História The Killer » Kim Taehyung - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga, V
Visualizações 162
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong! Gente, mais de 60 fav só com o prólogo? É isso msm?

Obg suas lindas! ❤❤

Espero que gostem do cap, boa leitura ^^

Capítulo 2 - Capítulo 1


— Tenha cuidado, não fale com estranhos, não faça ...- seu pai dizia mas ela apenas fingia escutar.

Park Ayumi estava perdida em pensamentos.

Ela estava cheia de pensamentos excitantes e ansiosos dentro de si pois em um pouco mais de cinco minutos ela iria embarcar em um vôo para Seul na Coréia do Sul, a cidade natal de seu pai, onde ela cursaria na mesma universidade que o mesmo já cursou quando era jovem.

Yonsei.

Desde muito pequena ela sempre teve o sonho de ser atriz e por isso cursaria artes cênicas em uma das melhores universidade do país.

— Jimin-ah, ela vai ficar com o filho do Hoseok, não há porque se preocupar.- Yumi disse chamando a atenção da filha.

— Mas essa é uma das minhas maiores preocupações!

Ayumi riu.

— Não precisa se preocupar pai, JiHyun e eu somos apenas amigos, melhores amigos na verdade.

E era verdade, mesmo que os mesmos só tivessem se visto duas ou três vezes pessoalmente, por conta da internet eles viraram grandes amigos assim como Jimin e Hoseok eram.

— Não existe essa de "apenas amigos" para um Jung, quando Hoseok era mais jovem ele... - Jimin acabou deixando sua fala morrer ao sentir um aperto em ombro.

Era Yumi. Ela não gostava que o marido tocasse em assuntos do passado, principalmente no nome que lhe trazia tantas lembranças.

A última chamada do vôo para a Coréia do Sul foi anunciada, Ayumi abraçou seus pais e depois de prometer tomar cuidado e ligar sempre que puder para os mesmos, ela se dirigiu para a área de embarque.

Já no avião involuntariamente a mesma abriu um sorriso, ela sentia que algo de bom estava por vir e não esperava a hora de pôr seus pés em solo coreano.

[...]


Em Seul, um jovem rapaz olhava fixamente para a janela do quarto de mais uma de suas vítimas. A intenção não era apenas matá-lo, isso não fazia parte do lema da família. Como seu pai dizia "Assassinato não é só um ato, é preciso antecipação e planejamento." e era exatamente isso que ele estava fazendo.

Primeiro o mesmo passava horas observando o seu alvo, estudando cada movimento seu, seus horários, com quem andava, o que fazia quando estava sozinho e só depois o jovem entrava em ação. Isso já havia se tornado algo tão natural para ele, o garoto até adorava amendontrar as suas vítimas, ele deixava com que as mesmas o vissem uma ou duas vezes as observando apenas para ver o desespero em seus olhos sempre que os vissem sair de casa e principalmente quando chegava a hora de mandá-los para o inferno se é que ele realmente existia.

A luz do quarto apagou o que significava que o seu alvo havia saído do quarto, sendo assim ele esperou escondido o homem sair de sua casa. Quando o Park estava prestes a entrar em seu carro, garoto o surpreendeu com um golpe forte em sua nuca fazendo o homem desmaiar.

O jovem segurou em ambos os pulsos do homem e o arrastou até a sua casa novamente, o levou para o quarto, lhe prendeu na cama e depois o esperou acordar para se divertir um pouco com o mesmo.

Enquanto isso Ayumi chegava em Seul, depois de pegar suas malas e fazer o check-in recebeu uma ligação de JiHyun.

— Yobseyo.

— Ayu!- o Jung disse animado e a mesma foi obrigada a afastar o celular do ouvido por um segundo. — Você já chegou?

— Sim e estava prestes a te procurar.

— Então... eu tive um probleminha com o meu carro e não pude ir te buscar.- ela o ouviu suspirar. — Vou te passar o endereço por mensagem e você pega um táxi, ok?

— Aigoo, ok seu baka.

— Eu posso não ser fluente em japonês mas já assistir animes o suficiente pra saber que está me chamando de idiota!- Ayumi apenas riu enquanto ele bufava. — Aigoo, essa garota.

Ela poderia jurar que ele havia revirado os olhos.

— Estou indo pegar um táxi, annyeong oppa.

Ayumi finalizou a chamada e um minuto depois ela recebeu a mensagem de JiHyun com o endereço do apartamento onde ela diviria com ele.

A ideia de morar em um apartamento com um garoto não agradava seu pai, mas a mesma já havia planejado morar com o Jung antes mesmo de completar o Ensino Médio. Os dois era bons amigos, Ayumi o via como seu irmão mais velho apesar se ser apenas três meses mais nova que o mesmo então não via problema em dividir um apartamento com o Jung.

Ao pegar o táxi ela deu endereço ao taxista e logo seguiu até o apartamento de JiHyun.

Durante o caminho ela ficou olhando para a cidade através da janela do carro, as ruas de Seul eram tão movimentadas quanto as de Tokyo, a cidade era tão bonita quanto a sua mas havia algo a mais, ela não sabia dizer o que era mas sentia que era algo grande e que mudaria a sua vida.

Quando finalmente o taxista parou em frente ao um prédio no centro de Seul, Ayumi pagou a sua corrida e pegou as suas malas. Ela já estava prestes a dar um passo a frente quando algo caiu do 3° andar do prédio, mais especificamente um corpo.

A Park arregalou seus olhos e gritou apavorada ao ver o corpo de homem multilado no chão.

Os moradores do prédio juntamente com as pessoas que passavam por ali se reuniram ao redor do corpo.

— Ayu! - ela ouviu JiHyun chamar seu nome em meio a multidão.

Assim como os outros moradores ele havia escutado o grito da garota.

— Oppa!

Ela correu em direção ao mesmo quando o viu e o abraçou forte deixando as lágrimas escorrerem, a Park tremia nos braços de JiHyun enquanto mantinha os olhos fechados com força rezando pra imagem do homem morto caindo a sua frente sumisse de sua cabeça.

— Hey, ta tudo bem, calma. - ele disse tentando acalmá-la enquanto passava a mão em seus costas.

Ela foi se acalmando aos poucos, e quando abriu os olhos seu olhar caiu sobre um cara alto, todo vestido de preto. Ele tinha as mãos dentro do bolso de seu moletom, o capuz escondendo a maior parte de seu rosto menos sua boca onde continha um sorriso retangular doentio brincando em seus lábios.

A Park encheu seus pulmões para gritar o mais alto podia mas acabou soltando o ar preso nos mesmos ao ver o sorriso dele morrer e um dedo indicador cobrir seus lábios em um pedido silêncio, mas como se não bastasse o pedido ele simulou uma arma com a mão levando a mesma a cabeça em uma ameça silenciosa que fez a gorota sentir um calafrio percorrer por todo o seu corpo.

A pobre Park não sabia ainda mas esse era apenas o começo de novo um clássico, de uma obra prima titulada como The Killer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...