História The Key To Happiness - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Morrilla, Once Upon A Time, Swanqueen
Exibições 163
Palavras 1.889
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, FemmeSlash, Magia, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi genteeee!!
Obrigada por toooodos os comentários e tudo mais, vocês são incríveis!!

Sem enrolar muito:
A trilha de hoje é uma música que vale tanto para Emma quanto para regina, por isso está "solta" no capítulo. O link da nossa playlist está nas notas finais e eu adicionei mais algumas faixas que me inspiram a escrever. Meu twitter, @13MoonFics.

Aproveitem, desculpem qualquer erro.

Bjo Bjo

Capítulo 6 - Finding New Roads


Narrador P.O.V 

Chegaram em casa e Regina notou que Emma não estava em seu normal. Não pelo fato de ter sido literalmente atacada em seu escritório no meio da tarde, disso ela tinha até gostado muito, se sentiu mais desejada que nunca. O problema é que o desejo, dessa vez, parecia existir pelo motivo errado. Chegaram na mansão Mills e foram direto para o quarto da morena. Vestiram algo confortável. Regina se divertia ao ver Emma usar suas roupas, sentia que aquilo as tornava ainda mais próximas, andava pensando em pedir para ela experimentar alguns looks no estilo Evil Queen. Desde que pensara nisso tinha crises de riso mentalmente com a ideia. A loira não se esforçava em não parecer distante, só queria sentir aquele corpo colado ao seu, se pudesse nunca mais sairia daquela cama. Passaram um tempo contemplando apenas o fato de estarem juntas, cada uma a sua maneira. 

- Emma? - a morena chamou com a voz branda. 

- Hm... Que foi, Gina? - respondeu meio que no automático. 

- Aconteceu alguma coisa hoje? - já sabia que tinha acontecido algo, só precisava descobrir o que exatamente. 

- N-não. Está tudo bem. - disse com o olhar baixo. 

Regina levantou-se sem dizer nada. Trancou a porta do banheiro calmamente, apesar de estar aborrecida por dentro. Respirou fundo algumas vezes e então optou por um banho quente para acalmar os ânimos. Não se extendeu. Vasculhou o closet em busca de uma bamisola preta longa e um roby de seda da mesma cor. Ao sair do quarto encontrou Emma terminando de vestir as próprias roupas. 

- Onde você está indo? Pensei que ia passar a noite aqui hoje. - não se importou em demonstrar seu descontentamento. 

- Regina, nós não podemos continuar com isso. Não está certo. -  ela calçava suas botas sem nem levantar os olhos. 

- Do que você está falando? - sentiu a voz tremer um pouco e fez o possível para aguentar firme. 

- Você não percebe que não somos nós? Não percebe que esse amor todo não saiu de nós por nossa vontade? -  a loira disse de forma triste. 

- O que eu percebo, Swan, é que nós duas quisemos o que aconteceu, em todas as vezes. Percebo que nos juramos amor, que trocamos de coração, e que tudo foi verdadeiro. Isso é o bastante para você? - Regina já se sentia ferida de forma profunda. 

- Sim, mas e o que vem depois disso? Até quando vamos continuar nos escondendo, nos separando no meio da noite quando o Henry bater aqui? Olha, Gina... o que temos não é algo que tenha surgido só pela nossa vontade, tem mais coisas que agora eu sei. Eu não quero te deixar desconfortável, também não quero sofrer quando você resolver que não dá para continuar, quando você resolver ligar para o que vão dizer... O que eu quero dizer é que eu estou trocando o certo pelo duvidoso de forma irracional. O Hook gosta de mim, eu gosto dele, e apesar de você ser a dona do meu coração, é com ele que eu vou ficar. - Emma lutava contra suas lágrimas enquanto Regina já não conseguia evitá-las. 

