História The Journey - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Japonesa
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Luta, Monges
Exibições 4
Palavras 1.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Mais um cap meus amores <3

Capítulo 5 - Mestre Tomoko


Fanfic / Fanfiction The Journey - Capítulo 5 - Mestre Tomoko

Há noite

A cidade estava iluminada, o céu possuía belas estrelas. As ruas estavam lotadas de pessoas comemorando o festival, músicas tocavam, crianças corriam para lá e para cá. 

Isso é tão lindo! - Keiko dizia animada enquanto eles andavam pela cidade

Keiko, Kamui, Hayato e Kotori haviam ido para o festival, Emi ficou meditando em seu quarto. Daichi e Akira também não quiseram ir. Os quatro, pela primeira vez em anos, estavam saindo para se divertir. 

As duas mais velhas estavam mais como babás dos mais jovens, foi o que Akira havia dito. Kotori e Keiko saiam correndo na frente, tudo aquilo, para eles, era incrível. Foram jogar alguns jogos que os comerciantes disponibilizavam no festival. 

Valendo um litro de saquê! - Kotori jogou uma moeda em cima da pequena mesinha

Feito! - Keiko aceitou

Eles iriam jogar algo que parecia com xadrez, mas um pouco diferente. 

Vocês vão mesmo beber? - Hayato parou ao lado deles

Sim - Keiko assentiu

Está bem - Hayato assentiu

Kamui - Hayato se virou para Kamui que estava distraída 

Sim? - Ela se virou

Uma peça vai ser apresentada daqui a pouco, e eu gostaria muito de ver, você irá ficar por aqui? - Hayato

Está perguntando por causa deles? - Kamui apontou

Você está roubando? - Kotori a olhava desconfiado

Como pode dizer isso de mim? Até parece, não é preciso muito para ganhar de você - Keiko disse superior

É - Hayato sorriu

Eles vão ficar bem, pode ir, vou dar uma volta, mas fico de olho neles - Kamui assentiu

Certo, obrigada - Hayato saiu andando

Kamui observou o jogo dos dois por algum tempo. Depois, saiu andando. Como não costumava se arrumar, nem mesmo para um festival daqueles, ela estava apenas com uma calça com bolsos, uma camisa, chinelos e seu colar em volta do pescoço. Ela andou até uma pequena ponte que havia mais afastada dali. Se apoiou sobre a cerca de proteção da ponte e ficou observando os peixes. O vento batia em seu rosto, ela suspirou ajeitando seu cabelo que estava na frente de seu olho.

É uma bela vista, não acha? - Ela ouviu uma voz conhecida

Daichi? - Se assustou quando o viu do lado dela

Me desculpe se te assustei - Daichi respondeu ainda olhando para o lago

Não, tudo bem, o que faz aqui? - Kamui pousou as mãos sobre a madeira

Akira estava roncando demais, perdi o sono e resolvi vir para a cidade, realmente é um belo festival que está tendo - Daichi

Sim, faz muito tempo que não vínhamos a um lugar assim - Kamui

Todos aqueles que seguem o caminho de se tornar monges, sabem que isso nos tira vários privilégios - Daichi

Não acho que seja tão ruim assim, afinal, nós mesmos escolhemos fazer esse voto para sermos o que somos hoje - Kamui

Talvez esteja certa, mas as vezes as coisas que deixamos para trás, voltam a tona e me fazem questionar se fiz a coisa certa - Daichi

Do que mais sente falta, Daichi? - Kamui o olhou

Do amor, de poder ter alguém do seu lado, o calor do corpo de outra pessoa com o seu... - Daichi

Ok, ok, eu já entendi - Kamui o cortou 

Para ela, era constrangedor falar de tal assunto, nunca amou ninguém e vice-versa. Era pura, nunca havia se deitado com um homem. Conversas como aquela lhe deixavam nervosa. 

Desculpe, eu não quis... - Daichi a olhou

Está tudo bem - Kamui sorriu levemente

Bom, vai ter uma apresentação, alguns músicos irão tocar, quer ir assistir? - Daichi

Kamui olhou de relance para um armazém velho que havia perto dali, e na porta meio aberta, ela viu uma parte de um chapéu de palha. 

Está tudo bem? - Daichi olhou para onde ela estava olhando

Sim, claro, hum, pode ir na frente, eu encontro você daqui a pouco, está bem? - Kamui

Certo - Daichi assentiu a olhando confuso

Até depois - Kamui saiu rapidamente

Ela seguiu até aquele armazém, pegou uma tocha acessa que estava do lado de fora. Abriu a porta calmamente a fechando em seguida. Foi andando calmamente, aquele lugar tinha um cheiro ruim, pelos buracos na parede e a luz do fogo, dava para ver que estava cheio de caixas ali.

Ela andou um pouco e logo ouviu passos.

Eu sei que está ai - Kamui disse firme

Ela sentiu apenas um vento, em seguida foi jogada em direção a parede, batendo de costas na madeira velha. Uma espada pressionada contra seu corpo. Deixou a tocha cair no chão e ela se apagou. Sentiu alguém se pressionando contra ela e uma respiração pesada em seu rosto.

Humana, mulher, é você - Aquele que estava a sua frente disse a encarando

Quem é você? - Kamui nem se mexia

Isso interessa? Não parece estar com medo de ter uma espada em seu pescoço - Ele respondeu

Já estive em situações piores - Kamui

Você é o homem que eu vi mais cedo? - Kamui

É esperta para uma humana - Ele pressionou mais ainda a espada em seu pescoço, fazendo um leve corte

Não precisa ser muito inteligente para perceber um homem estranho te perseguindo - Kamui

Me impressiona mais ainda a cada minuto, humana, você não tem um cheiro masculino pairando em seu corpo, é pura ainda, interessante - Ele cheirou o pescoço dela

Pare com isso - Ela o empurrou 

Colocou a mão em seu pescoço onde estava o pequeno corte e viu um pouco de sangue. Ela pode ver o homem, ele guardou sua espada e sorriu para ela, mostrando alguns dentes afiados. 

Você... Não é humano, quem é você? - Kamui se assustou

Não acredito que ache que existem apenas humanos nesse mundo - Ele respondeu 

Eu sei muito bem o que existe, mas você tem uma aparência de um homem comum, mas sua aura não demonstra isso - Kamui

Esperta, não sou um humano - Ele se virou de costas

Desamarrou a corda que prendia seu chapéu abaixo do queixo, o tirou e se virou para ela. Ela pode ver o rosto dele, aparentava ser apenas um homem mais velho, barba mal feita e cabelos compridos presos em um rabo de cavalo desarrumado. 

Eu sou o mestre Tomoko, estava esperando pela chegada de vocês - Tomoko

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...