História The Guardian - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Romance, Sexo
Visualizações 945
Palavras 4.965
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Tempestade Quente.


04:00 AM – Quarto da Angel.

Acordei com o vento forte batendo na janela , o barulho da chuva caia , o quarto parecia que iria nevar , podia escutar o barulho de trovões , e os relâmpagos clarearam o céu , puxei mais ainda para cima de mim as três cobertas completamente fofinhas  que me cobriam , deixei apenas os olhos de fora para observar a televisão , única coisa que clareava o quarto naquele momento.

 Senti minhas pernas tremerem e um grito fino soar de minha garganta assim que o estrondo pareceu que iria derrubar a casa por completo , três batidas na porta e eu gritei um entra , sem tirar se quer a cabeça debaixo dos cobertores , com certeza seria Justin. Eu não queria vê-lo , mais sua companhia era a única coisa que me acalmaria nesse momento de medo , ele puxou um pouco a coberta, deixando o ar frio bater em meu rosto me incomodando e pude ver seu sorriso sem graça para mim.

— Está com medo ? – Assenti sem pronunciar se quer uma palavra –

O barulho lá fora me fez enfiar a cabeça no travesseiro , a gargalhada rouca soou e então eu senti quando mais um corpo se aconchegou abaixo de minhas cobertas , tudo pareceu pegar fogo , senti meu rosto corar e se quer tirei meu rosto do travesseiro. Eu e Justin não nos falamos desde o ocorrido no carro, não jantei pois quando desci Justin estava na cozinha ele parecia chateado por aquilo e eu se quer sabia oque sentia , mais podia sentir meu coração se apertar fortemente dentro do peito. Justin deixou um lanche para mim antes de deitar , mais eu não o comi , apenas bebi um copo de agua antes de me deitar , mais tudo que eu fiz foi cochilar poucas horas e então acordar e ficar assistindo desenho , até agora , exatas 4:00AM da madrugada.

— Não precisa ter mais medo – Justin sussurrou e então uma luz foi acessa debaixo da coberta -

—  Porque ? – Perguntei afastando o rosto do travesseiro e então pude ver que havia uma lanterna entre nossos corpos , clareando embaixo das cobertas –

— Porque eu estou aqui e sempre que eu estiver por perto , nada vou deixar que lhe aconteça.

Encarei seus olhos um pouco coberto pela parte escura e sorri envergonhadamente , seus olhos estavam pequenos , porém brilhantes mesmo em um castanho escuro , seu sorriso branco com os lábios molhados e rosados me chamaram atenção , o observei por longos instantes até o enorme sorriso se desfazer em uma linha reta.

— Sobre oque aconteceu mais cedo...  – Justin se pronunciou e eu suspirei-

— Não precisa , sei oque aconteceu e me desculpo por aquilo , eu não deveria te pressionar você tem seu total direito de privacidade.

— Obrigado , mas eu lhe falei muita coisa que não deveria , talvez por estar chateado.

— Desculpe perguntar novamente , mais oque houve ?

— Eu fiquei um pouco ... Quando você estava com aquele jovem.

— Tudo bem não precisa continuar – Ri baixo por seu desconcerto – Estava com ciúmes ?

— Não era ciúmes , só acho que você é muito nova para isso.

— Isso oque ?

— Namorar , gorotos.

— Mas Justin ,eu o conheci hoje mal nos falamos – Eu sorri e ele pareceu desconcertado – Mas Justin , eu estou na idade de conhecer meninos , namorar , gostar de alguém.

— Você não esta na idade disso ainda , é muito nova.

— Mas eu tenho... curiosidade.

O silêncio reinou , senti uma mão em minha cintura e então respirei fundo quando seus dedos pressionaram aquela região , o espaço entre nós pareceu bem mais curto do que antes , o estrondo lá fora me fez chegar cada vez mais perto pelo medo , procurando abrigo mesmo sem tirar os olhos dos seus.

— De que exatamente ? – Seus lábios estavam próximos o suficiente dos meus para que eu sentisse o hálito fresco bater em meu rosto –

— De tudo.

