História The Howl - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~qgdramione

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger
Tags 15diasdramione, Companheiro, Drama, Harry Potter, Lobisomem
Visualizações 73
Palavras 1.535
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


CONTEÚDO PESADO.
Primeira vez que escrevo algo do gênero. D:
Não tem cena de estupro. Relaxem.

Capítulo 1 - The Howl


    Passos. Era apenas isso que ela conseguia ouvir. Eram seus próprios passos. Correndo pela floresta procurando em vão um abrigo da besta enorme que a seguia. A respiração alterada provavelmente a entregava para os sentidos aguçados do animal que a seguia.

    O que você estava pensando, Hermione? O que tinha que se oferecer para conversar com o lobisomem perdido na floresta. Claro que Hermione não planejava se perder completamente, e acabar encontrando o lobo em plena Lua Cheia. Foi idiotice e uma mistura horrível de orgulho. Não querendo usar o patrono para chamar ajuda, bom, agora ela não tinha essa opção. O monstro tinha tirado isso dela.

    Ela andou até o meio da clareira. Desistindo dessa jornada, já tinha andando em voltas durante pelo menos dois dias, não tinha ideia de que lua era, mas precisava voltar. Ouviu um barulho atrás de si e virou. Draco Malfoy estava na beira da clareira. Os olhos cinzas a encarando com curiosidade.

    “Malfoy?” Ela baixou a mão, que tinha apontado por instinto na direção do som. “O que você está fazendo aqui? Você ficou maluco? Tem um lobisomem na floresta. Como você veio parar aqui? Está atrás de mim? O Harry te mandou?”

    Draco era auror no ministério. Trabalhava para Harry, chefe do departamento. Os dois haviam feito as pazes e até eram bons amigos.

    “Não.” A resposta foi simples e direta. Um pouco atípico para o loiro, conhecido pela ironia.

    “O que foi, Draco?”

    “Eu sinto muito Hermione.” Com um aceno ela a desarmou, e colocou a varinha no bolso de trás da calça. “Eu não queria fazer isso, mas ele não calava a boca. Ele a queria tanto. Eu sinto muito.” Ele limpou algumas lágrimas que escorrem em seu rosto. “Eu falei que você era melhor opção para falar com o lobisomem. Eu fiz você se perder aqui e perder noção do tempo Granger. É lua cheia.”

“Do que você está falando?” Hermione sentiu o coração disparar, e deu um passo para trás. Segurando sua bolsa firme no aperto de suas mãos.

“O lobo quer você Hermione, como parceira.”

Não. Não. Se um lobisomem a tinha como companheira era defendido pela lei o direito de a ter, mesmo que contra vontade própria. Proteção das matilhas era um programa do ministério agora. A ironia era que o programa era dela.

“Você conhece esse lobo, Draco?” Hermione pensou em implorar para o auror, talvez o lobo soubesse algo de Draco e o estava chantageando, por isso o loiro resolveu ajudar. “Talvez ele esteja errado. Eu nunca vi ele.”

Draco ergueu os olhos do chão, os cinzas mais destacados pela vermelhidão do choro.  

“Hermione… O lobo tem certeza, ele te quer.” O loiro deu um passo a ela, a mão estendida como se fosse doloroso. “E na realidade, ele é bem convincente, porque agora… Eu também quero.” Ele deu um sorriso sinistro, e no céu a lua apareceu.

Hermione percebeu tarde demais, que o lobo era Malfoy. Durante a transformação ela correu. E foi assim que tudo começou.

 

“Por favor, Merlin, eu não quero ser marcada.” Hermione se escorou contra uma árvore, colocou as duas mãos sobre a boca, tentando fazer o menor barulho humanamente possível.

Grrrrrrrg

O grunhido tinha sido perto. Perto demais. Ela pensou em virar o rosto e ver o que estava acontecendo atrás de si. O medo era maior.

Ela ouviu o pequeno crack de um galho perto dela. Disparou correndo em zigue-zague pelas árvores em seguida.

“SOCORRO. SOCORRO.” Começou a gritar enquanto sentia o bafo quente do animal praticamente na sua nuca. Algo atingiu na lateral do corpo com força. Hermione foi arremessada no chão da floresta, rolando entre galhos e folhas secas. Tentou proteger o rosto. Assim que o corpo parou, tentou correr novamente, para tomar outra patada nas costas. Ela fechou os olhos com o impacto. O grande animal ficou por cima dela. O bafo quente na sua nuca.

“Por favor, não.” Ela implorou, mas era em vão.

Os dentes enormes se fecharam ao redor do seu pescoço, a grande pata pressionando seu rosto contra o chão úmido da floresta, seu grito foi abafado pela quantidade enorme de terra que entrou em sua boca. Ela estava praticamente sufocando.

Ela bateu os pés e as mãos, tentando se livrar do aperto em seu corpo, a mordida rasgando sua pele e a química lupina fazendo seu trabalho em lhe ligar eternamente com a besta sobre si.

A lua brilhava lindamente sobre eles, selando o seu futuro no fatigo dia. O lobo se afastou por alguns centímetros. A castanha usando isso em seu favor para se erguer e disparar novamente.

