História The Guardian - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Romance, Sexo
Visualizações 1.121
Palavras 3.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Verdades , Ciúmes , Vai se foder!


08:30 AM – Residência Bieber

— Hora de acordar. – O relógio gritou no criado mudo , ao lado de minha cama e no mesmo instante Justin falou entrando sem se quer minha permissão no quarto –

— Meu corpo dói. – Reclamei sem conseguir enxergar pela claridade da luz solar entrando pela janela – Quem me cobriu ontem a noite ?

— Eu ,  você pegou no sono de qualquer maneira. – Assim que recuperei a visão olhei por debaixo da coberta fofinha –

—Não me diz que você tirou minha calça – Falei sentindo minha bochecha corar-

— Você que pediu. – Disse com total descaso -

Pela primeira vez na manhã levantei meus olhos para olha-lo , a visão me deixou ainda mais corada do que antes já estava , Justin estava apenas com uma calça preta de Moletom visivelmente confortável , os cabelos bagunçados como quem havia acabado de acordar e seu peitoral , ah seu peitoral completamente nú.  Meus olhos se recusaram a parar de olhar todo aquele peitoral definido , com as tatuagens que agora eu via por completo em seus braços , mordi o lábio sem conseguir me conter, pelo menos até ele cruzar os braços na frente de seu peito, corei violentamente quando elevei os olhos até seu rosto , ele me encarava incrédulo , mais sempre com aquele sorriso debochado nos lábios, que começava a me irritar.

— Ér... – Desviei os olhos dos seus imediatamente –

— Tome banho , e desça , vou preparar o café.

Talvez aquele tenha sido um dos momentos mais vergonhosos da minha vida  , talvez o mais vergonhoso de todos , eu já havia passado vergonha na escola , várias vezes mais esse sem duvida me deixou constrangida.

Desci já vestida , short , chinelo e uma blusa típica roupa de ficar atoa , mas o pior foi chegar novamente na cozinha e Justin estar com a mesma roupa de antes , ou melhor , ele estar sem roupa. Me sentei e encarei a madeira da mesa redonda com medo de observa-lo e ser pega de novo. Justin se sentou ao meu lado , a mesa já estava posta , biscoitos recheados , leite e pó achocolatado , café , torradas e omeletes.

— Está envergonhada ? – Ele perguntou , praticamente afirmando , o olhei de canto voltando os olhos para o copo a minha frente – Não precisa , é normal.

— Normal ? Sentir vergonha ? – Perguntei focando em seu rosto sério -

— Também. Mas eu estava falando do que aconteceu anteriormente. Anjo , você esta passando por mudanças físicas e sexuais. – Ele falou calmamente–

— Sexuais ? – Perguntei curiosa –

— Nunca conversou com seu pai sobre isso ?

— Eu ... não.

— Angel , todos nós passamos por mudanças durante uma certa fase , principalmente na adolescência. As coisas ficam mais curiosas , os meninos começam a chamar mais atenção , você começa a ter curiosidade sobre como é beijar pela primeira vez.

— Beijo... beijo na boca ? – Aquilo estava sendo realmente vergonhoso , mais eu engoli seco , Justin parecia disposto a me explicar algumas coisas mas eu estava quase cavando um buraco no chão –

— Sim , e isso é muito normal , seu corpo passa por mudanças , daqui a pouco você vai começar a sentir coisas diferentes , digamos um “formigamento” diferente.

— Formigamento ?  Uma vez vi no computador algo sobre isso , a menina chamava de “Vontade de dar” – Justin gargalhou deixando todo o som rouco ecoar pela cozinha e eu não pude deixar de acompanhar sua gargalhada mesmo sem jeito –

— Angel , você entende oque com vontade de dar ?

