História The Guardians of the Balance - Capítulo 31


Escrita por: ~ e ~Hera_Bitch

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Adam Milligan, Ash, Balthazar, Bobby Singer, Castiel, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Ellen Harvelle, Gabriel, Jo Harvelle, Lilith, Lúcifer, Meg Masters, Miguel, Personagens Originais, Rafael, Ruby, Sam Winchester
Tags Alexandra Daddario, Arlequina, Atena, Dean, Margot Robbie, Sam, Sobrenatural, Supernatural
Visualizações 68
Palavras 2.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


VACILEI!
Desculpa pessoas
Eu.....eu....eu esqueci :)
Mas em minha defesa eu estava com mil deveres e a Kéthlen também estava bastante ocupada
Então eu terminei tudo tarde demais
E acabei pegando no sono
Mas....desculpa, e chega de enrolação
Boa leitura <3

Capítulo 31 - The search for God


Fanfic / Fanfiction The Guardians of the Balance - Capítulo 31 - The search for God

POV Dean Winchester

Voltei até o quarto do Bobby, o Sam estava parado na porta, observando-o do lado de fora. A Atena e a Harley não estavam ali, elas saíram mais cedo, para, aparentemente, ver se descobriam algo sobre o paradeiro de Lúcifer e se ele já havia encontrado uma casca.

Mas eu não havia engolido bem aquela história. Nos últimos dias, parecia que elas estavam evitando vir aqui.

- Faz o quê? - Perguntei, assim que parei ao lado do Sam e olhei para o Bobby – Três dias agora? Nós temos que animá-lo – Sorri fraco - Acho que vou fazer uma massagem – O Sam me encarou sério.

- Dean…

- Certo. O que então?

- Ouça, nós temos que conviver com a ideia de que talvez o Bobby não se recupere dessa vez – Ele olhou para o envelope na minha mão – O que tem no envelope?

- Fui a radiologia e peguei umas fotos lindas – Lhe entreguei um dos raios-x das minhas costelas – Vamos dizer que os doutores estão confusos.

- Minha nossa…

- É, não esqueça que a Atena entalhou você também.

O celular dele começou a tocar e ele me entregou o raio-x, logo atendendo a ligação.

- Alô? - Ele fez uma cara de confusão – Castiel?

- Falando no diabo… - Falei.

- Ah, Hospital São Martinho. Por quê? O que… Cass?

Instantes depois, o anjo apareceu no corredor do hospital e veio até nós dois.

- Celular Cass? Sério? - Perguntei – Desde quando anjos precisam ligar para alguém?

- Vocês estão escondidos dos anjos, todos os anjos, não consigo simplesmente…

- Chega de onda – O Bobby o interrompeu – Venha aqui e ponha suas mãos. Hora da cura, agora.

- Não posso – O anjo falou e o encaramos, assim como o Bobby que se virou com a cadeira de rodas.

- Como é? - O Bobby perguntou e o Cass entrou no quarto.

- Fui expulso do Céu e perdi muitos poderes, certas coisas posso fazer, outras não.

- Está me dizendo que perdeu o jeito, bem na hora em que eu posso ficar entrevado para sempre?

- Desculpe.

- Ora, vá se ferrar.

- Pelo menos ele voltou a falar – Falei baixo para o Sam.

- Eu ouvi – O Bobby resmungou.

- Eu tenho pouco tempo – O Cass falou e nos encarou – Precisamos conversar.

- Tudo bem – Falei.

- Seu plano de matar Lúcifer…

- Você vai ajudar?

- Não, é tolice, não vai dar certo.

- Obrigado pelo apoio – Falei sínico.

- Mas eu acho que tenho a solução. Existe alguém, além de Miguel, que pode vencer Lúcifer, e tem força para impedir o Apocalipse.

- E quem é? - O Sam perguntou.

- Aquele que pôs vocês no avião e que começou tudo: Deus – O encaramos confusos – Eu vou achar Deus – Me virei e fechei a porta do quarto, voltando a encarar o anjo em seguida.

- Deus? - Perguntei.

- É.

- Deus? - Perguntei mais uma vez.

- É. Ele não está no Céu, tem que estar em algum lugar.

- Tente o Novo México, eu soube que ele adora tortilhas.

- Não, ele não gosta de massas – Suspirei.

- Ouça cara, mesmo que Deus exista, ou ele está morto, e essa é a teoria generosa…

- Ele está lá fora.

- Ou está lá em cima e não está dando a miníma para nenhum de nós – Falei e fui para mais perto do Bobby - Olhe em volta, o mundo foi para o buraco. Nós estamos no fim dos dias e ele está por aí enchendo a cara.

