História The Guardians! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.295
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - T.G. - Capitulo 4!


Fanfic / Fanfiction The Guardians! - Capítulo 4 - T.G. - Capitulo 4!

Em Shuiping...

Estava olhando para o mapa do grande castelo onde o mais novo guardião rei estava morando junto com seus irmãos, estou animado com o plano de tirar eles do lugar de único modo...mexendo com os humanos. Estou de saco cheio desse maldito lugar, sempre chovendo e alagando tudo, o antigo guardião rei ira me pagar por nos culpar pelos erros da humanidade me lançado nesse maldito lugar.

- Irmão...temos que conversar! - Disse

-  O que foi agora? - pergunto olhando para ele.

- Desculpe senhor...ele foi entrando e nem deu tempo de anuncia-lo! - Diz uma das minhas concubinas.

- Some daqui, me deixe a sos com meu irmão! - digo pegando meu copo com vinho.

- Como queira...senhor! - Diz se curvando.

- Um dos irmãos de Qiang roubou minha empregada, e quero ela de volta. Temos que atacar agora! - Diz andando em minha direção.

- Para que tanta pressa irmão, e uma simples empregada! - digo tomando vinho.

- Não é uma simples empregada, e uma empregada humana...imagina quando descobrirem! - Diz virando um copo de vinho goela a baixo.

- COMO PODE DEIXAR ELES COLOCAREM AS MÃOS EM UMA HUMANA? - pergunto batendo na mesa.

- Não foi minha culpa, eles fugiram e foram pegos! - diz me olhando preocupados.

- Agora terei que botar tudo em ação....!

- O que vamos fazer? - pergunta me olhando.

- O que você vai fazer e mandar uma pequena guarda sua até a Huángjiā sēnlín, essa semana três dos cinco pirralhos vão se casar. Ao chegar lá, mandem matar o grupo de dança mascarados, no meio da festa, quando a dança estiver terminando vão atacar e pegar a humana maldita! - Digo batendo o copo na mesa.

- E se não der certo? E se pegarem meus homens? - pergunta se levantando.

- Então será guerra declarada! - Digo tomando todo o vinho e olhando para ele.

Em Huángjiā sēnlín...

Ele joga suas malas em cima de mim e abre a enorme porta da ala sul, quase desmaiei com o que vê lá dentro era o quarto mais lindo que já vê desde que nasce, tinha um caminho de pedras redondas formando uma linda ponte sobre um rio inimaginável. Ao fundo tinha duas casas grandes onde com certeza os soldados pessoais ficavam, e mais ao fundo estava o enorme quarto do cabelo de fogo, meu corpo doeu so de imaginar o tamanho daquele lugar por dentro.

- Devia controlar seus pensamentos! - Diz me olhando.

- Perdão? - pergunto confusa.

- Você pensa alto demais e isso me incomoda! - Diz pegando suas malas.

- Duibuqi! - Digo me curvando.

Ninguém mandou ficar vasculhando minha mente, não vou parar de pensar porque simplesmente esse mimadinho quer, so porque e poderoso e famoso não significa que pode ficar mandando nos outros, ele e mais idiota que o tal dalai o metido. O rio era incrivelmente mais verde que o outro rio, aquele lugar tinha uma linda floresta em torno do lugar todo além de uma bela montanha no fundo, esse lugar e incrível, se esse quarto e assim tenho que temer o os outros quartos além de passar bem longe deles.

Aliás estamos no mundo alternativo chamado de Êxodos e Edis, então tudo aqui vive dentre outros mundos ou em lugares jamais visitados, e simplesmente lindo e magnífico esse lugar...tomara que tenha mais coisas legais dentro da casa do cabelos de fogo. Nos aproximamos um pouco das grandes casas, daqui pude contar cerca de dez soldados na parte de cima de cada casa, quando entramos na ponte que passa pelo meio dela pude ver janelas e portas que indica que ali era simples casas.

- EI! Psiu! - Diz alguém me chamando.

- Quem e? - pergunto olhando para os lados.

