História The Kids Aren't Alright - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Personagens Originais, Ravi
Tags Amor, Drama Pra Caralho, Família, Hakyeon, Hongbin, Hyuk, Jaehwan, Ken, Leo, Matthew, Raken, Ravi, Sei Lá, Taekwoon, Vixx Lr, Wonsik, Wontaek
Visualizações 28
Palavras 2.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiiii.

Capítulo 10 - ♡ décimo.


Taekwoon respirou fundo, ele estava nervoso pelo simples fato de estar na porta do apartamento de Wonsik. A última vez que se encontraram nada aconteceu como ele planejou em sua cabeça ao decidir procurar por seu ex marido. Houve alguns gritos, acusações, lágrimas e beijos; muitos beijos. Taekwoon deixou Wonsik parecendo inteiro, mas por dentro ele estava quebrado. Quando ficou sozinho em casa ele chorou como nunca. Havia se arrependido tanto de se mostrar vulnerável perto de seu ex.

Ele realmente pensou em ignorar Wonsik pelo resto de sua vida e pedir para que Hongbin buscasse e levasse Matthew em seu lugar, mas sabia o quão imaturo seria de sua parte fazer isso.

Ele não sabe quanto tempo ficou ali parado na porta pensando se deveria ou não tocar a campainha, até Matty chamar sua atenção.

— Papai acorda!

— Desculpa, bebê. — riu sem graça pressionando o botão da campainha. —

— Você vai voltar para casa?

Antes que pudesse responder, Taekwoon foi recebido por um Wonsik de cabelos molhados que estava usando apenas uma calça de moletom e estava lutando internamente para não reparar o corpo definido do mais velho.

— Papai! — a criança pulou do colo de Taekwoon direto para o homem parado na porta. —

— Eu senti sua falta. — Wonsik sorriu. — Chama o papai Taekwoon para entrar e comer cookies com a gente.

Taekwoon franziu as sobrancelhas.

— Papai vem!

— Matty eu preciso voltar.

— Por favor! — fez um biquinho fofo. —

— Mas vai ser rápido, tá bom?

Matthew bateu palminhas animado e saiu do colo de Wonsik correndo para deixar a mochila em seu quarto, tomar banho e voltar para passar o tempo com seus pais.

— Entre, Taekwoon. Não pode passar o resto da vida parado na porta. — Wonsik falou com indiferença caminhando em direção a poltrona que estava sentado deixando o mais velho para trás. —

Ok, que porra está acontecendo?

A mente de Taekwoon gritou enquanto ele caminhava com passos lentos até a sala. Respirou fundo mais uma vez e resolveu ir atrás de Wonsik.

Taekwoon parou próximo ao sofá encarando o mais novo que notou sua presença mas não tirou os olhos do caderno que estava em suas mãos.

— Qual o seu problema? — Ele disse com os dentes cerrados. —

Wonsik não respondeu, mas continuou escrevendo no caderno como se nada estivesse acontecendo. Taekwoon bufou e caminhou para perto dele.

— Eu te fiz uma pergunta! Pare de me ignorar, Wonsik. — Taekwoon reclamou. — Eu quero saber qual o seu problema!

Wonsik continuou em silêncio enquanto continuava bastante concentrado no que estava escrevendo. Taekwoon amaldiçoou baixinho e agarrou a caneta de Wonsik antes que ele começasse a escrever algo novo.

— Devolve minha caneta. — Wonsik disse friamente. —

— Eu não vou devolver até você me dizer qual o seu problema. — Taekwoon disparou. — Você vai começar me tratar assim? Me responda e faça o que você quiser.