— Eu sou burra mais não tanto Justin – falei brava e ele ergueu os braços como se se desculpasse -  Eu sei como as crianças são feitas e não é pela cegonha. – Ele sorriu – Eu só não sabia que essas mudanças ocorriam tão cedo. – Dei de ombro voltando a encarar meu copo de achocolatado –

— É normal , por isso muitas meninas já arrumam namorado tão cedo , oque não é nada necessário e você nem deve. – Seu rosto ficou sério e eu sorri-

— Quem iria namorar comigo ? Eu tenho 14 anos e os meninos que conheço se quer se importam comigo.

— Sempre tem quem queira. – Ele me observou por longos minutos mesmo depois que eu abaixei a cabeça , querendo desviar meus olhos dos seus –

Assim que acabamos , Justin se levantou da cadeira eu rapidamente olhei para o chão querendo mentalmente ter o autocontrole de não encarar seu abdômen novamente eu ainda continuei sentada lá quieta mas ele logo saiu , indo provavelmente para seu quarto já que subiu as escadas. A porta da sala abriu bruscamente e eu pulei na cadeira , não era Justin , uma moça baixinha apenas um pouco mais baixa que eu , mas com uma aparência jovem entrou segurando quatro sacolas de supermercado nas mãos, parecia irritada.

— JUSTIN DREW BIEBER – Ela gritou e eu arregalei os olhos –

— Mãe ? – Ele desceu as escadas correndo , assustado –

— Como pode não me falar que Angel chegaria hoje , essa casa sem comida , toda empoeirada.

— Bom dia. – Ele beijou sua testa –

Eu simplesmente quase enfiei minha cabeça em um buraco , justin continuava sem camisa , com o cabelo jogado e bagunçado , aquilo era torturante. Observei a moça minúscula ao lado de Justin , ela era elegante e sua postura era recatada , passei a mão nos cabelos arrumando-os e vi Justin se aproximar com a moça.

— Angel , essa é minha mãe , Pattie.

— Prazer , como você é linda – A moça falou enquanto me observava , seus olhos eram azuis incríveis –

— Prazer... – Senti minhas bochechas coradas –

— Não se assuste, minha mãe é um pouco estourada as vezes. – Justin murmurou sério -

— Estourada ? Você nunca vai nos visitar Justin , e quando eu peço para me avisar quando fosse receber Angel , você não avisa.

— Eu estava de cabeça cheia mãe.

— Vou fazer um jantar hoje para a família , seus avós estarão lá , seu pai e seus irmãos também e eles querem muito conhecer Angel , espero vocês as 20:00 PM. Tchau Angel.

— Tchau – Sorri vendo-a ir embora e Justin negou com a cabeça assim que ela bateu a porta –

 

Me deitei no sofá da sala e por lá passei algumas longas horas , assistindo desenho , depois filme e então série para que o tempo passasse mais rápido , a única coisa que eu fazia do meu dia era ir ao colégio, geralmente a tarde eu estudava mas hoje , hoje era o primeiro dia em que eu estava digamos , atoa.

— Oi – Justin se sentou ao meu lado agora devidamente vestido –

— Oi

O silencio dominou o ambiente durante um longo tempo até eu decidir perguntar algo que já estava me incomodando desde o amanhecer , eu estava aqui , ele iria me proteger , eu sabia que tinham pessoas atrás de mim , mas porque ninguém nunca me contou a história por completo.

— Justin – sua atenção se voltou para mim – quem quer me pegar , do que preciso ser protegida ?

— É algo complicado , você é uma pessoa especial.

— Eu sei que sou , apesar de nunca poder usar meu lado “Especial” , meu pai dizia que as pessoas no mundo não lidam bem com outras pessoas diferentes.

— Querendo ou não essa é a verdade meu anjo , os seres humanos são idiotas o suficiente para achar que todos temos que seguir um mesmo padrão , algo diferente incomoda.

— Mas porque eu preciso de proteção ?

— Turner nunca lhe contou essa história ?

— Nunca , todas as minhas perguntas foram respondidas com “Na hora certa tudo será revelado”.

— Então acredito que a hora certa chegou.

— Pode começar.