- Então é isso? Você ficou com medo e encontrou um jeito de jogar a culpa para mim sem nem mesmo saber o que eu tenho a dizer ou o que eu quero? - olhou furiosa para loira, que fechou os olhos pesadamente e acentiu com a cabeça - Pois bem - Regina se aproximou dela - eu não vou brigar, espernear, implorar para você ficar. Quer ir, vá. - aproximou os lábios do ouvido de Emma e sussurrou - Espero que seja feliz com seu pirata, que ele consiga te fazer sentir o que eu fiz, que ele te faça gozar como eu fiz... por último, que você pense em mim a cada vez que ele te tocar, desde um leve carinho até o sexo ardente. - dito isso, ela abriu a porta do quarto e virou o rosto, aguardando que Emma saísse. A loira levou alguns segundos para reagir depois das palavras de Regina, mas assim que suas pernas responderam saiu sem olhar para trás. Ouviu a porta bater com força atrás de si. 

- Estou fazendo isso por você, Regina. -  a loira sussurrou pro nada antes de fechar a porta da sala e deixar a casa. 

 

Emma P.O.V.  

Eu sentia meu coração doer como nunca mas não podia continuar perto de Regina, não até descobrir o que a Evil Queen estava tramando. Se ela quisesse fazer qualquer coisa para me prejudicar eu não faria nada, mas seu alvo era a mulher que eu amava e isso estava fora de questão. Fui para casa e tudo que eu pensava era em tomar um banho quente, me enfiar debaixo das cobertas e chorar até perder a consciencia e apagar. 

Cheguei em casa e Hook estava no sofá. Fedia a rum, o que não era necessáriamente uma surpresa. 

- Resolveu jantar em casa, Luv? Uma pena você não ter avisado cedo, não preparei nada para nós. 

- Tudo bem, eu não estou com fome. -  meus olhos estavam ardendo com a vontade de chorar. 

- Ah sim, jantou a Regina... quero dizer, com a Regina. - ele deu um sorriso sacana e virou a garrafa de rum na boca. 

-Killian, eu não estou para brincadeiras... - falei pausadamente deixando claro o quão sério eu estava falando. 

- Claro... suas brincadeiras agora se limitam a ela. Na verdade, sempre foi tudo sobre ela. Sempre foi "tenho que salvar a Regina", "tenho que saber s ea Regina está bem", "tenho que me desculpar com a Regina"... 

- Eu fui literalmente ao INFERNO atrás de você, não me veja com isso agora! -  Falei exaltada apesar de estar absolutamente sem disposição ou energia para nada daquilo. 

- Você se tornou a Dark One por ela... e pior, por causa dela eu também entrei nessa merda, aquela...  

-Killian! - interrompi antes que ele dissesse mais alguma coisa que me fizesse reagir de verdade - Na MINHA casa você não vai falar mal da Regina. Espero que fique muito claro. 

- Pensei que fosse nossa casa, Luv. - ele arrastou a frase levando ao mínimo todo o nível de paciência que me restava. 

- Não, não é. Eu estou terminando com você e pedindo educadamente que saia da MINHA casa. Pode ser? Pode! Espero não te ver aqui quando sair do banho. - falei sem olhar para ele e caminhei ate para a escada. 

- A Evil Queen estava certa, sempre está. -  jogou a garrafa que tinha nas mãos na parede, fazendo voar cacos de vidro por toda a sala - Como pôde fazer isso comigo, Emma? Como? 

- Pergunte a própria Evil Queen, ela sabe os detalhes sórdidos melhor que ninguém. -  falei de forma irônica e subi me trancando no quarto antes que ele pudesse dizer mais alguma coisa. Desabei no choro assim que fiquei sozinha. Sentia tudo doer muito mais agora. Pensei em ligar para minha mãe e pedir colo, mas ela iria querer saber o motivo daquilo tudo, da briga com Killian e todo o resto. Eu não podia contar o que tinha acontecido entre eu e Regina. Pela primeira vez em muito tempo tive que sofrer só, e parecia que isso amplificava toda a minha dor. 

x


Na onda leve da brisa do dia
Na onda longa do trem
Na brisa leve da vida do dia
Eu encontrei o meu bem
Não era fogo nem alegoria
Não era fuga também
Não era medo da melancolia
Era o dia de bem
O jeito dela levando meu tento
Iluminura no breu
O mundo dela lançando doçura
Na amargura do meu
A calma dela mudando meu rumo
As curvas dela também
Na estação do acaso
Eu encontrei o meu bem
E tudo foi desbotando até desaparecer

 

x

 

Regina P.O.V. 