— Eu planejo te tratar assim daqui pra frente. — Wonsik fitou os olhos de Taekwoon e notou a mudança de expressões do mais velho. —

— Pode pegar a porcaria da caneta. — Taekwoon disse entregando a caneta. —

Wonsik suspirou e estendeu a mão para pegar sua caneta de volta. O calor percorreu por todo seu corpo ao sentir suas mãos se tocarem. Taekwoon se encolheu ao sentir o toque, mas não tirou sua mão. Wonsik sorriu e apertou a mão do mais velho e acabou notando outra mudança de expressão. Wonsik nunca se cansaria de observar as mudanças de expressões de seu ex. Para alguém que  consideravam “Poker face”, Taekwoon era como um dos livros que Wonsik conhecia cada palavra perfeitamente bem.

— Solta minha mão, idiota. — Taekwoon o repreendeu com dificuldade. —

— Mas é claro. — Wonsik respondeu com raiva tomando a caneta do outro. —

Taekwoon voltou para perto do sofá xingando Wonsik de todos os palavrões possíveis em seus pensamentos. O outro que observava tudo queria rir sozinho ao notar que ainda tinha efeito sobre Taekwoon, era um ponto para ele. Taekwoon que estava sentado no sofá extremamente irritado com Wonsik teve seus pensamentos interrompidos ao notar a porta sendo aberta.

— Wonsik estou aqui! — Hakyeon gritou. — Oh, Taekwoonie você está aqui. — Sorriu. — Me perdoa, eu não sabia.

— Bem vindo, Hakyeon. — Wonsik murmurou e continuou escrevendo em seu caderno como se nada estivesse acontecendo. —

— Olá Hakyeon. — Taekwoon se levantou e foi abraçar o irmão de Wonsik. — Como você está?

— Eu estou bem, e você? — Hakyeon perguntou enquanto abraçava de volta. —

— Eu acho que estou bem. — deu risada e se soltou do abraço. —

— Papais eu estou pronto. — Matty anunciou descendo as escadas. —

— Olha se não é meu sobrinho favorito. — Hakyeon sorriu caminhando em direção a criança e pegando-a no colo. —

— Tio, você só tem eu de sobrinho. — Matty sorriu e depositou um beijo na bochecha de Hakyeon. — Claro que eu sou seu favorito.

— Mesmo se eu tivesse outros, você continuaria sendo o favorito.

— Credo! — Fez careta. — Eu não quero irmãos.

— Eu acho melhor eu ir embora, já está ficando tarde.

— Mas já? — Hakyeon fez biquinho. —

— Papai e os cookies?

— Wonsik está muito ocupado com a caneta, volto outra hora. — disse após depositar um beijo na testa de seu filho. — Diga ao Jaehwan que eu mandei oi. — caminhou em direção a porta. —

— Jaehwan e Wonsik não estão mais juntos. — Hakyeon confessou. — Wonsik não te contou?

Taekwoon congelou na porta da saída e se virou para olhar Hakyeon. Wonsik observava tudo da porta da cozinha mas continuava agir com indiferença.

— Não, ele não me disse nada. — Taekwoon mordeu o lábio inferior. —

— Aconteceu muito rápido, ontem eu encontrei o Wonsik chorando por conta disso.

— Eu estou tão feliz que ele não vai mais me encher o saco. — Matty confessou inocentemente. —

— Eu percebi! — disse Hakyeon rindo baixinho da inocência de seu sobrinho. —

Taekwoon não prestava atenção no que diziam, seus olhos estavam sobre Wonsik, que continuava o ignorando. Queria rasgar aquele caderno em mil pedacinhos, afinal o que tinha ali que era mais importante que ele? Taekwoon pensou com raiva. Hakyeon sorriu disfarçadamente.

— Matty o que acha de irmos brincar no quarto do papai Wonsik? Seus pais precisam conversar. — Hakyeon subiu rapidamente com seu sobrinho antes que Taekwoon mudasse de ideia.

— Por que? — Taekwoon perguntou quando viu seu ex cunhado desaparecendo pelas escadas com Matty. —

Wonsik continuou escrevendo fingindo que estava sozinho naquela sala. Taekwoon respirou fundo, pensou em contar até dez, mas ele simplesmente caminhou até Wonsik rapidamente.

