História The Green Eyes - Capítulo 71


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally, Brooke, Cabello, Camila, Camren, Dinah, Fifthharmony, Jane, Jauregui, Kordei, Lauren, Normani, Norminah
Exibições 201
Palavras 2.997
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 71 - Seventy One


- Bom dia, Sra. Cabello Jauregui. - Lauren sussurrou e beijou rapidamente os lábios de Camila, que sorriu no mesmo instante ao ouvir sua voz.

- Bom dia, Sra. Jauregui. - Camila respondeu e Lauren sorriu lhe dando outro beijo, dessa vez mais demorado. 

- O que teremos para o café da manhã? - Lauren perguntou se sentando na cama. 

- Eu pensei que você fosse me trazer café na cama. - Camila riu e Lauren deitou novamente ao seu lado, encarando seu perfil.

- Que tal se... Você for minha primeira coisa hoje? - Ela sussurrou novamente, desta vez com os lábios batendo contra a orelha de Camila, que sorriu mais largo e envolveu seus braços ao redor do pescoço da maior que vinha trilhando beijos de sua orelha até os lábios. 

- Vamos acordar todos os dias pelo resto das nossas vidas assim... juntas. - Camila disse em sussurro. 

- A não ser que tenhamos que viajar a trabalho, então...

- Cala a boca, Lauren, apenas faça o que você acordou para fazer. - Camila permaneceu com o sorriso e os olhos fechados, Lauren trilhando beijos agora pelo seu pescoço e colo nus.

- Como eu fiz ontem a noite? - Ela perguntou e Camila abriu os olhos para encontrar os seus.

- Exatamente como ontem a noite. - Seus lábios voltaram a se encontrar, dessa vez em um beijo mais quente. 

Era a primeira manhã após o casamento, a noite havia sido longa. Elas não faziam ideia de que horas eram, então permaneceram na cama por mais algum tempo até decidirem que a fome por comida era realmente maior e que ela deviam ir comer algo. 

Elas se encontraram no banheiro, no quarto novamente, trocaram de roupa juntas e caminharam para a cozinha abraçadas. Elas não planejaram viagem de lua de mel, queriam inaugurar a casa nova antes de tudo. Tempo para viagens era o que não falta para elas agora.

- Você poderia me fazer panquecas, certo? - Camila sorriu com a língua entre os dentes e a cabeça e mãos apoiadas no balcão da cozinha. 

- Eu poderia, mas... O que você me daria em troca? - Lauren sorriu arqueando a sobrancelha e Camila jogou a cabeça pra trás com uma gargalhada. - Você está bem?

- Claro que estou. Por que está perguntando isso? - Camila voltou a olhar pra Lauren parecendo confusa, mas a maior deu de ombros e sorriu vindo até ela para deixar um beijo em seus lábios. 

- Eu quero saber como você se sente todos os dias. Se você está bem ou não. Você sabe... Eu quero que esteja bem sempre. - Lauren disse observando o sorriso da menor crescer e seu nariz enrugar com o sorriso.

- Você me faz bem sempre, então... Eu sempre estarei bem com você, Laur. Agora volte e me dê comida. - Camila a empurrou de leve pelo ombro e Lauren gargalhou.

- Sua idiota. - Ela caminhou rindo até o outro balcão para terminar de preparar a massa das panquecas que ela faria. 

- Eu também te amo, amor! - Camila levantou as sobrancelhas duas vezes e Lauren negou com a cabeça rindo para ela. 

...

- Camila, você poderia ter deixado essas flores sobre a outra mesa e dentro de outros vasos. - Lauren falou tirando o vaso de cima da mesa e o levando para o outro cômodo. 

- As flores são minhas, eu posso as colocar no vaso que eu quiser e na mesa que eu achar melhor. - Camila deu de ombros e Lauren olhou para ela sorrindo. Camila riu de volta.

- Como se sente? - Perguntou e ela franziu o nariz quando Lauren se aproximou e lhe deu um beijo na testa.

- Eu estou bem, mas ainda dói um pouco. - Respondeu e Lauren serrou os olhos enquanto deixava um sorriso no canto dos lábios. 

- Eu disse para ter cuidado com a piscina. Você parece uma criança quando vai pular. Precisa prestar mais atenção. Deixe eu ver como está esse corte. - Lauren se abaixou na altura das pernas da menor e tirou o curativo do corte para troca-lo. 

- Você seria uma boa mãe se tivesse filhos. - Camila soltou no ar e Lauren a encarou nos olhos. Ela com uma sobrancelha arqueada e tentando conter um sorriso. 