Me senti sufocar no choro automaticamente assim que Emma passou pela porta do meu quarto. Bateu desespero por estar perdendo o amor da minha vida sem poder fazer nada sobre isso. A vida tinha me ensinado que quando alguém que você ama não quer estar por perto, não se deve tentar obrigar esta pessoa a ficar. Aparentemente ela não queria. Se despediu de mim, do meu corpo, tinha tudo planejado e eu não sabia. Eu não queria ficar sozinha, não podia. Minha vontade era fazer uma loucura, qualquer uma, só para me livrar do sofrimento latente em meu peito, aquela dor no coração dela que ainda me pertencia. 

Me troquei com magia e, em seguida, me materializei na sala da casa de Beatrice sem nem pensar em outras opções. Ela estava sentada no sofá com um computador em seu colo, distraída. Se assustou ao me ver. Levou uns poucos segundos para notar que eu chorava, pôs o notebook de lado e logo me envolveu em um abraço apertado sem que eu dissesse nada. Me deitei no sofá com a cabeça em seu colo, ela não fazia nenhuma pergunta, apenas carinho de leve em meus cabelos e me permitia chorar tudo o que eu precisava sem questionamentos. Quando finalmente parei de soluçar ela me olhou de forma ainda mais terna. 

- Quer conversar? - acenei que não -  Acha que vai chorar se falar comigo? - Acenei que sim - Sabia que eu acho que sou sensível aos sentimentos das pessoas? Quer dizer, aos extremos. No hospital eu ouvia umas vozes, acho que eram pensamentos. Mas com você eu não consigo fazer isso, só consigo identificar que está muito triste... mas pra isso não precisa de super poderes, lógico. - ela falou no fim meio desajeitada me arrancando um leve sorriso. 

- Não se preocupe comigo... eu sou forte, e já passei por momentos piores. - falei baixo com a voz embargada, tentando soar o mais confiante possível.  

- Se não me quisesse preocupada não teria vindo pra cá. - ela me deu uma cutucada de leve com o braço me arrancando um sorriso largo - Estou feliz que esteja aqui. Quer dizer... feliz que tenha vindo pra cá ao precisar se sentir segura. Bom saber que você confia em mim. -  Ela sorriu quase deslumbrada. 

- Ah não, não vá começar a se achar se não eu vou embora. - falei enxugando meu rosto e rindo. 

- Vai embora nada, vai é preparar algo pra eu comer. A única coisa que eu sei fazer que é muito boa é sua lasanha, quero que me ensine mais coisas! Vamos! - ela levantou me puxou do sofá e fomos pra cozinha preparar algo. 

Era difícil saber o motivo mas essa menina despertava sentimentos bons em mim, me deixava calma, tranquila. Eu precisava dessa serenidade agora para resolver o que fazer no futuro, ver como seguiria em frente e minimizaria minhas dores. Eu tomaria meu tempo, pensaria no melhor para todos, talvez retomasse meus planos de viagem. Por agora, a única coisa que eu sabia é que não me precipitaria em nada e que acompanharia o progresso de minha pupila de perto nesses próximos dias, a ensinaria mais coisas. Seria a melhor forma de manter minha mente ocupada, de conhecer mais Beatrice, e de voltar minha vida pros trilhos aos quais eu esperava ansiosamente que estivessem me guiando ao meu final feliz.


Notas Finais


E aí?! Haha xD Até a próxima, gente! Bjo bjo (Me digam o que acham que eu saber como conduzir a fic, por favoooor!!)

Link da nossa playlist: https://open.spotify.com/user/13moonfics/playlist/08ttOUm2fOg1QULJVt4NCw


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...