branco. – Lauren continuou as guiando. – Eu costumava vir aqui tirar algumas fotos e depois pintar o que eu havia fotografado. Lembra do quadro da orquídea azul? Foi bem aqui. É uma pena ela já ter desaparecido na neve. 

- A gente pode parar um pouco? – Camila perguntou quando elas se aproximaram de um banco. Lauren a olhou e afirmou com a cabeça. Os olhos verdes focados no rosto de Camila e a mesma olhando para longe. – O que nós devemos fazer agora? Eu quero dizer, eu não quero estar com o Brant. Eu quero você e eu disse que terminaria com ele...

- Mas ainda não terminou. Desculpa pelo o que eu disse no quarto naquele dia. Eu estava com raiva e eu... Eu não queria admitir que estava esperando você dizer que me amava, mas quando tudo pareceu certo, também estava errado por você estar namorando o Brant. – Lauren continuou e respirou fundo olhando para frente também.

- Eu não te trai com ele, caso ainda tenha duvidas. – Camila olhou rapidamente para ela.

- Tudo bem, Camila. Vamos tentar esquecer tudo isso. Você poderia não voltar a esse assunto o tempo todo? Isso me faz lembrar de coisas que eu realmente gostaria de ter esquecido a muito tempo. – A menor pareceu incomodada por um breve momento, mas logo voltou ao normal.

- O que seremos? – Perguntou depois que o silencio entre as duas se tornou insuportável. 

- Por enquanto... Eu não sei. Talvez apenas amigas. Você sabe, a mídia vai falar depois que você e o Brant se separarem. Eles amavam vocês como casal. – Lauren teve que admitir, pois todos sabiam que era o que realmente acontecia. A maioria das pessoas costumava imaginar a relação dos dois como sendo uma das melhores, mesmo não sabendo como eles se comportavam a sós. 

- A Dinah disse que formamos um casal bem melhor. Quero dizer, eu e você. – Camila sorriu e Lauren tombou a cabeça para trás em uma gargalhada suave.

- A Dinah diz isso desde que nos conhecemos. Mas eu vou ter que concordar com ela. – Os olhos verdes fixaram nos castanhos de Camila e a maior a puxou para um abraço. A noite continuava esfriando mais a cada minuto. – Você deveria ver esse lugar na primavera. Ou os outros parques e jardins. É totalmente fantástico. 

- Você lembra onde nos conhecemos? – Camila perguntou se confortando mais nos braços da maior.

- Claro. O carvalho e seu bloco de notas mastigado pelo Nino. – Lauren sorriu com a lembrança daquele dia.

- Sim! O Nino. Como ele está? – Camila perguntou se afastando um pouco da maior e parecendo totalmente animada. O entusiasmo não foi seguido por Lauren.

- Ele morreu uns dois anos e meio atrás. – Baixou a cabeça o olhou para os dedos que congelavam na noite fria.

- Ohh! Eu sinto muito. Ele era um ótimo cachorro. – Camila disse com sinceridade. 

- Sim, ele era. – Um sorriso triste brotou dos lábios vermelhos de Lauren e ela respirou fundo. – É como se ele ainda estivesse lá. E toda vez que eu fosse ver meus pais, ele voltasse correndo depois que eu estacionasse o carro e pulasse nos meus braços. Eu quase ainda posso lembrar de como o pelo dele costumava ser macio e do seu cheiro depois do banho. 

- Sim. Ou de como ele adorava mastigar tudo o que via pela frente. Você não pensou em ter outro cão? – A menor perguntou enfiando as mãos nos bolsos do casaco. Lauren soprando de leve as mãos para mantê-las quentes.

- Eu pensei, mas não é o momento certo. Eu estava com muitos projetos e a faculdade. Tudo era corrido e eu não tinha muito tempo para cuidar de mim mesma. Um cachorro merece os melhores cuidados do mundo. Eu queria ter aproveitado melhor o meu tempo com o Nino. Ele sempre era tão bom com todos e a gente só lembra disso quando eles infelizmente se vão. – Ela deixou uma respiração pesada sair e sorriu fraco novamente. 

- Eu sinto muito mesmo. – Disse novamente e Lauren afirmou com a cabeça.

- Está tudo bem na verdade. Ele deve estar comendo tudo o que vê pela frente onde quer que esteja agora. Talvez exista um céu para animais e ele esteja devorando até as nuvens. – Lauren sorriu mais largo dessa vez e olhou para Camila que sorriu junto. Ela novamente puxou a menor para seus braços. – Você está congelando. É melhor irmos embora.

- Eu não queria voltar para o hotel. – Camila quase choramingou e Lauren gargalhou. 

- Pra onde você quer ir? O seu pai vai surtar se não estiver no hotel quando você voltar. – Lauren disse enquanto levantava e ajudava Camila a levantar também.

- Eu posso dormir no seu apartamento de novo? Eu juro que não faço nada. Apenas durmo. – Ela ergueu os dedos indicadores fazendo um x até os lábios e os beijou.

- É meio difícil apenas dormir quando você tem que tirar toda essa roupa e deitar na minha cama. – Lauren piscou e a puxou de volta para a saída do jardim. 

- Lauren! – Camila disse rindo e a maior gargalhou alto. 

Elas voltaram para o carro e antes que Lauren voltasse a ligar o motor e partir com o carro, Camila a puxou pela gola do casaco preto que ela vestia e a beijou, calmamente e suavemente, como os antigos beijos durante sessões de filmes que costumavam fazer na sala da casa da menor quando eram mais novas. O beijo não era desesperado, não era quente, não era devorador. Elas apenas queriam apreciar o toque de seus lábios e guardar a sensação de liberdade que sentiam quando se beijavam. 

Os lábios de Lauren pareciam se encaixar perfeitamente nos lábios macios de Camila, que parecia esquecer de tudo quando estava nos braços da maior. Ela não sabia se seria capaz de fazer tudo o que estava planejando fazer se não fosse por Lauren e saber agora que a morena estaria ao seu lado, era como um salto para o que ela chamava recomeçar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...