História The Haunted Game - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 14
Palavras 1.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


alo alo
Cá estou eu com mais um capítulo!
Prestem atenção nos detalhes desse capítulo, serão importantes para futuros.
Boa Leitura XD

Capítulo 4 - Past


Fanfic / Fanfiction The Haunted Game - Capítulo 4 - Past

Sophia, Miles e Lauren após chegarem ao tenebroso lugar, foram atrás de um lugar para se aquecerem, pois estavam molhados e apenas com roupa de banho, e a noite já tinha chegado. Andaram por muito tempo, e nada, o ambiente era muito grande, a única coisa que viam eram árvores, árvores e mais árvores... cansados devido a longa caminhada decidem descansar, subiram na maior árvore que ali havia, um dos motivos era para ver melhor o lugar e se conseguiam avistar algum abrigo ou coisa do tipo. Não conseguiram avistar nada, apenas a imensa floresta que havia por todos os lados. 


     Enquanto olhavam, perceberam um movimento na floresta, de cara perceberam que alguém estava lá, ficaram olhando até onde esses indivíduos iam, com esperança de estarem indo para um abrigo, uma luz bem amarelada aparece atrás dos espiões, vagarosamente vão virando seus rostos para trás. O que viram era algo com um corpo de uma mulher, mas com o tamanho muito pequeno, esse ser tinha asas e era coberto por um pó amarelo. 

— Humanos? — Disse esse ser — Quem são vocês? 

     Ninguém a respondeu, apenas encarava a mesma de queixo caído. Era uma fada! Apesar dela parecer ser tão dócil, o medo consumia eles. 

— Eu não vou machucar vocês. Juro! — O silêncio era tão profundo que dava para escutar o barulho das folhas das árvores batendo uma na outra devido aos ventos. — Meu nome é Violet, sou a fada da água — Falou a última parte se girando. Vocês parecem molhados, não querem um lugar para ficar? 

— Sim a gente… — Foi interrompido por Sophia com a mão tapando sua boca. 

— Isso pode ser uma cilada, tá estranho demais pro meu gosto! — Cochichou para Miles e Lauren. 

— Não tenham medo, não vou machucá-los. 

     Os humanos se olharam, e perceberam que seus pensamentos eram os mesmos pela sintonia ali presente. Pois o único jeito de se abrigar em algum lugar é aceitando a ajuda da fada. 

— Para onde vai levar a gente? — Indagou Lauren. 

— Para o abrigo das fadas! Vocês vem comigo? — Indagou Violet. 

— Vamos. — Todos os humanos falam em um uníssono. 

     Todos desceram da árvore, Violet ia na frente, para guiá-los e também porque o brilho que lhe rodeava iluminava o caminho. De repente se escuta o barulho de várias águias voando. 

— Segurem minha mão. — Violet fala. — Rápido! 

     Os humanos obedecem ela é formam um círculo, cada um pegando na mão do outro. Sophia segurava a mão da fada, era estranho, a mão da fada era da finura de um dedo de Sophia. 

— O que está acontecendo? — Miles Indagou desesperado. 

— Eles não conseguem ver a gente, eu tenho o poder da invisibilidade, e apliquei em você para as águias não verem a gente. — Explicou Violet. 

— E porque eles não podem ver a gente? — Indagou Miles. 

— Esses pássaros trabalham para a bruxa, se verem a gente ela vem s nos mata. 

Todos os humanos fizeram uma cara de dúvida, uma bruxa? Como as águias já passaram a fada encerrou a invisibilidade. 

— No meu abrigo eu explico para vocês. No caminho vão se apresentando! — Disse a fada bem dócil. 

     Foram se apresentando a fada, após isso ficou um silêncio e continuaram andando. Chegando lá, era mágico, era subterrâneo, a porta era bem escondida pelo gramado, e dava a uma escada que descendo ela pode ver que havia muitas fadas, existiam classes de poder, todos divergentes um dos outros. E o lugar era grande, pelo número grande de indivíduos na espécie, ainda não haviam percebido a entrada de Violet e os humanos. 

— Temos visitas. — Cantou Violet. 

     As fadas se viram e percebem a presença dos humanos lá, todas já se preparam para atacar. 

— NÃO. Eles não vão machucar a gente. 

     Todos ficam desconfiados, ela apresenta todos, aos poucos as fadas vão tendo mais confiança nos humanos, o lugar era muito parecido com uma caverna, iluminado por tochas, era bem vazio, elas arrumam um lugar para os humanos se deitarem e levam roupas novas e lençóis, também ofereceram comida e água. Toda a espécie estava em volta dos humanos, apreciando o tamanho, como eles eram, tudo era diferente. Se escuta uma voz. 

— Com licença… 

     Elfos povoam o abrigo, eram muitos, aproximadamente 40 elfos que entraram. Sophia, Miles e Lauren de queixo caído estavam, todas as histórias que lhe contavam quando crianças, e que seus pais confirmavam que era mentira, estava passando na frente deles. 

— Vamos Elfos! Fiquem à vontade! — Disse uma fada bem alegre. 

     Os elfos entram e depois depois deles mais três humanos. O olhar da espécie se choca, Sophia se levanta e vai abraçá-los. 

— Que bom que estão aqui. — Fala abraçando os três humanos de uma vez. 

     Todos eles (humanos) já se conheciam, amigos no mundo “normal”. Foi um alívio para todos ter encontrado seus amigos, agora não estavam sozinhos naquilo tudo. Foi uma luz, que apareceu no fim do túnel. Uma porta em uma sala toda fechada. 

— Cadê Beth? — Indagou Miles. 

— Também queria saber… — Diz Breno cabisbaixo. — Então Gnomos, o que queriam nos mostrar aqui? 

— Violet, conte a história daqui para os visitantes. 

— Tudo começou assim… 


A Terra dos Seres Esquecidos, como o lugar era chamado, sempre foi um ótimo lugar. Como o nome já dita, as espécies que dizem ser “lendas” “histórias” viviam lá, era um “céu” um local com muita paz. O que causava confusões de vez em quando era a terrível Bruxa Negra que invejava o trono, que era tido pela Bruxa Branca, por incrível que pareça elas eram irmãs, mais Cicy (Bruxa Negra) tinha um motivo para tudo isso, seus pais sempre deram preferência para Emma (Bruxa Branca), dando tudo de melhor para ela. Um dia Cicy resolve se vingar, mata sua irmã, e assume o trono da terra, hoje é um inferno, perseguidos a todo momento por ela

— E o que acontece com os humanos que chegam aqui? — Indagou Gabriela. 

— A Bruxa captura. Ninguém sabe o que acontece com eles. — Fala Violet. 

— E como fazemos para sair daqui? 

— Apenas com alguém que contém sangue de bruxo branco. Qualquer um pode ter, mas é muito difícil descobrir que tenha. A espécie de Bruxos Brancos é a única forte o suficiente para abrir um portal para outro mundo. 

(...) 

De manhã do outro dia acordam com sol no rosto e vêem um estrago enorme no “teto”. O que era de se estranhar a qualquer ataque, pois o abrigo era subterrâneo, e bem difícil de ser encontrado.

— A Bruxa esteve aqui! 

— Como você sabe? — Indagou Theodore estranhando. 

— Sempre em algo Ruim que ela faz ela deixa esse sinal. — Apontou para o chão uma fada, onde estava um símbolo estranho, uma bola com algumas estrelas. — Procurem se ela pegou alguma coisa, fadas! 

— Gente… Cadê a Lauren? — Indagou Theodore.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Até a próxima...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...