Seu nariz roçou o meu e seus olhos ficaram mais claro quando a luz da lanterna o iluminou , seus lábios estavam a centímetros dos meus e eu suspirei sentindo meu estomago ser inundado por borboletas pela primeira vez na vida , e então seus lábios tomaram os meus , fechei os olhos sentindo seus lábios se entreabrirem e então sua língua se enroscou com a minha calma ,lenta e ágil , segui seus movimentos tentando ser o mais confiante possível , levei meus dedos a sua nuca macia e a apertei levemente senti meu toque ser retribuído por seus dedos adentrando minha blusa mais parando em meu quadril apertou ali , senti um arrepio percorrer minha espinha com o contato de sua mão com minha pele e então ele puxou meu corpo mais para perto do seu , senti seu beijo mais rápido e ágil , não consegui acompanhar e então ele mordeu meu lábio antes de afastar-se de mim, ainda com os lábios próximos dos meus eu senti ele buscar por ar e eu também ,o estrondo lá fora me fez apertar os músculos de seu braço e juntar meu corpo com o seu mais ainda.

— Isso não deveria ter acontecido , não é ? – Perguntei quase em um sussurro inaudível pelo barulho do trovão –

— Não. – Ele negou com a cabeça ,respondendo no mesmo tom que eu –

— Esse não seria o momento em que você levantaria e iria embora ?

— Viu isso em algum filme ?

— Vários.

O silencio foi tudo que se ouviu depois daquilo , ele afastou o rosto do meu , me deixando deitar em seu peito e apagou a lanterna , fechei os olhos suspirando mais uma vez me sentindo ingênua por não saber oque exatamente estava acontecendo. Fechei os olhos , deixando que as estrelas tomassem conta dos meus sonhos e então eu já não estava mais ali.

Abri os olhos sentindo-os querendo fechar novamente então passei os dedos neles , esfregando-os para tentar espantar o sono e abracei o travesseiro abaixo de mim , Justin como já era de se esperar não estava mais ali , olhei ao meu redor , sentindo o frio congelar todo o meu corpo mesmo debaixo dos três cobertores e olhei para a janela , ainda escutando a chuva bater contra ela , agora bem mais fraca por não ter mais trovões e relâmpagos . Me levantei , meu corpo inteiro se arrepiou pelo frio , corri para o closet em busca de alguma roupa que pudesse vestir assim que sai-se de banho. Peguei uma calça Jeans , a blusa do colégio e um casaco de moletom grande do mickey.

Assim que sai do banho já vestida , pulei assustada ao ver Justin sentado em minha cama , com um celular em mãos pouco se importando com seu redor , passei a mão nos cabelos secos , tentando inutilmente arruma-los antes que Justin levanta-se os olhos para mim , mais não deu certo , Justin me olhou , levantando-se.

— O café já esta pronto – Justin sorriu tranquilamente e eu retribui o sorriso –
Apenas vou pegar minha mochila , já desço.

Não conversamos muito , mais tudo estava aparentemente comum entre nós , sem desentendimentos ou como ontem , ele me deixou no colégio prometendo que estaria lá no horário certo e então com apenas um sorriso acelerou o carro sumindo de minhas vistas entre os outros carros e eu apenas suspirei como um adolescente idiota.

— Quem é o bonitão ? – A voz de Mindy soou em meus ouvidos e eu me virei indo em sua direção –

— Justin , então tudo bem ?

— Ele é um tremendo gato , pena que é velho , não iria olhar para uma adolescente como eu – Ela comentou desgostosa e eu ri daquilo –

— Olá gatinhas sentiram saudades ? – Escutamos a voz de Collin e vimos os três patetas pararem ao nosso lado –

— Bom dia – Flynn cumprimentou-nos educadamente –

— Adivinhem quem esta com um carro ? Isso eu mesmo , o papai aqui. – Ri dele balançando as chaves do carro no ar e Mindy bufou –

— Da sua mãe não é ?

— Sim – Ele murchou – Mas não precisa espalhar.

— Bebezão – Ela resmungou , saindo de perto de nós –

— Que pena que vai embora , porque eu estava pensando em irmos dar uma volta hoje – Ela parou imediatamente e ele sorriu , ela voltou se dando por vencida –

— Oque pretende ? Matar aula ? – Flynn perguntou , rindo –

— Sim – Mindy e Collin o olharam sorrindo , como se fosse óbvio –

— Bom gente , preciso entrar , jaja as aulas começam. – Falei na intenção de sair e vi Derek vindo logo atrás –

— Bom dia – Ele sorriu para mim já longe de todos –

— Bom dia , não vai ir com eles ?  - Franzi o cenho e ele negou com a cabeça –

— Nunca faço parte dessas maluquices , sempre da errado no final.

