História The Incomplete - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 12
Palavras 1.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie Oie Meus Amores! Tudo bom?
Eu resolvi começar outra fanfic, Sim, outra!
Espero que gostem! Desculpem os erros de ortografia e não desiste de mim ^^^

Bom... Essa história conta 2 lados, e talvez, ajudem vocês a ver as coisas de ângulos diferentes.
Ela também, é um pouco baseada, em como eu vejo o bullying! "Alguns tipos de bullying."

Um abraço, e boa leitura <3

Capítulo 1 - A Otimista


Fanfic / Fanfiction The Incomplete - Capítulo 1 - A Otimista

- Malia, as vezes me pergunto, por que você corre ajudar alguém que está sofrendo? - diz Erika me encarando, enquanto eu guardo os livros no ármario. 

- Porque simplesmente sei como é estar depressiva! - eu respondo fechando a porta com força.

- Você vai acabar se ferrando por sempre estar ajudando e sendo boazinha com as pessoas. Guarde o que estou falando! - Erika diz num tom de cansaço e eu rio.

Neste momento, o time de Lacross da escola, entra fazendo a maior zona por causa do treino, que, segundo eles, foi um "sucesso". 

- Talvez! Mas, a única que vai se ferrar esse ano, é você! - eu digo olhando para o sub capitão do time. 

- Nem me fale! Toda a vez que ele puxa assunto comigo, eu entro em "moda arrogância" e saio correndo! - Erika bate sua cabeça no ármario,  seguido de um suspiro.

Os meninos passam por nós rindo alto, gritando e brincando, como crianças que ganharam um briquedo de seus pais. 

Erika não se aguenta e olha para o sub capitão do time, Kennedy , que por um acaso, é o melhor amigo do capitão do time, Élio. 

- Se não fechar a boca, vai acabar passando vergonha! - eu digo com um sorriso malvado no rosto.

- Vai se ferrar! - Erika desencosta dos ármarios. 

O sinal toca, e quando estou indo para a sala com a Erika, vejo Élio e sua namorada, Celena brigando. Eu olho por algum instantes e logo a briga acaba, e Élio se vira pra trás, e percebe que eu estava olhando. Num gesto de desespero, eu olho para a Erika rapidamente e finjo não ter visto nada. 

Eu nunca vi um casal brigar tanto quanto esses dois! 

                                                   «NA AULA»

- Alunos, quietos! O ano está começando, e eu espero não ter problemas com vo- 

A professora começa a falar, até que alguns meninos do lacross entram na sala fazendo alto barulho. A senhora Cora, nossa professora de artes, espera os alunos se sentarem para continuar com suas "boas-vindas". 

- Malia, o Élio não está com os meninos... Estranho, não? - Erika murmura atrás de mim. 

- Nem me fale! - eu murmuro de volta lembrando do que vi no corredor. 

- Como eu estava falando... Espero não ter problemas com vocês, assim como eu tive no ano passado! Colaborem comigo, ok? - a professora completou e todos concordaram. - Ótimo, pois vamos começar com teatro! 

A sala ficou turbulenta com a nóticia, uns odiaram e outros não gostaram. Eu não via problema, pois eu gosto de filmes fictícios e com ótima atuação. Conclusão: fiquei animada! 

- PAREM DE RECLAMAR! - a professora gritou. - Se fizerem o teatro corretamente, eu não ficarei no pé de vocês para fazerem as lições e vou diminuir os trabalhos do ano! 

A sala mudou de um bando de reclamões para um bando de gente animada. 

- A peça será uma história de contos de fadas, feita pela professora de português, Mary. E graças ao dia da mentira do ano passado mais a atuação diaria de alguns alunos, nós já temos os seus papéis. No final da aula entregarei para todos! - a professora Cora concluí e começa sua aula. 

Quem será que eu peguei? Talvez eu seja uma árvore? Ou talvez eu seja a protagonista principal?... Espero ser a protagonista principal! 

                                                  «NO FINAL DA AULA» 

O sinal bateu, e Erika e eu saímos da sala com nossos papéis sobre a peça. Eu acabei pegando o papel da rainha, ou seja, eu era a mãe da princesa. Já a Erika... 

- A PRINCESA?! - ela diz gritando. 

- Não é tão mal! - eu digo tocando em seu ombro. 

- EU NÃO VOU USAR UM VESTIDO... ROSA!!! - Erika gritou mais uma vez. 

- Não precisa ser rosa. - eu digo rindo. 

- Você tem que parar de se divertir com o meu jeito sério de ser! - ela fecha a cara. 

- Desculpe! - eu continuo rindo. 

Enquanto eu ria, e a Erika ficava indignada com o seu papel, uma mão tocou o ombro da Erika, a mesma se virou assustada. 

- Se você vai ser a princesa, então não vai ser tão ruim te beijar no final! - Diz Kennady com o papel do principe na mão. 

Erika congela e fica toda vermelha. 

