História The Killer » Kim Taehyung - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga, V
Visualizações 143
Palavras 1.383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong! Trouxe mais um cap pra vcs e espero que gostem.

Boa leitura ^^

Capítulo 3 - Capítulo 2


Pov's Ayumi

Acordei sentindo alguém balançar os meus ombros, ao abrir os olhos vi que era meu melhor amigo e assim acabei suspirando em alívio enquanto o puxava para um forte abraço o qual ele correspondeu como vinha fazendo ultimamente, estava se tornando até algo habitual e me pergunto se ele não está cansado disso.

Desde que eu cheguei em Seul há duas semanas atrás, tenho  pesadelos constantes com o homem que vi cair morto diante dos meus olhos e não somente com ele mas também com um cara vestido de preto e encapuzado, sorriso retangular e doentio que invade os meus sonhos. Nele o mesmo me persegue por uma rua estranha e escura, quando consegue me alcançar ele aponta uma arma pra mim mas não sei se ele consegue me matar ou não pois JiHyun sempre me acorda.

— Você já deve está cansado de se acordar no meio da noite comigo gritando, não é? Me desculpa, oppa.

JiHyun me afastou de si apenas para me olhar nos olhos, apesar do quarto ainda está escuro eu podia ver o quão ele parecia está cansado.

— Não se desculpe, você não teve culpa de presenciar algo tão horrível e tão traumático. Eu entendo porque tem pesadelos e não te culpo por me acordar todas as noites, mesmo quando estou tendo sonhos maravilhosos com a Hyuna ou com o Taeyang.

Foi impossível não ri dele, mesmo que fosse um riso fraco.

Meu melhor amigo era " dois em um" como ele costuma dizer pois  ele é bissexual, sendo assim eu já estava acostumada com o mesmo dizendo coisas assim.

—Dessa vez era com quem ? – perguntei.

— Taeyang. Aquele homem me leva a loucura!

JiHyun começou a contar o sonho que eu interrompi apenas pra me distrair, sem duvidas ele é o melhor amigo que eu poderia ter. Enquanto ele me contava cada detalhe nem reparamos o quão rápido o tempo havia passado, quando viemos perceber já estava de manhã.

Ele saiu do meu quarto para ir tomar banho e se arrrumar, eu também fui fazer o mesmo pois hoje era o nosso primeiro dia na Yonsei. Tanto eu como ele estávamos muito animados, eu irei cursar artes cênicas e conseguir realizar o meu sonho de ser atriz, já JiHyun irá fazer dança assim como o seu pai e o meu.

O senhor Park pode até ter me apoiado na minha decisão de cursar artes cênicas, mas eu sei que o que ele realmente queria que eu fizesse era dança contemporânea assim como ele e futuramente assumisse a sua academia em Tokyo. Eu até considerei mas dançar não é pra mim, e apesar de ser filha de um dos melhores dançarinos que eu já vi na minha vida, não consigo dançar, talvez até um pato com as pernas amarradas consiga dançar melhor do que eu.

Ao terminar de me arrumar fui até a sala onde vi JiHyun me esperando enquanto mexia em seu celular.

— Oppa?

— Aigoo, não me assuste! – ele disse virando com a mão no peito. — Wow, você está fantastic baby!

— V.I.P detectado com sucesso! – disse fazendo ele sorrir orgulhoso.— Você não sente suas bochechas doer?

— Ani, eu gosto de sorrir. Agora vamos logo senão não irá dar tempo de tomar café da manhã.

Assenti e logo saímos do nosso apartamento, fomos para uma cafeteria perto da Yonsei onde de acordo com o meu amigo, os alunos mais populares frequentam inclusive Jeon Jonghyun, o garoto que ele é afim desde criança e sua irmã gêmea HyeJi.

Ao chegarmos ele me guiou até uma mesa um pouco mais isolada das outras e percorreu o olhar por todos ali me dizendo quem era quem.

— Aquele é Youngjae, ele é do bloco de artes. Um dos mais famosinhos dele, aquele outro é o Jaebum, dizem que eles são um casal mas eles sempre negam. – JiHyun continuou dizendo sobre os alunos que estavam ali e que ele conhecia enquanto eu apenas escutava.

O som de um sino tocando me chamou atenção e assim que olhei para a porta vi uma garota um pouco alta, cabelos negros e lisos na altura dos ombros, magra e com pernas esbeltas entrar. Atrás dela entrou um garoto um pouco mais alto, cabelos negros corpo musculoso mas nada exagerado e uma expressão alheia a todos ali.