— Seu pai trabalhava na CIA , ele era como um coordenador geral , ele conhecia tudo e todos , era alguém amado lá dentro. Tudo começou quando três cientistas lhe fizeram uma proposta , eles estavam trabalhando em um “gene mutante” , queriam saber se era possível que eles pudessem modificar o DNA de uma pessoa , fazendo assim ela ser especial , qualquer tipo de especialidade, e uma grande coincidência foi que sua mãe descobriu da sua gravidez dias após eles terminarem o “gene mutante” como chamavam na época , então pensaram , oque melhor para começar testando isso do que um bebê em formação e mesmo contrariado seu pai aceitou essa proposta...

— Oque levou eles a criar esse gene mutante ?

— O intuito desde sempre foi ajudar o exercito americano caso um dia houvesse necessidade. Mas continuando , o gene mutante deles deu realmente certo só teve um problema , todas as anotações de formulas e como foi formado esse gene desapareceu , o único modo seria esperar você desenvolver e estudar você para redescobrir a tal fórmula , mas antes disso descobriram que eles estavam aliados a países suicidas e com isso eles foram presos mas um pequeno descuido e eles escaparam e prometeram que voltariam para buscar oque é deles por direito.

— No caso , eu. Como meu pai pode deixar me usarem dessa maneira , eu poderia ter nascido com alguma deficiência , eu se quer poderia estar viva hoje. – Praticamente gritei contrariada -

— A pouco tempo começamos a receber cartas , indicações de que o momento estava perto e então chegou.

— Mas nós conseguimos contra eles ?

— Você consegue , nós apenas estaremos de apoio Anjo. Era exatamente isso que queria conversar com você.
Oque ?

—  Você precisara passar por treinamentos , treinar seus poderes , treinar artes marciais , você precisa aprender a controlar a si mesma.

Deixei que minha mente assimilasse tudo aquilo , ao mesmo tempo que eu sentia raiva de meu pai eu sentia medo do que estava por vir , mas vendo Justin despreocupado a minha frente eu senti um pouco de confiança , era como se ele me transmitisse calma.

— Justin – Ele me olhou novamente , desviando os olhos da televisão – Existem mais de mim , como eu ?

— Eu sinceramente , não sei.

Após a conversa Justin levantou educadamente dizendo que precisava voltar ao trabalho e eu continuei ali , deitada. Quando o relógio marcou quase sete e meia Justin mandou eu ir me arrumar para irmos a casa de sua mãe , sua desanimação era visível , só não entendi o porque.

 Assim que sai do banho coloquei um vestido clarinho , visivelmente curto , um tênis  claro de cano longo e um casaquinho para tampar o vento frio em meus braços, os cabelos quase não foram tocados , joguei-os de qualquer maneira quando passei o pente e logo depois desci correndo era tudo que eu precisava para estar pronta. Justin já estava lá embaixo , seu visual me deixou um pouco retraída , Justin era o tipo de homem que qualquer mulher cairia aos pés , sua aparência jovem mais seu ar de sério e elegante deixava qualquer uma encantada , ele bebericou o whisky de seu copo enquanto me observava chegar mais perto e eu sorri sem graça.

— Seu vestido esta curto – Falei observando minhas pernas descaradamente –

— Foi o mais simples que eu achei.

— Vamos ? – Assenti –

Quando Justin se levantou , pegou a chave do carro e andou em minha frente eu fui logo atrás , reparando em sua magnifica roupa , a calça incrivelmente colada mais caída ao chegar em sua bunda deixando aparecer sua cueca branca da Calvin Klein , o tênis vans preto nos pés e uma blusa de frio preta colada ao corpo , o cabelo penteado para o lado dando o ar de sério e sexy que ele sempre deixava escapar , eu  me sentei no banco ao seu lado no carro.