— Eu falei com você, Wonsik. Por acaso você está surdo? — disse tirando o caderno das mãos de seu ex marido e jogando para longe. —

— Eu não te devo satisfação. — Wonsik se levantou rapidamente se afastando de Taekwoon. —

— Por que terminou com Jaehwan? — Perguntou agarrando as mãos de Wonsik o impedindo de sair. —

— Por que você se importa? — Wonsik disparou. — E foi ele quem terminou comigo.

— Por que? — Taekwoon perguntou novamente. —

— Eu contei para ele. — suspirou. — contei que nós nos beijamos.

— E?

— Isso é tudo, agora me solta por favor. — Wonsik disse tentando se libertar do aperto de Taekwoon. —

O coração de Taekwoon estava batendo tão rápido, ele mal podia respirar. Em um movimento rápido, Taekwoon empurrou o Wonsik contra a parede mais próxima e o prendeu com seu corpo segurando os dois braços de Wonsik acima da cabeça do mesmo.

— O que mais você disse para ele?

Wonsik não queria responder mas falhou miseravelmente ao olhar nos olhos do outro. Ele queria mentir, queria se soltar, queria empurrar Taekwoon para longe. Mas era quase impossível quando o olhar de Taekwoon estava praticamente penetrando a sua alma.

— Eu só disse a verdade. — Ele confessou. — Eu disse como eu me senti quando você anunciou que não precisaria mais viajar. E depois eu contei o que aconteceu no quarto. — Ele acrescentou observando atentamente para ver a reação de Taekwoon. — E se você continuar me olhando desse jeito, nós provavelmente vamos transar contra essa parede.

O coração de Taekwoon pareceu cair para o estômago, ele estava extremamente em choque com as palavras de Wonsik, mas ainda assim ele se recusou a soltar seu ex marido.

— Ele sabia que eu sempre fui apaixonado por você. — Wonsik continuou a confissão. — Mas ele nunca me disse nada até porque eu tentei lutar contra os sentimentos que eu tenho por você por todos esses anos. E eu juro por deus que eu quero te esquecer desde o dia em que eu pedi o divórcio. — ele disse pressionando seu corpo contra o de Taekwoon. — Mas não é algo que eu possa controlar.

— Eu não confio mais em você, Wonsik. — Taekwoon disse soltando os braços do mais novo rapidamente. —

Wonsik suspirou sentindo a frustração tomar conta, ele não queria discutir com Taekwoon, pelo menos por um momento. Mas então ele tinha que dizer aquelas palavras e colocar Wonsik contra a parede, não no sentido literal da palavra.

— Você não pode pelo menos nos dar uma chance de consertar o que foi quebrado entre nós? Só uma chance, para você confiar em mim de novo.

— Eu não posso, Wonsik. — Taekwoon respondeu se afastando de seu ex marido. — Eu sinto muito.

O ruído que Wonsik soltou de sua garganta era quase desumano, ao mesmo tempo que ele gemeu em frustração ele queria gritar com Taekwoon.

— Se você nunca atirar, nunca vai saber.

— Wonsik tente entender, eu não posso te dar meu coração e a minha confiança novamente quando eu sei que você pode fazer tudo de novo, e me machucar por uma segunda vez. — Taekwoon respondeu amargamente. —

— Você não foi o único que saiu machucado com a história do divórcio. Você sabe que nós dois saímos feridos de tudo isso. — Wonsik cuspiu. —

— Você ao menos me deu uma segunda chance, você simplesmente me deixou. Mesmo quando eu me humilhei por uma segunda chance para consertar tudo!

— Taekwoon… — Wonsik sussurrou. — Eu não tive escolha.

— Claro, Wonsik. Você nunca tem escolha, não é? — Taekwoon quase riu, mas por vontade de chorar mesmo. — Eu me odeio por agir vulnerável perto de você, agora mesmo eu te empurrei na parede e eu juro que se não tivesse tanto autocontrole eu não sei o que estaríamos fazendo nesse exato momento. Wonsik por favor, não tente fazer com que eu reaja assim de novo.