— Imagino.

Já na sala de aula vi Mindy entrar correndo , o professor ainda não havia entrado, ela se sentou em cima da mesa de sua carteira ao meu lado e sorriu animada , eu sabia que viria bomba , só não queria acreditar naquilo.

—  Ta tudo certo , sairemos na hora do intervalo – Ela sussurrou animada –

— Eu não vou Mindy.

— Porque não ? Precisamos de todos.

— Todos que não incluam eu , se algo der errado , justin iria me matar.

— Todos vamos , nem que eu tenha que te levar desmaiada daqui.

Neguei com a cabeça vendo o professor entrar na sala , eu sabia que tudo aquilo seria loucura e mais uma vez passei todas as aulas da manhã em meu mundo paralelo , vendo a chuva forte cair do lado de fora da janela ao meu lado e até pude presenciar um beijo na chuva de um casal e ri boba com aquilo.

— Senhorita Turner – A voz ao meu lado me assustou –

— Sim ? – Olhei para o homem de óculos ao meu lado , era o professor de ciências –

— A senhorita gosta de chuva ? – O olhei confusa mais logo depois sorri –

— Adoro!

— A senhorita gosta de ciências ? – Franzi cenho –

— Odeio! – Escutei algumas risadas dos alunos e dei de ombros sem entender-

— Para a sala do diretor , agora , na detenção a senhorita terá muito tempo para observar a chuva.

Ah que legal , sou expulsa de sala por ser sincera. Peguei minha mochila bufando e sai da sala calmamente escutando bochichos e conversas atrás de mim e a risada de Mindy escandalosa. Duas batidas na porta do diretor e a abri colocando apenas minha cabeça para dentro , não pude deixar de notar o clima tenso , a secretária estava visivelmente com as roupas completamente amassadas e o batom , o batom vermelho estava de seu nariz até o queixo.

— Eita que a coisa tava feia heim. – Comentei descaradamente e logo após coloquei a mão na boca , mas que merda estava acontecendo comigo hoje ? –

— Com licença – A moça saiu rapidamente da sala , pude ver o diretor passar a mão nos lábios limpando-os rapidamente e ajeitou a gravata sério –

— Senhorita Turner , acertei ? – Assenti envergonhada –

— Me desculpe pelo oque falei ainda agora.

— Oque houve ?

— O professor me colocou para fora da sala porque disse que odiava Ciencias.

— Hum... – Ele fez careta mas aparentemente não quis contrariar a ordem do professor – A senhorita terá detenção após as aulas. – Comentou escrevendo em um papel –

— Poxa , eu nunca tive uma detenção diretor , meu histórico é excelente , se quer faltei uma aula.

— Mas infelizmente não posso fazer nada , ordem do seu professor.

— Bonita sua secretária, o batom dela combinou bastante com seu tom de pele senhor diretor. – Sorri e ele arregalou os olhos –

— Irei conversar com seu professor senhorita Turner , esta liberada da detenção.

— Obrigada senhor diretor.

Respirei aliviada assim que pus meus pés para fora dali , o intervalo já havia começado e eu caminhei até o refeitório atrás de Mindy , quatro pessoas correndo em minha direção me fizeram parar , Mindy , Collin , Derek , Flynn , todos corriam desesperados em minha direção.

— Vamos , esta na hora. – Mindy falou animada –

— Eu disse que não...

Collin e  Mindy puxaram meus braços na direção da porta , Derek e Flynn empurraram minhas costas e eu apenas corri junto deles em direção ao inferno , o guarda do portão dormia sentado em sua cadeira e nós passamos despercebidos sem problema algum , mais assim que chegamos na calçada corremos como loucos com medo que alguém nos visse pelas câmeras. Entramos correndo no carro de Collin e não pude deixar de gargalhar daquilo , era a primeira besteira que eu fazia na minha vida inteira e estranhamente me senti feliz por aquilo.