- Nós já conversamos sobre isso, Camz. Eu quero muito começar uma família com você, mas temos muitos projetos pela frente. Você não pode dar um tempo na carreira agora e eu também não posso parar com os quadros para cuidar de um bebê. - Lauren estava focada em terminar o novo curativo na perna da menor. Camila respirou fundo e pareceu pensar sobre algo.

- Tudo bem. Então daqui a quanto tempo? Eu quero fazer festas de aniversário para os nossos filhos. - Camila fez careta quando Lauren apertou sobre o corte e levantou depois de ter terminado seu trabalho. 

- Nós já conversamos, Camila. O tempo que for necessário. Temos muito trabalho e... Eu estou atrasada para a apresentação dos novos quadros. Você vai ficar aqui sozinha? - Lauren perguntou e Camila deu novamente de ombros. - Camila.

- Tanto faz. Se nós tivéssemos filhos... - Ela disse e Lauren colocou sua mão sobre a boca dela.

- Nós vamos ter... um dia. Tenha calma. Você quer que eu te deixe no Matheus ou em algum lugar pra não ficar aqui sozinha? - Lauren voltou a perguntar e Camila revirou os olhos. - Ótimo. Eu vou te deixar no Math. Vem, vou te ajudar a trocar de roupa. Você não pode sair por aí vestida com apenas uma blusa minha. 

Elas estavam casadas há 6 meses e Camila queria que elas pudessem finalmente começar uma família como sempre haviam planejado, mas Lauren dizer toda vez que elas deveriam esperar por terem muitos projetos pela frente, fazia com que a menor se sentisse desanimada e pensasse que Lauren estava insegura sobre a relação delas. 

...

- Onde estamos? Isso é uma escola? - Lauren perguntou.

- Desculpe, Lauren. Minha mulher não pôde vir buscar minha filha na escola e eu preciso passar para pega-la. Ela ficará quieta durante sua apresentação. É uma menina muito educada. Tem algum problema? - O homem perguntou e Lauren respirou fundo com um sorriso leve nos lábios. Ela balançou a cabeça negando. - Ótimo! Obrigada. Ali vem ela. 

Uma garotinha de mais ou menos 6 anos saiu pela entrada da escola de mãos dadas com um dos professores e pareceu procurar por alguém para busca-la. Assim que avistou o carro do pai, a garota apontou para ele e mostrou para o professor, que recebeu um aceno do pai da garota. Ele colocou a mochila nas costas dela e se despediu, deixando a garota correr em direção ao carro do pai. 

- Olá, querida! Como foi a aula? - Ele perguntou animado enquanto a filha entrava no carro e se sentava no banco traseiro. 

- Oi, papai! Foi bom. - Ela disse também animada e Lauren sorriu para ela, que pareceu ficar tímida com a presença de outra pessoa no carro do pai. 

- Essa é a Lauren, querida. Ele é uma grande pintora. Lembra que a mamãe disse que adora os quadros dela? - Ele perguntou a filha. Ela apenas acenou que sim. - Ela fica um pouco tímida com a presença de pessoas novas. 

- Tudo bem. - Lauren disse com um sorriso maior agora. - Como você se chama? 

- Clara. - A garota respondeu tentando encarar os olhos marcantes da mulher na sua frente. 

- Hmm, Clara é um nome muito bonito. Você não acha? E também é o nome da minha mãe. Olha que legal. - Ela disse e a garota sorriu olhando para o pai, que também sorria. - Você gosta de pintar? 

- Ahaam. - Clara pareceu mais animada agora e seus olhinhos brilharam com a pergunta de Lauren. 

- Ela passa muito tempo no estúdio pintando com a mãe. Já disse que minha mulher é muito fã do seu trabalho? - O homem riu e Lauren revirou os olhos brincando. 

- Okay. Vamos ligar para a mamãe e quem sabe ela nós acompanha também na minha apresentação para os novos quadros. O que acha, Clarinha? - Lauren perguntou e a garota sorriu finalmente olhando nos olhos dela. - Certo. Vamos fazer isso. 

Eles chegaram no espaço para a apresentação da morena e a pequena não conseguia tirar seus olhos dela. Lauren a acompanhou atrás do pai até que ele as levasse para a sala de apresentação onde os novos quadros estavam expostos. 

- Então, Clarinha. O que acha? - Lauren perguntou a pequena que não sabia ainda exatamente para onde olhar. 

- São lindos. - Ela disse vagando os olhos rapidamente por todas as telas. 

- Eu coloquei mais quadros do que me pediram. Eu tinha uns guardados, então resolvi os colocar de volta no jogo. Camila me ajudou a escolher a maioria. Mas ainda ficarei com o numero de quadros que me foram pedidos. - Lauren disse para o pai da garota.