— Porque quase nunca vai na casa de sua mãe ? – Perguntei curiosa –

— Sou uma pessoa ocupada , não tenho tempo para isso. – Sua grosseria foi evidente mas ignorei -

— Ficamos o dia em casa hoje. – Comentei -

— Isso nunca aconteceu comigo Angel , fins de semanas geralmente viajo a trabalho, meio de samana trabalho na CIA.

— Vai me dizer que fim de semana trabalha de gogo boy  ? – Eu gargalhei e ele deu de ombros –

— Já me fizeram uma proposta disto também , tentei por uns dias , mais cansou demais a minha beleza – Ele falou e passou a mão no cabelo perfeitamente penteado e eu gargalhei da sua “piada” mesmo vendo-o sério –

— Espero que isso seja apenas brincadeira.

— Não espere que muita coisa de mim seja brincadeira, mas um dia posso te mostrar oque aprendi.

Encarei minhas próprias coxas com seu flerte , mordi o lábio sentindo minha bochecha corar e a partir dai nos calamos até chegar a uma casa de dois andares pequena , aparentemente confortável e alegre , o jardim em frente tratado de forma incrível com guinomos de estatua e eu sorri olhando aquilo assim que sai do carro , Justin apoiou a mão em minhas costas enquanto andamos em direção a porta e eu senti um leve arrepio percorrer minha espinha com seu toque mas continuei caminhando , seus dedos escorregaram percorrendo o caminho até minha cintura senti um rastro de arrepio até ele finalmente apertar minha pequena cintura com os dedos.

Ele tocou a campainha e assim que um homem alto , bem alto , o sorriso bonito como o de Justin e aparência nova abriu a porta Justin o cumprimentou alegremente , fez toque com ele , abraçando-o logo em seguida , fiquei ali parada sorrindo com a cena.

— Pai essa é a angel.  – Justin me apresentou , me empurrando para frente pelas costas-

—Prazer , sou Jeremy – Ele me deu um beijo na bochecha e eu sorri envergonhada –

— Cade todo mundo ?

— Estão todos na sala de jantar só faltava vocês.

O Seguimos até a sala de jantar e as pessoas ali conversavam alegremente , pude ver um homem já de idade careca e barrigudo conversar com um homem de aparentemente 40 anos  mais com a aparência bem tratada e bonita , Pattie conversava com uma senhora de cabelo curto e óculos , duas crianças corriam de um lado para o outro e não pude deixar de perceber já sentados na mesa , dois meninos de aparentemente 20 anos e uma menina de provavelmente seus 21 anos conversarem sorridentes, porém , assim que entramos eu quase cavei minha própria cova toda a atenção se voltou para nós , todos cumprimentaram justin que ia me levando atrás de si e descobri que o homem que conversava com o senhor que por acaso era avô de Justin , era o namorado de Pattie , e a moça que conversava com Pattie era Avó de Justin e os pequenos correndo , eram as crianças mais lindinhas que eu já havia visto, irmãos de Justin.

— Oi – A menininha de aparentemente 6 ou 7 anos parou me observando –

— Olá , você é Jazmyn certo ? Linda você – Falei me sentando na cadeira e ela se sentou rapidamente em meu colo –

— Você que é linda , eu tava perguntando pra todo mundo , mais todo mundo fala que é bobeira , você é namorada do Justin ?

— Não meu amor , eu moro na casa dele mais nós não namoramos.

— Eu nunca conheci nenhuma namorada do Justin – Ela suspirou decepcionada –

— É porque talvez ele nunca namorou , mais um dia quando ele achar uma moça muito legal ele vai trazer para você conhecer. – Ela sorriu e se calou ainda em meu colo –

Pude observar Justin conversar com todos , ainda com sua postura séria e sexy , mais logo a moça de mais ou menos 21 anos se aproximou dele ele a abraçou rapidamente , ela sorriu toda boba para ele que manteve um sorriso torto nos lábios olhando-a , ela tocou seu peito e ombro enquanto conversavam e eu no mesmo momento me senti completamente sufocada naquele local era como se o espaço tivesse ficado menor.