— VOCÊ TEM CERTEZA QUE SABE DIRIGIR ? – Gritou Mindy quando Collin cantou pneu na estrada , ele era completamente péssimo naquilo –

— Nós vamos morrer – Murmurou Flynn ao meu lado –

— CALEM A BOCA , NÃO VAMOS MORRER.

Quando Collin entrou na pista foi a pior parte , orei sozinha pedindo a deus que não nos deixasse morrer agora , ele quase bateu em todos os carros em nossa frente passando de raspão quando desviava.

— Afinal , onde nós vamos ? – Perguntei sem entender porque ele entrava em ruas aleatórias todas as vezes em que desviava de algum carro –

— Para lugar nenhum. – Flynn falou – Vamos apenas andar de carro.

— Justin vai me matar. – Afundei meu corpo no banco do carro sentindo um pequeno desespero se formar em meu corpo –

Para completar a chuva voltou a cair quase meia hora depois que nós íamos em direção a lugar nenhum. Quando tudo ficou mais tranquilo entramos em um rua vazia eu e todos que estavam no carro suspiraram aliviados;

— Vou me lembrar de nunca mais fazer isso na minha vida.

— Ah , qual é , uma vida sem aventura não tem graça. – Mindy falou sorrindo –

— Gente – A voz de collin chamou nossa atenção pela primeira vez – Eu acho que estamos sendo seguidos.

— OQUE ? – Meu coração acelerou desesperado , eu não queria acreditar naquilo –

— Não consigo ver quem esta dentro , é um carro preto , ele esta atrás de nós desde um tempo depois que saímos do colégio.

Flynn , Derek , Mindy e eu nos viramos para trás rapidamente , o carro preto estava na mesma velocidade que a nossa , eu quis realmente chora naquele momento , a rua estava vazia a nossa frente , Collin acelerou aparentemente amedrontado , o carro acelerou mais ainda e parou ao nosso lado , com certeza sabiam que nós já havíamos percebido sua presença;

— Gente , o vidro esta abrindo – Mindy falou com os olhos arregalados –

— PORRA É UMA ARMA. – Foi a ultima coisa que escutamos de Collin –

O estrondo dos tiros fizeram todos nós gritarmos, abaixamos e Collin acelerou o carro desesperadamente , mais parecia que nunca ficávamos afastados dele , ele virou bruscamente o carro em uma rua completamente cheia de carros e saiu cortando tudo e todos , ultrapassando semáforos e radares , os tiros atrás de nós continuaram constantes , alguns ultrapassaram o vidro atrás de nós enquanto estávamos abaixados e os gritos soaram estridentes.

— Justin vai me matar , vai me matar  - repeti desesperada –

Collin dirigia para lugar nenhum desesperado , entrou em uma ponte completamente cheia de carros ele não sabia se olhava para frente ou para o carro atrás de nós que estava quase ao nosso lado .

— OLHA PRA FRENTE – Mindy gritou –

O nosso grito ecoou junto com de Collin quando o carro bateu diretamente na mini van a nossa frente , os homens do carro preto estavam se aproximando , abrimos as portas rapidamente e todos saímos , correndo um de cada lado por entre os carros parados na pista no engarrafamento, todos colocaram as cabeças para fora observando oque estava acontecendo , mais assim que os barulhos de tiros nos seguiram todos se esconderam dentro de seu próprio carro. Olhei para trás , o carro estava lá abandonado e ninguém parecia se importar com ele , os homens de capuz pretos , eram 4 , quatro homens brutamontes o suficiente para nos fazer quase mijar nada calças.

— Quem nessa porra tem rabo preso com bandidos ? – gritou derek e eu arregalei os olhos , ele estava nervoso o suficiente para falar –

— Porque estão atrás de nós ? – Flynn gritou também –

— Só continuem correndo – Respondi sentindo o ar faltar –

Tudo que eu desejava naquele momento era que Justin aparecesse ali , como aqueles super heróis de filme mesmo eu sabendo que era quase impossível , ele não lia mentes  chorei amedrontada sentindo meu corpo encharcado pela chuva que caia e sabendo que os meus novos amigos não tinham nada haver com aquilo , o problema era eu , era comigo.

— Continuem correndo – Gritei parando e vi que eles pararam um pouco mais a frente –

— Oque esta pensando em fazer ?