- Tenho que concordar com minha filha e dizer, são realmente lindos. E fico feliz por Camila gostar tanto de arte quanto você. Formam um belo casal. - Ele disse de volta e Lauren sorriu como agradecimento. - Temos que esperar os outros chegarem para finalmente começarmos a apresentação, mas Lauren, eu vou logo lhe dizer, não tem como você sair daqui hoje com um não. Eles estão tentando te trazer aqui faz meses e agora que finalmente nos trouxe algo, eles vão quase implorar para por esses quadros na exposição. 

- Nossa, assim me sinto até importante. - Ela brincou e ele riu. 

- Como se não fosse. - Ele piscou para ela e Lauren gargalhou. - Quem sabe eu não levo um presente para minha mulher hoje. Se descartarem um dos quadros, eu estou disposto a comprar se você aceitar vender antes da exposição. 

- Okay. Os que descartarem da exposição, você escolhe o que achar melhor e leva pra casa. Acho que o apoio da sua mulher vem ajudando muito nesse trabalho. - Ela disse enquanto observava a pequena percorrer em frete aos quadros e parar para os observar melhor. Ela pensou que a garota era extremamente fantástica por ser tão nova e já gostar tanto de arte. 

No fim da apresentação, Lauren agradeceu a todos e ligou para Camila para avisar que passaria para busca-la em alguns minutos. O pai da garota levou Lauren de volta para a cidade e ela voltou a pegar seu carro para dirigir. Clara deu um abraço em Lauren antes que ela fosse embora e ela não pôde parar de pensar no quanto realmente queria uma família com Camila. 

...

- Para onde estamos indo, Lauren? Já passamos da nossa rua. - Camila disse observando o caminho que a esposa seguia. Lauren com um sorriso nos lábios.

- Eu estive pensando sobre o que me disse mais cedo. - Ela começou a dizer. Camila agora a olhando enquanto esperava que ela prosseguisse. - Sobre termos nossa própria família. 

- Eu sei e eu posso esperar mais um tempo. Não tem problema algum. Talvez eu esteja sendo dura em a forçar a algo que não esteja prepara. - Camila estava tentando dizer algo, mas a de olhos verdes riu e negou com a cabeça. - O que isso significa? 

- Isso é um lar para crianças. - Lauren respondeu como se fosse obvio, já que ela havia estacionado o carro e se podia ler o nome do lugar em uma enorme placa. 

- Você só pode estar brincando. - Camila disse séria e Lauren gargalhou deixando o carro.

- Você vem ou o que? - Ela perguntou esperando Camila do outro lado.

A menor deixou o carro e correu para acompanhar os passos da mulher. Lauren entrelaçou seus dedos e caminhou de mãos dadas para dentro da instituição. Elas foram recebidas por uma das funcionarias do lugar, onde Lauren informou que havia ligado há poucos minutos e a mulher as guiou pelo lugar. Crianças corriam por todos os lados e riam enquanto brincavam umas com as outras.

A funcionaria explicou que muitas das crianças estavam lá desde que eram bebês, então o numero de crianças mais velhas era mais alto do que o numero dos bebês. Os casais sempre preferiam os mais novos. Ambas deram de ombros e continuaram seguindo a mulher.

Elas tiveram de responder um ficha sobre suas vidas e aguardar outra pessoa para entrevista-las. Felizmente, elas pareciam ter o perfil do que a instituição buscava, Lauren ficou confusa em pensar que talvez elas não pudessem ser aceitas e adotar uma criança, mas quando o homem informou com um sorriso que elas apenas teriam que esperar por alguns documentos, ambas deixaram sorrisos crescerem em seus rostos também. 

- Você está certa disso? Não podemos voltar e devolver a criança depois que ela entrar em algum problema depois, Lauren. Tem certeza? - Camila perguntou observando o rosto da mais alta e Lauren revirou os olhos rindo quando elas entraram na sala de recreação, onde muitas crianças se encontravam rindo, brincando, assistindo ou apenas sentadas no canto parecendo tristes. - Todas elas mereciam ter um lar de verdade.

- Eu sei, certo?! - Lauren concordou com um olhar triste, sabendo que talvez, muitas das crianças ali fossem crescer aqui e nunca teriam um lar para passar sua infância com uma família. 

- Soube que são das artes. - Uma funcionaria disse ao lado das duas. Lauren sorriu.

- Sim. Camila é cantora e eu tenho minha exposição de arte por aí. - Ela riu abraçando a esposa de lado.

