História The Guardians! - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 1.355
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - T.G. - Capitulo 3!


Fanfic / Fanfiction The Guardians! - Capítulo 3 - T.G. - Capitulo 3!

Me levanto e limpo meus joelhos que estavam sujos de terra, olho para as mulheres e me curvo vendo algumas cochicharem e outras revirarem os olhos, olho para os lados vendo que estava sozinha nessa pelo que parece, respiro fundo vendo que tinha uma garota me olhando. Ela olha para as senhoras que estavam entrando e me chama com as mão, vou correndo para as escadas subindo elas de um jeito que as cobras me vejam.

- Vem temos que ser rápidas! - Diz pegando em meu braço.

- Para que?

- Temos que trabalhar, não ouvir o senhor Qiang? - pergunta me levando para os fundos.

- Esse e o nome dele?

- Sim! - diz parando em frente a um armário.

- Um nome idiota para uma pessoa mais idiota ainda!

- Fala baixo garota, as paredes tem ouvidos! - Diz jogando um vestido para mim.

Ele era cinza com um monte de flores, a saia era verde escura o que era e não era bonito ao mesmo tempo, olho para ela que aponta para algo atrás de mim, me viro vendo que não tinha ninguém atrás de mim. Olho novamente para ela e ela me empurra na direção de uma sala dourada, abre a porta e me joga la dentro e logo depois fecha ficando do lado de fora, olho para as roupas e logo entendo o que queria dizer, ali era o banheiro.

Olho para trás vendo um banquinho de madeira, coloco a roupa lá em cima e me aproximo do espelho vendo que meu cabelo estava maior do que a ultima vez, começo a tirar a minha roupa e faço dois coques na cabeça e o resto estava solto e mesmo assim não diminuiu o tamanho. Pego a saia e coloco ela primeiro, era bem refrescante e boa para se vestir ao contrário daquele vestido que estava usando antes, coloco a blusa e coloco o restante da blusa dentro da saia e pronto estava arrumada para a escravidão.

Abro a porta e a garota me olha de cima a baixo e faz uma joinha, então esse vestido ficou bem em mim pelo menos, ela me entrega um pano junto com balde e um esfregão, se curva em minha frente e sai andando sem me explicar absolutamente nada do meu serviço, esse lugar so tem doido. Seguro o vestido e vou andando em direção ao salão de frente para a escada, empurro a porta vendo que aquele lugar estava completamente sujo, tinha areia por todo lugar que foi jogado proporcional, aquele guardião metido ta querendo mesmo acabar com minha vida.

- Aish! Idiota!

Coloco o esfregão no chão e pego o balde com água e começo a jogar pelo lugar todo facilitando e me ajudando, pego o esfregão e começo a esfregar todo aquele lugar vendo que não tinha somente poeira mais sim muita terra trazida de fora, hoje vou dormir com o corpo todo dolorido por tanto exercício físico de uma só vez sem nenhum aquecimento antes. Me agacho para tirar com as mãos mesmo algumas sujeiras difíceis de sair com o esfregão, esse lugar e o pior que Liang pelo menos não tinha guardiões implicantes que quer me ver sem as mãos em uma única lavada nesse lugar imundo.

Nem tinha trazido algum radio comigo para poder escutar música, pelo menos algo bom nesse lugar em outra dimensão,nos comércios existe muito rádio a venda mesmo que as pessoas não sejam humanos, continuo a esfregar o chão com mais força. A agua começava a ficar marrom de tão sujo que aquele lugar estava, olho para frente vendo aquela mulher de antes parada me olhando como se eu fosse algo de seu interesse, era assustador olhar para essa mulher.

Vou até a escada e a esfrego de cima a baixo, quando vejo que tudo estava limpo e que precisava somente secar fiquei animada por ver que continuo sendo rápida que antes, tiro a agua do pano e começo a correr para todo lugar secando o chão. Paro um pouco e vou para o lado de fora e tiro a água do pano, volto para dentro limpando o chão correndo para que secasse o mais rápido possível, não quero perder minha mão por não ter feito o meu trabalho.