- Basta – O Cass falou e me encarou – Essa não é uma questão teológica, é estratégia, com a ajuda de Deus, podemos vencer.

- É pura ilusão Cass – Ele veio na minha direção.

- Eu matei um anjo essa semana, ele era meu irmão. Eu estou sendo caçado, eu me rebelei e fiz isso tudo por vocês. E vocês falharam, você e seu irmão destruíram o mundo e eu perdi tudo por nada. Então guarde suas opiniões para si mesmo.

- Você não veio só para cutucar a ferida – O Bobby falou – O que você quer?

- Eu quero uma coisa, um amuleto.

- Um amuleto? - O Bobby perguntou – De que tipo?

- Muito raro e poderoso. Ele se aquece na presença de Deus, vai me ajudar a encontrá-lo.

- Um sensor de Deus? - O Sam perguntou e o anjo assentiu.

- Eu não sei do que você está falando – O Bobby falou – Eu não tenho nada assim.

- Eu sei, você não – Ele me encarou e olhou para o meu colar em seguida.

- O quê? - Perguntei - Isso?

- Você me empresta? - Neguei.

- Não.

- Dean, me dê isso – O encarei por alguns instantes.

- Tudo bem, eu acho – Tirei o colar, e o levantei antes que ele pegasse – Não perca – Ele assentiu e lhe entreguei – Legal, estou me sentindo nu.

- Eu voltarei – Revirei os olhos e no instante seguinte ele havia sumido.

- Quando achar Deus, diga que eu quero pernas! - O Bobby falou e ri fraco.

POV Atena

Desde que escapei do Céu, com a ajuda do meu Pai e passei a ajudar os Winchester's, sentia meus poderes começando a diminuir. Vamos nos tornar caídos, pensei, esse é o preço por escolhermos a humanidade.

Como sabia que o Bobby ia querer que o curássemos, evitava aparecer lá. Não tinha ideia de como dizer, de uma forma sutil, que não havia o que pudéssemos fazer para ajudá-lo a voltar a andar.

Então resolvi focar meu tempo em manter a mim, a Harley e os Winchester's escondidos de Lúcifer. Se ele havia conseguido falar comigo naquela noite, tão facilmente, significava que ele encontrara uma casca temporária.

Mas ao que parecia, assim como nós, ele estava se escondendo.

Pedi a Harley que voltasse até o hospital e garantisse que os Winchester's ficariam lá, enquanto eu tentaria conversar com o único que, naquele momento, saberia onde Lúcifer estava.

Apareci na sala da sua casa. Ele dormia no sofá, com a mesa cheia de garrafas de cerveja e papéis espalhados pelo chão. Parei ao seu lado e, antes que tocasse em seu ombro, parei para olhá-lo melhor.

Tem algo diferente, pensei. Ele estava diferente de todas as vezes que eu fora ali, sua energia não era a mesma. Arriscava até dizer que ele parecia… Humano. Ele se mexeu no sofá e abriu os olhos, logo me vendo.

- Meu Deus! - Ele se debateu no sofá e acabou por derrubá-lo consigo.

Esse não é meu Pai, pensei, de jeito algum.

- Quem é você? - Chuck, ou quem ele fosse agora, perguntou.

- Onde Ele está?

- Ele quem? - O homem perguntou assustado.

- O verdadeiro Chuck.

- Do que… - Ele parou de falar e me olhou com uma expressão de surpresa – Você é a Atena, não é? - Ele se levantou – Acho que escrevi sobre nós – O encarei sem entender – Quero dizer, com isso – Ele indicou em volta – Você ter vindo aqui hoje – Ele indicou algumas folhas sobre a mesa da sala.

O encarei por alguns instantes, antes de ir até a mesa e pegar as folhas. A Busca por Deus”, li mentalmente o título do capítulo. Aquelas páginas relatavam tudo que acontecera nos últimos dias entre os Winchester's, a Harley e eu.

- Você escreveu isso? - Perguntei ao homem.

- Sim, ontem à noite.

- Então sabe quem eu estou procurando – Falei e ele me encarou – Onde Ele está?

- A última – O encarei se entender e ele indicou as folhas na minha mão.

Peguei a última folha e comecei a lê-la.

A arcanjo mais nova chegou na casa, até então usada pelo falso profeta. Ela observou o escritor dormindo calmamente no sofá e logo percebeu que o mesmo aparentava estar diferente.

Ela não sabia dizer o que era e nem tivera tempo de pensar, já que o homem acordou sobressaltando-se ao vê-la ao seu lado. Ele derrubou o sofá consigo e ficou escondido atrás do mesmo.

Eles trocaram poucas palavras, até que o homem reconheceu-a como a personagem que escrevera na noite passada e lhe indicou as folhas sobre a pequena mesa da sala. Ela analisou-as rapidamente, constatando o relato do que ocorrera nos últimos dias.