- Pode apostar que ela vai ser a melhor princesa que você já beijou! - eu digo segurando os braços da Erika. 

- É bom saber que você continua otimista, Malia! - ele diz sorrindo. - Nunca muda, não? 

- Acontece. - eu disse sem graça. 

- Ah! Por um acaso vocês sabem quem vai ser a rainha? A professora me pediu para entregar o papel de Rei pro Élio, mas eu queria ver se valia mesmo a pena! - Kennedy passa a mão nos fios pretos avermelhados do cabelo, enquanto suspira. 

- Bom... Eu sou a rainha! - eu digo mostrando o papel. 

Kennedy se recupera rápido, e olha pra mim. Depois de um tempo processando ele solta um riso suspeito. 

- Sorte grande!... Desgraçado! - ele murmura. - Erika, que tal ensairmos na minha casa? Amanhã está bom pra você? 

Erika volta a realidade e cruza os braços. 

- Não sei não! Não estou afim de bancar a donzela em perigo, com um estido mesquinho rosa! 

- Rosa caíria bem em você! - diz Kennedy com um sorriso sedutor. 

- Vai se ferrar! - Erika ficou vermelha e saiu de lá me arrastando junto. 

Enquanto Erika me arrastava pelos corredores, eu acabei me batendo em alguém e caindo em cima da mesma pessoa. Eu achava que era um homem, até eu me sentar em cima da pessoa e sentir algo macio e grande em baixo das minhas mãos. 

- SAÍ DE CIMA DE MIM, SUA ESCROTA!! - Celena gritou se levantando e me jogando no chão. - Isso é assédio sexual! Não encoste em meus seios novamente, bruaca! - ela saí em passos firmes. 

- Meu Deus! - eu começo a rir. 

Erika me ajuda a levantar e nós duas caímos na gargalhada.  

                                               «FINAL DO DIA» 

O resto do dia correu tudo bem. A não ser para o Élio que foi embora sem dizer nada para ninguém, e Celena que muitos diziam que ela estava chorando no banheiro feminino. Eu voltei pra casa e papai ainda não tinha chegado. 

- Talvez ele tivesse que fazer horas extras, de novo! - eu disse abraçada com meus joelhos no sofá, enquanto eu mudava o canal da TV. 

Não demorou para que a madrugada chegasse. Esperando meu pai, eu acabei adormecendo no sofá, até que ouço o barulho da porta se fechando e me levanto rapidamente. 

- Não me diga que ficou me esperando! - papai disse colocando suas coisas em cima da mesa. 

- Você não me da escolhas a não ser esperar você voltar, vivo e bem! - eu digo o abraçando. 

- Seu otimismo não tem limites, não é mesmo Malia? - papai diz beijando minha cabeça. 

- Depende do quão bom pode ser meus pensamentos! 

                                                 «DE MANHû 

De manhã, eu acabei rolando pro lado na cama e dei de cara no chão fazendo o maior barulhão. Meu pai abriu a porta desesperado e eu levantei rapidamente. 

- O que você fez? - meu pai vem até mim preocupado. 

- Resolvi dar um beijo de bom dia no chão! - eu digo sem graça e meu pai ri. 

- Você se machucou? - ele diz negando com a cabeça e rindo.

- Não. Eu apenas caí da cama! Como uma criancinha! - eu sorrio. 

- Está bem! Se arrume, daqui a pouco você tem que ir para a aula! - ele diz saindo do quarto. 

Eu me levanto do chão que estava sentada e vou ao banheiro tomar banho. Ao sair eu começo a me arrumar, até que recebo uma mensagem no meu celular. Na mensagem dizia: 

- Malia, você tem que vir correndo para a escola. Eu acabei de chegar, mas ainda estou surpresa! É BABADO FORTISSÍMO! 

A mensagem era da Erika. Eu não esperei muito e me apressei em me arrumar, e em poucos segundos eu saí correndo de casa, falando tchau rapidamente para meu pai. 

                                                    «NA ESCOLA» 

Minutos depois eu cheguei na escola, e encontrei a Erika conversando com alguns meninos do time de Lacross. 

Quando me virei para a escola, algo estava pixado bem grande na parede principal do colégio. Eu olhava para os lados, e via todos rirem ou cochicharem. 

- Isso é uma brincadeira rídicula! - disse Kennedy do meu lado assustado. 

- Como ele conseguiu entrar na escola de noite? Ainda mais para fazer isto! - eu disse indignada. 

- Não foi ele! - Kennedy respondeu se virando pra mim. 

- Exato! Não foi ele. Eu acabei de falar com os meninos e eles disseram que o Élio estava com eles bebendo ontem de madrugada! - Erika disse se aproximando. 

- E a letra não é dele, mas eu sei de quem é! - Kennedy completou.

...


Notas Finais


Eai? Gostaram?
Comentem suas opiniões, por favor ^^ (continuarei postando, mesmo sem os comentários, mas me ajuda sabendo que alguém está gostando.)

Um beijo, e até o próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...