- Eu não disse isso! - Diz o cabelo de algodão aparecendo na escada.

- Ah! Que susto!

- Você além de ser cega deve ser surda! - Diz cruzando os braços.

- porque diz isso? Eu não sou cega!

- E sim, para não ver a placa " LOCAL DE BANHO DO GUARDIÃO DA FLORESTA " e cega! - Diz me olhando.

- Não tinha nenhuma placa, se tivesse garanto que não entraria lá!

- Não garanto isso, deve ser uma tarada por ficar olhando homens enquanto banham! - Diz descendo as escadas.

- EU...eu não sou uma tarada, nem olhar para você olhei, estava vendo a beleza da floresta!

- Então esta dizendo que sou bonito? - Pergunta sorrindo.

- Não adianta conversa com você sobre isso, já que vai sempre puxar para o seu lado!

Me curvo e volto a secar o local com seus olhos em mim, qual e o problema desse cara? Realmente acha que fiquei olhando para ele e os outros enquanto banham, mais na verdade estava olhando a paisagem. Eles nem chegam a ser tão bonitos assim, mais forte com certeza são sem sombras de dúvida, tenho que tirar aquela imagem da minha cabeça de uma vez por todas se não ele vai usar isso contra mim.

- CUIDADO HUMANA! - Diz o cabelo de algodão gritando.

Ia olhar para ele mais bate contra algo duro, levanto os olhos vendo um homem de cabelos vermelhos me olhando sério, tinha olhos amarelos e sem brilho algum o que deixava ele mais assustador ainda, me afasto dele e o algodão aparece do nada ao meu lado.

- P-Primo, já chegou? Não ia demorar um pouco mais? - diz gaguejando muito.

-  Quem e ela? - pergunta apontando para mim

- E-Ela? Sua empregada Guardião! - Diz se jogando no chão.

- Guardião?

- Não me lembro dela! - Diz me olhando.

- E nova, sua...empregada pessoal!

- Então você estava mentindo! - Digo virando ele.

- N-Não...sou um guardião, mais ele e o guardião dos guardiões, conhecido como " A majestade dos lobos"! - Diz colocando a mão na cintura.

M-Majestade dos lobos? Dessa vez me mete em uma fria, vim parar na casa dos mais frios e forte dos guardiões, todos os outros guardiões tremem de medo ao ouvir seu nome, agora entendo o porque dessa ameba tremer todo e gaguejar. Engulo em seco e me curvo quase encostando a testa no joelho, pessoas tão poderosas assim devemos nos curvar ate onde não conseguimos, olho para seus pés vendo que olha para o lado.

Levanto a cabeça e vejo os dois olhando sério para a porta, olho para a porta vendo um senhor de cabelos grisalhos e roupa bem chique nos olhando, ele deve ser o antigo guardião da casa da floresta, mais olhava para os dois como se fossem uma ameaça. Ele começa a andar em nossa direção reto se sentindo o fodão da porra toda, nariz em pé e alguns homens de roupas vermelhas com cinza o seguindo igual a ele.

- Vejo que a vergonha da casa da floresta chegou! - Diz olhando para o castelo de fogo.

- Não devia falar assim com quem pode acabar com você em dois minutos! - Diz algodão sério.

- Já chega Dalai, vou me retirar tenho coisas para fazer do que discutir com pessoas que não devia estar aqui. Garota venha comigo! - Diz me olhando.

Quando ia me curvar para o senhor o cabelo de fogo me impediu segurando meu ombro, olho para ele que sacudia a cabeça, olho para o senhor que me olhava com os olhos arregalados. Engulo em seco e me viro andando junto com cabelo de fogo em direção a escada, o ar aqui estava muito pesado e parecia que uma nuvem negra estava ali dentro, o que tem entre eles?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...