— O nome dela é Kaity , ela sempre gostou de Justin , ela é sobrinha do namorado da tia Pattie.

— Hum... – Murmurei tentando desviar meus olhos de Justin –

Foi impossível , o jantar demorou séculos para ser servido e Justin ficou conversando a todo instante com Kaity , hora o outra olhava para mim e sorria , mais eu apenas mudava a direção dos meus olhos sem retribuir o sorriso , oque aconteceu por mais ou menos 3 vezes enquanto  estávamos esperando.

— Eu também não gosto dela, quando ela e Justin ficavam se beijando , ela não deixava nem eu falar com ele. – Jazmyn comentou levantando de meu colo – Eu vou ir ali atrás com jaxon, quer vir ?

— Hum , claro. – Eu me levantei sendo arrastada pelo dedo por Jazmyn e logo saímos despercebidas da cozinha –

 Alguém se quer tinha notado nossa saída da sala de jantar , tudo bem não vou mentir , Justin se quer notou que eu havia me levantado e saído sorrateiramente pela porta dos fundos. Me sentei na cadeira de balanço de frente para o enorme gramado perfeitamente cortado como o da frente , com balanço e uma enorme arvore , um pouco afastado uma piscina , não tão grande mais o suficiente para passar um fim de semana caloroso. Observei Jaxon e Jazmyn correrem em direção ao balanço animados e sorri , talvez essa tenha sido a melhor época da minha vida , correr ao ar livre sem ter preocupações com nada além de ir para a escola no dia seguinte e rabiscar folhas com um lápis de colorir e escutar as pessoas falando que esta lindo quando na verdade , esta uma merda.

 Senti o vento gélido bater em meu rosto e meu corpo inteiro se arrepiou o céu havia mudado desde o amanhecer , estava frio e nublado mesmo estando a noite já se percebia o vento que indicava que a chuva estava próxima. Desliguei-me de pensamentos quando a voz de Jazmyn gostosa entrou em meus ouvidos me chamando animadamente para empurrar ela e Jaxon no balanço e então me levantei pisando no gramado até o balanço. Empurrei Jazmyn revezando entre ela e Jaxon.

— Ai meu deus , acho que esta muito alto – Jazmyn falou olhando para o chão quando o balanço subiu–

— Eu falei que não era para ir tão alto Jazmyn , teimosa.

— Eu vou cair. – Ela choramingou e eu parei o balanço de Jaxon –

— Calma , não se solta. – Falei tentando mante-la calma –

— Eu nã.... AAAAH

O grito fino de Jazmyn e seu corpo pequeno voando em direção ao gramado me amedrontou , em questão de segundos ela não foi direto ao chão , parou no ar flutuando , apenas controlei minha mente para leva-la ao chão novamente dessa vez de pé , ela observava admirada.

— Como você fez isso ? – Ela perguntou curiosa –

— É magica sua burra – Jaxon se pronunciou pela primeira vez e então ela mostrou a língua para ele –

— Para dentro crianças. – A voz rouca atrás de mim me fez virar rapidamente enquanto as crianças correram para dentro da casa –

— Senti sua falta.

—Jura ? – ironizei cruzando os braços vendo-o se aproximar –

— Porque saiu sem avisar ? – Ele colocou os braços para trás do corpo segurando seu próprio pulso em uma postura séria –

— Você estava entretido o suficiente, não quis atrapalhar sua conversa.

— Oque você tem Angel ?

— Vamos entrar , ai você pode perguntar para sua amiga. – Desviei de sua direção na intensão de voltar para dentro junto de todos –

— Ciumes ? – Parei imediatamente quando aquela palavra entrou em meus ouvidos –

— Justin , Vai se Foder!


Notas Finais


Bom espero que estejam gostando , deixem suas criticas para que eu melhore e se não tiverem criticas podem deixar dizendo que gostaram também , nao me importo!

Twitter: https://twitter.com/SOULTROUXA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...