- Eu sei. Sou fã das duas. Tinha lido uma matéria sobre vocês uma vez no jornal e vi a entrevista que a Camila deu quando finalmente se assumiram, como se ninguém soubesse realmente antes. - A funcionaria disse rindo. - Eu sou voluntaria aqui. Estou pensando sobre o que fazer depois da escola, então... acho que gastar meu tempo livre ajudando aqui é bem melhor do que cair em festas e acabar com todos os meus planos. 

- Fico feliz que pense assim. - Lauren disse e continuou a conversar com a funcionaria, não percebendo enquanto Camila se afastava um pouco.

A menos estava focada em uma das garotinhas desenhando em uma das mesas no fundo da sala. Ela se aproximou e sentou em um dos bancos livres da mesa. A menina seguiu centrada em seu desenho.

- Está ficando muito bonito. - Camila sussurrou para a garota loira que levantou seu olhar para encarar Camila, que sorriu largo.

- Obrigada! - A garotinha respondeu com um sorriso suave nos lábios. - É um castelo.

- Sim. Eu estou vendo e você vai colocar uma princesa? - Ela perguntou e a menina olhou para Camila com os olhos estreitados enquanto parecia pensar sobre sua pergunta.

- Talvez uma princesa e um dragão. - A garota respondeu dando de ombros e voltando ao seu desenho.

- Oi! - Lauren se juntou a elas segundos depois. - Hey, isso é muito bom.

- Obrigada! - A menina disse novamente, agora parecendo mais animada. - Eu conheço você.

- Você me conhece? - Lauren perguntou confusa.

- Sim. Você é a mulher do jornal. Você pinta muito bonito. - A menina falou, fazendo Lauren erguer as sobrancelhas na direção da esposa, que riu.

- Você acha? - Ela perguntou novamente.

- Sim. Quando eu for grande como você, eu vou pintar bonito assim também. Por isso eu desenho todos os dias, mas eu não posso usar o quadro ainda. - A loirinha disse parecendo triste.

- Por que não? - Camila perguntou colocando as duas mãos sobre a mesa para chamar a atenção da menor.

- Eles dizem que só os grandes podem pintar com tinta. Os pequenos... - Ela apontou para si mesma. - Eles fazem muita bagunça. Eles não gostam quando os pequenos fazem bagunça com as tintas. 

Camila e Lauren se olharam. A maior respirou fundo e voltou sua atenção para a garota na frente delas. 

- Talvez, se você tivesse uma casa e sua família... eles te deixassem pintar com tintas. O que você acha? - Ela perguntou e o rosto da menina se iluminou com um sorriso largo.

- Mesmo? 

- Claro que sim. - Lauren sorriu enquanto a menina parecia mais animada. - Você está aqui faz muito tempo? 

- Eu não lembro, mas acho que sim. - A menina deu de ombros voltando ao seu desenho. As mais velhas mantiveram um olhar entre si durante um tempo, até voltar sua atenção a mais nova.

- Ela está desenhando um castelo e vai colocar uma princesa e um dragão. - Camila disse para Lauren. A garotinha afirmou com a cabeça e sorriu com a lingua entre os dentes. Lauren gargalhou por lembrar de Camila.

- Sim. Isso ficará lindo. Por que não colocamos ele na parede depois que você terminar? - Ela perguntou animada e a menina negou. - Não?

- Eles não deixam que colem coisas na parede. Pode sujar. - Ela respondeu ainda focada em seu desenho.

- Bem, você pode colar na parede da sua futura casa, certo? - Camila perguntou. Lauren afirmando com a cabeça. A menor sorriu olhando pra elas e afirmou também.

- Camz, vem cá. - Lauren disse batendo sobre o ombro de Camila e levantando. - Nós voltamos daqui a pouco, certo? Eu quero ver como o seu desenho vai ficar. Desenhe uma princesa bem bonita.

A menininha afirmou rapidamente com a cabeça enquanto sorria. Lauren e Camila se afastaram e pararam segundos depois do lado de fora da sala.

- É ela! - Elas disseram juntas sorrindo. 

- Eu a amei! - Lauren sorriu e Camila franziu o nariz com um sorriso.

- Eu também. Você viu como ela sorriu igual a mim? - Camila sorriu com a língua entre os dentes para que Lauren soubesse sobre o que ela dizia. 

- Oh meu Deus!!! Sim!! - A maior beijou a bochecha de Camila e a guiou até a sala do diretor da instituição. Elas sabiam exatamente quem deveria se unir a família Cabello Jauregui. 





Notas Finais


Euu sou apaixonada pelo final dessa história. Vocês não sabem o quanto. Esses últimos capítulos são os meus favoritos. Espero que gostem tanto quanto eu.
Se cuidem!!
Amo vocês!
2bjos
Emma


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...