- Eu sua tonta! - diz a garota de antes jogando uma pedrinha em minha cabeça.

- Oh! De novo nos encontramos! - digo indo até ela.

- Pois é! O que está fazendo aqui no santuário? - pergunta olhando para dentro.

- Estou com o cabelo de fogo! - Digo revirando os olhos.

- quem? - pergunta olhando para os lados.

- Qiang! - Digo cruzando os braços e bufando.

- Mais respeito! - Diz batendo em meu braço.

- Ai! Isso doi! - Digo esfregando meu braço.

- Tem que tomar cuidado com o que fala, você é a única humana aqui dentro, e as paredes tem ouvidos, dependendo do que fala pode perder a cabeça! - Diz passando a mão no pescoço.

- AI! - Digo pegando em meu pescoço.

- Com quem fala IU? - pergunta alguém atrás dela.

- N-Ninguém senhora! - Diz me olhando assustada.

- Então porque gagueja...ãn? O que essa humana imunda faz aqui? - pergunta empurrando a empregada.

- S-Senhora...e-eu...

- Você trouxe ela até o santuário? - pergunta a senhora puxando a garota pelas orelhas.

- Não senhora! - Diz fazendo careta.

- Senhora...solte-a por favor! - Digo tentando tirar IU de suas garras.

- E VOCÊ NÃO SE META! - diz dando um tapa em meu rosto.

Me desequilíbrio e ia caindo feio no chão se alguém não me segurasse, IU leva um tapa no rosto e é jogada no chão, sua senhora tira das mangas uma pequena faca e a pega pelo pescoço e coloca a faca encostada em seu pescoço, não sabia o que fazer. Uma mão aparece e toma da mão da senhora a faca fazendo ela olhar nervosa para a pessoa que resolveu enfrenta-la, mais ao ver a pessoa simplesmente se jogou no chão e ficou branca do nada, como se estivesse vendo um monstro.

Resolvo olhar para o lado e vejo o cabelo de fogo com a faca na mão olhando para a senhora não chão que começa a sacudir a cabeça de um lado a outro, olho para o outro braço do cabelo de fogo vendo que segurava algo. Sigo seu braço vendo que ele passava pelas minhas costas e seguia para minha cintura...arregalo os olhos e empurro ele levemente me afastando rapidamente dele, ele me olha confuso com meu ato.

- O que você está fazendo aqui? - pergunta a senhora se levantando.

- Voltei para minha casa! - diz olhando para ela.

- Essa jamais foi sua casa...BASTARDO! - Disse a senhora com raiva.

- Você deveria ficar feliz, pois um filho seu retornou ao lar! - Disse olhando para a senhora

- VOCÊ JAMAIS SERÁ CHAMADO DE FILHO POR MIM, VOCÊ É APENAS UMA ABERRAÇÃO QUE SERVIU PARA TRAIR NOSSA FAMILIA. COMO PODE COLOCAR UMA HUMANA NOJENTA E SUJA DENTRO DO NOSSO SANTUÁRIO! - Disse a senhora gritando.

- Ela?...e minha futura esposa, agora se tocar nela novamente, irá perder sua mão e seu alto posto e irá morar com o traidor que tanto ama! - Disse me puxando.

- O que? Não vou me curvar a humana, e ele é seu pai, deve respeito!

- Se acostume, ela e minha esposa e vamos nos casar junto com meus irmãos!

Ele entrelaça nossas mãos e sorri olhando para sua mãe, casar? Sou muito nova para me casar e logo com o cabelo de fogo, ele olha para mim e começa a se aproximar de mim me olhando intensamente, ele não vai me beijar não é?. Fecho os meus olhos com força sentido seus lábios em minha testa, encolo meus ombros com o toque de sua mão em meu rosto, era tão frias mais macias pareciam ser tão sensíveis, abro os olhos vendo que ele me olhava.

- irmão isso é uma brincadeira não é? -

- Estão achando? - diz mostrando nossas mãos.

- Muito bem, faça o que quiser! Diz saindo.

- Mãe, nos espere!

Que família mais estranha...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...