— Oh, esses são os irmãos Jeon! Aquela é a HyeJi e aquele é o gato do Jonghyun. Ele é lindo não é? Pena que puxou o pai, deve já deve ter ouvido falar dele... – JiHyun continuou dando informações sobre os Jeon mas eu não prestei atenção pois ela estava voltada para o garoto que entrou atrás deles.

Ele era alto, tinha os cabelos castanhos escuros com algumas mechas mais claras, sua pele era um pouco mais escura em contraste com os demais alunos que estavam ali. Ele era um pouco esguio mas tinha corpo muito bonito, ele em si era muito bonito.

— E quem é aquele? – perguntei.

— Quem?

— Esse que entrou seguido dos Jeon.

— Ah. Bem, eu não faço ideia. Ele deve ser um dos novatos mas é muito bonito.

E como ele era, bonito chegava até ser um insulto a tamanha beleza.

Fiquei observando ele pedir algo no balcão que depois vi que era um café americano, logo depois o mesmo saiu da cafeteria. Será que ele é mesmo um aluno novato? Se for, de qual bloco ele deve ser?

Após tomarmos o nosso café da manhã, JiHyun e eu fomos com os demais alunos para a Yonsei. Hyun e eu nos despedimos e cada um foi para o seu bloco, como eu não conhecia os corredores fiquei olhando para o pequeno "mapa" que eu tinha em mãos e assim acabei esbarrando em alguém.

— Oh, gomenasai!

— Vê se olha por onde anda. – o tal de Jonghyun disse sem me olhar e passou por mim.

Olhei pra trás o vendo sumir entre a multidão de alunos naquele corredor, balancei a cabeça em sinal de negação voltando a olhar pra frente e voltei a procurar pela a minha sala.

O corredor estava quase vazio quando econtrei a minha sala, percorri o olhar pela mesma atrás de um bom lugar pra me sentar e achei um ao lado da tal HyeJi, acabei dando de ombros e me sentei ao seu lado, talvez ela não fosse tão arrogante quanto o seu irmão.

Um minuto depois o professor entrou na sala, depois de nos cumprimentar ele começou a falar a respeito da sua disciplina e enquanto eu apenas ouvia tudo com atenção.

[...]

Depois das aulas de hoje tive a certeza de que eu tinha escolhido o curso certo, o meu sonho de ser atriz só aumentou apesar de saber o quão complicado e difícil ele é como qualquer outro.

Quando o sinal tocou procurei o refeitório onde eu encontraria o meu melhor amigo, ao finalmente achá-lo percorri o meu olhar pelo mesmo procurando um ser idiota que não tira o sorriso do rosto e acabei o encontrando sentado na mesma mesa que o "amor da sua vida" vulgo idiota e arrogante.

Caminhei até eles, ao me aproximar da mesa Hyun oppa apontou para uma cadeira ao seu lado e me sentei na mesa ao lado do mesmo.


— Annyeonghaseyo. – o cumprimentei apenas por pura educação que os meus pais me deram.


— Annyeonghaseyo. – ele respondeu meio indiferente.


— Oh, aí está você!


Olhei pra trás e vi a Jeon se aproximar de nós e sentar ao lado do irmão.


— Que bonitinho, estamos juntos igual aos nossos pais antigamente! – JiHyun disse.


Jonghyun bufou.


— Não por escolha minha, por mim eu estava sentado sozinho.


— Aish, você é chato anti social mesmo. – Hyun revirou os olhos. — Tem sorte de ser bonito e ser popular por isso.


Vi o Jeon se afastar de Hyun meio desconfortável fazendo a irmã ri.


— Annyeonghaseyo, posso me sentar com vocês?


Uma voz grave chamou a nossa atenção, olhei para o lado e vi o mesmo garoto de hoje cedo na cafeteria.


Ele esboçava um sorriso retangular absurdamente lindo pra qualquer garota nesse refeitório, capaz de fazer qualquer uma sentir seu coração bater um pouco mais rápido e sentir as suas bochechas ganharem um tom rubro, porém, o contrário de qualquer uma delas eu apenas senti um calafrio percorrer a minha espinha.


Aquele sorriso, aquele maldito sorriso era o que me assombrava todas as noites?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...