— Eu vou parar quando você tirar a sua máscara e perceber que tudo está errado. — Wonsik respondeu. — Eu sei que você ainda me ama, não tente negar o óbvio por favor.

— Eu não posso. — disse Taekwoon se afastando mais. —

— Por favor, Taekwoonie. — Wonsik sussurrou. — Eu preciso de você por perto.

— Pare com isso, Wonsik. — Sussurrou fechando os olhos tentando tirar a imagem de Wonsik triste dos seus pensamentos. —

Mesmo de olhos fechados Taekwoon sabia que Wonsik continuava se aproximando, sabia que ele estava mais perto do que deveria quando sentiu a respiração quente contra seu pescoço, Wonsik passou a ponta do nariz por toda aquela área sentindo a pele de Taekwoon se arrepiar.

— Por favor, Taekwoon. — Wonsik sussurrou contra a orelha de Taekwoon. —

Taekwoon gemeu em lamentação. Wonsik estava tão perto e ele queria beijá-lo novamente. Ele desejava por isso, ele precisava disso tanto quanto precisava de água. Mas sabia, que era errado, extremamente errado.

Taekwoon era apenas um humano, e os lábios de Wonsik contra os seus era algo muito irresistível. Outro gemido escapou dele, mas dessa vez era mais de desespero e carência, e imediatamente os lábios de Wonsik tocaram os seus.

Por alguns segundos, Taekwoon pensou em atacar os lábios dele novamente e novamente. Mas então se lembrou de que ele estaria se rendendo de novo, e não podia.

— Não! — Taekwoon se afastou rapidamente. — Eu sinto muito.

— Tudo bem, Taekwoonie. — Wonsik lutou contra as lágrimas, ele não queria chorar na frente de seu ex marido. —

Taekwoon lutou contra seu coração com muita dificuldade, ele se forçou a lembrar de tudo que sentiu três anos atrás quando Wonsik decidiu ir embora e correu rapidamente saindo do apartamento e batendo a porta atrás de si. Parte de Taekwoon queria voltar lá e dizer que Wonsik merece a segunda chance, mas a parede que ele construiu em volta de seu coração era mais forte.

Wonsik não tinha mais Jaehwan, mas Taekwoon não podia voltar para ele de braços abertos.

Wonsik sentiu seu coração doer, mas ele não fez nada além de ficar por um bom tempo encarando a porta de madeira.

— Wonsikkie, como foi? — Disse Hakyeon descendo as escadas. —

— Eu não sei o que fazer com ele. — admitiu. — Eu planejei tratá-lo do mesmo jeito que ele me trata, mas eu falhei miseravelmente no exato momento em que ele se aproximou de mim.

— Comece se desculpando por toda a merda que você fez.

— Hakyeon! — Wonsik o repreendeu. — Não fale como ele, você por acaso quer ser irmão do Taekwoon?

— Eu estou falando sério. Você pediu o divórcio sem ao menos conversar com ele, irmãozinho. Ele nem teve a chance de falar algo. Não espere que ele confie em você tão facilmente.

Wonsik suspirou e olhou para os pés se sentindo derrotado.

— Wonsikkie, algum momento você deixou de amá-lo?

— Não… Eu pensei que sim, mas a verdade é que meu coração sempre pertenceu a ele.

— Então não desista, é óbvio que ele também te ama. Ele vai ser obrigado a ceder em algum momento.

— Se fosse tão fácil… — Wonsik choramingou. — Não quando ele tem uma parede enorme em volta do coração dele.

— Continue tentando e derrube-a. Taekwoon realmente vale a pena, irmãozinho. Se Você não tentar, eu quem vai casar com ele.

— Cale a boca! — Wonsik deu risada. — Eu não vou desistir de Taekwoon.

— Esse é o espírito!

Taekwoon realmente valia muito a pena.

Notas Finais


é isso ai.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...