Ela questionou-o sobre ter escrito aquilo e após o mesmo afirmar que escrevera, lhe incitou a olhar a última página do capítulo. A arcanjo tivera a sensação de perder o chão sob seus pés.

Deus havia partido.

Para onde?

Nem mesmo o verdadeiro profeta sabia.

Deus, uma vez mais, desaparecera.

Ele havia apenas deixado um recado para a arcanjo, quando ela viesse em sua busca:

'A arma mais poderosa, dentre todas, é a união dos opostos'.”

Ao terminar de ler, senti exatamente o que o homem escrevera: O chão sumindo sob meus pés. Ele foi embora, pensei, mas por quê?

- Atena... – Me virei e vi a Harley ali.

Ela olhou para o Chuck e fez uma careta de confusão, logo voltando a me encarar.

- O que aconteceu? - Ela perguntou.

- Ele se foi – Falei e suspirei – O que houve?

- Os Winchester's, eles foram ajudar um amigo do Bobby numa cidade, aparentemente, infestada de demônios.

- Demônios? - Só então lembrei que o Chuck estava ali.

Olhei para a Harley e ela deu de ombros. Suspirei e fiz um gesto na sua direção, fazendo-o apagar. Ele não vai se lembrar disso, pensei, é mais seguro de qualquer forma. Eu e a Harley saímos da casa.

- E o que você descobriu? - Perguntei - Se fosse só isso, não viria até aqui.

- Os presságios começaram – A encarei.

- De quem exatamente?

- Os Cavaleiros do Apocalipse.

POV Dean Winchester

O Sam havia saído mais cedo com a Ellen e ele acabou sendo capturado pelos demônios. Eu e a Ellen estávamos conversando sobre o que aconteceu. Eu tinha tentado chamar a Harley ou a Atena, mas não havia nem sinal delas.

- Você sabe por que Rufus veio para cá? - Perguntei a Ellen – Algum presságio específico?

- Ele disse alguma coisa sobre água, é só o que eu sei.

- Padre, do que ela está falando? - Perguntei ao padre que estava conosco na igreja - Que água?

- Do rio, ficou poluída de repente.

- Quando?

- Na quarta-feira – Um dos moradores locais falou - O lance do demônio começou no dia seguinte.

- Mais alguma coisa? Qualquer coisa?

- Teve outra, mas pode não ter nada a ver.

- Ótimo, pode dizer.

- Uma estrela cadente. Isso conta? Muito grande, na mesma noite de quarta.

- É, isso conta – Me levantei e fui até uma das estantes das igreja, pegando uma bíblia.

- Você acha que tudo veio do espaço sideral?

- Isso não é Aquivo X cara – Falei e parei de folhear a bíblia quando achei o que estava procurando – “Caiu uma grande estrela do céu, queimando feito tocha e mergulhou no rio. O nome da estrela era Artemísia e muito morreram” – Li e olhei para a Ellen em seguida.

- Revelações, 8:10 – O padre falou – Está dizendo que isso é o Apocalipse?

- Pode ser. Esses presságios específicos anunciam o quê? - Perguntei.

- Os quatro cavaleiros – Nos viramos e vimos a Harley e a Atena na porta da igreja.

Os outros que estavam se refugiando conosco pegaram suas armas e logo apontaram na direção delas. Me levantei e me coloquei entre eles e elas.

- Calma aí – Falei – Ela estão aqui para ajudar, não é? - As encarei.

- Sim – A Atena falou calmamente.

- Como vocês entraram? - O padre perguntou.

- Essa não é a pergunta certa – A Harley falou – Deveriam estar se perguntando quem monta o cavalo vermelho.

- Guerra – O padre falou e elas assentiram.

- O Mustang parado na rua? - Perguntei e a Harley concordou.

- Você não acha mesmo que o carro… - O padre começou a falar, mas Harley o interrompeu.

- Não achamos, nós sabemos.

- Guerra é uma personificação e está aqui, ele pode confundir a mente das pessoas – A Atena complementou.

- Criando uma luta entre nós – A Ellen falou e elas concordaram.

- Jo chamou você de vadia de olho preto –Falei e ela assentiu – Eles acham que somos demônios, nós achamos que eles são – Encarei as arcanjos – Não há nenhum demônio, não é?

- Vocês estão apenas se matando – A Harley falou e suspirei.

- Esperem, digam logo – O padre falou e o encaramos – É o Apocalipse?

- Desculpe padre – A Atena falou – Mas o fim dos tempos começou.


Notas Finais


Gostaram?
Deixem suas opiniões nos comentários <3
Amamos-te
Bye 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...