— Vão embora.

— Não você ta maluca , ta indo direto pra morte. – Mindy gritou –

— Eu vou ficar bem.

— Então nós vamos junto – Falou Derek –

— Acho que não vai ser necessário... – A voz de Collin nos fez olhar para trás –

Eu quase ajoelhei ali no chão e agradeci a deus quando vi que quem estava lutando contra os homens era Justin , seu cabelo estava grudado na cabeça por estar completamente molhado , ao mesmo tempo o desespero tomou conta de mim , Justin era apenas um e eles eram quatro.

— JUSTIN , JUSTIN – Gritei voltando em sua direção –

— SAI DAQUI – Ele gritou –

Pude ver um dos homens vindo em minha direção , foi coisa rápida , Justin largou rapidamente o homem que estava junto dele e correu agilmente atrás do que veio em minha direção, o homem que antes estava atracado com Justin atirou , a bala voou em direção ao braço de justin , eu gritei desesperada quando o sangue jorrou  dele e ele colou a mão no braço xingando. O homem continuou vindo em minha direção sem se importar com Justin apoiado no carro de qualquer pessoa por ali. A raiva tomou conta do meu corpo , era como se ela me dominasse por inteira , andei calmamente sentindo meus pés baterem no chão com raiva em direção a Justin , o homem chegou em mim rapidamente , sem se quer perceber ele já estava sendo jogado no meio dos carros gritando ,eu não podia controlar meus poderes , os outros dois se aproximaram mais o rumo não foi diferente , era como se houvesse um escudo entre nós e eles não pudessem ultrapassar , Justin se levantou ainda com o braço sangrando e veio em minha direção , suas feições não eram boas, seus olhos cor de mel estava escuros e raivosos.

— Como você fez isso ? –A voz de Collin me chamou atenção , os quatro já estavam próximos de nós –

— Nossa , é gostoso e ainda luta bem. – O comentário cheio de gracejos de Mindy me fizeram suspirar –

Com apenas um olhar de Justin sabia que precisava segui-lo , os barulhos de sirenes de carros de policiais se aproximaram , olhei como se me desculpasse para meus amigos e segui Justin calada. Assim que chegamos no carro ele pegou um pano , amarrei em seu braço sem pronunciar uma palavra , qualquer coisa que eu falasse podia estragar mais ainda tudo aquilo que já estava péssimo.

Justin manobrou o carro, os policiais ali abriram espaço para ele sair mesmo pela contramão rapidamente. Assim que chegamos a CIA ele foi para o centro de enfermagem , fiquei de lado de fora , observando-o pelo vidro na parede , ele arrancou a blusa e assim que a moça desamarrou o pano de seu braço ele me observou , ainda com o rosto sério a moça aproveitando sua distração e puxou a bala ele travou o maxilar e fechou os olhos senti a dor por ele e me senti completamente mal por isto  , ela fez o curativo e senti vergonha por seus olhos não saírem de mim em momento algum , eu queria poder saber oque se passava em sua mente.

  Assim que saiu de lá nós subis para o segundo andar ainda calados , eu nunca me senti tão intimidada quanto estava agora com o olhar de Justin , eu estava realmente esperando a bomba cair em minha cabeça quando ele abrisse a boca. Naquele momento eu descobri que era totalmente verdade , pior do que tudo , era o silencio.

— Me desculpa – Murmurei quando vi que ele parou perto da parede de vidro de sua sala e se virou observando a paisagem lá fora –

— Você tem noção da merda que isso poderia ter dado , Angel ?

— Sim – Encarei o chão –

— Não basta eu querer te proteger , você precisa cooperar comigo , isso não envolve só nós dois envolve o mundo inteiro , envolve os fedelhos dos seus amigos eles podiam ter se machucado.

— Eu não fiz por querer , eu não pensei nas consequências.

— Eu só queria saber oque vocês teriam feito se eu não tivesse aparecido lá ?

— Não sei. – Me aproximei da parede ao seu lado, sentindo seu olhar sobre mim – Como soube que eu estava lá  ?

— Você é interesse geral , tudo que envolva você chega e chegará aos meus ouvidos rápido. O diretor do seu colégio me ligou , dizendo que você não compareceu as aulas da tarde e logo após escutei o radio dos policiais , um ocorrido estranho estaria acontecendo não tão longe se ligar as duas coisas me levaram até você.