    “Não adianta correr, Granger. O seu cheiro agora é meu. E até o fim de hoje seu corpo também vai ser.” A voz meio feral de Draco gritou para a escuridão, assistindo com um sorriso predador sua companheira de vida tentar fugir. Não há escapatória do destino. Meio homem, meio lobo agora, ele tinha voltado um pouco a transformação para poder acasalar com ela. Visto que Hermione era humana. Era. Na próxima lua seria loba. Nossa loba. O animal dentro dele ronronou de prazer.

Não demorou a encontrar o rastro de sangue fresco da parceira. Ela havia se escondido dentro de uma pequena caverna. Minha lobinha foi direto pro meu ninho. E nem percebeu. Ele conhecia aquela caverna como ninguém. A luta estava ganha, e seu lobo mal podia contar a vontade de meter as garras no prêmio.

Hermione se arrastou cada vez mais para o fundo. A dor no corpo era insuportável, os feromônios do lobo já fazendo seu efeito, a preparando para o acasalamento. Sua calcinha ficando ensopada com cada segundo que passava, a pele ficando quente e a roupa pinicando. Diferente de veelas que prezavam o bem estar do parceiro acima de tudo, lobos estavam preocupados com a continuação da matilha, por isso mesmo que fosse forçado, a parceira iria cruzar e engravidar já na primeira vez. Como eram protegidos pela lei, Hermione sabia que nada ia acontecer a Draco se ele a estuprasse hoje. Não é nem considerado estupro já que os homens dificilmente conseguem controlar os lobos dentro de si. Ela juntou uma pedra do tamanho do seu punho na mão e virou em direção de onde tinha vindo; o corpo sentia a proximidade do lobo, mas Hermione estava louca se ia desistir sem uma briga, tentou em vão parar o sangramento no pescoço, mas sabia que só Draco poderia fazer isso agora, já que ele havia tirado sua varinha.

“Solta a pedra, Hermione.” O som gutural a vez tremer dos pés a cabeça. “Eu vejo no escuro, lobinha.”

“Eu não sou sua lobinha!” Ela gritou. E atirou a pedra de onde achou que a voz vinha. Um riso do seu lado direito, lhe disse tudo que precisava saber. Draco ainda tinha sua velocidade de lobo. Ela nunca venceria sem magia. “Me deixa ir, Malfoy!”

“Você sabe que eu não posso.” Ele andou até a parte mais iluminada; estava completamente nu, ainda tinha muitos pêlos brancos pelo corpo, mas o pênis ereto e enorme entre as pernas era humano. E parecia brilhar com pré-ejaculação. “O lobo me mataria se eu perdesse nossa lobinha. Seu cheiro tem tentado ele todos esses anos. Eu tentei muito lutar contra isso Hermione, você está namorando o Weasley, se ele tivesse feito o básico de encher seu útero de porra e te engravidado, eu teria achado outra parceira. Mas ele faltou com você e comigo. Meu lobo ficou impaciente. Eu não posso mais resistir. Ele ameaçou matar outros se eu não der você a ele. E sinceramente, eu também quero você.” Ele tocou no pau duro, e se alisou algumas vezes. “Você pode ser uma boa lobinha e vamos cuidar de você. Ou você pode ser malvada e vamos ter que ser duros. Você tem três segundos.”

Ela andou até o fundo da caverna. O coração batendo acelerado.

“Um.”

Procurou com as mãos alguma pedra solta para jogar na cabeça dele quando se aproximasse o suficiente.

“Dois.”

Não havia nada. E Draco estava dois passos de distância dela.

“Três.”

Os olhos cinzas brilhavam aterrorizantes no escuro. Hermione relaxou o corpo e respirou fundo.

Não havia mais nada a ser feito.

“Boa lobinha.”

Não há como fugir do destino.

Ela olhou para cima, uma pequena abertura na caverna possibilitando ver a lua. O homem na sua frente lambeu a ferida que havia causado e sua pele pinicou.

“Nossa lobinha.”

Ele encarou os olhos castanhos, ela respirou fundo e engoliu em seco.

“Sua.”

Foi tudo que ele precisou.


 

O uivo do fim da noite foi escutado na borda da floresta. Harry Potter encarou o amigo de infância, ambos aterrorizados que Hermione devia estar lá com a fera.

“Eu tenho certeza que ela vai ficar bem.” Ronald disse a si mesmo. Sua namorada deveria estar bem.

        “Claro sim.” Harry encarou a escuridão da floresta. O coração estava pesado mas ele sabia que tinha feito a coisa certa. Ronald nunca o perdoria. Mas o menino que sobreviveu sabia que um laço como  de companheiros nunca se quebraria. Por isso ele atendeu o pedido desesperado de Malfoy. Por isso ele mandou a melhor amiga de presente para o parceiro.

 

FIM.

 


Notas Finais


That's all folks. Não sei fazer terror. HAHAHAH Enfim, valeu a tentativa. Obrigada por tudo. Beijos de luz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...