Me calei sem saber exatamente oque falar depois daquilo , a chuva lá fora e o vento faziam as arvores balançar , podia ver os pingos da chuva caindo fortemente do céu pelo vidro e o sereno embaçar a parede de vidro. Justin se sentou em sua mesa e eu me recostei nela ainda em pé , cruzando os braços tentando esconder-me do frio , senti a mão de Justin em minha coxa e corei.

— Tem acontecido algo de errado no colégio ?

— Porque ?

— Seu diretor disse que á professores querendo conversar comigo.

— Eu prometo que eu não fiz nada ele que me fez a pergunta e eu respondi sem pensar então ele ficou bolado e me mandou sair da sala , mais eu juro que eu só estava olhando a chuva pela janela e eu não tenho culpa se ele não ace..

— Ei , calma. – Olhei para o divertimento do sorriso em seu lábio e suspirei , percebendo que havia me entregue antes mesmo dele terminar de falar-

— É assim que nós pegamos adolescentes nas mentiras – Ele gargalhou e eu fiz careta , eu havia falado rápido demais desesperada por sua reação –

 — Não menti , mais isso aconteceu hoje também , não acho que estávamos em uma boa hora para te contar.

— Oque aconteceu exatamente ?

— Eu estava olhando para a chuva pela janela , o professor chegou e me perguntou se eu gostava de chuva , disse que sim , ai ele me perguntou se eu gostava de ciências , eu disse que não – Justin mordeu o lábio prendendo o riso – ai ele me mandou para a sala do diretor.

— E porque o diretor não me informou sobre este ocorrido.

— Ér... então , to com uma fome , você não esta ? – Sai de perto dele e ele se levantou de sua cadeira –

— Conte-me Anjo , oque ocorreu ?

— Ele e a secretária ... estavam...

— Oh meu deus – O rosto de Justin foi impecável , repleto de surpresa –

— Sim , eles estavam em um clima inapropriado e eu vi então bastou poucas palavras para ele me liberar da detenção. – Justin apenas gargalhou –

Parei perto da parede de vidro novamente , observando a chuva que parecia aumentar cada vez mais e suspirei eu amava aquele clima frio e querendo ou não lembrei do beijo que Justin me deu na madrugada que passou , mordi os lábios involuntariamente lembrando de quando os seus fizeram isso por mim , deslizando a língua na minha e puxando meu corpo para junto do seu.

— Anjo ? – Sua voz me fez sair do transe em que me encontrava – Precisamos ir.

— Não terá treino hoje?

— Anna ira dar “aulas particulares”, o tempo não esta bom para irmos para o meio da floresta hoje.

— Ela é a primeira mulher que eu conheço que não te secou dos pés a cabeça. – Comentei saindo da sala –

— Talvez porque ela não seja uma mulher comum – Ele soltou um risinho e me empurrou para o elevador – e nem todas as mulheres me “secam” angel.

— Só você que acha, se olhar estrupa-se alguém , você não teria mais nada sobrando Justin.

Sua risada ecoou pelo elevador e depois disto não falamos mais nada , o caminho até em casa foi silencioso , cada um centrado em seus próprios pensamentos e eu suspirei , sera que ele estaria lembrando do beijo como eu ? com certeza não , porque estaria ? Já deve ter beijado tantas mulheres que não se comparava a mim , uma adolescente de 14 anos , sem experiência alguma na área de beijos , namoros ou coisas piores , apenas um beijo com certeza para ele seria uma coisa boba.

Assim que chegamos Anna já estava lá, com o carro parada em frente a casa , eu entrei direto por conta da chuva e Justin foi chama-la dentro do carro , vi quando ela falou algo parecendo irritada e ele revirou os olhos logo os dois correram para dentro como eu.

— Olá Angel – Sorri para ela –

— Olá , vou trocar de roupas.

Coloquei minhas roupas de ginastica e sai do quarto rapidamente atrás de Anna , Justin apareceu no corredor quase no mesmo instante que eu , fez sinal para que eu o seguisse e assim eu fiz indo em sua direção até o fim de corredor , Justin entrou no quarto e eu entrei em seguida , vendo Anna fazer estrelinhas perfeitas.

— Não entendo quando uma pessoa tem uma elasticidade toda – Murmurei e vi Justin sorrir –

— Boa aula meninas. – Justin saiu fechando a porta em seguida e eu vi o tatame cobrir todo a chão do quarto vazio –

— Então Angel como esta hoje ? – Sorri animada , diferente de ontem –

— Estou ótima , oque vamos fazer hoje.

— Estrelinhas , plantas bananeira , por onde quer começar ?

— Qual é mais difícil de quebrar o pescoço ? – Ela gargalhou –

— Venha , não vou deixa-la se machucar , você precisa aprender a ter elasticidade com o próprio corpo. Soube do que aconteceu ontem

— É... Foi apenas um descuido.

— Estava com Justin quando ele recebeu a noticia , saiu do escritório como um furacão , ele estava realmente furioso.

— Eu tenho o dom de deixa-lo dessa maneira.

Nós começamos o treino com algo simples , mais todos os tombos que eu levei no dia seguinte com certeza me trariam problemas de dores. Anna era o tipo de pessoa incrível , aparentemente seus 24 anos , com um corpo perfeitamente cheio de curvas , nós nos demos bem mesmo hoje eu não estando á falar dos meus problemas sentimentais com Justin.  Assim que acabamos tudo por completo eu me sentei no chão sentindo minhas costelas doerem apenas por respirar.

— Sinto minhas costelas doerem. – murmurei incomodada –

— É assim mesmo no começo , depois melhora.

— Eu espero , porque parece que esta dor será infinita.

— Qual sua idade Angel ?

— Quatorze míseros anos.

— Lembro de quando tive sua idade , dei o meu primeiro beijo.

— Sério e como foi ?

— Foi com o menino mais bonito da escola ,foi uma merda – Ela falou decepcionada e eu gargalhei – Ele quase arrancou minha boca fora.

— Nossa, as pessoas podem conseguir fazer isso ?

— Sim, por incrível que pareça.

— Eu nunca ...

— Nunca beijou ?

— Bom , já , mais só uma vez.

— E como ele beijava ?

— Magnificamente bem.

— E não tem curiosidade de beijar outra pessoa ?

Me calei pensativa , eu não havia pensado em outra pessoa me beijando e tocando como Justin tocou noite passada , afinal a primeira pessoa com que eu tive esses tipo de pensamentos e desejos foi Justin. Observei Anna morder o lábio e seus olhos azuis brilhantes me encararem curiosos , não pude deixar de observa-la por completo , ela estava próxima , até demais. Eu não tinha noção do que estava acontecendo , pois quando dei conta Anna já estava próxima o suficiente para colar os lábios nos meus e foi exatamente oque ela fez , não pude deixar de arregalar os olhos , uma vez na televisão eu pude ver duas mulheres se beijando mais imediatamente meu pai disse que eu não deveria ver essas coisas e que era errado. Não pode dizer que não foi diferente e gostoso sentir seus lábios macios sobre os meus , oque me fez deixar que a curiosidade de beijar uma pessoa do mesmo sexo que eu aflorasse , fechei os olhos sentindo-a colocar a mão em minha nuca e logo puxar levemente meus cabelos , deixei sua língua enroscar-se na minha e pude sentir seus lábios quentes e macios aumentarem a intensidade do beijo , meu corpo foi levemente empurrado para trás e eu me deitei no tatame sem que ela desgrudasse os lábios dos meus mordiscando-o nesse momento , sua mão parou em minha bunda enquanto a outra continuava em minha nuca , ela encaixou o corpo por cima do meu com minha coxa entre as suas pernas.  Não posso negar que senti o fogo entre minhas pernas , tentei fechar as coxas para aliviar aquele “formigamento” estranho ali mas foi inútil pois ela travou minha perna , em compensação minhas mãos que estavam paradas em sua cintura a apertaram.

— Rum rum... 


Notas Finais


Estou pensando em fazer P.O.V do Justin mais pra frente pra ele dizer como esta da parte dele sobre isto tudo , oque acham ? :3 Me digam oque estão achando e oque tenho que melhorar.

Twitter: https://twitter.com/SOULTROUXA
Tumblr: http://helikebieber.tumblr.com/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...